Golfe gerou 370 M€ em gastos turísticos no Algarve em 2017

Por a 10 de Abril de 2018 as 17:35

Em 2017, o golfe foi responsável por gastos turísticos na ordem dos 370 milhões de euros no Algarve, receita que terá gerado cerca de 16.800 empregos e um Valor Acrescentado Bruto total de 500 milhões de euros, segundo um estudo promovido pela Associação Turismo do Algarve (ATA) e realizado pela consultora PricewaterhouseCoopers (PwC).

Numa nota à imprensa, a ATA refere que apesar da “reconhecida importância estratégica” do golfe para o dinamismo do Turismo da região, não existiam, até ao momento, dados concretos que permitissem apurar a criação de valor associada à prática de golfe no Algarve, motivo pelo qual a associação decidiu realizar um estudo que contou com a participação de vários agentes do sector.

“De acordo com os resultados do estudo em questão, os gastos dos jogadores de golfe activam vários sectores da economia regional/nacional, gerando-se impactos directos, indirectos e induzidos, através do valor acrescentado, de empregos, impostos e balanças comerciais. A análise ao sector do golfe permitiu identificar multiplicadores de receitas em toda a região, que se traduziram numa criação de Valor Acrescentado Bruto, em alguns casos superior a 60%”, acrescenta a ATA.

Carlos Gonçalves Luís, presidente da ATA, destaca que “os resultados deste estudo vêm comprovar o reconhecimento da indústria do golfe como um sector económico de extrema importância em Portugal e, em particular, no Algarve”, considerando que este produto é “um forte contributo para o combate à sazonalidade”.

O estudo permitiu também traçar o perfil dos praticantes desta modalidade que procuram o Algarve e apurou que, na maioria, estes turistas são de nacionalidade britânica (73%) e têm um gasto médio de cerca de 1.500 euros na sua estadia, ficando instalados em hotéis de 4 ou 5 estrelas. Factores como o clima ameno (79%) e a qualidade dos campos (53%) foram determinantes para a escolha do Algarve como destino.

“Conseguimos perceber que os turistas que nos visitam tendo como principal motivação a prática de golfe, apresentam uma elevada fidelização ao destino”, afirma Dora Coelho, directora executiva da ATA, congratulando-se com o facto de “87% dos jogadores inquiridos” já terem visitado o Algarve no passado, indicador que, segundo a responsável, é “muito expressivo no que toca à satisfação dos turistas perante o produto oferecido”.

Recorde-se que o Algarve assegura aproximadamente 70% do total nacional de voltas de golfe (em 2017 foram jogadas 1.341 milhões de voltas na região), o que comprova a importância e o potencial deste produto turístico.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *