Salvador da Bahia volta a ser destaque na programação de fim-de-ano da Soltrópico

Por a 17 de Outubro de 2018 as 21:00

A Soltrópico vai voltar a programar um voo charter para Salvador da Bahia, no Brasil, no fim-de-ano, destino que volta a ser o principal destaque na programação do operador para esta época festiva e que conta com partida de Lisboa, a 26 de Dezembro, em voo da companhia aérea Privilege, disse ao Publituris Fernando Bandrés, director comercial da Soltrópico.

“É o segundo ano em que apostamos no réveillon neste destino. No ano passado correu lindamente e a verdade é que o ritmo de reservas para 2018 também está a ser muito bom”, revelou o responsável, considerando que, para a Soltrópico, “apostar em Salvador no fim-de-ano é já uma aposta consolidada”.

Além de Salvador da Bahia, a Soltrópico vai manter a aposta em destinos que são já “clássicos” na oferta do operador turístico, a exemplo de Marraquexe, em Marrocos, que vai ter partidas de Lisboa e Porto, a 29 de Dezembro, bem como Cabo Verde, com o operador a programar  dois “voos especiais para o Sal e Boavista”, ambos com partida a 26 de Dezembro, que vão complementar os voos regulares da TAP e TACV.

No fim-de-ano, a Soltrópico vai apostar ainda na Madeira e Açores, contando com lugares bloqueados em voos regulares, “tanto à partida de Lisboa como do Porto”, com destino ao Funchal, Ponta Delgada e Terceira.

Quanto a destinos mais longínquos, a Soltrópico tem ainda um allotment com a Emirates, que permite estadias no Dubai e Abu Dhabi, bem como combinados, sendo inclusive possível combinar o Dubai com glampimg no deserto.

Fernando Bandrés diz que as reservas para todos os destinos programados pela Soltrópico no fim-de-ano estão a correr bem, apesar de estarem mais adiantadas para Salvador da Bahia, uma vez que existe a tendência para reservas com maior antecedência em destinos de longo curso.

“No ano passado já aconteceu assim. As pessoas no longo curso marcam, normalmente, com mais antecedência, mas todas as operações estão com muito boas ocupações”, acrescentou o director comercial da Soltrópico.

Verão 2018 “aquém das expectativas”

Já o Verão passado acabou por não correr como o operador “estava à espera” e “ficou um pouco aquém das expectativas”, uma vez que, atribui Fernando Bandrés, houve “um excesso de oferta no mercado”, algo que os operadores turísticos devem “controlar”, mas que não terá afectado a facturação da Soltrópico.

“Apesar disso, a nossa facturação foi muito similar ao ano passado. No ano passado tivemos uma mudança de paradigma, os nossos parceiros nas operações aéreas deixaram de comprar através de nós e passaram a ter contrato directo com a companhia, o que significa que o nosso volume de facturação diminuiu. Mesmo assim, o volume de facturação foi similar ao ano passado, o que supõe que, no resto do mercado, crescemos um bocadinho”, explicou.

Impacto na operação de Verão tiveram também os constrangimentos do aeroporto de Lisboa, que, apesar de “não terem afectado em demasia a Soltrópico”, se reflectiram nas horas e partidas das operações.

“Acho que vamos sofrer ainda um bocado durante uns anos, aquilo que estamos a tentar fazer é adiantar, na medida do possível, a contratação das operações e garantir que, quanto muito, ficamos como este ano”, concluiu o responsável.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *