DGS recomenda vacina da febre amarela em viagens para o Brasil

Por a 24 de Janeiro de 2018 as 11:08

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) está a aconselhar a vacinação contra a febre amarela aos portugueses com viagens marcadas para o Brasil, concretamente para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, onde no último ano foram registadas 36 vitimas mortais devido à doença.

Numa nota publicada no site da DGS e citada pelo Observador, é explicado que uma dose única da vacina é suficiente para conferir imunidade sustentada e protecção para toda a vida, devendo a vacina ser tomada 10 dias antes da partida, motivo pelo qual a DGS recomenda a marcação de uma Consulta do Viajante, pelo menos quatro semanas antes.

A DGS recomenda também o uso de repelentes e protectores solares, bem como de redes mosquiteiras nos carrinhos de bebé, alcofas e camas, de telas de rede nas janelas e a opção por alojamentos com ar condicionado. Já o vestuário deve ser largo e cobrir a maior área corporal possível, enquanto o calçado deve ser fechado.

Os viajantes que, até 12 dias depois do regresso, apresentem sintomas como febre, calafrios, dores de cabeça intensas, dores musculares, fadiga, náuseas e vómitos devem contactar a linha SNS 24 (808 24 24 24) ou o seu médico, informando sobre a viagem.

No último ano, o número de casos de febre amarela subiu de 40 para 81, só no estado de São Paulo, tendo sido identificados também vários outros casos nos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, que já anunciaram campanhas de vacinação com início na próxima semana.

Recorde-se que, entre Dezembro de 2016 e Agosto de 2017, o Brasil registou um surto de febre amarela que causou 261 mortes entre 777 casos. Falhas nas acções preventivas têm vindo a agravar o problema, com a expansão da doença na região sudeste do país.

Apesar das 36 mortes no último ano, o Ministério da Saúde do Brasil ainda não reavaliou o nível de alerta sobre a circulação da infecção, que deixou de ser considerada emergência de saúde em Agosto do ano passado.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *