euroAtlantic pede aos Estados Unidos autorização para voos regulares

Por a 8 de Janeiro de 2015 as 13:53

O Presidente/CEO do Conselho de Administração da euroAtlantic airways (EAA), Tomaz Metello, confirmou a notícia avançada nos primeiros dias do ano por uma fonte internacional que a sua companhia tinha entregue no Departamento de Transportes (DOT) do Governo Federal dos Estados Unidos (EUA), um requerimento de autorização para operar voos comerciais regulares entre países da União Europeia e os Estados Unidos.

O Presidente/CEO da EAA, Tomaz Metello, referindo-se ao pedido entregue junto da DOT dos EUA afirmou, “na actual fase do processo a EAA não pretendia a divulgação da notícia, a experiência junto das autoridades aeronáuticas americanas, como de um modo geral em todos os países, sugerem práticas de protocolos de discrição, enquanto decorrem apreciações técnicas de matérias sujeitas a Acordos Diplomáticos e disposições consagradas na Lei de blocos comerciais distintos”.

A seguir Tomaz Metello referiu que “a EAA antes de avançar com este pedido para voos regulares, definiu um plano estratégico para o posicionamento da sua marca e performances operacionais no mercado do Atlântico Norte, tanto no sector norte-americano como no canadiano. Entre outros clientes de prestígio, fornecemos (2014) capacidade adicional à Air Canada (dois B767-300ER) eleita pelo quinto ano consecutivo «A Melhor Linha Aérea da América do Norte» com base numa pesquisa a nível mundial”, referindo ainda, “recentemente concluímos um longo contrato com a Norwegian Air Shuttle, onde operámos voos diários regulares, cumprindo horários e slots em alguns dos mais movimentados aeroportos americanos. Antes já tínhamos mantido uma base em Miami, numa frutuosa experiência de trabalho com a Lan Chile Cargo, com o nosso B767-300ER CARGO, na sequência do Governo Federal dos Estados Unidos ter facultado à EAA a primeira autorização concedida pelo DOT para operações «wet-lease» de longa duração, o que tornou a EAA na primeira não americana a receber este tipo de autorização, trazendo prestígio para a indústria aeronáutica portuguesa”.

A concluir Tomaz Metello referindo uma informação financeira sobre a companhia que fundou hà 24 Anos, disse, “além de operacionalmente sentirmo-nos bastante confortáveis para avançar com este pedido de voos regulares, agências financeiras com visibilidade nas praças dos EUA, como a Dun & Bradstreet (D&B), vêm colocando a EAA no «Rating 1» um núcleo restrito das melhores empresas portuguesas não financeiras, que cumprem com condições rigorosas de capacidade financeira, volumes de vendas acima dos vinte e cinco milhões de euros, excelência de rácios financeiros e resultados positivos nos últimos anos, esta é uma boa garantia que o nosso «company profile» demonstra “ disse Tomaz Metello, que refira-se, figura numa lista de personalidades mundiais editada nos EUA «The Marquis Who’s Who in the World» cuja inclusão é limitada a indivíduos que demonstram desempenho excepcional nas suas competências específicas e que por essa via, contribuem para uma melhoria significativa da sociedade contemporânea.

Sobre a euroAtlantic airways: foi fundada pelo accionista e Presidente do Conselho de Administração/CEO, Tomaz Metello, tendo o Grupo Pestana (top 100 das empresas hoteleiras mundiais) uma participação accionista. A EAA é especializada em aluguer de aviões para outras companhias (ACMI–Wet lease e charter). A EAA (2000) foi precursora dos voos turísticos intercontinentais para o Brasil, João Pessoa (Paraíba). A EAA detém o record mundial de ter escalado 546 aeroportos em 164 países, num total de 194 reconhecidos (83%). A EAA já efectuou onze (11) Cruzeiros Aéreos à Volta do Mundo. A EAA (2013) fruto da excelência de serviços prestados, foi nomeada para os WTA – World Travel Awards, na categoria “Melhor Companhia Aérea Charter do Mundo”, tendo sido uma das três companhias finalistas. A frota da EAA é de origem americana; um Boeing B777-200ER (Triple Seven), quatro Boeing 767-300ER de passageiros, um B767-ER BDSF (Bedek Special Freighter) e um Boeing 737-800. A EAA é a maior accionista da STP AIRWAYS, detendo 37% do capital da companhia aérea de bandeira de São Tomé e Príncipe

Para outras informações.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *