Lisboa sobe cinco posições e já é a 38.ª cidade com melhor qualidade de vida

Por a 20 de Março de 2018 as 0:05

A capital portuguesa subiu cinco posição no ranking das cidades com melhor qualidade de vida em todo o mundo e ficou no 38.º lugar, à frente de cidades como Paris, Londres, Milão, Madrid e Nova Iorque. Viena, capital da Áustria, volta a ocupar o primeiro lugar, o que acontece há nove anos consecutivos, segundo o estudo “Quality of Living 2018”, da consultora internacional Mercer.

O ranking faz uma comparação entre 231 cidades em todo o mundo, analisando um total de 39 critérios, agrupados por 10 categorias, relativos a temas tão diversos como o ambiente social e político, ambiente económico, serviços médicos e sanitários, educação, serviços de transportes, entretenimento, habitação ou factores naturais, como o clima.

No caso de Lisboa, a Mercer explica a subida de cinco posições no ranking pela melhoria “na classificação da categoria associada ao crime na cidade, que melhorou face ao ano anterior”, lê-se na informação enviada pela consultora à imprensa.

“Com esta subida, a capital portuguesa conseguiu ultrapassar cidades como Paris (39.º lugar), Londres (41.º lugar), Milão (42.º lugar) e Barcelona (43º. Lugar) e manter-se acima de cidades como Madrid (49.º lugar) e Nova Iorque (45.º lugar)”, acrescenta a mesma informação.

O ranking mundial é liderado por Viena, seguindo-se Zurique, na Suíça, que ficou com a segunda posição, bem como Auckland, na Nova Zelândia, e Munique, na Alemanha, ambas na terceira posição. Vancouver, no Canadá, fecha o Top5 de cidades com melhor qualidade de vida em todo o mundo.

Na Europa, destaque ainda para a descida de três posições da cidade de Estocolmo, capital da Suécia, que ficou na 23.ª posição depois do atentado terrorista sofrido, enquanto Oslo, na Noruega, subiu seis posições, fixando-se no 25.º lugar.

Já na América do Norte, Vancouver foi a cidade melhor posicionada, surgindo no quinto lugar do ranking mundial, enquanto na América do Sul o destaque para Montevideu, no Uruguai, que ficou na 77.ª posição do ranking.

No Médio Oriente, a cidade melhor classificada foi o Dubai, em 74.º lugar, enquanto Port Louis, nas Maurícias, é a cidade africana que mais acima surge, tendo sido classificada na 83.ª posição.

Na Ásia-Pacifico, por sua vez, Singapura continua a ser a cidade com melhor classificação, ocupando o 25.º lugar, enquanto a Nova Zelândia e a Austrália continuam a estar no topo do ranking de qualidade de vida com Auckland (terceiro lugar), Sydney (10.º lugar), Wellington (15.º lugar) e Melbourne (16.º lugar) a permanecerem no top 20.

Em jeito de conclusão, a Mercer refere que “as cidades das economias emergentes, apesar da instabilidade económica e política, estão a conseguir aproximar-se das cidades com melhores classificações, através do elevado investimento em infraestruturas, espaços de entretenimento e habitação. Desta forma, estas cidades procuram reforçar o seu posicionamento para atrair talento e captar projectos de investimento de empresas multinacionais”.

O estudo “Quality of Living” é realizado anualmente pela consultora internacional para que empresas multinacionais e outras organizações sejam competitivas na compensação dos seus colaboradores de uma forma justa sempre que os destacam para o estrangeiro em trabalho.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *