CDS-PP questiona Governo sobre o impacto dos incêndios no Turismo

Por a 14 de Agosto de 2018 as 15:07

O CDS-PP quer saber o impacto que o incêndio de Monchique, no Algarve, teve no Turismo, depois das autoridades britânicas terem emitido um alerta de segurança, na sequência do incêndio que consumiu mais de 20 mil hectares de floresta e que já terá levado a “dezenas de cancelamentos”.

Numa nota enviada à imprensa, o CDS-PP revela que cinco dos seus deputados, concretamente Nuno Magalhães, João Gonçalves Pereira, Pedro Mota Soares, Filipe Anacoreta Correia e Hélder Amaral, dirigiram já uma pergunta ao ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, para saberem que procedimentos adoptou o Governo para  garantir a segurança dos turistas e que impacto teve o incêndio no Turismo.

“Na pergunta dirigida ao ministro dos Negócios Estrangeiros, os deputados do CDS-PP questionam, quais os procedimentos adotados pelo Governo português para garantir a segurança e serenidade dos turistas hospedados, tanto em empreendimentos turísticos como em estabelecimentos de alojamento local, nos concelhos ou regiões próximos ou afetados pelos incêndios, e qual o número de viagens para Portugal canceladas por parte de cidadãos britânicos, na sequência do alerta emitido pelas autoridades britânicas, e dos valores verificados em número de dormidas de hóspedes”, refere o partido em comunicado.

Na base das dúvidas do CDS-PP está o alerta emitido pelas autoridades britânicas, na quarta-feira, 8 de Agosto, “a sugerir aos cidadãos de nacionalidade britânica não viajar para zonas de Portugal afectadas pelos incêndios nos últimos dias, como é o caso do Algarve, e em particular dos municípios de Monchique, Silves e Portimão”, acrescenta a mesma informação.

O CDS-PP denuncia que o alerta esteve activo até 10 de Agosto, ou seja, por quase 48 horas, apenas tendo “sido actualizado ao início da tarde do mesmo dia”, quando o incêndio estava já controlado, o que leva o partido a querer saber os “efeitos negativos que resultaram daquele comunicado”

“Apesar de o CDS-PP compreender as dificuldades que se colocam às autoridades portuguesas em avaliar rigorosamente os efeitos negativos que resultaram daquele comunicado, e em contrariá-los atempadamente, expressa pela presente iniciativa a sua preocupação pelo alarmismo que poderá surtir (ou ter surtido) nos cidadãos britânicos e pelo efeito dissuasor e prejudicial para a credibilidade de Portugal, muito mais tratando-se do Reino Unido, um dos principais mercados emissores de turismo para o nosso país”, destaca o CDS-PP.

O partido diz ainda que “muitos dos operadores turísticos das regiões ou zonas de deflagração de incêndio (ou próximos delas) manifestaram já a sua preocupação pelos efeitos potenciais desta situação nos seus negócios”, uma vez que já foram confirmados “dezenas de cancelamentos ocorridos nos últimos dias”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *