Assine já
Destinos

Animação de Norte a Sul do País

Parques aquáticos, de diversão, aventura ou museus interactivos. Todos apresentam novidades em 2016, que damos a conhecer neste artigo.

Patricia Afonso
Destinos

Animação de Norte a Sul do País

Parques aquáticos, de diversão, aventura ou museus interactivos. Todos apresentam novidades em 2016, que damos a conhecer neste artigo.

Patricia Afonso
Sobre o autor
Patricia Afonso
Artigos relacionados

Começando a Norte nesta viagem que percorre alguns parques de animação em Portugal, o Pena Aventura Park é, como o nome indica, um parque de desportos de aventura onde não falta emoção. Abriu as suas portas ao público em 2007 e é considerado um dos principais espaços de animação turística do Norte de Portugal. Localizado em Ribeira de Pena, no distrito de Vila Real, encontra-se a 90 minutos de distância do Porto e 45 minutos de Braga. Desde a sua abertura, que este parque tem como objectivo tentar abrir todos os anos uma novidade/atracção e 2016 não é excepção. “Vamos ter um novo espaço para o entretenimento dos mais pequenos e famílias: o Bosque dos Sentidos. Neste espaço, os participantes poderão visitar animais da região, realizar travessias suspensas sobre um lago, jogos de interpretação ambiental e “perder-se” num dos labirintos criados”, conta Marco Pereira, coordenador do parque.

Actualmente, o Pena Aventura Park recebe cerca de 60 mil visitantes/participantes por ano, sendo o crescimento anual de cerca de 15%, mantendo-se prevista esta tendência para os próximos anos. 50% dos clientes são do mercado nacional e 50% de mercado internacional, dos quais espanhóis (40%); franceses (4%); holandeses (2%), ingleses (2%) e outros (2%). “O nosso Park distingue-se dos outros pelas actividades diferenciadoras”, refere Marco Pereira. A prová-lo estão as atracções Fantasticable, que consiste num cabo com 1538m a uma altura de 150m, que liga os lugares de Lamelas e Bustelo, em que as pessoas podem “voar” a uma velocidade máxima de 130km/h, sendo considerado um dos maiores do mundo; mas também o Alpine Coaster, uma descida de 700 metros da montanha em carros de estilo tobogã com muitas curvas, contra curvas e loopings horizontais. Segundo Marco Pereira, as principais acções para atrair mais visitantes estão relacionadas com “a satisfação do cliente e aumento do índice de fidelização”. “Se o nosso cliente actual recomenda os nossos serviços, entendemos estar no bom caminho para de forma sustentada atrair mais clientes, nesta fase é essa a nossa principal preocupação e estratégia”, conclui.

Parque Aquático AmaranteParque Aquático de Amarante

No Parque Aquático de Amarante também existem novidades. Este ano será a primeira temporada em que o novo mega escorrega ‘Fast Mountain’ vai funcionar em pleno. Trata-se de um escorrega com 180 metros de comprimento, sendo um dos maiores da Europa. Segundo João Almeida, director do Parque Aquático de Amarante, esta aposta arrancou ainda no ano passado, mas só agora vai estar em total funcionamento. “É um escorrega aquático tubular, com um percurso sinuoso, pelo qual se desliza através de bóias insufláveis. Esta nova atracção do Parque Aquático de Amarante promete muita adrenalina e diversão, são 22 metros de altura e permite estabelecer uma ligação perfeita com a Piscina de Ondas, bem como com os diferentes desníveis de circulação”. Além do ‘Fast Mountain’, o Parque Aquático de Amarante conta ainda com seis pistas múltiplas, quatro pistas rápidas, um caracol, dois tobogans e dois parques aquáticos infantis. Segundo o responsável, o parque tem registado uma evolução ‘bastante positiva’, com o número de visitantes “a crescer consistentemente”.

“Verificamos igualmente, com imensa satisfação, o aumento do envolvimento e articulação com os grupos escolares, transmitindo-nos uma mensagem clara de agrado para os programas de Verão. As visitas dos nossos vizinhos da Galiza têm igualmente aumentado consideravelmente, quer do público em geral, quer os grupos escolares.” O Parque Aquático de Amarante tem também oferta de alojamentos, com diferentes tipologias, e equipamentos complementares, como um espaço modular de três pisos preparado para a realização de eventos corporativos, bem como eventos sociais e com uma capacidade máxima de 600 pessoas. De forma a captar mais visitantes o Parque Aquático de Amarante tem vindo a apostar em equipamentos que “permitam garantir momentos de diversão e atrair os visitantes como o escorrega ‘Fast Mountain’”. “Todos os anos são igualmente propostas actividades de animação de forma a tornar os dias ainda mais animados, por exemplo organizamos sessões de aquazumba que têm tido uma grande participação. Por outro lado e não menos importante, investimos muito na manutenção de todos os equipamentos para garantir condições perfeitas de lazer e divertimento e em segurança a todos os que frequentam o nosso parque aquático”, conclui Marco Pereira.

AquakidsAquashow Park Hotel

Do Norte rumo ao Sul, para falar do Aquashow Park Hotel, o parque aquático de Quarteira, que já reabriu para mais uma temporada. Depois do Free Fall em 2015, este ano o Aquashow vai estrear uma nova atracção: o ‘Twin Space Shuttle’. Trata-se de um escorrega duplo, com 17 metros de altura e 178m de cumprimento, que possui duas cápsulas gigantes e efeitos especiais no interior proporcionados pela aplicação de filtros de cor. Para as crianças, o parque tem agora um espaço Aquakids que é composto por diversos escorregas infantis e ainda dois novos escorregas: o Shark e o Pink Slide. Além destas novidades, o Aquashow continua a manter todas as atracções que já disponibilizava e que tem vindo a requalificar todos os anos. Anualmente, o Aquashow tem tido um crescimento de 10 a 15% face ao ano.

Quanto aos principais países de origem dos nossos clientes continuam a ser, além de Portugal, o Reino Unido e Espanha. A enorme diversidade de atracções para toda a família, entre aquáticas e temáticas, nas quais se incluem também espectáculos com interacção animal: shows de araras, aves de rapina, répteis e leões-marinhos são os factores diferenciadores deste parque. “Outro ponto que nos distingue é o facto de apresentarmos novas atracções todos os anos. Os nossos clientes regressam anualmente e sabem que vão encontrar muitas novidades”, refere fonte do parque. O investimento anual na oferta, quer em novas atracções, quer no melhoramento do parque (mais áreas verdes, mais zonas de sombra, mais áreas de restauração) é o “principal plano para atrair novos visitantes”. Paralelamente, o plano estratégico do Aquashow passa ainda pela realização de promoções, de parcerias empresariais e “pela questão da garantia de segurança que é absolutamente fundamental”.

DSC_0852World of Discoveries ultrapassa os 300 mil visitantes

Desde que abriu em 2014, o World of Discoveries, em Miragaia, no Porto, tem registado um crescimento significativo em todos os segmentos de público, sobretudo em visitantes estrangeiros e grupos empresariais, tendo já ultrapassado os 300 mil visitantes. O Museu Interactivo e Temático alusivo aos Descobrimentos Portugueses lançou, recentemente, o Programa “Descubra Miragaia”, um complemento cultural e patrimonial à visita ao Museu que permite aos visitantes explorar um dos bairros mais pitorescos da cidade do Porto. “Esta é, simultaneamente, uma iniciativa de valorização territorial e, ao mesmo tempo, um reforço daquilo que tem vindo a distinguir o nosso espaço: a criatividade e diferenciação dos seus conteúdos e programação”, explica o Museu.

Sobre os factores que diferenciam o World of Discoveries da restante oferta, a resposta é a “humanização da experiência”, isto é “as visitas são interpretadas por personagens vestidos à época, cada um dos quais com a sua versão particular da história e integramos dinâmicas de dramatização e teatralização regulares”. Este não é apenas o único factor que diferencia o World of Discoveries: “O facto de ser o primeiro espaço em Portugal a integrar, na sua génese, um painel de embaixadores das mais variadas áreas, da educação à cultura, passando pelas artes, património, teatro, etc., que chamamos com frequência a dar o seu contributo para o alinhamento das nossas actividades e programação, adaptando-os às necessidades e expectativas dos públicos”. O factor-chave para atrair visitantes é segundo o Museu Interactivo, “a forma como sabemos transformar a história em algo que é vivo, acessível, divertido, entusiasmante. Adoramos o que fazemos e isso passa naturalmente, contagiando, os demais”.

SEA LIFE Porto (1)CONHECER A BIODIVERSIDADE

O SEA LIFE, no Porto, celebra em Junho o seu 7º aniversário. Membro da cadeia Merlin Entertainments, o espaço alberga 400 espécies diferentes, marinhas e de água doce, que vivem em 31 aquários. Este ano, o SEA LIFE Porto tem uma nova exposição temporária. Chama-se “Garras Armadas” e é dedicada às garras do fundo dos mares. “A grande atracção é o Caranguejo-Aranha-Gigante, mas existem outras oito criaturas em exposição. Todas elas têm elementos em comum, como o facto de todas possuírem exosqueletos e crescerem por muda de esqueleto”, começa por referir Rui Ferreira, director do Sea Life Porto.

Mas o SEA LIFE tem constantes atracções que acabam por resultar em novos motivos de visita. Exemplo disso é a chegada de novos animais e novas espécies. “Este ano, o SEA LIFE Porto já recebeu uma nova comunidade de Medusas e um exemplar de Peixe Leão Anão”, conta. Os ateliers temáticos são outras das formas de usufruir do SEA LIFE Porto. A programação é adaptada às ocasiões especiais, como o Carnaval ou a Páscoa. No Dia dos Namorados, o SEA LIFE recebeu uma programação diferente, tendo sido palco de um jantar especial junto aos aquários. Em 2015, este aquário recebeu mais 30% de visitantes face ao ano anterior. “Denota-se um aumento do mercado nacional, graças a uma forte dinâmica promocional. Mas ainda assim, o segmento que mais cresceu foi o turístico, representando 40% do total de visitantes de 2015” refere o responsável. Destes, a maioria dos visitantes é proveniente de Espanha. “Este é, com certeza, um reflexo do aumento do fluxo turístico na cidade do Porto, mas também uma consequência da forte parceria do SEA LIFE Porto na promoção do turismo da cidade e da região, em colaboração com os principais operadores”, defende.

Para atrair mais visitantes, o SEA LIFE Porto mantém uma parceria activa com os vários agentes e operadores turísticos do Porto. Além disso, explica Rui Ferreira, aposta “em comunicação e proporciona, com regularidade, novas actividades, de forma a captar novas novos visitantes, mas também a motivar o regresso dos visitantes habituais. Bons exemplos são, por exemplo, as festas de aniversário promovidas no SEA LIFE Porto ou as dormidas com os tubarões, em que grupos de crianças fazem uma visita guiada, acompanham a alimentação dos tubarões e ainda dormem junto aos aquários”.

Fluviário de MoraFluviário de Mora

O Fluviário de Mora, no Alentejo, foi inaugurado em 2007. Este espaço que procura recrear o percurso de um rio sofreu este ano “grandes melhorias” no grande aquário de água doce. Segundo o fluviário, o habitat das lontras tem uma nova “cara”. Esta nova decoração simula uma escarpa de rio mediterrâneo de modo a que os animais que lá vivem se sintam como se estivessem no seu ambiente natural. O investimento na obra contou com a comparticipação da Câmara Municipal de Mora. Este ano, o Fluviário apresenta-se com várias melhorias em vários aquários, que passaram por pinturas e nova decoração “de modo a satisfazer os visitantes, no intuito de que voltem sempre”. Paralelamente, o Fluviário de Mora recebeu, este ano, novos animais, como a raia ondulata, pargos, corvinas, axolots, entre outros animais.

Situado em pleno Parque Ecológico do Gameiro, os visitantes que queiram visitar o Fluviário tem uma zona envolvente com outras ofertas: Centro de Interpretação Ambiental (CIAmb), praia fluvial com campo de futebol de areia, Eco-Campismo, parque de merendas, bar/cafetaria com parque infantil, passeio no passadiço em madeira (1500 metros) ao longo da ribeira da Raia, percursos pedestres, Posto de Observação de Aves e um parque de aventura. “Com todas estas ofertas é possível passar um excelente dia no Fluviário de Mora”, refere fonte do espaço. Na sua maioria, são os portugueses os visitantes do fluviário. De forma a captar mais público, o espaço recorre a estratégias de divulgação de carácter multifuncional, sob uma abordagem técnica e lúdico-pedagógica que visam fidelizar, cativar e alargar o público. “O site está sempre actualizado e o Facebook com mensagem diárias que cativam as pessoas e o convite a gostar da nossa página; Nas estradas portuguesas temos vários outdoors com a indicação do fluviário. Nos dias festivos fazemos diversas actividades no interior do fluviário de modo a interagir com o público e cativá-lo para que volte para nova visita ou que passem palavra a amigos, familiares e conhecidos para que nos venham visitar”.

Zoo de LagosZoo de Lagos

Iniciado nos finais de 1997, o Parque Zoológico de Lagos foi inaugurado em Novembro do ano 2000, com o apadrinhamento dos actores Maria João Abreu e José Raposo. Para este ano, a novidade é o lago com flamingos cubanos. Sobre o número de visitantes do parque, este tem aumento, fixando-se actualmente nos 80 mil por ano. As nacionalidades são maioritariamente holandeses, alemães e Ingleses, tendo-se notado um aumento significativo nos últimos tempos de franceses e de Leste, nomeadamente da Rússia. O Parque Zoológico de Lagos afirma-se como “um espaço de lazer por excelência, onde é valorizado o aspecto estético, de conservação e bem-estar animal. De construção natural, sem barreiras e visuais e numa quase interacção com as espécies residentes, o Zoo tem cativado os visitantes pelo seu aspecto harmonioso, de entretenimento e simultaneamente de respeito pelo meio ambiente”.

ZM_06ZOOMARINE COMEMORA 25 ANOS COM NOVIDADES

No ano em que celebra 25 anos, o Zoomarine, na Guia, Algarve, preparou diversas novidades, sendo a ”jóia da coroa” a grande renovação do estádio dos golfinhos. “O local mais visitado do Zoomarine – o Estádio do Sam – foi totalmente modernizado e apresenta agora uma capacidade redobrada, acessos mais cómodos e uma nova e deslumbrante vista subaquática (…) O espelho de água é agora mais prolongado e, também, com maior volume de água. O exterior do estádio também foi alvo de uma completa reconstrução, estando agora mais bonito e ecológico, apresentando como principal novidade um jardim vertical, que se estende ao longo de toda a sua fachada”, explica Diogo Rojão, chefe do gabinete de Comunicação do Zoomarine.

Mas as novidades não se ficam por aqui. O Zoomarine vai estrear esta temporada o novo filme a 4D – Little Dolphin – e uma nova apresentação de focas e leões-marinhos – Wonderland. “A nova cobertura gigante do estádio das aves de rapina, bem como as muitas melhorias realizadas nos espaços de lazer, agora com mais áreas de sombra, novos arruamentos, parqueamentos e acessibilidades, prometem tornar a visita ao Zoomarine ainda mais especial e inesquecível em 2016”, completa o responsável. A partir do dia 1 de Junho, voltará a estar em cartaz a Baía dos Piratas, com um novo espectáculo. Além disto, o Zoomarine vai inaugurar um novo playground aquático para os mais pequeninos. Quanto ao número de visitantes, este tem sido Rojão afirma que a evolução tem sido “favorável” nos últimos anos, acompanhando, por um lado, o crescimento do turismo internacional em Portugal, mas também “a maior notoriedade e versatilidade do Zoomarine, como atracção primeira do Verão Algarvio”.

Já no que toca às origens geográficas das famílias que visitam o parque, estas repartem-se equitativamente entre nacionais e estrangeiros. Entre as nacionalidades europeias, há uma maior predominância de turistas oriundos das ilhas britânicas (80%), algo que se desde a abertura do Zoomarine há 25 anos. Observa-se ainda uma maior afluência de turistas espanhóis e franceses nos últimos anos. Sem estar focado no que os outros parques fazem, mas seguindo a orientação dos valores fundamentais que estão na sua origem: ciência, educação, conservação e entretenimento, o Zoomarine acredita que “as inovações realizadas no parque temático nos últimos anos têm ido ao encontro das melhores expectativas do nosso público-alvo”. “Quando criámos a Zoomarine Beach, por exemplo, tivemos como objectivo criar uma nova diversão aquática, ideal para as famílias, com uma forte componente de segurança e comodidade, uma vegetação exótica envolvente e uma panorâmica tropical esplendorosa. A nossa única referência neste âmbito foram os parques que já haviam desenvolvido uma atracção semelhante, tanto na Europa e nos EUA, com os quais pudemos aprender um pouco, antes de criar e desenvolver o nosso próprio projecto”. Quanto a este ano, o responsável afirma que “temos muitos indicadores de que o Verão irá trazer muitos turistas estrangeiros ao Algarve”. “Neste sentido, mantendo sempre uma forte disciplina orçamental, procurámos criar o máximo de interações positivas com as famílias, aumentando assim a propensão de visitarem o Zoomarine durante a sua estadia de férias no Algarve”, conclui.

Jardim ZoológicoZOOLÓGICO DE LISBOA ESTÁ A FICAR MAIS VERDE

Em 2016, o Jardim Zoológico está a “ficar mais verde”. Além de “Zoológico” é também um “Jardim” e, por isso, uma das novidades para este ano é o aumento e melhoria dos espaços verdes. “Tudo começou em 2015 com a colocação de palmeiras na avenida principal do parque seguidas pela plantação de alguns Ciprestes na periferia dos espaços para que o visitante se consiga abstrair da cidade que o rodeia”, conta Inês Carvalho, Directora de Marketing do Jardim Zoológico . Salientando a importância da preservação habitat para a conservação dos animais, foram remodeladas algumas instalações de felinos. “Destacamos a instalação dos Leopardos-da-Pérsia que contou com o apoio de uma especialista em comportamento felino. Após a remodelação a instalação foi reconhecida como modelo para os zoos de todo o mundo”, esclarece a responsável.

O ano de 2015 fechou com um aumento no número de visitantes, com cerca de 820.000 entradas. Com vista ao aumento do número de visitantes, o Zoológico de Lisboa leva a cabo diversas acções: “Todos os meses o Jardim Zoológico comemora diferentes efemérides criando para essas datas actividades especiais que vão marcar a visita, desde encontros com tratadores, oportunidade de preparar o enriquecimento de diferentes espécies ou visitas guiadas”. Além das acções internas, têm sido desenvolvidas algumas campanhas, acções de exterior e parcerias. “Enquanto entidade privada sem subsídios estatais, a estratégia do parque passa, obrigatoriamente, pelo aumento das receitas que permitem sustentar os cerca de 2000 animais de 300 espécies distintas que aqui habitam”, explica Inês Carvalho. “Em paralelo, trabalhamos para reforçar a posição do Jardim Zoológico enquanto ponto de referência na rota dos estrangeiros em Lisboa. A maioria dos nossos visitantes são portugueses, mas a qualidade do nosso Jardim Zoológico atrai cada vez mais turistas de viagem em Lisboa. Esta é uma oportunidade que queremos capitalizar, sempre a par do aumento das visitantes nacionais”.

Estas não são as únicas iniciativas do Zoológico de Lisboa, já que no inicio de 2016 foram decoradas quaro carruagens de um comboio da Fertagus. Golfinho, Lince-ibérico, Tigre-de-sumatra, Okapi e Orangotango são alguns dos animais que têm lugar nesta decoração representando os respectivos habitats e a necessidade da sua preservação. Mais recentemente, em Maio, foi decorado o Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia e do Jardim do Tabaco, convidando os turistas que chegam a Lisboa de barco a entrar no mundo dos animais selvagens para uma agradável mudança de cenário – “Care for a change of scenery? Come and visit the Lisbon Zoo.” “Os turistas que nos chegam por via aérea também não foram esquecidos e por isso, as colunas da zona das Chegadas do Aeroporto de Lisboa ganharam um ar selvagem ao serem revestidas por imagens de pêlos, penas e escamas. Nesta campanha o turista é ainda desafiado a um rápido jogo – “Sabe que animal é este?” – Se foram necessários mais de 3 segundos para responder a esta questão aconselhamos uma visita ao Jardim Zoológico para relembrar os animais e as suas características”.

DSC_1578DIVERSÃO LÁ FORA

Falar de diversão lá fora é referir, em primeiro lugar, a Disneyland Paris, ou não fosse este o destino turístico europeu número um. Os dois parques temáticos que compõem o resort, mais as suas 59 atracções, atraem 14,8 milhões de visitantes, a maioria franceses (46%), seguidos de ingleses (16%) e espanhóis (9%). O parque investiu 577 milhões de euros em melhorias e renovações entre 2012 e 2015 e o reconhecimento está à vista já que, segundo dados da Disneyland Paris, 89% dos visitantes afirma querer voltar e quase a totalidade (93%) não tem dúvidas em recomendar o parque temático. Do investimento realizado, contam-se as renovações dos hotéis do complexo. O último a ser renovado foi Hotel Newport Bay Club e, actualmente, está em curso a remodelação do Disney´s Hotel Cheyenne, que também visa melhorar a experiência dos clientes alojados neste hotel.

Até ao momento, e dentro do programa de renovações do resort, já foram renovados o Disney´s Hotel Santa Fé, o Disney´s Sequoia Lodge e o Disney´s Newport Bay. Além das infraestruturas, a Disneyland Paris mantém-se muito activa na apresentação de nova programação. Muitos dos espectáculos apresentados são verdadeiros êxitos, como é o caso do Verão Frozen. Um milhão de espectadores já viram o espectáculo interactivo ‘Frozen Sing-Along’ e 260 mil participaram na Jedi Traning Academy e, em apenas três meses, foram formados 13 mil e 500 jovens Padawans. O ‘Disney Dreams’, espectáculo nocturno que combina cores, luzes e fogo-de-artifício no Castelo da Bela Adormecida, criado em Novembro de 2012, ganhou o prémio IAAPA Brass Ring para a melhor produção global com um orçamento de 1.000.001 de dólares ou mais. O parque continua a apostar nestes e em novos espectáculos, como é o caso do ‘Mickey and the Magician’, que estará em cena no palco do Teatro Animagique, no Parque Walt Disney Studios®, entre 2 de Julho de 2016 e 8 de Janeiro de 2017.

O ‘Verão Frozen’ está de regresso de 4 de Junho a 18 de Setembro de 2016. As princesas Elsa e Anna percorrem o Parque Disneyland® na sua resplandecente carroça e convidam os visitantes a cantar com elas e com o Olaf as músicas mais famosas do filme no espectáculo ‘Frozen Sing-Along’. Há ainda outras novidades. Depois do Verão, o Parque celebra o Halloween 2016, de 1 de Outubro a 2 de Novembro 2016, com decorações e uma atmosfera apropriada ao momento, uma mini parada e personagens alusivas ao Halloween. Na Disneyland Paris também se comemora o Natal de 11 Novembro 2016 a 8 de Janeiro 2017. Há decorações para ver, uma parada alusiva à época, o espectáculo nocturno ‘Disney Dreams’ ganha um espírito natalício e muito mais.

A Disneyland Paris continua a sua aposta nos canais de distribuição. Os agentes de viagens contam como uma ferramenta criada para si. A plataforma Disneystars dispõe de informação exclusiva para agentes de viagens, onde é apresentada toda a informação sobre os hotéis e parques, todo o produto, todas as novidades, dicas, ferramentas de vendas, ofertas exclusivas para agentes de viagens, formação interactiva, entre outros. Segundo fonte da Disneyland, o resort está a trabalhar num programa de renovação, onde é salientado que a magia está em construção. “Este é um programa que visa dar mais brilho e magia à Disneyland Paris, para que os nossos clientes beneficiem de uma experiência ainda mais mágica. Este programa visa renovar e melhorar grande parte das atrações, o que nos leva a encerrar temporariamente certas atracções”.

futuroscope_ve16num_018Futuroscope

Em França, há mais parques temáticos além da Disneyland Paris. O Futuroscope está aberto há 29 anos e, desde então, tem sofrido muitas mudanças. Começou por ser um parque para visitar em meio-dia e, actualmente, são precisos dois dias para visitá-lo por completo. O principal mercado é o francês, seguido do mercado ibérico, britânico e belga. Embora o Futuroscope não possa divulgar o número exacto de portugueses que visita o parque, fonte do Futuroscope diz que 75% do mercado português corresponde a escolas e 25% a clientes individuais. O parque afirma ser “único”, uma vez que “não existe nenhum outro na Europa que se pareça” com o Futuroscope.

No “Futuroscope queremos que que as pessoas vivam diferentes experiências através da tecnologia, da imagem e da diversão”. Este ano, o Futuroscope desenvolveu “uma grande colaboração com a Abreu”, que resultou numa fam trip para 30 agências de viagens e também formações em Lisboa e no Porto para os agentes de viagens. O parque fez ainda uma parceria com um portal de lifestyle em Portugal com vista à realização de concursos que tiveram “muito êxito”. Este ano, o Futuroscope apresenta algumas novidades, entre elas a atracção ‘Ice Age Despertar dos Dinossauros’; ‘La Forge Aux Etoiles’, um novo espectáculo criado por Cirque du Soleil; ‘O Mundo Do Invisível’, produzido pela National Geographic Entertainment; ‘A Lei do mais forte’, produzido pela BBC Earth; e o espectáculo 3D ‘L’Explorarium’.


Astérix seul 210x148,5 (600 x 424)Parque Astérix

Ainda em França, a 30 quilómetros de Paris, encontra-se o Parque Astérix. O parque dedicado ao universo das personagens de banda-desenhada de Astérix e Obelix dispõe de 39 atracções e cinco espectáculos, entre eles, um espectáculo com golfinhos O parque é maioritariamente visitado pelo mercado francês (85%), sendo o restante internacional, incluindo o mercado português. O parque garante, no entanto, que está a tentar “desenvolver mais intensamente” o mercado português desde há dois, três anos. Este ano, o Parque Astérix desenvolveu uma campanha com a Abreu, com uma oferta especial de “crianças grátis”. Fez igualmente uma famtrip e formação para os agentes de viagens de Lisboa e do Porto. Este ano, o parque apresenta uma nova atracção. O Discobélix, como se chama, é inspirada na modalidade dos Jogos Olímpicos do lançamento do disco, só que, imagine-se, o disco é lançado por Obelix e o resultado o leitor já pode imaginar: no mínimo muitas voltas.

visual.pt.sin.altaIsla Mágica

De França para Espanha. Este ano, a Isla Mágica, em Sevilha, apresenta novidades na sua área infantil com uma renovação total da “Fonte da Juventude”, um espaço para as crianças com escorregas e também um novo espaço mais resfrescante denominado “Capitan Morgan” com canhões de água. O parque apresenta igualmente o novo filme 4D ‘Robinson Crusoe’ e a renovação de espectáculos do parque.

Os principais visitantes da Isla Mágica são os turistas que estão em destinos de praia espanhóis ou portugueses, já que o parque fica só a uma hora e meia do Algarve por autoestrada, ainda que também receba turistas da cidade como franceses e italianos. Mais de 100 mil portugueses visitam a Isla Mágica dos aproximadamente 700 mil que recebe a comunidade de Andaluzia durante todo o ano. No entanto, o parque destaca que um importante factor desde resultado: “A Isla Mágica concentra estes 100 mil portugueses num mês e meio na época de Verão apenas, pelo que a atracção pelo produto é incrível”. Para os portugueses, “a Isla Mágica é um parque de destino, uma vez que consideram vir expressamente à Isla Mágica e a seguir visitar a cidade”. A Isla Mágica tem é parceira de vários operadores turísticos e agências de viagens espanhóis e portugueses, alguns deles são: Viagens Abreu, Solferias, Marsol, Logitravel, Top Atlântico, Geostar, entre outros.

Sobre o autorPatricia Afonso

Patricia Afonso

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

OMT: 46 destinos mantêm fronteiras totalmente fechadas aos turistas

A OMT revela, no seu relatório sobre restrições de viagens, divulgado sexta-feira, que um total de 46 destinos no mundo (21%) estão atualmente com as fronteiras totalmente fechadas ao turismo internacional.

Um total de 46 destinos no mundo (21%) estão atualmente com as fronteiras totalmente fechadas ao turismo internacional, e destes, 26 mantêm-se completamente fechados pelo menos desde o final de abril de 2020, revela o relatório da OMT sobre restrições de viagens, divulgado sexta-feira. 

O documento da Organização Mundial do Turismo conclui que outros 55 (25% de todos os destinos em todo o mundo) continuam comas suas fronteiras parcialmente fechadas ao turismo internacional, e 112 (52% exigem à chegada aos turistas teste PCR ou antigéneo. 

A OMT destaca, no relatório divulgado na sua página de internet, que 85 destinos (39% de todos os destinos no mundo) abrandaram as restrições para turistas internacionais totalmente vacinados, mas apenas quatro destinos levantaram até agora todas as restrições relacionadas com a Covid-19 (Colômbia, Costa Rica, República Dominicana e México). 

“Abrandar ou suspender medidas com segurança é essencial para que o turismo seja retomado”, afirmou o secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili, na publicação. 

“Os desafios contínuos colocados pela pandemia indicam a importância de as autoridades nacionais garantirem que procedimentos e requisitos possam ser geridos de maneira oportuna, confiável e consistente em todos os sistemas e plataformas de informação, para manter a confiança e facilitar ainda mais a mobilidade internacional”, concluiu Zurab Pololikashvili. 

Como nas edições anteriores da pesquisa, este último relatório mostra que as diferenças regionais em relação às restrições de viagem permanecem. A Ásia/Pacífico continua a ser a região com mais restrições em vigor, com 65% de todos os destinos totalmente fechados, enquanto a Europa é a região do mundo mais aberta aos turistas internacionais (7% das fronteiras totalmente fechadas), seguida da África (9%), das Américas (10%) e do Médio-Oriente (15%). 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

UE leva muito a sério nova variante e vai atuar rapidamente (c/ vídeo)

Depois de conhecidas as notícias sobre a nova variante altamente mutante na África do Sul, Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirmou que a UE está a “levar muito a sério” esta questão.

A presidente da Comissão Europeia afirmou esta sexta-feira, 26 de novembro, que a União Europeia (UE) está a “levar muito a sério” a nova variante do coronavírus, identificada inicialmente na África do Sul, exortando a ação “rápida e unida” dos Estados-membros.

“Estamos a levar muito a sério as notícias sobre a nova variante altamente mutante. Sabemos que as mutações podem levar ao aparecimento e à propagação de ainda mais variantes do vírus que se podem disseminar a nível mundial dentro de poucos meses, pelo que é agora importante que todos nós na Europa atuemos muito rapidamente, de forma decisiva e unida”, vincou Ursula von der Leyen.

Horas depois de ter anunciado que vai propor a ativação de um mecanismo travão para suspender voos da África Austral com destino à UE, devido ao aparecimento de uma nova variante do SARS-CoV-2, a líder do executivo comunitário insistiu que “todas as viagens de avião para estes países devem ser suspensas” a partir daquela região “e de outros países afetados”, novamente sem precisar.

“Devem ser suspensas [as viagens] até termos um entendimento claro sobre o perigo que esta nova variante representa e os viajantes que regressam desta região devem respeitar regras rigorosas de quarentena”, vincou a responsável.

Afirmando ter hoje discutido esta situação “em várias chamadas telefónicas e videoconferências com cientistas e fabricantes de vacinas”, Ursula von der Leyen apontou que “também eles apoiam plenamente tais medidas de precaução para evitar a propagação internacional desta variante”.

“Também depende de todos nós, como cidadãos, contribuir para um melhor controlo da pandemia. Por favor, vacinem-se o mais depressa possível, se ainda não o tiverem feito”, apelou a responsável.

A porta-voz adjunta da Comissão Europeia, Dana Spinant, indicou há algumas horas que para esta tarde está marcada uma reunião do grupo de Resposta do Conselho a situações de crise (IPCR), juntando Estados-membros, instituições europeias e especialistas, na qual se decidirá então a ativação do mecanismo de travão de emergência.

“Vamos realizar esta reunião do IPCR precisamente porque queremos ter medidas rápidas, coordenadas e consistentes em vigor para evitar que haja lacunas através das quais o vírus encontre o seu caminho para a Europa”, acrescentou Dana Spinant, durante a conferência de imprensa diária da instituição, em Bruxelas.

Certo é que o executivo comunitário está a “acompanhar de muito perto a evolução no que diz respeito a esta variante”, trabalhando nomeadamente “com a Agência Europeia para a Segurança da Aviação, que está a preparar uma recomendação aos aeroportos e companhias aéreas sobre esta matéria”, referiu.

Além disso, “o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças [ECDC, na sigla inglesa] classificou hoje de manhã esta variante como variante de interesse”, o que significa que requer monitorização, adiantou a porta-voz.

Esta nova variante do coronavírus foi detetada na África do Sul, o país africano oficialmente mais afetado pela pandemia e que está a sofrer um novo aumento de infeções, anunciaram na quinta-feira cientistas sul-africanos.

A variante identificada até ao momento como B.1.1.529 tem um número “extremamente elevado” de mutações, de acordo com aqueles cientistas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Subida de casos de COVID-19 põe em causa temporada de neve, alerta GlobalData

Um estudo recente da GlobalData estima uma redução da procura por férias de neve já em dezembro, devido ao aumento do número de casos de COVID-19 na Europa.

A GlobalData veio esta sexta-feira, 26 de novembro, alertar que o aumento recente do número de casos de COVID-19 pode poder em causa a temporada de neve na Europa e diz que as estâncias de esqui devem assistir a uma redução da procura já este mês de dezembro, de acordo com o mais recente estudo de opinião desta empresa de análise de dados.

Num comunicado enviado à imprensa esta sexta-feira, a GlobalData lembra que, nos meses de dezembro e janeiro, o mercados das viagens e turismo costuma ser positivamente afetado pela procura por destinos de neve, como aconteceu em 2019, em que a Europa assistiu a um aumento de 38,3% no total de viagens entre novembro e dezembro.

No entanto, segundo Ralph Hollister, analista de viagens e turismo da GlobalData, se no passado este aumento estava, em grande parte, associado aos destinos de neve e esqui, este ano, não se espera que este efeito se mantenha, uma vez que “a procura deverá ser afetada pelo comportamento da pandemia”.

O estudo GlobalData’s Q3 2021 Consumer Survey apurou que, entre os consumidores europeus, 25% continuam “extremamente preocupados” com a COVID-19, uma percentagem que, segundo a GlobalData, é “tão significativa” que não pode ser um bom indicador.

No comunicado divulgado, a GlobalData diz mesmo que “espera que muitos europeus parem ou cancelem seus planos de férias se virem que a transmissão do vírus está a começar a surgir novamente”.

Segundo Ralph Hollister, esta possibilidade está já a preocupar países com a França, a Suíça ou a Itália, principalmente devido ao aumento do número de casos de COVID-19 na Alemanha, que é um dos principais mercados consumidores de férias de neve na Europa.

“A situação do COVID-19 na Alemanha pode ser um fator decisivo para o sucesso da próxima temporada de esqui na Europa. A Alemanha tem mais esquiadores do que qualquer outro país da Europa, o que torna esse mercado fonte incrivelmente importante para destinos de esqui”, considera o responsável.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

AHRESP pede “apoios robustos” para compensar encerramento de discotecas em janeiro

Governo decretou o encerramento destes estabelecimentos de animação noturna entre 2 e 9 de janeiro, a chamada ‘semana de contenção’, o que deverá ter um “impacto negativo” nestas empresas, segundo a AHRESP.

O encerramento das discotecas entre 2 e 9 de janeiro, conforme anunciado pelo primeiro-ministro, António Costa, esta quinta-feira, 25 de novembro, no final do Conselho de Ministros, exige a adoção de “mecanismos robustos de apoio” a estes estabelecimentos, considera a AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal.

Num comunicado divulgado esta sexta-feira, a associação defende que os setores que representa “foram visados” pelas medidas anunciadas pelo primeiro-ministro para travar a subida do número de casos de COVID-19, com destaque para o encerramento das discotecas na semana de 2 a 9 de janeiro, apelidada de ‘semana de contenção’, que segundo a associação vai ter um “impacto negativo” nestas empresas.

“Pelo impacto negativo que estas novas restrições irão provocar, a AHRESP já propôs ao Governo a criação de mecanismos robustos de apoio e reparadores destas consequências no domínio da liquidez e dos custos salariais”, adianta a associação na informação divulgada.

Além do encerramento das discotecas entre 2 e 9 de janeiro, semana em que também o teletrabalho será obrigatório, o Governo decretou a apresentação obrigatória do certificado digital para acesso a restaurantes, assim como de teste negativo para a bares e discotecas,  bem como o uso de máscara facial em espaços fechados.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Vários países europeus suspendem voos provenientes da África Austral

A indicação de uma nova variante no continente africano fez soar todos os alarmes na Europa, com vários países a suspender os voos provenientes da África Austral.

A Comissão Europeia deverá propor esta sexta-feira, 26 de novembro, a suspensão de voos provenientes da África Austral com destino à União Europeia (UE) devido ao aparecimento de uma nova variante do SARS-CoV-2, causador da COVID-19, no continente africano, anunciou Ursula von der Leyen, numa curta publicação na rede social Twitter.

“A Comissão Europeia proporá, em estreita coordenação com os Estados-membros, ativar o travão de emergência para parar as viagens aéreas da região da África Austral devido à variante de preocupação B.1.1.529”, indicou hoje a presidente da instituição.

Este anúncio vem na sequência de uma comunicação realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), reportando a primeira mutação da nova variante da África do Sul a 11 de novembro.

Rapidamente, diversos países – Alemanha, Reino Unido, Singapura, Áustria, França, Itália, Japão, Áustria ou Israel – proibiram a entrada de voos provenientes da África do Sul, Botsuana, Essuatini (antiga Suazilândia), Lesoto, Namíbia, Zimbabué, Moçambique

Sobre estas restrições a OMS já veio considerá-las prematuras, sugerindo que se continue a implementar medidas com base no risco e na evidência científica.

Este travão de emergência, implementado na UE devido à pandemia, visa fazer face a situações preocupantes, como novas variantes, permitindo aos Estados-membros o endurecimento de medidas para travar a progressão do coronavírus SARS-CoV-2.

O anúncio feito pela presidente da Comissão Europeia surge um dia após a instituição ter proposto uma atualização das recomendações sobre viagens de cidadãos de países terceiros para a UE, para dar prioridade aos viajantes vacinados contra a COVID-19.

Também na quinta-feira, 25 de novembro, o executivo comunitário propôs um reforço da coordenação sobre viagens dentro da UE devido ao aumento de casos de covid-19 um pouco por toda a Europa, sugerindo que vacinados não sejam submetidos a restrições adicionais e que não vacinados sejam mais controlados.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal pode contar com o Brasil para aumentar fluxo de turistas, diz ministro do Turismo

O ministro brasileiro do Turismo, Gilson Machado, apontou que Portugal pode contar com o Brasil para restabelecer e aumentar o fluxo bilateral de visitantes.

Portugal pode contar com o Brasil para restabelecer e aumentar o fluxo bilateral de visitantes brasileiros e portugueses, assegurou o ministro do Turismo, Gilson Machado, que participou via videoconferência, na abertura do II Fórum Luso-Brasileiro de Turismo e Negócios.  

O evento online reuniu académicos, profissionais e  gestores do turismo para trocar experiências com vistas à recuperação sustentável do setor. 

O ministro brasileiro do Turismo destacou que “como Portugal é um dos países historicamente mais parceiros do Brasil, as viagens internacionais ao Brasil devem começar devido à retoma dos voos de Portugal” 

Citado pela imprensa brasileira, Gilson Machado lembrou, por outro lado que “Portugal sempre teve a maior conetividade do Brasil com a Europa. Então, o potencial para alavancar esse fluxo é imenso, justificando que “recebíamos cerca de 176 mil portugueses por ano no país e quase 94% tinham interesse em voltar, principalmente para destinos de sol e praia”. 

O ministro do Turismo também apontou a recuperação do turismo no Brasil a partir de ações adotadas pelo governo federal com vista a combater a pandemia, que passam, nomeadamente, pela disponibilidade de crédito através do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) para os setores de hotelaria e eventos que contabilizaram as maiores perdas, a criação do Selo Turismo Responsável – que indica o cumprimento de medidas de prevenção à Covid no setor – e autorização ao regresso dos cruzeiros. 

Em recente entrevista a uma estação de rádio brasileira, o governante anunciou que estão em construção no país 147 novos hotéis de grandes dimensões, totalizando 6 mil milhões de reais em investimentos. “Isto é uma prova de que os investidores nacionais e internacionais estão confiantes na retoma do turismo no Brasil”, apontou. 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Bruxelas quer reforçar coordenação para viagens na UE

Com grandes discrepâncias nas taxas de vacinação (24,7% na Bulgária e 81,5% em Portugal), a Comissão Europeia quer vacinados sem restrições e não vacinados testados em viagens na UE.

Publituris

A Comissão Europeia propôs esta quinta-feira, 25 de novembro, um reforço da coordenação sobre viagens na União Europeia (UE) devido ao aumento de casos do coronavírus, sugerindo que vacinados não sejam submetidos a restrições adicionais e que não vacinados sejam mais testados.

Em causa está uma recomendação para uma maior “coordenação para facilitar a livre circulação segura durante a pandemia”, sugerindo o executivo comunitário ao Conselho uma “abordagem baseada na pessoa”, para que quem tenha “um Certificado Covid-19 Digital da UE válido não seja, por princípio, sujeito a restrições adicionais, tais como testes ou quarentena, independentemente do seu local de partida” na União.

Por outro lado, “as pessoas sem um Certificado Covid-19 Digital da UE podem ser obrigadas a submeter-se a um teste realizado antes ou depois da chegada”, propõe a instituição aos Estados-membros, aos quais cabe a decisão final sobre viagens.

Esta abordagem é baseada no certificado digital da UE, comprovativo da testagem (negativa), vacinação ou recuperação do vírus SARS-CoV-2, que entrou em vigor na União no início de julho. Até agora, foram emitidos mais de 650 milhões de certificados que são reconhecidos em 41 países, segundo dados de Bruxelas.

Numa altura em que a situação epidemiológica da COVID-19 na UE é considerada pelos especialistas como de risco muito elevado devido à baixa taxa geral de vacinação e à rápida propagação da variante Delta do SARS-CoV-2, Bruxelas propõe também um período padrão de aceitação dos certificados de vacinação de nove meses desde a série de vacinação primária.

“O período de nove meses tem em conta as orientações do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças [ECDC] sobre a administração de doses de reforço a partir dos seis meses e prevê um período adicional de três meses para assegurar que as campanhas nacionais de vacinação possam ser ajustadas e que os cidadãos possam ter acesso às doses de reforço”, justifica a Comissão Europeia.

No âmbito destas orientações, que Bruxelas quer ver em vigor a 10 de janeiro de 2022, a instituição propõe ainda que as isenções de quarentena apenas sejam aplicadas a crianças menores de 12 anos e a viajantes essenciais (como trabalhadores).

Além disso, o executivo comunitário pretende introduzir alterações nos mapas que servem de apoio às decisões nacionais sobre viagens na UE, que são atualizados semanalmente pelo ECDC, às quintas-feiras, com um sistema de semáforos (variando entre o verde e o vermelho-escuro).

Estes mapas incluem as taxas de notificação de casos de COVID-19 nos últimos 14 dias, o número de testes realizados e o total de positivos, mas Bruxelas quer aqui incluir as taxas de vacinação.

Dados do ECDC revelam que, até ao momento, 65,8% da população da UE está totalmente vacinada, enquanto 70,1% tomou apenas a primeira dose.

Por países, existem grandes discrepâncias nas taxas, entre os 24,7% de vacinação total na Bulgária e 81,5% em Portugal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Nova Zelândia reabre para turistas vacinados em abril mas exige quarentena

Reabertura de fronteiras para estrangeiros completamente vacinados contra a COVID-19 acontece a 30 de abril de 2022, mas implica uma quarentena de sete dias.

Publituris

A Nova Zelândia vai voltar a permitir a entrada de turistas internacionais que já estejam completamente vacinados contra a COVID-19 a partir de 30 de abril de 2022, mas exige um  período de quarentena de sete dias à chegada, avança a imprensa internacional.

“Os neozelandeses totalmente vacinados vão ter mais facilidade para regressar a casa a partir de janeiro de 2022 e os estrangeiros a partir de abril, pois o governo vai remover a exigência de isolamento e quarentena controlada para a maioria dos viajantes”, afirmou fonte do governo da Nova Zelândia, citada pelo jornal britânico Travel Weekly.

De acordo com a informação avançada, o governo neozelandês está a preparar um plano em três fases para a reabertura do país e que vai reduzir as restrições impostas na sequência da pandemia e que levaram a que, desde o início da COVID-19, apenas seja permitida a entrada de cidadãos neozelandeses e em situações excecionais.

Apesar da anunciada reabertura, os visitantes internacionais têm de cumprir alguns procedimentos, a exemplo da apresentação de um teste negativo para a COVID-19 realizado antes da partida, do certificado que comprove a vacinação completa e de uma declaração passada pelo passageiro com o histórico das suas últimas viagens.

Além destes requisitos, os estrangeiros devem ainda realizar um teste à COVID-19 no primeiro dia depois da chegada à Nova Zelândia, cumprir um período de auto-isolamento de sete dias e realizar um novo teste antes de poderem circular livremente no país.

“Estamos a fazer este anúncio já para dar às famílias, empresas, visitantes, companhias aéreas e aeroportuárias maior certeza e mais tempo para se prepararem. É muito encorajador que, como país, estejamos agora em posição de avançar na direção de uma maior normalidade ”, indicou o governo da Nova Zelândia.

Apesar da decisão, as autoridades neozelandesas alertam que vão continuar a monitorizar a situação e que os procedimentos poderão ser revistos a qualquer momento, em função do risco epidemiológico.

Em dezembro, espera-se que o governo da Nova Zelândia revele mais pormenores sobre o plano de reabertura do país, incluindo indicações sobre como se devem os estrangeiros deslocar entre o aeroporto e o local onde vão realizar a quarentena de sete dias e informação sobre os locais que vão ser disponibilizados para essa quarentena.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Conhecimento e inovação na promoção marcam 1.º VisitAzores Tourism Forum

Iniciativa é promovida pela Associação Turismo dos Açores (ATA) e vai ter lugar na próxima semana, entre 29 e 30 de novembro, em Ponta Delgada, São Miguel.

Publituris

A Associação Turismo dos Açores (ATA) vai promover, entre 29 e 30 de novembro, o primeiro VisitAzores Tourism Forum, iniciativa que terá lugar no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, São Miguel, e que vai debater o “conhecimento e a inovação na promoção do destino Açores”.

“Dirigido aos parceiros da atividade turística nos Açores, mas também aos parceiros nacionais, o Visitazores Tourism Forum constituirá um momento de partilha de conhecimento do que foi feito em 2021, a nível de promoção do arquipélago, ao mesmo tempo que apontará caminhos para o futuro, a curto e médio prazo”, revela a ATA, explicando que a iniciativa vai juntar especialistas em Marketing e Turismo, nacionais e internacionais.

Promovido com o objetivo de “estimular o desenvolvimento e inovação na promoção do território, dando a conhecer aos responsáveis do setor da região alguns casos de estudo de sucesso internacionais”, o VisitAzores Tourism Forum vai decorrer ao longo de dois dias, o primeiro dos quais dedicado a um conferência, enquanto o segundo dia fica marcado por quatro Master Classes apenas para associados da ATA e com a participação de oradores do primeiro dia e de dirigentes da ATA – Associação Turismo dos Açores.

“É com orgulho que promovemos a primeira edição do VisitAzores Tourism Forum. Com recurso a casos de estudo internacionais, serão desenvolvidos temas como o place branding, a inovação e a transição digital. Com esses exemplos, com as experiências que vão ser partilhadas, mas também com as reflexões que vão ser promovidas, estamos certos de que todas as entidades e agentes do setor do turismo vão sair do fórum com inúmeras fontes de inspiração. Esperamos mesmo que o evento marque uma nova etapa na promoção da região”, refere Luís Botelho, diretor executivo da ATA.

“O Place Branding e a sua Aplicação; Costa Rica, Um Caso Mundial”; “Marca: Notoriedade e Estímulo da Procura Turística”; “Açores, Presente e Futuro”; “A Digitalização Enquanto Fator de Sucesso”; “Data Plan, o Futuro na Comunicação dos Destinos”; “Smart Destinations – Mobilidade e Sustentabilidade” e “Visão Estratégica na Transição Digital” são os temas que vão ser debatidos no primeiro dia do evento, que será encerrado pelo presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro.

O programa completo do evento pode ser consultado no site do VisitAzores Tourism Forum.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Madeira continua aberta ao turismo e garante todas as condições de segurança

Apesar do Estado de Contingência, a região mantém-se aberta ao turismo e a atividade económica mantém o seu “normal funcionamento”, segundo a Associação de Promoção da Madeira (APM).

Publituris

A Associação de Promoção da Madeira (APM) veio esta quinta-feira, 25 de novembro, esclarecer que, apesar do Estado de Contingência, a região mantém-se aberta ao turismo e a atividade económica mantém o seu “normal funcionamento”, apesar de alguns procedimentos que visam assegurar a segurança do destino.

“A Madeira continua assim aberta ao turismo garantindo todas as condições de segurança”, lê-se num comunicado enviado à imprensa, no qual a associação explica que as “regras de proteção relativas à COVID-19, mantêm-se na generalidade, tendo havido um reforço à testagem da população e dos seus visitantes”.

Segundo a APM, “para eventos e atividades específicos existem algumas recomendações”, que podem ser consultadas através do site Informações COVID 19 (visitmadeira.pt), e, em algumas situações, “poderá ser necessário, além do certificado de vacinação, um teste antigénio negativo”.

A associação lembra ainda que, em toda a região, “existem vários postos de testagem gratuitos disponíveis”, que podem ser consultados através do link Lista dos 45 postos de colheita.

A APM destaca que “o Governo da Madeira tem sido exemplar no combate à pandemia COVID-19 com a implementação atempada de medidas preventivas que garantiram ao destino distinções internacionais”, a exemplo dos prémios de destino mais seguro da Europa para visitar em 2021, da ‘European Best Destinations’, mas também de “Melhor Destino Insular da Europa” na 28.ª edição dos “World Travel Awards”.

“A ilha e os seus habitantes, souberam reagir atempadamente e de forma segura, implementando medidas eficientes que permitiram controlar a pandemia e permitir um fluxo, mais ou menos contínuo, de visitantes que desfrutaram da sua estadia com confiança de estarem em segurança”, considera a associação.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.