Opinião| Vídeos Realidade Virtual 360 Graus, O Que Vai Mudar No Turismo?

Por a 1 de Agosto de 2018 as 10:15

É altura de férias, momento para se divertir, para explorar ou então para ficar relaxado na praia sem fazer nada, a “viver como um morto” diria o chef Bourdain. Mas lembra-se como escolheu as suas últimas férias? No website de uma agência, num catálogo, ou então foi o amigo que lhe contou como é estar naquele lugar fantástico e até já lhe fez um roteiro personalizado para mostrar que é entendido e experiente. Agora imagine que na próxima vez que for escolher uma viagem pode ter a oportunidade de quase estar lá, de sentir como vai ser quando pousar os pés naquela areia ou quando visitar aquele hotel…e assim decidir para onde vai com base numa experiência audiovisualmente imersiva. É todo um novo mundo que o mundo da realidade virtual oferece aos viajantes, a possibilidade de com uns óculos de RV ter uma visão e audição 360º do local que vai visitar. É como estar dentro de um catálogo de viagens em movimento.
Num cenário ideal, uma agência de viagens, uma cadeia de hotéis, um destino terá um catálogo inteiro de ofertas turísticas em vídeos 360º. É garantido que os clientes vão adorar e a possibilidade de conversão em vendas aumenta exponencialmente.
No ponto de visita da criação e desenvolvimento destes vídeos é também todo um novo desafio. Nos tradicionais vídeos é o realizador que conduz o espectador para onde lhe interessa, isso pode ser feito com movimento de câmara, escala, enquadramento e claro a própria acção dos atores. Nos vídeos 360º, o espectador é como se fosse o realizador, ele escolhe o que quer ver e como quer ver. A viajar para uma praia pode decidir se quer olhar para o mar, para a areia ou para o céu. Num hotel decide se quer ver o quarto, a piscina ou espreitar o spa.
Estamos apenas no início do que pode ser uma revolução na forma como conhecemos e descobrimos novos lugares e as experiências multiplicam-se por todo o mundo em várias entidades turísticas.
Na Click and Play já tivemos oportunidade de realizar um pequeno filme 360º para uma cadeia hoteleira. Na apresentação desta experiência, uma criança entusiasmada com os óculos de realidade virtual via constantemente em loop o vídeo, numa das cenas 360º de uma divertida aula de dança, a criança feliz com a experiência sentia-se literalmente dentro da aula e tentava dançar com as personagens que via no filme. Ela estava claramente a viver a situação, era como se estivesse lá na aula de dança do hotel… mas não estava.
Mas será que o desafio da realidade virtual no Turismo pode ir ainda mais longe? Tão longe que este conteúdo passe a ser uma outra versão da realidade, ou seja, num futuro próximo poderemos produzir conteúdos audiovisuais tão envolventes que vão levar o espectador a sentir-se quase lá… e nesse caso, isso vai convencer mais turistas a ir ao local ou o que sentiram já é por si só suficiente?
Será esta uma revolucionária nova forma de Turismo? E se os destinos e agências de viagens no futuro começarem a cobrar por estas experiências tão reais?
e adicionarmos a tudo isto alguma inteligência artificial as possibilidades são infinitas, isto porque estas aventuras virtuais como são 100% audiovisuais podem ser manipuladas digitalmente de forma a que ainda pareçam melhor que o real. Se é assim, temos então garantido um destino sempre com bom tempo, ambiente limpo e arranjado… tudo perfeito, melhor que a realidade que é tão imprevista e imperfeita. Tal como cantavam os Fairground Atraction em 1988 “It’s got to be perfect, it’s got to be worth it.”

*Por Nuno Carvalho, Click and Play Studio

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *