Projectos do Fundo Turístico de Lisboa representam investimento de 33ME

Por a 29 de Setembro de 2016 as 17:25
Fundo Turístico de Lisboa

Valorização e intervenção das alas Poente e Norte do Palácio da Ajuda, exposição permanente das Jóias da Coroa e dos Tesouros de Ourivesaria da Casa Real, Museu Judaico, Centro Interpretativo da Ponte 25 de Abril, Terminal de Actividade Marítimo-Turística na antiga Estação Fluvial Sul e Sueste, Polo Descobrir e Lojas com História.

Estes são os projectos, já aprovados, que terão um investimento do Fundo de Desenvolvimento Turístico de Lisboa, linha de investimento criada com as receitas geradas pela Taxa Turística na cidade. O montante total aplicado será de 33,7 milhões de euros até 2019, dos quais 18,2 milhões serão suportados pelo Fundo de Desenvolvimento Turístico de Lisboa e 15,5 milhões por outras entidades.

Fernando Medina, presente na cerimónia que decorreu na sede da AHRESP e da AHP, em Lisboa, congratulou-se pela materialização de um projecto que “há ano e meio toda a gente criticou sem, no entanto, apresentar alternativas, e fazendo passar a ideia de que se iria matar a galinha dos ovos de ouro”. Segundo o presidente da Câmara de Lisboa, “hoje, os críticos saberão que estavam errados nas suas predições”.

Para o governante camarário, “é importante investir quando o cenário apresenta-se positivo, pelo que é agora e não depois que se deve alavancar o Turismo na cidade”. Outros dos aspectos sublinhados por Medina teve que ver com a “unidade com que se trabalhou o projecto desde o seu início”. “Percorremos, todos, sector público e privado, um caminho que não esteve isento de dificuldades, discussão e discórdia. Porém, a parceria que temos com os vários agentes do turismo em Lisboa é algo único no país e essencial para êxitos futuros”, admitiu.

A finalizar, afirmou que “estes projectos não são para o Turismo, mas para melhorar a qualidade de vida dos habitantes da capital e criar novas centralidades”.

Está previsto o Fundo de Desenvolvimento Turístico de Lisboa financiar também o apoio à captação de Congressos através de bonificação na época baixa; a personalização da experiência do turista na plataforma digital do VisitLisboa; a promoção internacional de festivais de música, através do co-financiamento de programas de marketing nos mercados emissores; e iniciativas empresariais de comercialização através do co-financiamento de participações em feiras, workshops, roadshows, publicidade ou fam trips.

À margem  deste projecto, Vítor Costa, presidente da Associação de Turismo de Lisboa (ATL), anunciou a inauguração do Pavilhão Carlos Lopes para a data de aniversário do atleta: 18 de Fevereiro. “As obras desta infra-estrutura estão a decorrer a bom ritmo e vão já para a sua fase final”.

A cerimónia contou ainda com as presenças de Luís Alves de Sousa, representante da AHP na região de Lisboa, José Manuel Esteves, director-geral da AHRESP, e Raúl Martins, presidente da AHP.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *