Passageiros ponto-a-ponto “mais sensíveis” à localização do aeroporto

Por a 23 de Março de 2017 as 12:30
easyjet

O Projecto Portela+1, que implica o desenvolvimento de um aeroporto complementar ao Aeroporto Humberto Delgado no Montijo, é encarado pela easyJet como “uma oportunidade” para o tráfego em Lisboa continuar a crescer.

José Lopes, director comercial da easyJet em Portugal, num encontro com a imprensa, destacou que “esta possibilidade da Portela+1 permite que o tráfego em Lisboa continue a crescer. É algo que vemos com bons olhos, mas chegou mais tarde do que gostaríamos”.

O responsável explicou que o Aeroporto Humberto Delgado está no seu limite, referindo que no Verão do próximo ano “vai ser muito difícil a obtenção de slots”. “Até 2020, vamos ter anos difíceis de crescimento [em Lisboa]”, reforçou. Contudo, indica que, apesar de precisarem de mais capacidade, “dentro das nossas possibilidades, vamos aproveitar os slots que ainda existem”.

Questionado acerca da possibilidade da easyJet passar a operar no Aeroporto do Montijo, José Lopes foi peremptório: “sempre operámos para aeroportos principais”. E explica: “A operação ponto-a-ponto é mais sensível à localização do aeroporto”, justificando que os passageiros da companhia aérea não querem voar para aeroportos secundários.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *