AirHelp estima que atrasos tenham afectado 152 mil passageiros no Verão

Por a 17 de Setembro de 2018 as 11:45
Gate28

Entre 1 de Julho e 31 de Agosto, os atrasos nos aeroportos portugueses terão afectado cerca de 152 mil passageiros, com a TAP, a Ryanair, a easyJet e a Vueling a liderarem o ranking das companhias aéreas com maior número de perturbações, estima a AirHelp, empresa especializada na defesa dos direitos dos passageiros aéreos, que aponta também Lisboa como o aeroporto nacional com mais voos atrasados.

Na análise da AirHelp, os aeroportos portugueses com melhor desempenho ao nível da pontualidade no Verão foram os de Faro e Madeira, que apresentam uma pontualidade nas partidas de 81% e 77%, respectivamente, enquanto o aeroporto de Lisboa registou a pior média, com 49% das partidas a chegarem ao destino com atraso.

A empresa de defesa dos direitos dos passageiros aéreos estima também que as perturbações registadas resultem em pedidos de compensações num montante total de 50 milhões de euros, com a TAP a ser a companhia aérea mais penalizada, já que foi também a que maior número de problemas registou durante o Verão.

“Neste período, cerca de 50% dos voos da TAP que partiram de Portugal sofreram perturbações. Mais de 7.000 voos tiveram um atraso entre 15 e 180 minutos, cerca de 80 voos atrasaram-se mais de 180 minutos e cerca de 250 voos foram cancelados”, refere a AirHelp.

No caso da TAP, as perturbações atingiram um total de 63 mil passageiros, o que, segundo a AirHelp, pode resultar em pedidos de compensações na ordem dos 20 milhões de euros, seguindo-se a Ryanair, que viu 28 mil passageiros afectados por perturbações, o que pode dar origem a pedidos de compensações no valor de 10 milhões de euros.

“No caso da Ryanair, cerca de 21% dos voos com partida de Portugal sofreram perturbações. Mais de 1.200 voos tiveram um atraso entre 15 e 180 minutos, perto de 30 voos tiveram um atraso superior a 180 minutos e cerca de 70 voos foram cancelados”, precisa a AirHelp.

Já a easyJet e a Vueling viram as perturbações nos aeroportos nacionais atingir 20 mil e sete mil passageiros, respectivamente, que podem igualmente resultar em pedidos de compensações no valor de seis e dois milhões de euros.

 

 

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *