Câmara do Porto diz que taxa turística “é normal em destinos turísticos maduros”

Por a 1 de Março de 2018 as 23:49

O vereador de Economia, Turismo e Comércio da Câmara Municipal do Porto, Ricardo Valente, considerou esta quinta-feira, 1 de Março, na BTL, que a aplicação de uma taxa turística às dormidas nos estabelecimentos de hotelaria “é algo que é normal em destinos turísticos maduros” e reforçou que a verba recolhida vai “mitigar a pegada que os turistas deixam na cidade”.

“Isto, é algo que existe na Europa toda, Gaia vai começar a taxa turística no dia 1 de Abril, é algo que é normal em destinos turísticos maduros, do ponto de vista europeu”, disse Ricardo Valente, no dia em que a cidade do Porto passou a aplicar uma taxa de dois euros às dormidas turísticas.

O responsável explicou que, este ano, a nova taxa deverá gerar uma receita de seis milhões de euros, uma vez que o Porto contabiliza três milhões de dormidas por ano, e reforçou que a verba vai ser investida na cidade, para melhorar “todas as valências que são deterioradas pela pressão turística”

“O nosso objectivo é garantir que o Porto continua a ser um destino turístico de excelência e, para isso, temos que investir na cidade, e esse investimento tem, de certa forma, de ser pago pela externalidade negativa que é criada pelo impacto turístico na cidade do Porto”, afirmou.

Ricardo Valente diz que a aplicação da taxa não será um entrave ao crescimento turístico e sublinha que o valor cobrado “está abaixo da média europeia” e até do valor que é imputado aos turistas que chegam à cidade, que é de 2,54 euros, segundo um estudo económico realizado no ano passado pela autarquia.

O vereador com o pelouro do Turismo, desvalorizou também possíveis polémicas com a hotelaria, considerando “normalíssimo” que existam posições distintas, até porque existem objectivos diferentes, mas mantém que, no final, a aplicação da taxa vai ser positiva para todos.

“O hotel não paga nada, é o turista que paga e estamos a melhorar a qualidade da cidade, portanto, a médio ou longa prazo, isto é bom para todos, do ponto de vista do que é o desenvolvimento sustentável da cidade do Porto com turistas”, afirmou.

 

 

2 comentários

  1. Diogo Carvalho

    5 de Março de 2018 at 10:30

    Sim, vê-se que este tipo de taxas teve um impacto enorme em cidades como Paris, Londres, Nova Iorque, Veneza… Oh wait

  2. Cristóvão Belfo

    4 de Março de 2018 at 19:55

    Boa tarde,

    A taxa criada para a Cidade do Porto, é um grande erro: não só vem baixar a taxa média/ocupação, como a média noites por turista, mas ainda
    a fuga ao registo e controle, principalmente pelas pequenas unidades de alojamento.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *