Portugal deve atingir 16 milhões de turistas estrangeiros em 2014

Por a 3 de Dezembro de 2014 as 15:44

Os resultados que o Turismo português tem apresentado ao longo deste ano foram mote para o ministro da Economia, António Pires de Lima, classificá-lo como “o melhor ano turístico de sempre”.

À margem da reunião Diálogo 5+5, que aconteceu em Lisboa, e teve como tema o Turismo, o responsável evidenciou o crescimento de 11% em turistas estrangeiros que o País tem verificado nos últimos meses “face a um ano recorde de 2013”. Este resultado leva António Pires de Lima a perspectivar que Portugal atinja os 16 milhões de turistas internacionais em 2014.

O ministro da Economia aproveitou ainda a ocasião para destacar a recuperação do turismo interno, que “também está a crescer a dois dígitos”, assim como as receitas por quarto ocupado, que “estão a crescer pela primeira vez em muitos anos” e a ocupação das unidades hoteleiras de “maior qualidade – quatro e cinco estrelas – estarem a crescer acima da média do crescimento que estamos a ter”, o que significa que “Portugal hoje é um destino atractivo, é um destino sexy pela sua qualidade”.

O executivo aproveitou a ocasião para destacar o papel importante que o Turismo tem tido na “recuperação económica” do País, tendo “um papel determinante na criação de emprego” para o qual contribuiu com 30% dos novos postos de trabalho criados este ano em Portugal.

Este crescimento do Turismo em Portugal, para o membro do Governo, “não acontece por acaso”, atribuindo este percurso do sector em Portugal nos últimos dois anos a dois factores: à “focagem do sector privado naquilo que são os factores críticos de sucesso da área do Turismo”, como a formação dos seus funcionários e a promoção da sua actividade; bem como, o “papel meritório da administração pública, através do Turismo de Portugal” no que diz respeito à estratégia promocional adoptada, que “deu lugar a uma estratégia comercial mais ‘hardselling’”.

Também a Organização Mundial de Turismo (OMT), representada pelo director-executivo Márcio Favilla destacou a performance do Turismo português neste último ano, realçando que “estes resultados não são por acaso. Existe uma política de atracção em curso, existe uma qualidade do Turismo de Portugal construída ao longo de muitos anos, muito investimento de empreendedores, não é sorte. A sorte é o encontro da competência com a oportunidade”.

“Portugal está de parabéns” realçando, que “o superavit da balança do Turismo, – o gasto dos turistas estrangeiros no País, menos o que os portugueses gastaram no exterior com as suas viagens – é um resultado excepcional e um dos mais elevados do mundo sobre qualquer perspectiva”. “Os países que têm resultados superiores a este, são países com economias maiores que a economia portuguesa”, frisou.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *