Apoio ao investimento turístico em territórios de baixa densidade com novas regras

Por a 18 de Setembro de 2018 as 16:00

O Programa de Investimento Imobiliário Turístico em Territórios de Baixa Densidade abriu segunda-feira, 17 de Setembro, uma nova fase de candidaturas, que vai decorrer até 31 de Março de 2019, para a qual conta com uma dotação de 25 milhões de euros e novas regras.

“O principal objectivo deste Programa é apoiar o investimento na aquisição de imóveis para desenvolvimento de actividades turísticas nos territórios de baixa densidade (conforme definido no Programa Nacional de Coesão Territorial)”, explica a Turismo Fundos – SGPII, entidade responsável pela gestão do programa, numa nota enviada à imprensa.

No entanto, existem novas regras para esta segunda fase de candidaturas, uma vez que o apoio passa a abranger as “obras de adaptação, ampliação e/ou requalificação dos imóveis a adquirir”, existindo também novidades ao nível da tipologia dos prédios, uma vez que passam a poder ser adquiridos prédios mistos ou rústicos.

“Ao alargar o âmbito do modelo de actuação das operações de investimento imobiliário, a Turismo Fundos pretende criar as condições financeiras mais adequadas para estimular o aparecimento de melhores projectos de investimento que permitam uma maior valorização do património cultural e natural localizado nos municípios de baixa densidade”, refere Pedro Moreira, presidente da Turismo Fundos – SGPII, citado no comunicado enviado à imprensa.

Já a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, considera que “este é um instrumento muito importante para dinamizar projetos turísticos no interior, com características adaptadas especificamente para estes territórios, criando uma oportunidade para a requalificação de imóveis e para a atração de novos investidores para estas regiões”.

Mais informações em www.turismofundos.pt.

 

 

Um comentário

  1. Jorge Manuel Moreira da Vinha

    18 de Fevereiro de 2019 at 16:15

    Alguns anos a esta parte, que procuro conseguir apoio para a reconstrução de uma casa histórica para Turismo de Habitação ou Rural. Em tempos, desenvolvi todo um projeto nesse sentido, com o apoio da Adrimague, (Arouca), projeto esse que não foi aprovado, depois de ter gasto cerca de dois mil euros. Vivo numas Termas, onde não existe nenhuma instalação de Turismo Rural ou de Habitação. Procuro ajuda no desenvolvimento deste projeto.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *