Opinião| Já é tempo de voltarmos ao Mar

Por a 15 de Fevereiro de 2019 as 14:19

No início do século XV, Portugal olhou para o Mar e viu na sua imensidão a oportunidade de crescer em território, a nível económico e cultural. Partimos da “ocidental praia lusitana” para darmos “novos mundos ao Mundo”. Hoje voltamos a olhar para o Mar em todo o seu potencial: económico, científico, industrial e turístico.
O Mar, especificamente o turismo balnear, foi o pilar essencial para o crescimento da indústria turística nacional. Hoje, também o surf, a náutica de recreio e o sector dos cruzeiros fazem parte deste cluster marítimo e fluvial do turismo Português.
A indústria de cruzeiros é um dos sectores de maior crescimento no turismo mundial, com um potencial económico que vai além da componente turística, abarcando a indústria e o comércio, gerando milhares de postos de trabalho. Um estudo da Cruise Line International Association (CLIA) indica que, em 2017, a indústria contribuiu 48 mil milhões de euros, apenas na economia europeia, sendo responsável por mais de 403 mil postos de trabalho. Em Portugal, esse impacto cifra-se em cerca de 10 mil empregos e cerca de 1,2 milhões de passageiros que chegam aos portos nacionais.
Mas na área da construção Naval há muito ainda por onde crescer. De acordo com o mesmo estudo, entre 2018-2021 estava prevista apenas a construção de um navio de cruzeiros oceânicos, o World Explorer da Mystic Cruises. Em Novembro passado, anunciámos a construção de mais dois navios nos estaleiros de Viana do Castelo até 2021.
O World Explorer será o primeiro navio do seu género totalmente construído em Portugal, não só em termos de estrutura, mas também ao nível do seu apetrechamento. É um projeto com o contributo de dezenas de empresas portuguesas, desde a construção, ao mobiliário, passando por todo o seu sofisticado equipamento.
O World Explorer, e os restantes navios da Class Ice Explorer da Mystic Cruises serão como embaixadas de Portugal nos mares e oceanos, levando a bom porto a hospitalidade, gastronomia e capacidade de inovar da indústria naval portuguesa.
Já é tempo de voltarmos ao Mar!

*Por Mário Ferreira, presidente da Mystic Invest SGPS
Artigo publicado na edição de 1 de fevereiro do Publituris

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *