TAP vai voltar a voar para a África do Sul e tem planos para a Ásia

Por a 29 de Novembro de 2018 as 17:49

O presidente do Conselho de Administração da TAP, Miguel Frasquilho, revelou esta quinta-feira, 29 de Novembro, que a companhia de bandeira nacional vai voltar a voar para a África do Sul e tem planos para passar a operar na Ásia, o que pode acontecer dentro de três a seis anos.

Miguel Frasquilho foi o primeiro keynote speaker da conferência “Marcas Globais, Destinos Turísticos e Mercado Imobiliário”, que decorreu esta quinta-feira, na Estufa Real, em Lisboa, e aproveitou para revelar algumas das novidades que a TAP está a preparar e que passam pela abertura de três novos destinos nos EUA – Washigton DC, São Francisco e Chicago – já no próximo ano, além de Dublin e Telavive, ambos em Abril de 2019.

Mas, além destes novos destinos, que a companhia aérea já tinha anunciado em momentos anteriores, Miguel Frasquilho revelou que a TAP vai ter também novidades em África, assim como na América do Norte e do Sul.

“Em África, vamos consolidar a posição que temos em vários mercados seleccionados, não só na África portuguesa – embora essa tenha sempre um lugar especial na TAP, que é a grande ligação desses países ao exterior – mas vamos voltar a voar para a África do Sul”, revelou, indicando também um reforço da parceria com a Azul na América Central e do Sul, bem como o lançamento de novos destinos no Brasil, sem, no entanto, precisar de que destinos se trata.

Já a Ásia, onde a companhia espera, numa primeira fase, “tirar partido da relação com a HNA e alavancar a parceria com a Capital Airlines”, não está excluída dos planos da TAP, ainda que Miguel Frasquilho aponte um horizonte temporal mais vasto.

“É evidente que a Ásia também está nos nossos horizontes, mas não numa primeira fase. Diria que dentro do horizonte de três a cinco anos, a TAP poderá passar também a voar para a Ásia, mas primeiro temos que esperar que os aviões cheguem para podermos dar asas a estes sonhos”, afirmou.

Quanto aos novos aviões, Miguel Frasquilho lembrou que a TAP recebeu esta semana o primeiro A330neo, aparelho que, segundo o responsável, deveria “ter chegado há um ano e meio”, e prepara-se para receber “brevemente o segundo destes aviões”, sendo esperados mais 15 durante o próximo ano.

“Vamos receber brevemente o segundo destes aviões e, para o ano, vamos receber 15. No total, serão 21 aviões para o longo curso, que nos permitirão alcançar muitos novos destinos mais longínquos, e vamos renovar também a frota de médio curso”, acrescentou, explicando que o objectivo da companhia é passar das actuais 90 aeronaves para uma frota de 120 aviões, dentro de “três ou quatro anos”.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *