Hotelaria de Lisboa mantém subida de preços e rentabilidade em Fevereiro

Por a 2 de Abril de 2018 as 12:54
Lisboa

O passado mês de Fevereiro voltou a confirmar o bom momento que a hotelaria lisboeta vive, com subidas no preço médio, no revPar e na ocupação, com os cinco estrelas a serem a excepção, de acordo com os dados do Observatório de Turismo de Lisboa referentes ao segundo mês de 2018, divulgados esta segunda-feira, 2 de Abril.

No global, a hotelaria da cidade de Lisboa registou uma taxa de ocupação de 66,63%, aumento de 1,7% face a igual mês de 2017, com destaque para as unidades de três estrelas, onde este indicador subiu 16,3%, para 76,74%. Os quatro estrelas conheceram, igualmente, uma melhoria na ocupação, subindo 3%, para 69,94%, enquanto os cinco estrelas, pelo contrário, apresentaram uma descida de 11,3% na ocupação, numa taxa que não foi além dos 53,26%.

Já o preço médio por quarto vendido subiu em todas as categorias da hotelaria, aumento que foi mais expressivo nos três estrelas, onde o preço médio subiu 13,5% em Fevereiro, para 57,17 euros, seguindo-se os cinco estrelas, cujo aumento foi de 11,8%, para 143,27 euros. Os quatro estrelas tiveram igualmente uma subida do preço médio, num aumento de 7,9%, para 71,25 euros.

No que ao revPar diz respeito, a maior subida voltou a ter lugar nos três estrelas, onde o preço médio por quarto disponível subiu 32%, situando-se nos 43,87 euros, seguindo-se os quatro estrelas, cujo revPar aumentou 11,2%, para 49,83 euros, enquanto nos cinco estrelas este indicador apresentou uma descida de 0,8%, para 76,31 euros.

Na região de Lisboa, os resultados de Fevereiro foram semelhantes, com os três e quatro estrelas a apresentarem melhor desempenho que os cinco estrelas, que voltaram a descer em ocupação no segundo mês do ano.

A nível global, a hotelaria da região de Lisboa registou uma taxa de ocupação de 61,97%, subida de 2,4% face a igual mês do ano passado, com os três estrelas a apresentarem o maior acréscimo na ocupação, que foi de 71,22%, aumento de 10,9%. Já os quatro estrelas registaram uma ocupação de 64,40%, subindo 3,8%, enquanto os cinco estrelas desceram 7,2%, para 50,39%.

Ao nível do preço médio, as subidas foram comuns às três categorias, com os três estrelas a subirem 14%, para 56,38 euros, seguindo-se os cinco estrelas, que subiram 10,7%, para 139,81 euros. Já os quatro estrelas registaram uma subida de 7,4%, para 67,77 euros.

No revPar, as subidas também foram comuns às três categorias de hotelaria, mais uma vez, com destaque para os três estrelas, onde o acréscimo foi de 26,3%, para 40,15 euros, seguindo-se os quatro estrelas, com um aumento de 11,6%, para 43,64 euros, e os cinco estrelas, onde a subida do revPar foi de 2,7%, para um total de 70,45 euros.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *