Claudio Tomé nomeado director-geral da EC Travel

Por a 9 de Janeiro de 2019 as 5:47
Eliseu Correia e Cláudio Tomé.

Claudio Tomé assumiu, desde o passado dia 7 de Janeiro, a função de director-geral da EC Travel, a DMC com sede no Algarve. Esta nomeação já estava a ser preparada pelo fundador e proprietário da empresa, Eliseu Correia, há algum tempo.

“Estamos a preparar atempadamente o futuro, criando uma segunda linha que esteja ao nível do que são as exigências do mercado e sempre com a preocupação de manter a qualidade e aumentá-la, com ideias e rumos diferentes e novos imputs”, explica.

Eliseu Correia afirma que a nomeação de Claudio Tomé foi uma “escolha natural”, na medida em que o agora nomeado director-geral já trabalha na empresa há cerca de quatro anos, sendo responsável pela área IT&Product. “O Cláudio Tomé está na empresa há cerca de quatro anos, conhece a EC Travel como ninguém, desde quem nos vende a quem nos compra, conhece todos os meandros do negócio. Foi uma escolha natural. Além do mais, sempre dei preferência aos colaboradores da casa. Isso é uma mensagem clara para todos os nossos colaboradores. Em primeiro lugar, esgotamos todas as possibilidades internas, só depois recorremos a soluções exteriores”, refere.

Com esta nomeação, Eliseu Correia pretende fazer um afastamento gradual da operação diária da empresa, o que deverá acontecer no período de dois anos.

A propósito deste novo desafio, Cláudio Tomé afirma: “É com um grande orgulho e responsabilidade que assumo a direcção-geral da EC TRAVEL e conto com a grande equipa de excelentes profissionais. A EC Travel para mim é não só uma das maiores e mais impactantes PME Nacionais, mas acima de tudo, uma forma de ser e estar, para o Turismo, para a Região e para o País. A minha estratégia enquanto director-geral passará pela manutenção e possível reforço do posicionamento da EC TRAVEL na árdua tarefa de captar e encaminhar os mercados emissores a visitar o nosso País. O maior desafio será, sem dúvida, o da continuidade do grandioso e carismático trabalho desenvolvido pelo Eliseu”.

Perspectivas para 2019

Apesar dos constrangimentos à actividade, tais como o Brexit, que afecta destinos como a Madeira e o Algarve, a EC Travel vai fechar o ano de 2018 com um desempenho acima de 2017. A DMC deverá ter um resultado de cerca de 1,7 milhões de euros, comparativamente aos 1,5 milhões de 2017. “É um crescimento  considerável, ainda para mais tendo em conta o ano atípico que tivemos”, refere. No entanto, Eliseu Correia não acredita que “2019 seja melhor que 2018, pela incerteza do Brexit”. “Enquanto Lisboa e o Porto ainda vivem numa espécie de lua-de-mel com a Europa e o Mundo e facilmente se dilui o impacto do Reino Unido. No caso da Madeira e do Algarve, isso não é assim”, afirma. O responsável considera que a “incerteza do Brexit não serve ninguém, precisamos rapidamente que haja uma clarificação, para que sejam tomadas decisões e sabermos com aquilo que contamos”.

Acresce a este problema, “a saturação do aeroporto de Lisboa e o péssimo serviço que está a ser prestado”, defende o responsável. Por essa razão, “se conseguirmos efectivamente em 2019 os números de 2018 seria muitíssimo bom. Já estamos a falar de uma empresa que factura acima dos 33 milhões de euros”, conclui.

Em 2019, a DMC pretende “consolidar o negócio que já detém, apostar ainda mais nos mercados tradicionais e aumentar a  presença no Reino Unido com várias acções que estão a ser planeadas com o objectivo de minimizar o impacto do Brexit”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *