Governo prevê ultrapassar fasquia dos 220 mil turistas chineses com voo directo

Por a 11 de Julho de 2017 as 23:08

Começa já, no próximo dia 26 de Julho, o voo directo Pequim-Lisboa, operado pela Beijing Capital Airlines  do grupo Hainan Airlines. A ligação, apelidada de Rota da Seda aérea, vai contar com três frequências semanais – às terças, quintas e sábados -, até ao final do Verão IATA, operada com um A320-200, com capacidade para 260 passageiros. No Inverno, prevê-se que a rota conte com uma quarta frequência aos domingos, disponibilizando, até ao final de 2017, 40.560 lugares. No próximo ano, com a manutenção das quatro frequências, prevê-se que a Beijing Capital Airlines  ofereça 76.800 lugares em 2018.
Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, que falou aos jornalistas à margem de um encontro que contou com a presença do CEO da ANA – Aeroporto de Portugal Carlos Lacerda, o CEO da Beijing Capital Airlines, entre outras personalidades do trade, destacou que este voo “pode significar a nossa grande capacidade de crescermos ainda mais no mercado chinês”. Segundo a governante, as expectativas são para duplicar os números de há três anos: “Este ano estamos a crescer, segundo os últimos dados, 30%, com este voo certamente vamos conseguir facilmente duplicar os números que tínhamos em 2014, que foram 113 mil”.
Ana Mendes Godinho salienta que este voo resulta da aposta na diversificação de mercados que o Governo tem promovido. “Cada vez mais apostar em diversificar mercados, garantindo que atingimos os públicos que viajam todo o ano e que acrescentam mais valor no destino”, realça, fazendo alusão ao facto do mercado chinês ser um dos que mais despende nos destinos turísticos.
Além do crescimento do número de turistas chineses em Portugal, a responsável refere ainda que o voo Pequim-Lisboa vai permitir que Portugal reforce a sua posição como ‘hub’ intercontinental.

No que diz respeito às infra-estruturas e reforço de serviços para apoiar a recepção de turistas chineses, a SET indicou que, ao nível de serviços diplomáticos, foram abertos mais centros de vistos na China.
Quanto à formação dos hoteleiros, a responsável disse que está a decorrer a formação Welcome China desde dia 5 de Junho. Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, explicou que esta formação “fala sobre as especificidades do mercado [chinês] e de como reagir perante essas especificidades”.
Questionada acerca do tempo de espera prolongado com que os turistas fora do Espaço Schengen se deparam na chegada ao Aeroporto Humberto Delgado para passar no controlo do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Ana Mendes Godinho indicou que “já houve um reforço do número de efectivos do SEF afectos ao Aeroporto de Lisboa e o Governo está a trabalhar no sentido de criar as condições para também gerirmos este aumento de procura que estamos a ter, claramente que é um grande aumento de procura”. A responsável não deixou de acrescentar que “isto era o tipo de acções que não foram tomadas há cinco ou quatro anos quando estávamos a tempo de fazer as coisas com alguma calma e agora temos que gerir e muito bem em função da procura”.

Recorde-se que em 2016, o número de turistas chineses em Portugal foi de mais de 182 mil, um aumento de 19,1% comparativamente com 2015.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *