OMT: Gastos dos turistas chineses subiram 12% em 2016

Por a 13 de Abril de 2017 as 11:54

Os turistas chineses voltaram a ser os que maiores gastos realizaram em férias no estrangeiro ao longo do ano passado, somando 261 mil milhões de dólares, o que representou uma subida de 12% face aos gastos de 11 mil milhões apurados em 2015.

De acordo com o último Barómetro do Turismo Mundial da Organização Mundial do Turismo (OMT), os dados relativos aos gastos turísticos em viagens internacionais são “encorajadores” e coincidem com a subida de 4% nas viagens para o estrangeiro no ano passado, que somaram 1,2 mil milhões de chegadas internacionais.

A contribuir para estes resultados positivos estiveram os turistas chineses, cujo número de viagens internacionais registou também uma subida considerável, crescendo 6% para 135 milhões de turistas internacionais.

“Este crescimento consolida a posição da China como primeiro mercado emissor a nível mundial desde 2012, seguindo a tendência de crescimento a dois dígitos registada a cada ano, desde 2004”, refere a OMT em nota à imprensa.

No segundo lugar em termos de gastos ficou o mercado dos EUA, com uma subida de 8% no ano passado, atingindo um total de 122 mil milhões de dólares, que comparam com os nove mil milhões de dólares apurados em 2015.

“Pelo terceiro ano consecutivo, a forte procura por viagens internacionais foi impulsionada por um dólar e uma economia robustos”, explica a OMT, revelando que também o número de viagens internacionais à partida dos EUA subiu 8%, segundo os dados apurados até Novembro de 2016.

Na Europa, os mercados com maior pujança foram a Alemanha, o Reino Unido, a França e a Itália, todos com aumentos no número de viagens e ao nível dos gastos turísticos. Na Alemanha, o terceiro maior mercado mundial, os gastos dos turistas subiram 5%, atingindo os 81 mil milhões de dólares, recuperando dos números mais fracos evidenciados em 2015.

Já no Reino Unido, que assistiu à desvalorização da libra ao longo do ano passado, os gastos dos turistas mantiveram-se sólidos e atingiram os 64 mil milhões de dólares, enquanto a procura por viagens internacionais subiu 7% para 70 milhões de turistas.

A subir estiveram também os gastos dos turistas franceses, que apresentaram um crescimento de 7% para 41 mil milhões de dólares, seguidos dos italianos, cujos gastos em viagens internacionais subiram 1% ao longo do ano passado, ficando nos 25 mil milhões de dólares.

Em sentido contrário estiveram os gastos dos turistas provenientes da Rússia, que caíram para 26 mil milhões de dólares, em 2016, tal como os dos turistas brasileiros, o que a OMT atribui ao enfraquecimento das economias e moedas destes países.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *