Assine já
Homepage

Publituris Hoje: Lisboa, Web Summit e inovação

O Publituris desta semana faz capa com o Web Summit, o maior evento tecnológico do mundo, que reuniu mais de 50 mil pessoas em Lisboa. O MEO Arena e a FIL foram pequenos para tanta procura.

Carina Monteiro
Homepage

Publituris Hoje: Lisboa, Web Summit e inovação

O Publituris desta semana faz capa com o Web Summit, o maior evento tecnológico do mundo, que reuniu mais de 50 mil pessoas em Lisboa. O MEO Arena e a FIL foram pequenos para tanta procura.

Carina Monteiro
Sobre o autor
Carina Monteiro
Artigos relacionados
Publituris Hoje: Barómetro 2015
Agenda
BTL 2021 vai decorrer em formato “híbrido” com ações presenciais e virtuais
Homepage
BTL adiada para 2022
Homepage
“Temos de ajudar o turismo do nosso país a recuperar depois do duro golpe dos últimos 14 meses”
BTL

O Publituris desta semana faz capa com o Web Summit, o maior evento tecnológico do mundo, que reuniu mais de 50 mil pessoas em Lisboa. O MEO Arena e a FIL foram pequenos para tanta procura.

Na secção de Destinos, pode ler a entrevista ao presidente do Governo Regional da Extremadura e Espanha, que passou por Portugal para promover a região espanhola.

Luxo é o que temos para si no dossier desta edição que é dedicado a este tema. Mostramos a oferta de Turismo de Luxo em Portugal e aquilo que os turistas procuram.

A Olimar é o destaque da secção de TO’s. Oliver Zahn, CEO do operador turístico alemão, destaca que, em 2017, Portugal vai ter um aumento de capacidade aérea desde vários destinos da Alemanha.

Nesta edição também pode ler um artigo sobre a By Travel, um grupo de agências de viagens que começou há cinco anos com apenas sete empresas.

A GuestCentric, tecnológica portuguesa com soluções de marketing para os hotéis, comprou a Great Hotels of the World e o negócio é explicado nesta edição por Pedro Colaço, CEO da empresa.

O interesse do grupo PortoBay no Porto e no Algarve dá o mote ao artigo que fecha a secção de Hotelaria.

Nesta edição publicamos ainda os artigos de opinião de Vítor Neto, Ana Fernandes (APECATE), Amaro F. Correia, Humberto Delgado, Mafalda Patuleia e, ainda, o artigo de António Paquete juntamente com Manuel Pinto (Hotel Mundial).

Para ler a versão completa desta edição do Publituris – em papel ou digital –  subscreva ou encomende aqui.Contacto: Carmo David | [email protected] | 210 994 551

Sobre o autorCarina Monteiro

Carina Monteiro

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Solução para a Linha do Tua está a ser trabalhada para bem do turismo, assegura Pedro Nuno Santos

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, disse esta segunda-feira que se está a trabalhar para encontrar uma solução para viabilizar a Linha do Tua, onde se mantém um impasse na concretização do plano de mobilidade. O objetivo é também servir o turismo.

Publituris

“Nós estamos a trabalhar para encontrar uma solução para viabilizar a linha do Tua e é esse o trabalho que nós faremos com muito afinco”, afirmou o ministro, que falava aos jornalistas em Freixo de Espada à Cinta, distrito de Bragança, à margem de uma cerimónia sobre a Linha do Douro.

De Mirandela até ao Tua está previsto o regresso do comboio do anunciado e adiado plano de mobilidade prometido como contrapartida pela construção da barragem de Foz Tua.

A parte turística do plano de mobilidade foi concessionada ao empresário Mário Ferreira, dono da Douro Azul, onde estão incluídas viagens de barco e comboio. A EDP deu 10 milhões de euros ao empresário para investir no Vale do Tua.

“Nós sobre a Linha do Tua temos que encontrar, e vamos ter a cooperação dos municípios e do Ministério da Coesão Territorial, um novo modelo para podermos olhar para a Linha do Tua e ver como é que nós a podemos rentabilizar e operar, essa é a nossa intenção”, acrescentou Pedro Nuno Santos.

Outra linha que visa servir o turismo é a do Douro. Conjuntamente com a ministra Ana Abrunhosa, Pedro Nuno Santos assistiu, à apresentação de estudos de viabilidade económica técnica e ambiental da reabertura do troço de 18 quilómetros entre o Pocinho e Barca d’Alva.

O ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos anunciou a intenção do Governo de arrancar com o concurso para a extensão da linha do Douro até Barca D’Alva durante o primeiro trimestre de 2023.

Sem comboios em circulação desde 1 de janeiro de 1989, o troço entre Pocinho e Barca d’Alva conta com 27,11 quilómetros de extensão e é considerado um investimento estrutural para a região, beneficiando, diretamente, quatro municípios Figueira de Castelo Rodrigo, Vila Nova de Foz Côa, Torre de Moncorvo e Freixo de Espada à Cinta, mas com reflexos significativos em outros 17 concelhos, como Vila Real, Régua, Lamego, Tarouca, Alijó e Sabrosa.

A vertente turística é, efetivamente, a principal justificação económica para a reabertura da linha.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal volta a ser o Melhor Destino Europeu e arrecada mais 30 prémios nos WTA

Além do titulo de melhor destino europeu, o país viu também várias regiões distinguidas nos World Travel Awards (WTA), que foram entregues no passado sábado, 1 de outubro, em Maiorca, Espanha.

Publituris

Portugal voltou a ser eleito Melhor Destino Europeu na cerimónia europeia dos World Travel Awards 2022 (WTA), que foram entregues este sábado, 1 de outubro, em Maiorca, Espanha, e onde o país arrecadou mais 30 distinções.

Além do titulo de melhor destino europeu, o país viu também várias regiões distinguidas, com destaque para os Açores (Europe’s Leading Adventure Tourism Destination), Algarve (Europe’s Leading Beach Destination), Lisboa (Europe’s Leading City Break Destination, Europe’s Leading Cruise Destination e Europe’s Leading Seaside Metropolitan Destination) e Porto (Europe’s Leading City Destination).

“A distinção, em mais de 3 dezenas de categorias na edição europeia dos World Travel Awards 2022, assume particular significado depois dos difíceis anos da pandemia. É com muito orgulho que vemos as empresas, os profissionais e as entidades do Turismo nacional serem reconhecidos pelos seus pares a nível internacional”, congratula-se Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, citada em comunicado.

Esta foi a quinta vez em seis anos que Portugal foi eleito “Melhor Destino Turístico do Europa”, na edição europeia dos WTA, cuja eleição resulta da votação de milhares de profissionais do setor, oriundos de todos os países do mundo.

Na informação divulgada, a Secretaria de Estado do Turismo, Comércio e Serviços lembra também que em 2021, Portugal já tinha conquistado mais de duas dezenas prémios na edição europeia destes prémios.

A lista completa de vencedores desta edição europeia dos World Travel Awards, incluindo os premiados a nível nacional, está disponível aqui.

A cerimónia de atribuição dos prémios mundiais está agendada para o dia 11 de novembro, em Omã.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

airBaltic começa a voar para o Porto no verão de 2023

Companhia aérea dos Países Bálticos vai voar entre o Porto e Riga a partir de 1 de maio de 2023, disponibilizando duas ligações aéreas por semana. Em Lisboa, há ainda um reforço de frequências no próximo verão.

Publituris

A airBaltic vai abrir uma nova rota para Portugal, passando a ligar a cidade do Porto a Riga, capital da Letónia, duas vezes por semana a partir de 1 de maio de 2023, informou a companhia aérea dos Países Bálticos, em comunicado.

A rota para o Porto é uma das 18 novas operações anunciadas pela transportadora para o próximo verão e que inclui também a abertura de voos desde Riga para Istambul, Hannover, Bucharest, Burgas, Bilbao, Tivat, Yerevan, Belgrado e Baku, desde Riga.

Além de Riga, a airBaltic vai também voar desde Tallin, na Estónia, para Split, Rhodes, Dubrovnik e Heraklion, assim como de Vilnius, capital da Lituânia, para Málaga, Palma de Maiorca, Nice e Heraklion.

A par do lançamento de novas rotas, a companhia aérea dos Países Bálticos anunciou também o reforço da capacidade em várias outras rotas, num aumento frequências de voo que, segundo a airBaltic, abrange “rotas tão populares a partir de Riga, tais como Barcelona, Lisboa ou Roma”.

“Este é o maior número de novas rotas anunciadas numa única estação, alguma vez vista na AirBaltic. Continuamos empenhados nas nossas cidades de origem nos Países Bálticos e em melhorar as ligações de e para a região. Estamos exultantes por expandir a oferta airBaltic para a próxima estação de verão, adicionando novas rotas e aumentando a frequência de voos nas nossas rotas de lazer e city breaks já existentes”, afirma Martin Gauss, presidente e CEO da AirBaltic.

O programa completo de voos da airBaltic está já disponível no website da companhia aérea, onde é também possível reservar as novas rotas, incluindo os voos Riga-Porto. As reservas também estão disponíveis nas agências de viagens.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Açores querem chegar este ao Nível III de Prata em sustentabilidade

O III Encontro do Comité Consultivo para a Sustentabilidade do Destino Turístico Açores, órgão instituído por Resolução do Conselho do Governo, no âmbito dos requisitos de certificação da região como “Destino Turístico Sustentável”, acaba de acontecer, em sessão presidida pela secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas.

Publituris

Na ocasião, segundo Berta Cabral, conforme informação veiculada no site oficial do Governo Regional, este “é um momento único ao longo do ano, onde é possível partilhar visões e experiências, debater ideias e propostas, e mobilizar forças e vontades”, visando o desenvolvimento sustentável dos Açores.

Na reunião, foram debatidas questões relativas ao processo de certificação dos Açores como “Destino Turístico Sustentável” e à estratégia para o desenvolvimento do turismo, avaliando, de forma sucinta os meses de pico de procura e perspetivando novas oportunidades de evolução para os próximos anos.

Berta Cabral recordou, ainda segundo a mesma fonte, que os Açores se mantêm como a primeira e única região arquipelágica no mundo com esta certificação e estão a trabalhar para garantir o Nível de III de Prata já este ano, de modo a chegar ao Nível Ouro em 2024.

“É importante dizer que os Açores, apesar de serem um destino jovem, vão à frente nestas questões, pois há destinos concorrentes e muito mais maduros que estão a procurar fazer o mesmo caminho que nós, e quando nos tentam seguir é sinal de que aquilo que estamos a fazer está bem feito”, salientou a governante regional.

Estimando a conclusão, no próximo ano, a revisão do Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores, Berta Cabral adiantou que “a sustentabilidade terá um papel central na nova versão da estratégia de promoção da região, mas, sobretudo, no desenvolvimento de toda a cadeia de valor do setor”.

O Comité Consultivo para a Sustentabilidade do Destino Turístico Açores é constituído por entidades públicas, associativas ou privadas, com interesse, direto ou indireto, em alguma temática do desenvolvimento sustentável da Região, e tem como missão o acompanhamento e o envolvimento no processo de certificação dos Açores como “Destino Turístico Sustentável”; na gestão da atividade turística; no acompanhamento da atividade do Açores DMO; e na implementação do PEMTA – Plano Estratégico e de Marketing para o Turismo dos Açores.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP eleita companhia aérea europeia líder para África e América do Sul nos WTA

A TAP foi eleita como a companhia aérea europeia líder para África e para a América do Sul na última gala europeia dos World Travel Awards (WTA), que foram entregues no passado sábado, 1 de outubro, em Maiorca, Espanha.

Publituris

A TAP foi eleita como a companhia aérea europeia líder para África e para a América do Sul na última gala europeia dos World Travel Awards (WTA), que foram entregues no passado sábado, 1 de outubro, em Maiorca, Espanha.

“Estas distinções internacionais, referentes a mercados muito importantes para a companhia, são o reconhecimento de um forte trabalho de recuperação que todos na TAP têm vindo a realizar. Além de serem um incentivo, ajudam-nos também a definir e a melhorar continuamente o serviço de excelência que pretendemos oferecer aos nossos clientes, assente na simpatia e na arte de bem receber portuguesas”, afirma Christine Ourmières-Widener, presidente Executiva da TAP.

A eleição da TAP como companhia aérea europeia líder para África e América do Sul resultou de um processo de votação online, que contou com a participação de profissionais da área de turismo e viagens, designadamente agentes de viagens, operadores e organizações de turismo, oriundos de mais de 100 países, bem como pelo público em geral.

Os prémios conquistados pela TAP vêm juntar-se a várias outras distinções que a companhia aérea de bandeira nacional alcançou já em edições passadas dos WTA, que premiaram a TAP como companhia aérea europeia líder para África e companhia aérea europeia líder para a América do Sul ininterruptamente entre 2014 e 2021.

“A TAP foi ainda considerada Companhia Aérea Líder Mundial para África em 2011, 2012, 2018, 2019, 2020 e 2021, bem como Companhia Aérea Líder Mundial para a América do Sul em 2009, 2010, 2011, 2012, 2018, 2019, 2020 e 2021”, acrescenta a transportadora.

Já a Revista de Bordo da TAP, a UP, que foi descontinuada devido à pandemia, foi considerada a Revista de Bordo Líder na Europa entre 2015 e 2020, e Líder Mundial entre 2018 e 2020.

Considerados os Óscares do Turismo, os WTA são entregues desde 1993, com o objetivo de reconhecer, premiar e celebrar a excelência em todos os setores de atividade da indústria global de viagens e turismo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Lisboa em destaque na gala europeia dos WTA

Lisboa arrecadou este sábado, 1 de outubro, os prémios de Melhor Destino Metropolitano à beira-mar, Melhor Destino City Break e Melhor Destino de Cruzeiros. O Porto de Lisboa foi ainda distinguido como o melhor da Europa.

Publituris

A capital portuguesa esteve em destaque na última edição da gala europeia dos World Travel Awards (WTA), na qual arrecadou os prémios de Melhor Destino Metropolitano à beira-mar, Melhor Destino City Break e Melhor Destino de Cruzeiros.

“Os prémios que hoje Lisboa recebe refletem a aposta na qualidade do Turismo em Lisboa. Estamos a recuperar e a reposicionar Lisboa como uma capital cada vez mais atrativa em que o Turismo se cruza com outros setores como a Cultura, o Comércio, a Ciência ou a Inovação. Lisboa vence pela oferta diferenciadora em relação a outros destinos”, refere Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa e da Associação Turismo de Lisboa (ATL), citado em comunicado.

A gala europeia dos WTA decorreu este sábado, 1 de outubro, em Maiorca, Espanha, e, além dos prémios atribuídos à capital portuguesa, distinguiu também o Porto de Lisboa como  Melhor Porto de Cruzeiros da Europa.

Os WTA são considerados os “Óscares do Turismo” e resultam de uma votação online, na qual participou o público em geral e milhares de profissionais de Turismo e Viagens à escala global.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Alojamento turístico atinge máximos históricos em agosto

Dados do INE, divulgados esta sexta-feira, 30 de setembro, mostram que os resultados do alojamento turístico em agosto correspondem aos “valores mensais mais elevados desde que há registo”.

Inês de Matos

O alojamento turístico nacional contabilizou 3,4 milhões de hóspedes e 9,9 milhões de dormidas no passado mês de agosto, resultados que, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), correspondem aos “valores mensais mais elevados desde que há registo”.

Os dados divulgados esta sexta-feira, 30 de setembro, pelo INE, traduzem crescimentos de 33,0% e 31,9%, respetivamente, face ao ano passado, bem como a subidas de 1,2% e 2,8% em comparação com o mesmo mês de 2019, que tinha sido, até aqui, o melhor de sempre.

O mercado interno contribuiu com 3,7 milhões de dormidas, o que representa uma descida de 11,4% face a mês homólogo do ano passado, que, segundo o INE, tinha correspondido a um “máximo histórico”. Já face a agosto de 2019, o mercado interno cresceu 8,2%.

Os mercados externos, por sua vez, totalizaram 6,2 milhões de dormidas, num aumento de 86,9% face a agosto do ano passado, ainda que tenha sido registada uma diminuição ligeira de 0,2% face ao mesmo mês de 2019.

Por tipo de alojamento, as dormidas na hotelaria, que representaram 81,1% do total, cresceram 32,1% face ao mesmo mês de 2021 e 2,8% em comparação com agosto de  2019, enquanto nos estabelecimentos de alojamento local, que representaram 13,8% do total, houve um aumentos de 39,0% face ao ano passado, ainda que, em comparação com agosto de 2019, se tenha notado uma descida de 3,8%.

Já no turismo em espaço rural e de habitação, cuja quota foi de 5,1%, houve um acréscimo de 14,2% em comparação com agosto do ano passado e um forte subida face ao mesmo mês de 2019, que chegou aos 26,6%.

Por mercados, o britânico, que representou 17,7% do total das dormidas de não residentes neste mês, apresentou uma subida 0,3% relativamente a agosto de 2019, enquanto o espanhol, que representou 17,6% do total, registou uma descida de 3,1%, e o francês, com uma quota de 12,9%, cresceu 0,9%.

O INE sublinha, no entanto, as subidas dos mercados alemão que, com uma quota de 9,2%, aumentou 3,4%, e norte-americano, cuja quota foi de 5,7% e “continuou a destacar-se (+28,3%) quando comparado com agosto de 2019, tendo apenas sido ultrapassado pelo mercado checo (+51,1%)”.

“Comparando com agosto de 2019, evidenciaram-se também os crescimentos registados pelos mercados suíço (+25,9%), dinamarquês (+24,6%) e romeno (+24,2%)”, indica ainda o INE, revelando também que “as maiores diminuições verificaram-se nos mercados brasileiro (-19,1%) e sueco (-9,8%)”.

Por regiões, a maioria das dormidas concentrou-se no Algarve (32,2%), seguindo-se a AM Lisboa (21,1%), o Norte (16,5%) e o Centro (11,6%), com o INE a frisar que “registaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões” face a agosto do ano passado.

Já em comparação com agosto de 2019, “apenas o Algarve registou um decréscimo (-7,1%)”, diz o INE, que revela que “os aumentos mais expressivos ocorreram na RA Madeira (+16,9%) e no Norte (+15,9%)”.

Nas dormidas dos residentes, apenas na RA Açores e no Algarve houve decréscimos de 3,6% e 2,8%, respetivamente, tendo-se observado o maior “crescimento na RA Madeira (+53,3%), seguida do Norte (+14,4%) e Centro (+14,3%)”.

Já as dormidas de residentes aumentaram no Norte (+17,0%), RA Madeira (+9,3%) e RA Açores (+7,1%), enquanto as maiores diminuições ocorreram no Algarve (-9,4%) e Alentejo (-8,4%), enquanto na AM Lisboa a variação foi nula.

Em agosto, a estada média ficou nas 2,93 noites, o que corresponde a uma descida de 0,8% face a agosto do ano passado, com a maior descida a encontrar-se entre os residentes, onde este indicador caiu 6,8%, para 2,61 noites, enquanto nos não residentes houve uma descida de 0,4%, para 3,17 noites.

“Na RA Madeira e no Algarve, as estadas médias continuaram a atingir os valores mais elevados: 5,15 e 4,54 noites, respetivamente”, refere ainda o INE.

Já no acumulado até agosto, as dormidas aumentaram 133,8% face ao ano passado, com uma subida de 33,7% nos residentes e de 278,4% nos não residentes, enquanto na comparação com o mesmo período de 2019, houve uma descida de 3,0%, com o INE a indicar que esta quebra foi “consequência da diminuição das dormidas de não residentes (-7,7%), dado que as de residentes cresceram 7,7%”.

Em agosto, 11,8% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes, quando em igual período do ano passado eram 18,6%.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Transportes

Costa Cruzeiros lança folheto para o mercado português e promove itinerários com golfe

Companhia de cruzeiros apresentou esta sexta-feira, a bordo do Costa Fascinosa, em Lisboa, as propostas para o mercado português ao longo do próximo ano.

Inês de Matos

A Costa Cruzeiros lançou um novo folheto dedicado ao mercado português, denominado ‘O Melhor da Costa 2023’, que inclui as propostas da companhia de cruzeiros para os Emirados Árabes Unidos, Mediterrâneo, Ilhas Gregas e Norte da Europa ao longo do próximo ano.

“Temos um novo folheto, que se chama ‘O Melhor da Costa para 2023’. Lançámos este folheto em português, para mostrar quais são os melhores programas que temos para o mercado português”, explicou esta sexta-feira, 30 de setembro, Rafael Fernández, responsável de Comunicação da Costa Cruzeiros para Espanha e Portugal, durante uma apresentação a bordo do Costa Fascinosa.

De acordo com o responsável, este novo folheto inclui “também uma série de argumentos sobre porque se deve fazer um cruzeiro na Costa”, assim como as propostas da companhia que levam diretamente o passageiro “desde casa até ao porto de embarque”.

Incluído no novo folheto da Costa Cruzeiros está também um itinerário, em outubro do próximo ano, com partida e chegada a Lisboa, e que contempla 15 dias de duração e escalas em Cádis, Barcelona, Marselha, Savona, Valência, Lanzarote, St. Cruz de Tenerife e Funchal.

Além deste, a Costa Cruzeiros vai ainda promover um itinerário, em junho, com partida de Lisboa e oito dias de duração, que prevê escalas em Vigo, Le Havre, Kristiansand, Aahrus e chegada a Kiel.

Além dos itinerários portugueses, Rafael Fernández falou ainda sobre o novo programa Cruise & Golf que a companhia lançou para os adeptos do golfe e que permite “comprar um pacote de três ou quatro green fees em campos de golfe em Itália, França e Espanha”.

“Está a ter muito sucesso porque quem gosta de golfe pode jogar em três ou quatro campos distintos na mesma semana, sem os custos associados a essas viagens”, explicou o responsável, revelando que devido à elevada procura a companhia decidiu alargar esta oferta aos Emirado Árabes Unidos.

“Como está a ter muito sucesso, no próximo ano vamos também lançar este pacote nos Emirados Árabes Unidos. Vai ser possível jogar, até durante a noite, em campos do Dubai, Abu Dhabi, Omã ou Qatar”, acrescentou.

A apresentação dos destaque da programação da Costa Cruzeiros para o próximo ano decorreu esta sexta-feira, 30 de setembro, a bordo do Costa Fascinosa, navio que está a realizar um itinerário de posicionamento desde o Norte da Europa para o Mediterrâneo e que embarcou cerca de 50 passageiros na capital portuguesa.

Depois deste itinerário de reposicionamento, o Costa Fascinosa vai fazer mais dois cruzeiros com partida e chegada a Lisboa, a 30 de outubro e 19 de novembro, e duração de 11 e 13 dias, respetivamente. O primeiro itinerário prevê escalas em Gibraltar, Valência, Barcelona, Savona, Marselha, Málaga e Cádis, enquanto o segundo passa em Gibraltar, Valência, Barcelona, Savona, Marselha, Tanger, Casablanca e Cádis.

O Costa Fascinosa fica no Mediterrâneo até dezembro, altura em que será novamente reposicionado nas Caraíbas, onde vai passar o inverno.

Com 1508 cabines, das quais 524 com varanda, o Costa Fascinosa presta homenagem ao teatro e ao grande cinema, e que conta com parque aquático com nove piscinas e hidromassagens, casino, 12 bares, seis restaurantes, área infantil com temática Peppa Pig, percurso para corrida, campo de jogos, teatro e Spa.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Meeting Industry

47º Congresso da APAVT aposta mais uma vez em sessão exclusiva para agentes de viagens

O 47º Congresso da APAVT, que terá lugar de 8 a 11 de dezembro deste ano, em Ponta Delgada (Açores) vai apostar mais uma vez numa sessão exclusiva para os agentes de viagens, disse aos jornalistas o presidente da Associação, Pedro Costa Ferreira, num encontro sexta-feira, em Lisboa.

“Estamos muito focados na construção de um edifício diferenciador para os agentes de viagens associados da APAVT, portanto, temas como os nossos processos de certificação na área da sustentabilidade e na área do serviço ao cliente serão, certamente, centrais desta reunião”, defendeu o presidente da APAVT.

Além disso, explicou que “fazemos sempre um ponto de situação político, no fundo, um prestar de contas da direção, sobre o que fez no último ano, e uma troca de opiniões que para nós é muito importante, sobre as áreas de intervenção, e as principais dificuldades sentidas pelos agentes de viagens para o próximo ano, não deixaremos de acompanhar os processos de recuperação económico-financeira, até porque sempre tivemos consciência que as necessidades de tesouraria iriam acontecer sobretudo na altura da retoma, e não nos enganámos”, sublinhou.

Sobre este assunto, Pedro Costa Ferreira evidenciou que “não há atualmente apoios significativos no mercado, há é pagamentos significativos dos apoios que nos foram dados, em sede de créditos”, para adiantar que “as agências de viagens já começaram a pagar ao Turismo de Portugal, começarão em breve a pagar os empréstimos concedidos para pagamento dos vales dos clientes, portanto toda esta área relacionada com a recuperação económico-financeira, manteremos ativa na nossa análise, porque sentimos que é um diálogo que não deve ser esgotado”.

O dirigente apontou ainda que “os processos de apoios parecem estar muito centralizados em crédito, o que nós não queremos porque endividados já estamos, e parecem muito centralizados no Banco do Fomento, entidade que está demasiado afastada de nós do ponto de vista institucional, das práticas concretas e das oportunidades concretas dos agentes de viagens”.

É com satisfação que o presidente da APAVT tem assistido à participação nos congressos da Associação de um número cada vez maior de agentes de viagens. Acredita, assim, que “a sessão exclusiva com os agentes de viagens aparece porque cada vez há mais agentes de viagens a participar nos nossos congressos, e admito que cada vez há mais agentes de viagens, não apenas pela sessão, mas pela versatilidade de todo o congresso”.

Para o congresso dos Açores, Pedro Costa Ferreira deu conta que um hotel reservado exclusivamente para agentes de viagens já está esgotado, e a APAVT já está a reservar uma segunda unidade hoteleira, tudo indicando que “vamos ultrapassar os números do ano passado, em termos de agentes de viagens”.

 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
AHRESP
Alojamento

OE2023: AHRESP apresenta 25 propostas ao Governo para “salvaguardar as empresas”

A aplicação temporária da taxa reduzida do IVA nos serviços de alimentação e bebidas é uma das medidas apresentada pela associação.

Publituris

Dada a aproximação da apresentação do Orçamento de Estado para 2023 (OE2023), a 10 de outubro, a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) propôs ao Governo 25 medidas “para salvaguardar as empresas e contribuir para o fortalecimento da economia portuguesa”, conforme se pode ler em comunicado enviado às redações.

As medidas propostas incidem em cinco eixos estratégicos: fiscalidade, capitalização das empresas, incentivo ao consumo, apoio ao investimento e qualificação e dignificação do emprego, sendo que o documento com a enumeração de todas as propostas encontra-se disponível para consulta no website da AHRESP.

Destas, a associação destaca quatro medidas que considera prioritárias: a aplicação temporária da taxa reduzida do IVA nos serviços de alimentação e bebidas; instrumentos de apoio à capitalização das empresas; apoios ao investimento na eficiência energética e na transição digital e mecanismos/plataformas que apoiem e facilitem a contratação de trabalhadores, nomeadamente a contratação organizada de imigrantes.

“A AHRESP considera que é essencial a inclusão de medidas ambiciosas e significativas para as empresas e para as famílias, de forma a minimizar o impacto da inflação e do aumento dos custos da energia e dos combustíveis”.

Como prosseguem em comunicado, a associação aponta que apesar “do pico da atividade dos meses de verão, as margens de negócios estão completamente esmagadas – os custos energéticos aumentaram 24% e os produtos alimentares 15,4%, enquanto na restauração e similares os preços aumentaram 4.5%”. Apoiando-se nestes dados do INE, a AHRESP conclui que “a grande maioria das empresas optou por absorver uma parte desse aumento de custos para não lesar em demasia os seus clientes, pelo que as margens estão no seu limite”.

Neste contexto, a associação alega que é “imperioso” proteger “o poder de compra dos consumidores, mas também a tesouraria das empresas, que ainda não retomaram os níveis pré-pandemia e são agora sujeitas a um novo contexto de adversidade económica e financeira”.

Numa nota final, a AHRESP defende que “o OE2023 deverá ser um instrumento determinante na defesa das atividades económicas do Canal HORECA, pois só assim será possível garantir que o contributo dado pelo Turismo para a recuperação económica pós-pandemia não tenha sido em vão, assegurando-se a sustentabilidade dos negócios e a manutenção dos postos de trabalho”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.