Sardenha espera aumento de turistas portugueses com voo directo

Por a 20 de Janeiro de 2019 as 14:52
Chef Pierluigi Fais, Giuseppina Scorrans e David Crognateli

No final de Outubro, a Ryanair iniciou o voo directo que liga a cidade portuguesa do Porto ao aeroporto de Cagliari, no sul da Sardenha. Os portugueses passaram a ter dois voos semanais, às segundas e quintas no Inverno IATA e às segundas e sextas a partir de 28 de Março, para a ilha italiana.
Motivada por esta ligação, a Câmara de Comércio da Sardenha promoveu uma acção de charme junto dos operadores turísticos e jornalistas portugueses, na sexta-feira passada, no Porto, para divulgar o destino. Giuseppina Scorrans, responsável da Câmara de Comércio da Sardenha, destacou as mais-valias da ilha italiana, onde sobressaem as suas inúmeras praias de água de cor turquesa e areia branca, até à cultura e eventos anuais, como o Carnaval, as festas religiosas ou festivais de jazz e de música clássica, e a gastronomia tradicional. “Na Sardenha, o turista português sente-se em sua casa, porque somos muito parecidos com os portugueses, a comida não é a mesma mas tem o sabor similar, as pessoas têm também parecenças no trato com os outros, como com os turistas”, explica, referindo que, no entanto, o clima e as praias são diferentes. Com todas estas mais-valias, a responsável está confiante que o número de portugueses no destino vai aumentar este ano: “Temos muito boas expectativas [para o voo directo]”.

Aeroporto 

Também David Crognateli, responsável do Aeroporto de Cagliari, indicou, ao Publituris, que antes do voo directo anual da Ryanair, a infra-estrutura aeroportuária recebia menos de 10 mil passageiros em voos directos entre os destinos, “agora, com os primeiros meses de operação, perspectivamos fechar o primeiro ano com cerca de 14 mil passageiros entre as duas cidades e no segundo ano podemos alcançar os 18 mil passageiros directos”. “Normalmente, com a Ryanair começamos com duas frequências, mas sabemos que provavelmente, no próximo ano, vamos duplicar as frequências, dependendo da performance da operação”, adianta. David Crognateli refere ainda que estão em negociações para abrir um voo directo para a capital portuguesa, mas vai depender da disponibilidade de ‘slots’ no aeroporto de Lisboa.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *