Comboio presidencial é a nova experiência do Six Senses Douro Valley

Por a 22 de Fevereiro de 2017 as 10:49

O Six Senses Douro Valley, unidade situada na Região do Douro,  está a ampliar a sua oferta de experiências e passará contar e viagens exclusivas a bordo da ‘jóia da coroa’ dos caminhos de ferros portugueses – o Comboio Presidencial.

“Este é um comboio vintage com uma história incrível. Fomenta a união das pessoas, ajudando-as a abrandar e a apreciar vinhos e comida que primam pela qualidade, enquanto dá a conhecer esta terra mágica”, diz Nicolas Yarnell, diretor-geral do Six Senses Douro Valley.

Esta experiência de 3 dias, em regime tudo incluído e disponível em maio de 2017, inclui: Um chauffeur privado receberá os hóspedes à sua chegada ao aeroporto internacional do Porto e acompanhá-los-á durante toda a sua estada. O jantar será no restaurante Pedro Lemos, o novo restaurante do Chef portuense com estrela Michelin, seguido de um noite no hotel InterContinental Palácio das Cardosas, localizado na zona histórica da cidade.

O segundo dia começa com uma experiência no comboio Presidencial, com partida da bonita estação de São Bento. Esta é uma viagem no tempo que remonta à época em que a região do Douro era praticamente auto-suficiente e cada Quinta produzia os seus próprios alimentos. Uma abordagem orgânica e local inspira um menu de degustação gourmet de quatro pratos, servido a caminho da Quinta do Vesúvio onde se realizará uma prova com os melhores
Portos da região. Após experienciar um estilo de vida slow food a bordo do comboio Presidencial, os hóspedes chegarão ao Six Senses Douro Valley.

O terceiro dia oferece a possibilidade do hóspede usufruir do Spa Six Senses Douro Valley e almoçar no DOC –, propriedade do galardoado Chef Rui Paula. O comboio Presidencial retorna ao Porto para um jantar no tradicional restaurante O Gaveto, conhecido pelo seu peixe. O dia termina com uma estada no hotel InterContinental
Palácio das Cardosas.

Antes do adeus final ainda há tempo para um visita privada ao Museu de Serralves, o primeiro museu de arte moderna português, e à Casa da Música, a sala de concertos mais consagrada de
Portugal.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *