destaque

Chegou a neve

Por a 15 de Dezembro de 2016


O frio está aí e a neve já deu sinais de vida. O Publituris contactou os vários ‘players’ e destinos para saber quais as novidades no mercado para destinos de neve e quais as expectativas para esta temporada.

GRANDVALIRA_FAMILY (2)

Depois de um extenso Verão, o Inverno chegou e veio para ficar durante uns largos meses. Apesar de ser considerada época baixa no sector turístico, no período de Inverno os portugueses também viajam, seja motivados pelos desportos de neve, seja para conhecer destinos que assumem o seu esplendor nesta época do ano.
No mercado são vários ‘players’ que apostam numa oferta diversificada para esta altura, de forma a corresponder à procura específica para estes destinos. A reintrodução e aposta no destino Boí Taüll, em Espanha, é uma das novidades da Sporski. Margarida Gaivão, responsável de Marketing e Comunicação, acrescenta que vão continuar a oferecer os programas para famílias “Preço único Família”, “um produto âncora e único no mercado desenhado para os períodos de férias escolares. Sendo um produto muito económico inclui um conjunto super alargado de serviços mínimos para umas férias na neve em família”. Em breve, o website da Sporski vai sofrer um ‘upgrade’, no sentido de poder “ter a venda online a funcionar em pleno dos nossos programas temáticos Sporski para as principais datas da temporada”.

Quanto à oferta da Leski, do Grupo Barceló, Nuno Fouto indica que vão continuar com a programação que oferece as principais estâncias de Espanha, assim como Andorra, Pirinéus, Alpes franceses, suíços, austríacos e italianos, assim como Bulgária, Estados Unidos da América e Canadá. O responsável explica que “todo o nosso produto, encontra-se sob campanha de reservas antecipadas até ao final de Novembro e cujos preços, disponibilidades e restantes serviços poderão serem encontrados em www.leskionline.com”. No site do operador turístico, além da comercialização do hotel, é também possível reservar todos os serviços inerentes ao produto, desde o ‘forfait’, aluguer de material, refeições nas pistas, cursos em grupo e outras actividades.

Também a Solférias apresenta uma oferta diversificada para os destinos de neve. João Cruz, gestor de produto no operador turístico, refere que “este Inverno 2016/2017, além da abertura de alguns alojamentos em França, começámos a trabalhar com a estância de Flaine, no Domínio de Grand Massif, com cerca de 250 km de pistas com muita neve (por estar ao lado do Mont-Blanc) e a cerca de uma hora do Aeroporto de Genebra”.

Mas não são apenas os destinos para a práctica de desportos de Inverno que fazem parte da oferta existente no mercado. A Nordictur apresenta alternativas. Helena Amorim, directora do operador turístico, explica que a operação vai contar com ”os destinos normais: Capitais escandinavas, Islândia, Fiordes, Auroras Boreais, Aldeia do Pai Natal, hotéis, restaurantes, capelas de gelo e Lapónia com a programação de neve”. Entre as novidades da Nordictur este ano conta-se com uma oferta de alojamento “maior e mais vasta com novos hotéis e hotéis temáticos”. Mas não só. “Em Abril, sairão dois charters para a Islândia com voo directo de Lisboa (13 a 17 de Abril – 27 de Abril a 1 de Maio), em que dispomos de várias sugestões: Circuito pelo sul com guia em espanhol, um ‘self drive’ e um pacote em Reykhavik (alojamento e tours)”. Quanto à agência de viagens SlideIn, especializada no produto neve, as novidades são mais incidentes no seu portal. Nuno Roxo, responsável da SlideIn, refere que foram melhoradas “as ferramentas do site de forma a que os clientes possam consultar disponibilidades por critérios, indicando preço, tipo de transporte e tempo de estadia. Já é possível efectuar reserva online”. Também a informação por destino foi “melhorada e complementada com filmes, fotografias, descrições locais, consulta do estado da meteorologia, bem como, possibilidade de visualizar o estado do tempo no momento através das webcams”.

Expectativas
Os resultados desta temporada, que agora se inicia, vão depender do nível de neve em alguns destinos. Contudo, as expectativas são positivas. “Registamos uma procura elevada de acordo com as expectativas”, começa por dizer a responsável da Sporski. Margarida Gaivão completa: “A neve começou a cair em força agora, o que será um bom impulso para alcançar os objectivos e crescer em relação à temporada anterior”.
Recentemente, a Sporski promoveu o evento ‘Sporski Snow Experience’, que, juntamente com as campanhas de reserva antecipada e “as campanhas feitas em parceria com o Turismo de Andorra e Espanha em curso durante os meses de Novembro e Dezembro, fomentam uma acentuada procura pelo produto neve, muito especialmente para estes destinos”. Margarida Gaivão acrescenta ainda que prevê-se “um excelente ano de neve, nomeadamente em Andorra e Espanha mas também nos Alpes. Essa expectativa também leva a que os esquiadores decidam mais cedo e reservem sem receios. (…) Registamos também esta temporada uma tendência de forte crescimento da procura para as férias do Carnaval derivada do facto de a Páscoa ser tardia”.

João Cruz realça que na Solférias “desejamos que seja um Inverno ‘normal’ (com neve de Dezembro a Abril), pois as últimas temporadas têm sido tudo menos normais, seja na Península Ibérica, seja mesmo nos Alpes. As férias escolares do Carnaval (25 de Fevereiro a 1 de Março de 2017) e da Páscoa (5 de Abril a 18 de Abril) vão ser mais tarde do que o normal e se as precipitações não forem abundantes no início da temporada, mais tarde os clientes vão reservar”. “Com todas estas alterações para este Inverno, ficamos na expectativa de saber como vai reagir o mercado, mas as perspectivas é que consigamos subir um pouco as vendas do Inverno passado”, refere o responsável da Solférias.

Também Nuno Roxo concorda que “este ano, em termos de Calendário de Férias, será um ano complicado, pois as férias de Carnaval coincidem com as férias de outros países o que tornará os preços menos competitivos. Já as férias da Páscoa, por entrarem no mês de Abril estão a criar um efeito nocivo”. Apesar desta situação, o responsável indica que “o número de reservas continua a crescer sendo que deveremos cativar os clientes com outras semanas além das férias. Este ano a temporada vai ser longa, pois já existem previsões de aberturas antecipadas e deverá terminar em finais de Abril. Assim sendo deveremos contar com as tradicionais 24 semanas”.

“Vamos já na segunda temporada de venda e divulgação da marca Leski em Portugal, naturalmente continuamos com uma perspectiva de subida, enquanto que no mercado espanhol, já estamos numa fase ‘madura’, já com alguma liderança de passageiros no mesmo”, espera Nuno Fouto.

pic_Esquiar en Garmisch_Copyright_Bayerische Zugspitzbahn Bergbahn AG

Procura portuguesa
Mas quais as preferências dos portugueses nesta altura do ano? Segundo Nuno Fouto, os destinos “habituais e tradicionalmente solicitados” costumam ser Andorra e Sierra Nevada, “apesar de sentir um incremento para os Alpes e Pirinéus franceses, muito devido à baixa das tarifas aéreas na Europa”.
Também a responsável da Sporski analisa que “os esquiadores portugueses continuam a preferir as estâncias de Andorra e Espanha, apesar de registarmos um crescimento da procura por outros destinos”.
“Andorra (Grandvalira e Vallnord) e Serra Nevada continuam a ser as zonas mais procuradas, junto com Baqueira”, indica João Cruz. O gestor de produto da Solférias acrescenta ainda que “nos Alpes, destaque para os Franceses, onde se encontram os maiores domínios esquiáveis do Mundo (Les 3 Vallées e Portes du Soleil)”, entre os destinos procurados pelos portugueses.
Na oferta da Nordictur, verificou-se um aumento da procura para “a Islândia, Gronelândia, Ilhas Faroe e Svalbard, na Noruega”. No entanto, indica Helena Amorim, “a Lapónia e o Pai Natal serão sempre o produto principal e têm proporcionado momentos únicos para férias familiares e não só”. Também as “Auroras Boreais (luzes do Norte), os hotéis de gelo e as actividades na neve (safaris com renas/husky/ motas de neve) são produtos que muitos procuram agora como alternativas aos programas habituais de neve”.

Para Helena Amorim, a “actividade actual de um operador está totalmente dependente de politicas económicas e sociais. Temos vindo a ver a marcação das férias serem adiadas por instabilidade nas decisões politicas ou de economia, destinos a serem postos de lado por questões de segurança. Uma vez que os destinos nórdicos por norma são calmos e seguros a procura destes destinos tem aumentado, por outro lado o nível de vida nestes países é muito elevado e os custos das viagens um pouco mais dispendioso que outros destinos europeus. Assim, sempre com os pés na terra contamos com um ano estável ou mesmo melhor do que o de 2016”. Mais perto do consumidor final, a SlideIn refere que “70% dos nossos clientes procuram as Estâncias mais próximas que permitem ir de carro e 30% voam para os Alpes. Nos Pirinéus, as mais procuradas continuam a ser Andorra – Estância de Soldeu e Pas de la Casa e a Estância espanhola de Baqueira-Beret pela aposta que fez nas melhorias das condições hoteleiras e também na preocupação que houve em alargar as áreas esquiáveis”. Mas a procura portuguesa também opta pelas estâncias de Formigal e Cerler, em Espanha, “sendo que a mais tradicional será sempre Serra Nevada, pela sua proximidade, permitindo com isso estadias mais curtas”. Nuno Roxo complementa que “Serra de Bejar também faz parte do leque das opções dos portugueses, sobretudo para fins de semana. Nos Alpes, estamos convictos na oferta italiana e austríaca. França não deixa de ser um país de eleição, até pelo bom Ski e estâncias como Morzine e Avoriaz (Domínio de Portes du Soleil ), Courchevel, a emblemática Domínio de 3 Valles”.

Formação
É mais usual o agente de viagens estar habituado a vender destinos de praia, ‘city break’s, grandes viagens, entre outros, do que destinos de neve. O próprio produto exige uma formação específica a quem o está a vender para poder, de facto, ser uma mais-valia ao consumidor final.
João Cruz admite que “temos noção que é um produto muito especializado e que temos de dar muita formação sobre o mesmo, de forma aos agentes de viagem se sentirem mais à vontade em vendê-lo”. Desta forma, a Solférias tem previsto fazer, em Novembro e Dezembro, acções de formação com as agências. No que diz respeito à Sporski, esta aposta numa ‘famtrip’ com agentes de viagens à Sierra Nevada, de 1 a 4 de Dezembro.
Questionada sobre que acções a Nordictur vai promover para fomentar a venda do produto, Helena Amorim realça que “a Nordictur manter-se-á fiel aos seus agentes de viagens – seus principais clientes. A comissão dada é a mesma para todas as agências / grupos tentando dar a todos as mesmas oportunidades de vendas”.

Novidades dos destinos

Ao longo das épocas, os próprios destinos vão apresentando uma oferta renovada. Quisemos saber também quais as novidades que este ano vão estar disponíveis. Natalia Briales, directora do Turismo Espanhol em Portugal, indica que, segundo a ATUDEM – Asociación Turística de Estaciones de Esquí y Montaña, “o investimento para esta temporada supera os 20 milhões de euros, direccionados para o melhoramento da produção artificial de neve e em todos meios mecânicos. Acresce a este número o investimento de particulares com novas unidades hoteleiras, locais de restauração, etc. Estas novidades são próprias de cada estância”.

Quanto às expectativas para Espanha nesta temporada de Inverno, Natalia Briales refere que “as estâncias de esqui de Espanha esperam para esta temporada 5,5 milhões de visitantes, contando que as condições climatéricas sejam idóneas para poder alcançar este número”. Destas, e segundo a responsável, as mais requisitadas pelos portugueses são “as dos Pirenéus, tanto as dos catalães, sendo a principal Baqueira Beret em Lleida, com a maior área esquinável, 2166 ha, 156 Km de pistas, como as dos Pirenéus aragonês como Formigal e Panticosa, em Huesca, com 176 Km esquiáveis”. A directora do Turismo Espanhol complementa ainda: “Cerler, Candanchú, Astún, Boí Taüll, etc. são muito procuradas tanto pelos esquiadores espanhóis como por muitas outras nacionalidades, onde incluímos os portugueses”. Espalhadas por todo o território espanhol existem ainda outras estâncias como Manzaneda em Ourense, Fuentes de Invierno ou Valgrande nas Asturias, Navacerrada em Madrid. “Não nos esquecemos da estância de Serra Nevada em Granada, que tanto pela sua importância como pela proximidade geográfica com Portugal é das mais procuradas pelos esquiadores, incluindo o luso, sobretudo durante os fins-de-semana alargados”, conclui.

Na Áustria, apesar de ser um destino mais distante para os portugueses, Georg Kapus, do Turismo da Áustria, sugere os mercados de Natal no país que “os visitantes de Portugal adoram”. O responsável enumera que as preferências dos portugueses recaem por Viena, a província de Tirol com a capital Innsbruck e a província de Salzburg. Segundo o Turismo da Alemanha, e apesar de não promoverem este produto no mercado ibérico, Frank Bausback explica que o destino conta “com duas grandes estâncias de neve nos Alpes da Baviera: Garmisch-Partenkirchen e Oberstdorf”. Apesar de serem mais pequenas que as existentes na Áustria, Suíça e França, o responsável indica que os portugueses podem escolher estes destinos pois podem “combinar um ‘city break’ em Munique com uma estadia nos Alpes da Baviera e, assim, esquiar na montanha mais alta da Alemanha. Por outro lado, há muitas outras actividades: caminhadas, spas ou desfrutas as especialidades gastronómicas locais”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *