Assine já
Destinos

Residentes viajam mais

Turismo cresceu ligeiramente no quarto trimestre de 2014.

Patricia Afonso
Destinos

Residentes viajam mais

Turismo cresceu ligeiramente no quarto trimestre de 2014.

Patricia Afonso
Sobre o autor
Patricia Afonso
Artigos relacionados
INE: Viagens dos residentes aumentam mas têm menor duração
Destinos
Viagens turísticas dos residentes em Portugal aumentam 5% em 2017
Sem categoria
Viagens para fora caem 89,5%, cá dentro descem 53,3% no 1.º trimestre
Sem categoria
Free Stock photos by Vecteezy
Hotelaria mantém crescimento excepto nas dormidas de residentes
Destinos

ViagensOs residentes em Portugal realizaram mais viagens turísticas no último trimestre de 2014, com o INE a registar um aumento de 1,7% face ao mesmo período do ano anterior, para as quatro milhões de viagens.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, para o crescimento contribuíram, essencialmente, as viagens de curta duração, que aumentaram 2,2%; sendo ainda de destacar o incremento de 11,5% no número de deslocações para o estrangeiro.

No que respeita às motivações, a ‘visita a familiares ou amigos’ foi o mais expressivo, representando 55,4% do total, o que significa, contudo, uma diminuição de 4,8%. Já o ‘lazer, recreio ou férias’ registou uma subida de 6%, para as 1,1 milhões de viagens.

As dormidas em ‘hotéis e similares’ aumentaram, nomeadamente, nas viagens de ‘lazer, recreio ou férias’, com 27,4% do total (face aos 22,2% no mesmo trimestre de 2013) e nas ‘profissionais ou de negócios’, com 58,8% (33,6% em 2013), por oposição à redução, principalmente, do ‘alojamento particular gratuito’.

Ainda de acordo com os números revelados esta quinta-feira, dos residentes em Portugal, 14,5% efetuaram pelo menos uma deslocação turística, igual ao quarto trimestre de 2014.

As deslocações concentraram-se, “como é tradicional”, no mês de Dezembro, quando viajaram 13,7% dos residentes (+1,3 p.p.), enquanto Outubro e Novembro verificaram proporções de 6,4% e 7,0%, respectivamente (contra os 6,6% em ambos os meses de 2013).

Sobre o autorPatricia Afonso

Patricia Afonso

Mais artigos
Artigos relacionados

Picos de Aventura

Somos o parceiro ideal para os eventos da sua empresa.

Distinguimo-nos por realizar atividades marítimas e terrestres com pequenos grupos de visitantes, de forma a fornecer serviços mais versáteis e personalizados e a possibilitar a criação de itinerários tailor made, sem prejudicar os locais onde estas atividades decorrem. A sustentabilidade da Região dos Açores está integrada na nossa operação, na medida em que temos assumimos o compromisso em encontrar o equilíbrio entre o que fazemos e o que preservamos.

As nossas atividades são sempre realizadas com a máxima responsabilidade, respeito e consideração pela mãe Natureza e tudo o que representa. Este compromisso estende-se a vários projetos científicos, sociais e culturais em que estamos envolvidos como as Biotalks e a Picoslogia, que nos permitem dar o nosso contributo e apelar à sociedade para a importância da preservação e conservação do meio ambiente.

  • Baleias, golfinhos, mar e aventura!

À procura de algo único para fazer durante as suas férias? Nos Açores temos a oportunidade de observar cerca de 27 espécies de cetáceos ao longo do ano, sempre na companhia de uma equipa profissional de skippers, biólogos e vigias. Antes de sair para o mar é realizado um briefing sobre cetáceos, métodos de avistamento, regras de segurança e o código de ética da Observação de Cetáceos nos Açores. A Picos de Aventura tem uma taxa de sucesso de avistamentos por saída de 99%.

  • O que esconde o mar dos Açores?

Nos Açores terá a oportunidade de participar em uma das mais únicas atividades aquáticas – nadar com golfinhos em alto mar. Em perfeita simbiose com o seu comportamento natural e com o meio que nos rodeia. Prepare-se para ficar impressionado com o profundo mar azul, com a curiosidade dos golfinhos e com as águas cristalinas que rodeiam a nossa ilha. Numa interação de pleno respeito para com os animais, esta atividade desenvolvida pela Picos de Aventura procura sempre o perfeito equilíbrio entre uma experiência inesquecível e a preservação dos recursos naturais dos Açores.

  • Canyoning: uma aventura inesquecível!

Pelas suas características vulcânicas, os Açores são um dos melhores destinos para a prática desta emocionante atividade de montanha. O Canyoning consiste na descida de cursos de água de forma aventureira com contato emocionante e muito íntimo com a natureza da ilha. O interior da ilha de São Miguel esconde cascatas e ribeiras que pode explorar de forma ativa: caminhe dentro de água, salte para piscinas de águas translúcidas e escorregue entre rochas moldadas pelo caudal da ribeira. Mas com certeza, a maior atração vai para o uso de várias técnicas de corda para desafiar as cascatas que jorram do alto. São estes os ingredientes para momentos de adrenalina e diversão, num autêntico parque aquático.

Contactos e mais informações:

[email protected]

+351 296 283 288

São Miguel: Marina Pêro de Teive, Avenida João Bosco Mota Amaral 9500-771 Ponta Delgada.

Terceira: Picos de Aventura, Pátio da Alfândega, 9700-178 Angra do Heroísmo.

Sobre o autorMargarida Magalhães

Margarida Magalhães

Mais artigos
Destinos

Palmela e município italiano de Tollo unidos na promoção turística

Depois de protocolos de cooperação na área da promoção turística com os municípios de Guimarães e Silves, agora é a vez de Palmela assinar o mesmo tipo de protocola com o município italiano de Tollo.

Palmela e o município italiano de Tollo assinaram um Protocolo de Cooperação para a realização de ações conjuntas com vista ao desenvolvimento e promoção turística dos dois territórios. O protocolo foi assinado pelo presidente do Município de Palmela, Álvaro Balseiro Amaro, e pelo presidente do Município de Tollo e da Associação de Municípios Italianos do Vinho/Città del Vino, Angelo Radica, em Priocca, Itália, durante a reunião do Conselho de Administração da Recevin – Rede Europeia das Cidades do Vinho.

Através desta parceria, os dois municípios vão trocar conhecimento e experiências no âmbito do “Turismo, Cultura, Desporto, Património, Gastronomia, Agricultura e Vinhos; incentivar a cooperação entre os respetivos agentes culturais e turísticos, com vista a criar uma rede de parceiros; contribuir para a notoriedade dos produtos enoturísticos de ambos os territórios, através da realização de ações de marketing; criar roteiros turísticos e programas/intercâmbios culturais e desportivos; propor projetos conjuntos candidatáveis a fontes de financiamento que permitam melhorar a atratividade e permanência de turistas; bem como promover a cooperação transnacional entre empresas nos campos da inovação e competitividade, da eficiência de recursos, do reforço da resiliência do território aos riscos naturais, climáticos e humanos, da biodiversidade e do património natural e cultural”, refere a Câmara Municipal de Palmela em comunicado.

Prevista está, também, a presença de Tollo no Fórum Turismo Palmela, entre outros eventos.

O protocolo tem a duração de três anos e é automaticamente renovável por períodos iguais, possuindo o município de Palmela, igualmente, protocolos de cooperação na área da promoção turística com os municípios de Guimarães e Silves.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Air Europa voa para 35 destinos europeus e 20 na América já neste verão

Atenas e Alghero passarão a ter dois voos semanais da Air Europa a partir do hub de Madrid. para o continente americano, a companhia volta a voar para os mesmos 23 destinos que possui em 2019.

A Air Europa acaba de ampliar os seus destinos europeus em temporada alta com novas rotas para Atenas e Alghero, voos que operarão a partir do hub de Madrid, com duas frequências semanais para ambas as cidades.

A rota para Atenas iniciar-se-á em junho, operada com aeronaves Boeing 787 Dreamliner, e estará disponível até final de setembro, com voos à quarta-feira e ao domingo.

Um mês depois, em julho, a Air Europa inaugurará a rota para Alghero, na ilha da Sardenha, para onde voará também duas vezes por semana, à quinta-feira e ao sábado. Aberta até princípios de setembro, a rota ligará Madrid com esta cidade do noroeste da Sardenha com mais de 30 voos.

Com Atenas e Alghero, a Air Europa amplia durante o verão a sua presença na Europa e reforça a expansão anunciada e iniciada pela companhia aérea no passado mês de abril.

Ao longo dos próximos meses, a Air Europa informa que incrementará a sua oferta com a incorporação de onze novos aviões, cinco deles Boeing 787 Dreamliner e seis Boeing 737, através dos quais avança no seu processo de unificação da frota que permite aumentar o número de lugares por avião, otimizar o número de voos e incrementar a oferta tanto em turística como em classe executiva.

No final do ano, a frota de longo curso voltará a ser a mesma que em 2019 e a Air Europa voará já para os seus 23 destinos no continente americano.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Projeto PISTA promove ação de sensibilização no Alentejo

O projeto PISTA pretende ser um centro de informação de excelência que inspire os agentes turísticos a transformar o destino Alentejo e Lezíria do Tejo num território mais sustentável e de referência internacional.

No âmbito das atividades desenvolvidas pelo ASTO – Observatório de Turismo Sustentável do Alentejo, o Projeto PISTA – Partilha de Informação sobre Sustentabilidade do Turismo no Alentejo irá promover a ação de sensibilização ‘Protótipo Plataforma Pista Digital – Sistema Inteligente do Turismo Sustentável do Alentejo e Ribatejo, no próximo dia 25 de maio de 2022, no Centro UNESCO, em Beja.

A Plataforma Pista Digital pretende proporcionar aos agentes turísticos uma ferramenta tecnológica de monitorização de indicadores de Turismo Sustentável, que contribua para o seu envolvimento na avaliação dos riscos, custos, impactos e limites da sua atividade no destino. Para além deste aspeto, pretende também facilitar a identificação de oportunidades de inovação nas suas organizações e auxiliar na identificação de melhores soluções para a utilização de recursos, no âmbito dos princípios gerais do desenvolvimento turístico sustentável.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Turismo

Portugal Ventures anuncia novo investimento até 1 milhão de euros para projetos no turismo

A 5.ª edição do “Call Turismo” disponibiliza entre 200 mil e 1 milhão de euros em projetos que contribuam para a inovação, sustentabilidade e eficiência deste setor.

A Portugal Ventures, sob alçada do Banco de Fomento (Bdf), lançou esta segunda-feira, 23 de maio, a 5.ª edição da “Call Turismo”, em parceria com o Turismo de Portugal e o Nest – Centro de Inovação para o Turismo, para investir entre 200 mil e 1 milhão de euros em projetos que contribuam para a inovação, sustentabilidade e eficiência do setor do turismo.

Elegíveis para esta edição da Portugal Ventures são empresas constituídas ou a constituir com projetos não tecnológicos, que apresentem conceitos diferenciadores para a oferta turística do país, que contribuam para o enriquecimento da experiência do turista e o reforço da competitividade de Portugal como destino turístico. Também os projetos tecnológicos, que apresentem soluções que permitam melhorar a eficiência das empresas do setor do turismo e da sua oferta de produtos e serviços são elegíveis.

À semelhança da edição anterior, serão privilegiados os projetos que contribuam para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), apresentando soluções que promovam a desmaterialização de processos e serviços, reciclagem, reutilização e redução de resíduos, integração de energias limpas, eficiência energética, eficiência hídrica e mobilidade inteligente.

Neste sentido, a Portugal Ventures anuncia um investimento na MTI – Managing the Intelligence, empresa tecnológica cuja solução é direcionada para as unidades de alojamento turístico, e que tem como missão apoiar as empresas deste setor a implementar as boas práticas de sustentabilidade e eficiência energética.

A equipa composta por Miguel Silva e Sofia Romão, criou uma solução tecnológica de eficiência energética – a MTI Smart Room, que funciona com qualquer sistema e marca de ar condicionado, para aumentar o conforto térmico dos hóspedes e reduzir o custo com a fatura da eletricidade, tornando as unidades de alojamento turísticas mais sustentáveis e cumpridoras dos critérios de ESG (Environmental, social and corporate governance).

A MTI Smart Room, composta por hardware e software, é fácil de instalar, não obriga a obras adicionais, nem ao encerramento das unidades hoteleiras. Integra com os sistemas dos hotéis, permitindo, por exemplo, o controle de equipamentos de acordo com o check-in e check-out dos hóspedes, evitando, assim, desperdícios de energia.

Sedeada em Faro, a MTI – Managing the Intelligence, conta já com a sua solução instalada em mais de 400 quartos em Portugal, perspetivando, para o final de 2022, preparar o seu processo de internacionalização para a Europa.

Para Pedro de Mello Breyner, Vogal Executivo do Conselho de Administração da Portugal Ventures, responsável pela Unidade de Negócio de Turismo, “este investimento tem como objetivo apoiar o crescimento da oferta de produtos e serviços que transformem o setor turístico num setor cada vez mais responsável em termos de sustentabilidade, eficiência energética e pegada ecológica. Acreditamos que ao investir neste tipo de soluções tecnológicas, estaremos a trabalhar para tornar Portugal num destino cada vez mais sustentável e alinhado com a Estratégia do Turismo 2027”.

Já Sofia Romão, CFO da MTI, refere que “a ronda de investimento fechada com a Portugal Ventures é o reconhecimento do esforço e da paixão de toda a equipa e do potencial inovador e disruptivo da solução MTI Smart Room”.

A responsável salienta ainda que “a parceria com a Portugal Ventures irá proporcionar à MTI aceder às melhores práticas corporativas, a uma rede e comunidade de empreendedorismo e inovação de excelência, fazendo com que o caminho para o sucesso seja mais rápido e com maior impacto.”

Este investimento resulta da 4.ª edição da Call Turismo, lançada no final de 2021, com o objetivo de reativar e incentivar a recuperação do setor. Desde a 1.ª edição da Call Turismo, a Portugal Ventures já recebeu mais de 240 candidaturas, com um montante total solicitado para investimento de 150 milhões de euros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Tailândia simplifica regras de registo do Thailand Pass a partir de 01 de junho

A partir de 01 de junho vai ser mais fácil o registo do Thailand Pass, na sequência da aprovação, pelo Centro de Administração da Situação da Covid-19 da Tailândia (CCSA), de novas regras mais simplificadas.

Os viajantes estrangeiros continuam a ter de solicitar um Thailand Pass (https://tp.consular.go.th/), no qual já só terão de incluir os detalhes do passaporte, vacinação, e uma apólice de seguro de saúde de pelo menos 10.000 dólares.

No entanto, para viajantes não vacinados ou não totalmente vacinados, será necessário apresentar um resultado negativo de teste RT-PCR ou teste ATK realizado por profissionais, 72 horas antes de viajar.

O CCSA definiu ainda três zonas codificadas por cores para um melhor controlo da Covid-19 a nível nacional: Áreas Piloto Turísticas ou zonas azuis, a Zona de Vigilância ou zona verde, e as Áreas sob Vigilância Rigorosa ou zona amarela.

Assim, os locais de entretenimento noturno; tais como pubs, bares e salas de karaoke nas zonas verde e azul, poderão retomar o seu funcionamento, assim como a venda e consumo de bebidas alcoólicas nas instalações até às 24.00 horas.

A CCSA levantou também a exigência de quarentena para contactos de alto risco.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Casa das Pipas renova-se

A Casa das Pipas, unidade de enoturismo situada em Celeirós do Douro, concelho de Sabrosa, no coração do Douro Património Mundial da Humanidade, apresenta-se renovada com melhorias nos seus quartos e áreas comuns.

Integrada na Quinta do Portal, os seus 12 quartos, de matriz clássica e senhorial, apresentam-se agora decorados “com cores mais quentes, materiais naturais e texturas inspiradas na envolvente ao edificado, onde predominam hectares e hectares de vinhedos”, revelam as responsáveis da Lencastre Interior Design, empresa responsável pelo projeto.

No que respeita ao mobiliário, ele foi reutilizado, mantendo toda a traça decorativa, mas conferindo-lhe alguma contemporaneidade, indo ao encontro dos padrões de novos públicos que começam a encontrar no enoturismo a opção ideal para uma experiência diferente.

Numa altura em que a atividade turística dá sinais de retoma e em que a aposta no enoturismo e turismo gastronómico ganha cada vez mais adeptos, a Quinta do Portal mostra-se “confiante de que o Douro, e a Casa das Pipas em particular, têm todas as condições para cativar o perfil de viajantes saídos deste período de pandemia, que vão optar por locais recatados, cheios de história, e que permitam experiências inesquecíveis”, sustentam os responsáveis da administração da empresa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Portugal acompanha tendência mundial de recuperação da indústria de cruzeiros, diz CLIA 

Segundo a Associação Internacional de Companhias de Cruzeiros (CLIA), Portugal está no caminho da recuperação, antevendo-se que, em 2022, Lisboa possa receber 320 navios contra os 310 de 2019.

Portugal está “a acompanhar a tendência mundial de recuperação da indústria” de cruzeiros, devendo Lisboa receber 450 mil passageiros e 320 navios este ano, acima dos 310 de 2019, segundo a Associação Internacional de Companhias de Cruzeiros (CLIA).

“As projeções para este ano são muito boas. A nível global e, também, na Europa, esperamos que todos os nossos navios voltem a operar a 100% até ao final do verão”, afirmou a diretora-geral da CLIA para a Europa, Marie-Caroline Laurent, em entrevista à agência Lusa.

Admitindo que “o número de passageiros é que ainda é um ponto de interrogação”, a responsável referiu que, “olhando para as reservas já feitas para o verão, as perspetivas são muito boas”: “Assim, a meta é voltar aos números de 2019 até ao final do ano, tanto em termos de navios em operação, quanto de passageiros”, apontando as previsões para entre 23,1 e 29,8 milhões de passageiros a nível global.

Segundo a diretora-geral da CLIA (do inglês ‘Cruise Lines International Association’), esta tendência estende-se a Portugal, prevendo-se que o porto de Lisboa supere este ano as 310 escalas de navios registadas em 2019, antes da pandemia, recebendo 320 cruzeiros.

Já o número de passageiros deverá ficar ainda aquém de 2019 (cerca de 450 mil, contra os mais de 500 mil pré-pandemia), assistindo-se a um alargamento da temporada turística ao longo de mais meses, com o consequente impacto positivo nas comunidades locais, e a uma crescente procura por parte de portugueses.

“Vemos cada vez mais portugueses interessados em fazer cruzeiros e é por isso que há uma aposta no desenvolvimento do porto de Lisboa, no sentido de dar mais possibilidades de os portugueses embarcarem e fazerem um cruzeiro Lisboa-Lisboa. Este ainda é um mercado em crescimento e vemos, todos os anos, a adesão de mais e mais passageiros portugueses”, notou.

De acordo com Marie-Caroline Laurent, esta preferência por viagens mais curtas tornou-se mais evidente com a pandemia e é uma tendência global: “Os passageiros, principalmente com a covid, gostam de viajar localmente, para não ir muito longe. Fazendo um cruzeiro, podem embarcar em Lisboa, fazer um passeio pelo Mediterrâneo, por exemplo, onde conhecem vários países, e regressar novamente a Lisboa. Portanto, [este produto] tem correspondido a uma nova procura”, explicou.

Outra das tendências evidenciadas com a pandemia e que a CLIA quer continuar a explorar é a atração de um novo perfil de clientes, mais jovens, para o turismo de cruzeiros. Atualmente, a idade média do passageiro de cruzeiros é de 47,7 anos.

Após os “dois anos terríveis” vividos pelo setor devido à pandemia, a diretora-geral da CLIA destaca a “solidez da indústria” de cruzeiros, cujas empresas “continuaram a investir”, nomeadamente em navios novos e em tecnologias menos poluentes.

“Durante a pandemia os nossos membros não pararam o investimento. Há novos navios prontos e a ser entregues”, salientou Marie-Caroline Laurent, avançando que, nos próximos cinco anos, os membros da associação vão investir 23.000 milhões de euros em novos navios, sendo todos eles “construídos na Europa”.

“E isso é um aspeto também importante, porque comparando com a indústria de navios de carga, onde todos os novos navios são construídos na Ásia, todos os navios de cruzeiro são construídos na Europa – Itália, França, Finlândia, Noruega, Alemanha – pelo que é uma indústria realmente europeia”, sublinhou.

Outra das prioridades do setor é a aposta na sustentabilidade e na descarbonização, sendo que, no âmbito do compromisso ‘Global Net-Zero’, as companhias de cruzeiro se comprometeram a atingir zero emissões de gases de efeito de estufa até 2050.

“O primeiro foco é na propulsão dos navios. Os nossos membros têm feito investimentos significativos em novos navios de GNL [gás natural liquefeito], que emitem 20% menos CO2 [dióxido de carbono] e em que todos os diferentes tipos de emissões são reduzidos. Já temos três ou quatro navios em operação e esperamos mais 23 nos próximos cinco anos”, disse Marie-Caroline Laurent.

Paralelamente, os navios mais antigos estão a ser adaptados: “Um dos nossos membros adaptou algumas baterias num dos navios, para garantir que, quando chega ao porto, ele pode funcionar com a bateria e eliminar as emissões”, avançou, como exemplo.

A este facto acresce a “frota muito jovem” do setor, cuja idade média é de 14 anos, e ainda os investimentos ao nível da eletrificação em curso em vários portos, com vista a “eliminar todas as emissões nos portos” de escala na Europa até 2030.

“O objetivo é que, quando os navios estiverem nos portos, não haja impacto na população local, não haja emissões, para que possamos, realmente, fazer parte do desenvolvimento sustentável das cidades e dos portos que visitamos”, enfatizou a diretora-geral da CLIA.

No caso do porto de Lisboa, disse, “a primeira fase do investimento na eletrificação será por volta de 2024/2025”, sendo o objetivo poder “conectar os navios, provavelmente, em 2028”.

“A mensagem principal é que podemos ser uma forma de turismo totalmente sustentável. Estamos a investir em novos navios, mas também estamos comprometidos em conectar-nos à eletricidade nos portos. Isso permite-nos não ter impacto nas comunidades locais, algo que é sempre uma preocupação com os grandes cruzeiros”, salientou.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Consolidador.com entra no Metaverso

O Consolidadro.com entrou no mundo virtual com a compra de um espaço no Metaverso com o objetivo de preparar o futuro das viagens para os seus clientes.

O Consolidador.com comprou um espaço no Metaverso com o objetivo de preparar o futuro das viagens para os seus clientes. Na decisão de escolha da área foi considerada a autossustentabilidade futura do próprio Metaverso, assim como da interoperabilidade entre os demais ecossistemas, para onde os clientes do Consolidador.com e os clientes dos seus clientes possam viajar no futuro.

Miguel Quintas, fundador e CEO do Consolidador.com refere que “a empresa tem que se preparar para a próxima década, onde a realidade que hoje conhecemos não será seguramente a mesma. Temos que estar presentes num espaço onde os nossos filhos se movimentarão e viverão parte das suas vidas. O Consolidador.com, dentro da sua dimensão, quer e deve ajudar a construir esse futuro”.

Com este investimento em terreno comprado em NFT e suportado em tecnologia Blockchain, o Consolidador.com será “uma das primeiras entidades de distribuição de turismo em Portugal a estar presente no Metaverso”, com o objetivo de melhorar a experiência virtual e omnichannel dos seus próprios clientes.

Pelo seu lado, o Consolidador.com sublinha que estará sempre atento a projetos sustentáveis e a desenvolvimentos com potencial de crescimento futuro, em particular cujas ideias sejam disruptivas pois é este o pensamento que o CEO “deseja ver na empresa e que nos últimos dois anos nos levou a ser considerados o melhor Consolidador do mundo, nos World Travel Awards”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Portos da Madeira ultrapassam escalas de cruzeiros de 2019 em abril

Em abril, os portos da Madeira contabilizaram um total de 62 escalas de navios de cruzeiro, o que indica mais 16 escalas que em igual mês de 2019.

No passado mês de abril, os portos da Madeira contabilizaram um total de 62 escalas de navios de cruzeiro, o que indica mais 16 escalas que em igual mês de 2019, quando os portos madeirenses tinham recebido 46 escalas destes navios.

A informação foi avançada esta sexta-feira, através da newsletter da APRAM – Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira, e indica que “em comparação com o ano de 2019, antes da pandemia, houve mais 09 escalas no Porto do Funchal (44) e mais 07, em Porto Santo (02)”.

“Analisando o registo de todos os meses, nos últimos 10 anos, só novembro de 2012, um ano completamente excecional, superou, com 64 escalas, uma delas no Porto Santo”, refere a APRAM na informação divulgada.

Apesar dos números positivos no que respeita às escalas dos navios de cruzeiro, os portos madeirenses ainda não recuperaram os números de passageiros de 2019, “a exemplo do que se passa na generalidade do setor”, admite a APRAM.

A APRAM mostra-se critica em relação aos protocolos adotados na sequência da pandemia e que ainda estão em vigor, considerando que a sua manutenção “por parte das companhias e as escalas de navios de menor dimensão contribuem para este resultado”.

Em abril, os portos das Madeira contabilizaram 44.810 passageiros, menos 33.639 que no mesmo período de 2019, enquanto o número de tripulantes foi de 8.784, menos 626 tripulantes em comparação com o mesmo mês de há três anos.

Em abril, os portos da Madeira receberam ainda a estreia de quatro navios de cruzeiro, com a primeira passagem no arquipélago dos navios “Celebrity Edge” e “Scenic Eclipse”no Porto do Funchal e “Hebridean Sky” e “Seabourn Ovation” no Porto Santo.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.