Sem novidades, hotelaria nacional mantém crescimento a dois dígitos

Por a 14 de Julho de 2017 as 12:53

No mês de Maio, os resultados da hotelaria nacional continuam a dar cartas. O número de hóspedes cresceu 7,9% comparativamente com o período homólogo do ano anterior, bem como o número de dormidas que verificou uma subida de 7,2%, num total de 1,98 milhões de hóspedes e 5,4 milhões de dormidas, respectivamente.

No acumulado dos cinco primeiros meses de 2017, ambos os indicadores cresceram 10,4%, atingindo os 7,3 milhões de hóspedes e os 19,3 milhões de dormidas.

Tanto o mercado residente como não residente apontaram crescimentos nas dormidas de Janeiro a Maio, com um aumento de 6,5% e 11,8%, respectivamente. Entre os principais países, destacaram-se os crescimentos apresentados em Maio pelos mercados polaco (52,3%), brasileiro (40,3%) e americano (34,2%). Estes mercados, entre os principais, foram também os que mais aumentaram entre Janeiro e Maio (44,5%, 55,0% e 29,4%, respectivamente).

No que diz respeito à estada média, esta registou um ligeiro decréscimo de 0,7% no mês de Maio, situando-se nas 2,73 noites.

Quanto aos proveitos totais e de aposento, estes cresceram 19,5% e 21% em Maio, respectivamente. Enquanto no acumulado, atingiram os 1 037 milhões de euros em proveitos totais, uma subida de 19,4% e 734,7 milhões de euros em proveitos de aposento (mais 20,7%).

Regiões

Em Maio, observaram-se aumentos das dormidas na maioria das regiões, com destaque para os crescimentos no Centro (20,3%), bem como na RA Açores (20,1%) e Alentejo (18,5%). As dormidas distribuíram-se principalmente pelo Algarve (34,7%) e AM Lisboa (24,6%).

Segundo o INE, as dormidas de residentes aumentaram em todas as regiões, em Maio, com destaque para a RA Açores (24,9%) e o Alentejo (15,3%). No período entre Janeiro e Maio, estas regiões foram também as que apresentaram maiores crescimentos no que respeita a dormidas de residentes (22,0% e 9,6%, respetivamente).

Os mercados externos apresentaram crescimentos em todas as regiões com exceção da RA Madeira. Destacou-se o crescimento expressivo registado no Centro (32,0%) e ainda as evoluções do Alentejo (23,0%) e RA Açores (17,1%).

A visita do Papa no mês de maio terá contribuído para a evolução de alguns mercados externos, nomeadamente na região Centro. Os mercados espanhol (17,2% do total de dormidas na região Centro) e francês (quota de 16,9% na região) foram os principais mercados externos, tendo apresentado subidas de 15,7% e 9,0%, respetivamente, nesta região. Seguiram-se os mercados brasileiro (peso de 8,4% no Centro), italiano (quota de 6,6%) e americano (5,3%), com crescimentos expressivos nesta região (64,9%, 64,1% e 82,4%, respetivamente). Destaca-se ainda, na região Centro, a evolução do mercado polaco (+126,1% face a igual mês de 2016).

No conjunto dos cinco primeiros meses do ano, todas as regiões apresentaram evoluções positivas no que respeita a dormidas de não residentes, salientando-se o Centro (28,1%), Norte (16,1%) e AM lisboa (15,5%).

Um comentário

  1. Abilio Lobato dos Santos

    17 de Julho de 2017 at 7:37

    Como se verifica o crescimento do turismo continua a crescer a um bom ritmo sendo este o único sector da economia que continua a aguentar a economia.
    Contudo convém lembrar quer os responsáveis dos vários sectores ligados a todas as áreas ligadas ao sector, hotelaria, Rent a Car, restauração etc bem assim como aos investidores a necessidade de exigirem ao governo um necessário reforço de segurança interna de forma a que se evite eventuais ataques por parte de grupos fundamentalistas espalhados pelo mundo.
    Que ninguém se iluda algum atentado terrorista ou degradação da segurança porá em risco este sector em risco elevado e o turismo abandonará o país colocando assim em colapso o sector que está repito a alimentar a economia do país.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *