Suspensão de voos no B737Max pode levar a cancelamentos e atrasos na Air Canada

Por a 18 de Março de 2019 as 15:38

A Air Canada decidiu acatar de imediato a decisão das autoridades canadianas de aviação de fecharem o espaço aéreo do país a todos os aviões B737Max, mas alerta os seus passageiros para as perturbações que esta decisão pode causar, devido à “magnitude das operações nos aviões 737Max”.

“Estamos a trabalhar para remarcar os voos dos clientes atingidos o mais rápido possível”, garante a Air Canada, numa nota publicada no website da companhia aérea, onde se explica, no entanto, que devido à “magnitude das operações nos aviões 737Max que, em média, transportam nove a doze mil passageiros por dia, os clientes podem esperar atrasos na remarcação e no atendimento nos call centers da Air Canada”.

A companhia aérea canadiana agradece, desde logo, a paciência dos passageiros e sublinha que as suas políticas de cancelamento e remarcação de voos prevêem a isenção total de taxas para os passageiros afetados.

A Air Canada aconselha ainda os passageiros com voos agendados a não se deslocarem para os aeroportos sem verificarem antecipadamente o estado dos seus voos, o que pode ser consultado através do site da companhia aérea, em aircanada.com.

“Apoiamos totalmente esta decisão e continuaremos a trabalhar com a autoridade de Transportes do Canadá com vista à resolução desta situação o mais rápido possível”, acrescenta a companhia aérea canadiana.

A decisão canadiana de fechar o espaço aéreo do país aos aviões Boeing 737Max surgiu na sequência de um acidente sem razão aparente com um aparelho de igual modelo da Ethiopian Airlines, a 10 de março, que vitimou todos os passageiros e tripulantes  e que foi muito semelhante a outro que se tinha registado no final de 2018, com um avião igual da Lion Air.

Enquanto não se apura exactamente a causa do acidente, dezenas de companhias aéreas e países em todo o mundo, incluindo a União Europeia e os EUA, decidiram encerrar o seu espaço aéreo a voos com aviões deste modelo, numa decisão que vai estar em vigor por tempo indeterminado.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *