Tailândia apresenta medidas para balancear fluxo de turistas

Por a 13 de Dezembro de 2018 as 13:14

A Tailândia prepara-se para entrar na era da “qualidade acima da quantidade”. O anúncio foi feito pelo Ministro do Turismo e Desporto da Tailândia, Weerasak Kowsurat, que salientou que “o turismo não deve ser visto como uma galinha dos ovos de ouro para a economia, mas sim como um meio de reduzir as disparidades sociais e melhorar a qualidade de vida da população, mantendo sempre a segurança como prioridade”.

Para o Ministério do Turismo e Desporto Tailandês é prioritário sensibilizar os investidores e os empresários do setor a “ouvirem o som da natureza antes de pensarem em dinheiro”. Nas palavras de Weerasak Kowsurat, “se conseguirmos ouvir sempre o som da natureza, estamos no bom caminho. Devemos reconhecer quando é que é o momento de pararmos de pensar em números”.

Para dar cumprimento a este desígnio, o Ministro apresentou um conjunto de medidas para balancear o fluxo turístico no país, distribuindo-o por cidades e regiões menos conhecidas e que também precisam de se desenvolver. “É importante perceber o que é que atrai os turistas na Tailândia. Neste momento, temos cerca de 35 milhões de turistas que nos visitam anualmente, o que representa metade da nossa população. Se estes números não forem bem distribuídos pelo país, nem o povo tailandês nem os próprios turistas continuarão a ver-nos como o País dos Sorrisos”.

Weerasak Kowsurat acrescentou ainda que “embora a generalidade dos mercados estejam em crescimento, os interesses dos viajantes estão a mudar, variando em função das faixas etárias, da época do ano e das possibilidades financeiras. Os turistas que escolhem o Reino do Sião têm, no entanto, alguns interesses em comum: querem ter uma experiência memorável, conhecer o povo tailandês, visitar as comunidades locais e descobrir a nossa gastronomia”.

O pacote de medidas apresentado pelo Ministério do Turismo e Desporto foca-se essencialmente na reabilitação das cidades e vilas (para melhorar a qualidade de vida das populações locais), na melhoria dos serviços turísticos e na preservação do meio ambiente.

Esta é a primeira vez que o Governo e o sector privado tailandês trabalharam lado a lado três temas distintos: a proibição de fumar nas praias públicas; a proibição da utilização de sacos de plástico em parques nacionais; e a sensibilização dos turistas para a utilização dos “Pintos” (contentores de comida) durante as visitas aos parques nacionais.

Outra medida apresentada por Weerasak Kowsurat prende-se com a melhoria das ligações aéreas e ferroviárias a cidades secundárias menos conhecidas, para distribuir melhor o turismo e evitar concentrações excessivas em Banguecoque, Phuket, Phi Phi ou Krabi.

Também para facilitar a entrada de turistas chineses na Tailândia, foram eliminadas as taxas dos vistos no período de 15 de Novembro de 2018 a 15 de Janeiro de 2019. “Temos de rever algumas leis, nomeadamente a inclusão de uma taxa para seguro de saúde nos vistos dos turistas”, acrescentou o Ministro do Turismo e Desporto da Tailândia. Esta taxa adicional incluirá a cobertura das despesas médicas, que, até ao momento, é assegurada pelos impostos dos cidadãos tailandeses, o que deixará de se verificar com esta alteração à lei. Ainda sobre este tema, Weerasak Kowsurat adiantou que podem vir a ser criadas várias categorias premium para os seguros incluídos nos vistos, que cubram as despesas médicas das mais variadas actividades, desde a condução rodoviária ao mergulho, escalada ou rafting.

Em relação a Portugal, não se prevê qualquer alteração ao programa de vistos existente: para estadias inferiores a 30 dias, os cidadãos com passaporte português não necessitam de visto.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *