Europa já tem guia de Turismo LGBTQ

Por a 26 de Julho de 2018 as 17:03

A The European Travel Commission (ETC) e a International Gay & Lesbian Travel Association Foundation (IGLTAF) lançaram o primeiro guia de bolso sobre o segmento LGBTQ – Lésbicas, gays, bissexuais, transgéneros e queer, ferramenta que pretende dar a conhecer o potencial deste mercado e ajudar a melhorar o acolhimento deste público nos destinos europeus.

Numa nota enviada à imprensa, a IGLTAF explica que o guia foi elaborado a partir de um estudo online, que contou com a participação de consumidores LGBTQ de cinco países – Brasil, China, Japão, Rússia e EUA -, além da opinião de 16 especialistas neste mercado, que ajudam a compreender como funciona a procura neste segmento.

“Ao partilharmos dados e recursos sobre o segmento LGBTQ com a indústria das viagens, podemos construir uma maior compreensão sobre a nossa comunidade”, afirma John Tanzella, CEO e presidente da IGLTAF.

Já Peter de Wilde, presidente da ETC, sublinha que “promover o apoio à inclusão LGBT também é uma oportunidade de crescimento económico e de desenvolvimento cultural para os destinos turísticos”.

As conclusões mostraram que a Europa já conta com uma posição consolidada neste mercado, sendo vista pela comunidade LGBTQ como o mais “liberal e socialmente progressivo destino”, apesar de algumas partes da Europaainda oferecerem um ambiente pouco seguro para os turistas LGBTQ.

O estudo apurou também que 80% dos entrevistados dizem ter um forte desejo de visitar a Europa e esperam fazê-lo nos próximos três anos, enquanto 92% dos que já visitaram a Europa esperam repetir a visita.

A maioria dos participantes no estudo mostra-se preocupado com a forma como os cidadãos LGBTQ são tratados nos vários países europeus, valorizando os destinos onde há ‘mente aberta’ e onde os homossexuais são aceites, principalmente se existir legislação que permita o casamento e a união entre pessoas do mesmo sexo. Os eventos dedicados à comunidade LGBTQ, as experiências de luxo e o convívio com a comunidade local são aspectos também valorizados.

O guia é gratuito e pode ser acedido através dos sites da ETC e da IGLTAF.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *