Roadshow de Cuba termina com adesão de mais de 800 agentes de viagens

Por a 21 de Março de 2018 as 1:09

Ponta Delgada recebeu pela primeira vez o roadshow que promove o destino Cuba junto dos agentes de viagens, organizado pelos operadores turísticos Sonhando, Solférias e iTravel. A cidade açoriana foi também o local escolhido para terminar a quinta edição desta iniciativa que começou em Coimbra, tendo posteriormente passado pelo Porto, Lisboa e Funchal.
No total, esta edição do roadshow recebeu mais de 800 agentes de viagens, referiu José Manuel Antunes, director-geral da Sonhando, em Ponta Delgada, que aproveitou para explicar que inicialmente o roadshow nos Açores estava para ser a bordo do MSC Divina, que faria escala no dia 20, mas que, devido a condições meteorológicas, teve de antecipar a escala para dia 19. “Já era uma ambição nossa vir cá não só por Cuba, mas para vir fazer uma promoção de jeito”, referiu aos agentes de viagens açorianos, enaltecendo ainda a “atenção” e o “profissionalismo” destes perante a informação fornecida no âmbito do roadshow.
Ao Publituris, José Manuel Antunes destacou ainda que, “o conjunto dos três operadores que estão aqui – Sonhando, Solférias e iTravel – foi responsável por 38% dos portugueses que viajaram para Cuba [em 2017] o que é de facto notável, daí a confiança que as pessoas podem ter no produto, na experiência que temos no destino”. O responsável explica ainda que durante a operação charter “temos uma estrutura montada em Cuba durante os quatro meses de operação com oito funcionários: uma pessoa em Havana, duas em Varadero, e cinco pessoas em Cayo Coco, este último porque é um destino que precisa, pois os hotéis são mais dispersos.  Temos assistência diária em praticamente todos os hotéis que utilizamos e as pessoas estão sempre muito confortáveis em Cayo Coco”.
Quanto às novidades no destino este ano, o director-geral da Sonhando refere que não são muitas, não existem novas unidades hoteleiras face a 2017, mas existem sim unidades hoteleiras que, devido às consequências do Furacão Irma, que afectou o destino em Setembro passado, foram completamente renovadas. José Manuel Antunes minimiza ainda o efeito que o Furacão Irma possa ter actualmente no destino, justificando que há 13 anos que Varadero não tinha um acontecimento do género e que Cayo Coco, nos 24 anos enquanto estância balnear, foi alvo pela primeira vez deste fenómeno climatérico.
Recorde-se que actualmente está disponível a operação para Varadero, que se realiza aos sábados de 2 de Junho a 6 de Outubro (última partida) à saída de Lisboa; mas também à saída de Lisboa às segundas-feiras, a bordo da euroAtlantic, acontece a operação charter para Cayo Coco de 9 de Julho a 10 de Setembro.
Perante esta oferta, o responsável indica que “o crescimento [para Cuba no mercado português] este ano será a dois dígitos, mas não chegará aos 20%, será na ordem dos 14% no global do mercado português” também porque existem mais players no mercado a operarem este destino.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *