89% dos lisboetas consideram Turismo positivo mas há queixas

Por a 16 de Julho de 2018 as 17:11

A Associação de Turismo de Lisboa (ATL) divulgou esta segunda-feira, 16 de Julho, um estudo sobre o impacto do Turismo na vida dos lisboetas, segundo o qual a maioria dos residentes na capital apoiam o desenvolvimento da actividade turística, apesar das queixas começarem também a notar-se.

De acordo com o estudo desenvolvido pela Intercampus, entre 16 de Abril e 10 de Maio, 89% dos lisboetas consideram que o Turismo é positivo, uma vez que “melhora a imagem da cidade e do país no estrangeiro, desenvolve a economia e tem impacto positivo na maior parte das áreas económicas, assim como na preservação e reabilitação do património”, destaca a ATL numa nota enviada à imprensa.

“Os dados recolhidos revelam ainda que 69% dos residentes considera que a cidade estaria pior se não tivesse o turismo que hoje tem, sendo que 89% disse ser “um privilégio viver na cidade de Lisboa”. As principais vantagens do turismo referidas são o desenvolvimento da economia (71%), aumento do comércio (30%) e a criação de oportunidades de emprego (14%)”, lê-se na mesma informação.

O estudo apurou também que 85% dos residentes totais e 79% dos residentes no centro histórico de Lisboa consideram que “por influência do turismo a cidade tem hoje mais vida”, enquanto 32% afirmam que a vinda dos turistas teve um impacto muito importante na imagem de Lisboa, percentagem que desce para 21% entre os residentes no centro histórico.

Quando questionados sobre a atitude que têm face aos turistas, a maioria dos lisboetas diz fazer questão de ser atencioso e prestável em relação aos turistas, opinião partilhada por 84% dos residentes totais e 82% dos residentes no centro histórico.

Apesar de reconhecerem a importância do Turismo, os lisboetas começam a ter algumas queixas face ao crescimento do Turismo, daí que 22% dos residentes na cidade digam que evitam frequentar as zonas da capital portuguesa onde há mais turistas, percentagem que sobe para 29% entre os residentes no centro histórico

O mercado imobiliário (casas para vender e para alugar), o alojamento e o aumento do custo de vida, mas também o tráfego, a circulação automóvel e o ruído são as principais queixas, de acordo com a ATL, que não revela, no entanto,  a percentagem de incidência destas queixas .

Ainda assim, 32% dos inquiridos responderam não ver qualquer desvantagem no Turismo, com a ATL a revelar que “as sugestões deixadas neste estudo dizem respeito essencialmente ao custo de vida e ao reforço do estacionamento e dos transportes públicos”.

Este estudo da Intercampus foi realizado entre 16 de abril e 10 de maio junto de uma amostra de 805 residentes no concelho de Lisboa, com 18 ou mais anos. A margem de erro máximo é de 3,5 para um intervalo de confiança de 95%.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *