“Braga é um exemplo para o País”

Por a 10 de Junho de 2018 as 21:32

O Grupo Vila Galé inaugurou a sua 30ª unidade hoteleira este fim-de-semana, desta feita, na cidade de Braga. Jorge Rebelo de Almeida, presidente do grupo hoteleiro, na cerimónia de inauguração, destacou o “dinamismo empresarial e a juventude vibrante” da cidade do norte de Portugal, salientando que esta devia ser tida como um exemplo para o resto do País. “Braga é um exemplo para aquilo que temos de fazer no país, que é recuperar os centros históricos das cidades, mas ter em conta que é preciso preservar a autenticidade portuguesa. O nosso grande factor de diferenciação face a outros destinos é a autenticidade, temos que manter a vida própria das cidades nos centros históricos.”
O empresário reconheceu que o Turismo deu “um contributo muito importante na recuperação dos centros históricos nestes últimos anos, permitiu a recuperação de muitas casas, gerou novos negócios”. Contudo, alerta que “se os centros das cidades ficarem meramente turísticos, perde a graça toda”.  Segundo Jorge Rebelo de Almeida, deve-se promover a habitação nos centros históricos para os jovens e idosos portugueses, além da realização de actividades nesses mesmos centros, dando como exemplo o cartaz cultural que a cidade de Braga promove anualmente. “Temos que manter alguma coisa que quando o turista nos visita no centro de uma das nossas cidades, sinta que está a ter uma experiência diferente. A certa altura se aquilo é só hotéis, hosteis, airbnb, restaurantes, perde a graça toda. Tudo tem de ser doseado”.
A par deste problema de perda de autenticidade, o empresário alertou ainda para alguns constrangimentos que podem afectar o Turismo no País, como a questão da remodelação das unidades hoteleiras existentes: “Temos de ter um esforço muito grande de valorização de unidades mais antigas para se manterem actuais, atractivas, valorizadas. Os destinos turísticos não se fazem de unidades isoladas, é importante que todo o destino, que toda a cidade esteja boa”. À actualização da oferta hoteleira existente acresce a problemática do aeroporto de Lisboa, assunto que o presidente do segundo maior grupo hoteleiro vê com preocupação: “precisa urgentemente de uma solução”.
Jorge Rebelo de Almeida aproveitou a ocasião ainda para chamar a atenção para os investimentos no interior no País, numa altura em que o litoral português já se  encontra saturado. Este defende que os empresários não devem olhar para os investimento no interior por uma questão de compaixão ou solidariedade, mas sim porque “é um negócio de inteligência ir para o interior deste País”.

Um comentário

  1. Victlementeor C

    11 de Junho de 2018 at 10:13

    Dr. Rebelo de Almeida, quero expressar o meu sentido de um especial agradecimento, pela força, pela audácia, enfim pelo sentido de empreendedor neste nosso País e não só. A abertura da 30ª unidade hoteleira é de facto um Marco que ultrapassando todas as tempestades lhes possa dar a alegria da Boa esperança.
    Bem Haja, e os melhores agradecimentos.
    Um amigo
    Victor Clemente

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *