Concentração da promoção numa única entidade foi fundamental para a Madeira

Por a 11 de Dezembro de 2016 as 13:01

O Secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura da Madeira, Eduardo Jesus, considera que a concentração da promoção numa única entidade foi uma decisão “fundamental” para o destino.

De acordo com o responsável: “Há um ano e sete meses, tomámos uma decisão que foi fundamental, a concentração da promoção numa única entidade. Antigamente tínhamos a Direcção Regional de Turismo a fazer promoção no mercado português e mercados emergentes, e a Associação de Promoção, que englobava os privados, tinha a missão de promover a Madeira nos restantes mercados. Uma tinha 20% do orçamento e era responsável por 80% dos mercados, a outra tinha 80% do orçamento e era responsável por 20% dos mercados. Concentrou-se e reforçou-se a equipa e a verba. Hoje a Madeira dispõe de oito milhões de euros para promover o destino, financiados em 67% pelo Governo Regional”.

Eduardo Jesus foi o Keynote speaker do painel “Portugal: Opções Estratégicas e Factores de Competitividade” do 42º Congresso Nacional da APAVT, que decorreu até este Domingo em Aveiro. O responsável falou da estratégia seguida pelo destino que se apresenta com crescimentos muito expressivos. A Madeira deverá terminar o ano com 7,7 milhões de dormidas, mais 9% que em 2015, ano já considerado o melhor de sempre para o destino. Eduardo Jesus afirma que, face a estes resultados, a estratégia estará assente na requalificação do destino, na valorização da identidade e na afirmação pela diferença.

Dentro desta estratégia, será lançado já em Janeiro de 2017 o projecto Madeira Specialist. Desenvolvido em parceria com a APAVT e a Associação de Promoção da Madeira, o projecto é dirigido aos agentes de viagens, que vão poder obter informação e tornarem-se especialistas de venda no destino.

A APAVT tem sido um dos parceiros do Turismo da Madeira e a relação foi destacada por Eduardo Jesus. Quando, em 2015, o mercado nacional para a Madeira estava em decréscimo, a parceria com a APAVT, nomeadamente para fazer da Madeira “Destino Preferido” foi, segundo o responsável, “um enorme contributo para inverter esta tendência”.

Na sua apresentação, Eduardo Jesus focou ainda o esforço que tem sido feito para comunicar com o consumidor final, não  esquecendo o canal de distribuição.

Deixou, ainda, uma certeza: O crescimento da Madeira vai ser feito através da requalificação da oferta e não do aumento de camas.

Painel APAVTO painel “Portugal: Opções Estratégicas e Factores de Competitividade” contou com a presença de António Trindade, CEO do Grupo PortoBAy, Pedro Machado, presidente da Turismo do Centro de Portugal e Frédéric Frère, CEO da Travelstore.

Para António Trindade, qualquer abordagem estratégica para o desenvolvimento de um destino “tem de começar pelo levantamento das singularidades de cada região”. Na opinião de Pedro Machado, “se queremos falar em competitividade do destino, há uma necessidade de mudança de paradigma que é pensarmos num planeamento integrado, e isso ainda não sabemos fazer bem”. Frédéric Frère acrescenta que: “Um destino é similar a um produto. Quando pensamos em estratégias a longo prazo o que fazemos é focarmo-nos no produto e em que este proporcione uma experiência”. Questionado sobre o que Portugal deveria fazer para se manter competitivo, o responsável referiu que se deveria apostar “na experiência que o turista tem quando sai do hotel”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *