Açores: alienação da Azores Airlines decorre com “total transparência”

Por a 23 de Fevereiro de 2018 as 18:06

O secretário Regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares do Governo Regional dos Açores, Berto Messias, garantiu esta quinta-feira, 22 de Fevereiro, que o processo de alienação parcial da Azores Airlines, que arrancou no início deste mês, está a decorrer “com total transparência” e foi “legitimado pelo Parlamento”.

O governante falava na Assembleia Legislativa, na Horta, e aproveitou para recordar que a alienação de 49% da Azores Airlines foi “aprovada no debate do Orçamento da Região para 2018”, estando, por isso, a decisão do Governo dos Açores “perfeitamente legitimada do ponto de vista político e do ponto de vista formal”.

Berto Messias frisou que o Grupo SATA apresenta anualmente um relatório ao Tribunal de Contas e acusou o Bloco de Esquerda de tentar desvalorizar o trabalho feito no decorrer da Comissão de Inquérito à SATA, em 2015, em que a gestão da empresa foi amplamente escrutinada por todos os partidos políticos representados no Parlamento açoriano.

O responsável recordou que, aquando do debate do Orçamento da Região para 2018, foi “aprovada a criação de uma comissão especial e independente para acompanhamento do processo de alienação parcial da Azores Airlines”.

“Esta comissão independente, com personalidades independentes, liderada pelo doutor Elias Pereira, é pública, já foi nomeada e já está em funções”, destacou, salientando ainda o papel que “a SATA Internacional, agora Azores Airlines, representou ao serviço dos Açorianos” numa altura em que se vivia “uma crise sem precedentes”.

Berto Messias recusou as acusações lançadas pelo Bloco de Esquerda, segundo as quais o Governo dos Açores, alegadamente, “enterrou a SATA”, assegurando que o Executivo “sempre protegeu a empresa, a sua importância no presente e a importância que, com certeza, continuará a ter no futuro para a Região”.

“Na perspectiva do Governo dos Açores, este é um processo que não deve parar, que não deve ser interrompido, que está legitimado. É um processo que respeitará todos os pressupostos e princípios de transparência, mantendo aquilo que para nós é absolutamente inquestionável: a questão substantiva da Região manter a maioria do capital da Azores Airlines, que continuará a ser fundamental para o futuro da nossa Região e para todos os Açorianos”, afirmou Berto Messias.

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *