Mercado português com potencial de crescimento para África do Sul

Por a 20 de Novembro de 2015 as 12:18

Min_Hanekom South AfricaPortugal é o sexto maior mercado emissor de turistas da Europa para África do Sul. Em 2014, foram 61 mil os portugueses que visitam o destino, 44 mil utilizando transporte aéreo e 17 mil por terra, vindos, provavelmente, de destinos como Moçambique, que conta com voos directos de Portugal.

Derek Hanekom, ministro do Turismo de África do Sul, à margem de um encontro com representantes da indústria do turismo português, nomeadamente, operadores turísticos e agentes de viagens, realçou que “vemos potencial de crescimento” no número de turistas portugueses para o destino, auxiliado pela retoma da economia portuguesa.

“A economia portuguesa vai recuperar, o que significa que vai existir mais gente a viajar e a África do Sul tem ligações históricas muito fortes com Portugal, temos uma significante população portuguesa no país. Acreditamos que é um destino turístico natural para os portugueses”, refere.

Outro factor favorável é que “temos fronteira com dois países de língua portuguesa – Moçambique e Angola. O primeiro que tem um costa absolutamente magnífica, ideal para férias de praia. Pensamos que a combinação de férias entre ambos os países pode ser muito apelativa para o turista português, que pode passar alguns dias na costa de Moçambique e alguns dias na África do Sul, o que faz um bom pacote”. O mesmo acontece com Angola, mas já mais direcionado para o turismo de negócios, pois Luanda fica a quatro horas de voo de Joanesburgo.

O objectivo, explica o ministro do Turismo, é “intensificar as acções de marketing em Portugal. (…) Devido aos números de turistas e do que vimos do potencial de crescimento, pensamos que vale a pena investir mais recursos na nossa promoção em Portugal”.

É neste sentido que surge este encontro com os trade português, de forma a debaterem as estratégias de promoção do destino, “como podemos fazê-lo melhor”.   O responsável indica que o governo sul-africano está disponível para apoiar ‘famtrips’, roadshows, “que consideramos que são muito efectivos”. “Queremos que os operadores turísticos e os agentes de viagens se sintam motivados para vender África do Sul, porque eles vendem pacotes de férias e têm mais contacto com os clientes”, realça.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *