“Dizer que há turistas a mais é um erro”

Por a 5 de Dezembro de 2014 as 18:17

Paulo Portas destacou esta sexta-feira o papel do Turismo para a economia do país, refutando a ideia de que há turistas a mais. O vice-primeiro-ministro, que discursava na abertura no 40º Congresso Nacional da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), repetiu muitas das afirmações que têm sido divulgadas pelo ministro da Economia, Pires de Lima, ao classificar o Turismo de “um dos campeões da economia portuguesa”. “Poucos países podem dizer que estão a crescer acima da média mundial, europeia e mediterrânea. Portugal pode dizê-lo. Estamos a crescer acima dos 10% face a 2013 e o dobro face aos nossos concorrentes. Isso é resultado do vosso mérito e talento. Haverá sempre quem queira justificar estes resultados com as “primaveras árabes”, mas não devemos ter a a cegueira de pensar que não concorremos com outros países para aproveitar estes fenômenos. O êxito do turismo em Portugal vai além das consequências da Primavera Árabe.”

Depois de sublinhar os resultados, Portas quis deixar a ideia que não há massificação do turismo. “A ideia que há turistas a mais é um erro que nos custará oportunidades de riqueza para o país. Podemos vender Portugal como um destino único, mas não como um único destino. As políticas devem incentivar o sector, ajudar as empresas, contribuir para a receita da economia e não como despesa para o Estado. (…) o caminho é reduzir custos e não criar novos, pelo facto do sector estar a crescer”.

Portas, que durante o tempo que esteve na plateia, ouviu o sector pedir mais verbas para a promoção, disse a este propósito, que a promoção “não é um assunto político, mas profissional”. “A promoção deve ser em primeiro lugar pensada e sustentada por quem está no sector. O secretariado de Estado do Turismo tem seguido a linha da despolarização da promoção.”

O congresso da APAVT decorre até esta segunda-feira, dia 8, em Évora.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *