Mais hóspedes e menos dormidas marcam o mês de Outubro

Por a 14 de Dezembro de 2018 as 12:31

Há mais hóspedes nos hotéis portugueses mas que ficam por um período mais curto de tempo. O cenário tem sido recorrente e Outubro não foi mês de excepção.  Os estabelecimentos hoteleiros e similares registaram, no período referido, 5,4 milhões de dormidas, uma queda de – 0,1%, sendo que as dormidas de não residentes caíram 3,2%., de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados esta sexta-feira, 14.

Também a estada média recuou 0,8% fixando-se em 2,70 noites, com uma quebra de -1,2% para não residentes.
Apesar da queda nas dormidas, o número de hóspedes aumentou ligeiramente para dois milhões, uma subida de 0,7%.

Um dos factores que tem influenciado estes números é a diminuição do volume de turistas britânicos em solo nacional. Este mercado representa uma fatia de  23,1% do total de dormidas de não residentes no País e ,em Outubro, recuou 2,3%. Ao todo, só este ano, houve um decréscimo de 8,7% de hóspedes provenientes do Reino Unido.

Também os mercados alemão (-7,3%) e francês (-2,9%) recuaram no mês analisado. Por outro lado, os hóspedes espanhóis estão a crescer, verificando-se um aumento de 12,4% em Outubro.

Ainda no mesmo mês, destaca-se o crescimento registados pelos mercados norte-americano (+10,4%) e  canadiano (+14,3%).

Dentro de portas, e contrariando a tendência dos turistas, o mercado interno marca pontos, com as dormidas de residentes a registar um crescimento de 10,8%. A taxa-líquida de ocupação-cama (53,8%) recuou 0,8 p.p. também neste período.

De acordo com o boletim publicado pelo INE,  O Norte e o Alentejo são as regiões que mais se evidenciam com um crescimento de 6,1% e 5,5%, respectivamente. A redução mais significativa nas dormidas ocorreu no Centro (-6,8%).

Apesar da queda nas dormidas as receitas não foram afectadas. Os proveitos totais atingiram 332,1 milhões de euros e os de aposento 239,8 milhões de euros  o que representou crescimentos de 2,6% e 1,7%, respectivamente.

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 53,8 euros em Outubro, o que se traduziu num aumento de 0,8% (+1,8% em Setembro). A AM Lisboa registou o RevPAR mais elevado (93,9 euros). Neste indicador são de destacar os crescimentos no Norte (+12,8%) e RA Açores (+8,0%).

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *