Assine já
Distribuição

Nortravel anuncia programa para Fim de Ano

Mais de 1500 lugares para cerca de 15 destinos.

Publituris
Distribuição

Nortravel anuncia programa para Fim de Ano

Mais de 1500 lugares para cerca de 15 destinos.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Nortravel apresenta novidades para o Fim-de-Ano
Press Releases
Nortravel lança programa de fim-de-ano na Lapónia
Homepage
Soltrópico e Solférias lançam charter de Fim-de-Ano para a Boavista
Homepage
Soltrópico e Abreu lançam Fim-De-Ano em Marraquexe com partidas de Lisboa e Porto
Homepage

A nível nacional a operadora apresenta estadias e circuito na ilha da Madeira, assim como estadias entre as ilhas e circuito de São Miguel, nos Açores.

Dentro dos destinos internacionais constam no programa da Nortravel: Marrocos – circuito e Marrakech; Monte Carlo – novidade; Paris; Roma; Veneza; Praga; Combinado Viena e Praga; Turquia – Istambul e Combinado Istambul e Capadócia; Dubai; Nova Iorque; Miami; Cabo Verde – Sal e Boavista; e Brasil – Salvador, Recife, Natal e Fortaleza.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Morgado Golf Course celebra 20 anos com um conjunto de iniciativas

Um conjunto de iniciativas ao longo do mês de fevereiro vão marcar as celebrações de duas décadas de existência do Morgado Golf Course, em Portimão (Algarve).

O Morgado Golf Course, campo de golfe do grupo NAU Hotels & Resorts, em Portimão, celebra o seu 20º aniversário no próximo mês de fevereiro e promove um conjunto de iniciativas especiais com o objetivo de reforçar a sua ligação com os praticantes da modalidade.

Para assinalar o seu 20º aniversário, no dia 3 de fevereiro, 6ª feira, terá lugar um sorteio especial no qual podem participar todos os golfistas que joguem nos campos do Morgado Golf Course nesse dia. Serão premiados dois vouchers de duas noites de estadia em quarto duplo em regime de meia pensão com dois green fees e aluguer de buggie.

Ainda no dia de aniversário, o preço dos buggies será especialmente de 20 euros, em vez dos 50 euros habituais. Este dia contará ainda com uma cerimónia de partilha de bolo de aniversário pelas 15h00.

Aberto pela primeira vez a 3 de fevereiro de 2003, o Morgado Golf Course assume-se como um campo que é um desafio tanto para os que estão a dar os primeiros passos na modalidade, quanto para os jogadores mais experientes que procuram colocar à prova ou aperfeiçoar a sua técnica.

Rodeado de natureza e instalado num vale do interior algarvio, o campo de golfe do Morgado conta com 18 buracos e o cartão apresenta um PAR de 73 pancadas. O seu percurso apresenta as caraterísticas de um campo links – com fairways planos e bunkers de inspiração escocesa -, mas que em vez de estar junto ao mar como os tradicionais links, está inserido numa zona de parkland. Atualmente, o Clube do Morgado Golf Course conta com cerca de 200 membros ativos.

Refira-se que durante três anos consecutivos (2017, 2018 e 2019) o Morgado Golf Course foi o anfitrião do histórico Open de Portugal, além de vários eventos da PGA Portugal e do Portugal Pro Golf Tour. Tem acolhido ainda diversos torneios de nível amador da Federação Portuguesa de Golfe (Campeonato Nacional Absoluto e Campeonato Nacional de Clubes), e acolhido diversos torneios de cariz social.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Agenda

Nuno Fazenda vai fazer Roteiro para o Turismo no Interior

O secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Nuno Fazenda, vai percorrer o interior a partir desta terça-feira, dia 31 de janeiro, para ouvir e debater com os atores locais os desafios, as potencialidades e as prioridades do turismo nessas zonas do país.

Segundo Nuno Fazenda, citado em comunicado do Governo, “mais interior é uma prioridade da política de turismo”, lembrando que este setor “assume um papel chave para um desenvolvimento mais harmonioso do nosso país, sem deixar nenhum território para trás”.

Assim, o governante indica que “o nosso objetivo com este roteiro é ouvir, em proximidade, os empresários, as instituições e as pessoas, para que esta agenda estratégica para o turismo seja construída com o território e as suas forças vivas”.

O comunicado do Ministério da Economia e Mar refere que o “Roteiro da agenda para o turismo no interior» tem início no dia 31 de janeiro e será o ponto de partida, com presença ativa no terreno, para a construção de uma Agenda para o Turismo no Interior, em proximidade e diálogo com empresas, instituições de ensino superior, municípios, associações e entidades públicas e privadas, e destaca que esta Agenda será composta por medidas e iniciativas para a valorização e afirmação do turismo no interior.

Este roteiro, dinamizado conjuntamente com o Turismo de Portugal e as Entidades Regionais de Turismo, inclui já esta semana, três sessões públicas nas regiões do Alentejo, Centro e Norte e a visita a projetos relevantes para o turismo e a empresas do setor, nomeadamente em Nisa, Évora, Estremoz, Elvas, Campo Maior, Viseu, São Pedro do Sul, Chaves, Valpaços e Peso da Régua. Esta iniciativa incluirá também o interior da região do Algarve e outros pontos do país a decorrer durante o mês de fevereiro.

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Solférias lança campanha Festa Mágica da Disneyland Paris

Dando continuidade às comemorações do 30º aniversário da Disneyland Paris, o operador turístico Solférias acaba de lançar mais uma campanha Festa Mágica para aquele parque temático muito apreciado pelas famílias portuguesas.

A Solférias lança a tradicional campanha de vendas Festa Mágica da Dysneyland Paris com um conjunto de atrativos, para reservas até 26 de fevereiro de 2023, e chegadas entre 1 de fevereiro e 30 de setembro deste ano.

Esta campanha oferece condições especiais em voos TAP e Air France, bem como transferes regulares Magical Shuttle grátis para crianças até aos 11 anos inclusive quando acompanhadas por um adulto.

Como habitualmente, a Solférias comercializa várias opções de programação à medida das necessidades de cada viajante, desde a proposta de venda de entradas, passando pela reserva de alojamento ou todo o pacote completo com voos, todos eles com a possibilidade de complementar com serviços extra, sejam terrestres ou opcionais Disneyland Paris.

Refira-se que a Disneyland Paris ocupa desde a primeira hora um lugar muito especial na programação do operador turístico, o primeiro emissor em Portugal para este destino número um na Europa. Assim, conforme refere, não poderia faltar à lista dos melhores destinos para visitar em 2023, aproveitando que as celebrações do 30º aniversario do parque temático continuam em força ao longo de todo o ano, com algumas atrações de destaque: O primeiro espetáculo de Drones Marvel; O regresso do espetáculo Disney Dreams;  O novo espetáculo Pixar: We Belong Together; A nova coleção fashion Minnie Paris.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

17 chefs promovem a alta gastronomia ao bordo dos aviões e nos lounges da Air France

A companhia está empenhada em apresentar aos seus clientes a qualidade e a diversidade do património gastronómico francês de forma mais responsável, privilegiando os produtos frescos, locais e sazonais. Para tal, rodeou-se de 17 chefs consagrados.

Por ocasião do “Bocuse d’Or 2023”, evento realizado entre 19 e 23 de janeiro e do qual foi parceira oficial, a Air France revelou o conjunto de chefs com os quais vai colaborar este ano. Dezassete talentos gastronómicos que valorizam a excelência francesa vão, desta forma, suceder-se ao longo dos próximos meses a bordo das cabines La Première e Business e nos lounges dos aeroportos para assinar pratos excecionais.

A companhia refere, em comunicado, estar “empenhada em apresentar aos seus clientes a qualidade e a diversidade do património gastronómico francês de forma mais responsável, privilegiando os produtos frescos, locais e sazonais e oferecendo sistematicamente uma opção vegetariana em todas as suas cabines de viagem”.

Para desenhar esses menus e rodear-se dos maiores chefes, a Air France conta com a expertise e o conhecimento da Servair, líder mundial da restauração aérea, e do seu Culinary Studio.

Este ano, nas partidas de Paris e a bordo das cabines de longo curso La Première e Business, os chefs estrelados franceses Arnaud Lallement, Régis Marcon, Anne-Sophie Pic, Emmanuel Renaut e Michel Roth vão suceder-se na criação de menus exclusivos para a Air France, juntando-se ainda Mauro Colagreco e Thierry Marx.

Com composições vegetarianas, carnes ou aves de origem francesa e peixe de pesca sustentável, todos os chefs estão empenhados em exibir os produtos locais das suas regiões e partilhar o respetivo património culinário e paixão.

Nas suites La Première, as mais exclusivas da companhia, os chefs pasteleiros Meilleur Ouvrier de France (MOF), Philippe Urraca e, pela primeira vez, Angelo Musa, aportarão um toque elegante e doce aos menus desta cabine digna dos grandes restaurantes.

A Air France continua também a renovar os menus assinados por grandes chefs franceses nos voos de longo curso que partem de aeroportos em todo o mundo. A companhia prossegue assim a sua colaboração com o chef triplamente estrelado Julien Royer nas cabines La Première e Business nas partidas de Singapura. Nas partidas da Ilha da Reunião, os menus da cabine Business são elaborados por Jofrane Dailly, um chef nascido neste departamento ultramarino francês que trabalha nas cozinhas do Diana Dea Lodge em Sainte-Anne.

Em 2023, a Air France também vai oferecer menus assinados pelo chef Olivier Perret nos voos com partida de todos os seus destinos canadianos (Montreal, Toronto, Quebeque e Vancouver). Para os menus da cabine Business, Perret vai focar-se na gastronomia francesa com ingredientes frescos. A Air France pretende continuar a desenvolver as parcerias com estes chefes de prestígio, nomeadamente nas partidas das Caraíbas francesas, dos Estados Unidos e do Japão.

Na sua rede de médio curso, na cabine Business, o chef corporate da Servair, François Adamski, MOF e Bocuse d’Or, assina os pratos do almoço ou do jantar servidos a bordo durante todo o ano.

Além disso, a Air France colabora com inúmeros chefs nos seus lounges dos aeroportos parisienses. Em Paris-Charles de Gaulle, Alain Ducasse e as suas equipas assinam os pratos da carta do lounge La Première da Air France. Nos outros salões situados no terminal 2 E (halls K, L e M), Ducasse Paris apresenta regularmente novos pratos para serem fruídos entre toda a oferta disponível. No lounge situado no terminal 2 F, François Adamski junta-se a outros chefs para criar menus originais e sazonais. Na senda de Chloé Charles, Amandine Chaignot vai colocar o seu talento ao serviço dos clientes da companhia. Em Paris-Orly, Guy Martin, que está habituado a assinar os menus servidos a bordo dos voos da Air France, é quem vai assinar pela primeira vez um prato a descobrir no lounge internacional de Orly 3. Finalmente, no lounge dos voos domésticos franceses em Orly 2, os clientes vão poder degustar os preparados criados pelo chef pasteleiro Philippe Urraca.

Uma restauração mais responsável
A partir de agora, em todos os seus voos a partir de Paris, a Air France está comprometida com a oferta de carnes, aves, laticínios e ovos 100% de origem francesa, assim como peixe de pesca sustentável, em todas as suas cabines e lounges nos aeroportos de Paris. A companhia oferece uma seleção de produtos frescos, locais e sazonais. Uma oferta vegetariana também está disponível em todas as cabines e os pratos quentes são sistematicamente rotulados Nutri-Score A ou B na Economy e na Premium Economy. Além disso, os menus para crianças e bebés propostos a bordo são elaborados apenas com produtos provenientes de agricultura biológica.

A Air France também está a investir na reciclagem e na eliminação de 90% do plástico descartável a bordo dos seus aviões até ao final de março de 2023. A bordo, continua a introduzir recipientes sem material plástico, como copos de cartão, bandejas de celulose, pratos e loiça de bagaço ou sacos de papel kraft “Bon Appétit”. Tanto em terra como em voo, a companhia presta especial atenção à separação seletiva e à reciclagem dos artigos de restauração. Além disso, de acordo com as normas francesas, fornece aos seus clientes fontes de água nos seus salões em França.

No âmbito da sua luta contra o desperdício alimentar, a Air France também oferece aos seus clientes nas cabines Business de longo curso a possibilidade de pré-selecionar o prato quente antes da viagem. Este serviço combina a garantia da escolha do cliente com um consumo mais justo a bordo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Turismo

OMT lança guia para acessibilidade com apoio de Portugal

Ferramenta anunciada na FITUR tem como foco empresas de acomodação, alimentação, conferências e exposições; objetivo é avaliar níveis de acessibilidade e desenvolver ou adaptar serviços. Portugal e Argentina apoiaram modelo.

A Organização Mundial do Turismo (OMT), e parceiros estão a desenvolver esforços para implementar um amplo padrão internacional para acessibilidade em todo o setor, criando um guia para turismo acessível, com o compromisso de reconhecer as necessidades dos viajantes que vivem com deficiência.

A ferramenta foi lançada durante a FITUR 2023, tendo a OMT apresentando novas ferramentas orientadas para a implementação da norma UNE-ISO 21902 sobre Turismo Acessível, em toda a cadeia de valor.

O guia tem como foco empresas de hospitalidade, alimentação, conferências e exposições, e servirá como ponto de partida para avaliar os níveis de acessibilidade e desenvolver ou adaptar os seus serviços.

O conjunto de normas é uma continuação das diretrizes publicadas em dezembro, com foco nas administrações públicas.

Segundo a OMT, o apoio do Turismo de Portugal e do Turismo da Argentina foi fundamental para a comunicação com governos e destinos, responsáveis de políticas, estratégias e planos de marketing turísticos.

A diretora-executiva da OMT, Zoritsa Urosevic, refere que a “acessibilidade é fundamental para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”.

A agência reforça ainda que a acessibilidade é “uma grande oportunidade de inclusão social e negócios à medida que a recuperação do turismo continua”.

Este novo guia foi produzido em colaboração com as principais organizações da sociedade civil e da indústria, como a Sustainable Hospitality Alliance, o International Circle of Hospitality Directors, Cidh, e a European Network for Accessible Tourism, Enat.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

Governo do Reino Unido atribui perto de 190 milhões de euros à produção de SAF

O Governo do Reino Unido está aposta em atingir o ano de 2050 com zero emissões de CO2 na aviação. Para tal, apoiará cinco projetos para a produção de SAF.

O Governo do Reino unido irá financiar cinco projetos que estão a trabalhar na produção de Sustainable Aviation Fuel (SAF) com 165 milhões de libras, cerca de 188 milhões de euros, nos próximos anos.

Estes cinco projetos, espalhados pelo território britânico, receberão este apoio do Advanced Fuels Fund (AFF) que faz parte da Estratégia Jet Zero para descarbonizar a aviação até 2050.

O departamento para a concorrência nos transportes AFF foi criado para apoiar o setor dos combustíveis britânico para desenvolver e iniciar a comercialização de tecnologias de produção de combustíveis inovadores capazes de reduzir significativamente as emissões na aviação a curto prazo, reforçando os projetos em andamento e alargar as opções tecnológicas.

Mark Harper, ministro dos Transportes, referiu na apresentação deste apoio aos cinco projetos que irão tornar os voos “amigos do ambiente uma realidade”.

Os projetos em questão terão a capacidade de produzir mais de 300 mil toneladas de SAF por ano uma vez iniciada a produção, reduzindo as emissões de CO2 em 200 mil toneladas numa média anual, avança o Governo britânico.

Até 2025, pelo menos cinco unidades comerciais de produção de SAF estarão em construção nos Reino Unido.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Governo italiano e Lufthansa iniciam negociações exclusivas relativamente à ITA Airways

Governo italiano e o Grupo Lufthansa entraram em negociações exclusivas para a venda/compra da ITA Airways. O negócio deverá estar finalizado até abril.

A Lufthansa e o Ministério das Finanças italiano assinaram uma declaração de intenções sobre a entrada do grupo alemão na ITA Airways, avança o site alemão airliners.de, iniciando, assim, negociações exclusivas entre o Governo italiano e o Grupo Lufthansa, relata o ministério.

O Tesouro assinou uma carta de intenções com a Lufthansa para vender uma participação minoritária, indicando a Lufthansa que “as partes iniciarão agora negociações sobre o desenho de uma possível participação”, tendo sido acordada a confidencialidade sobre os detalhes do conteúdo.

Segundo informações da Agência de Notícias Alemã, ainda não há valores específicos de compra no memorando de entendimento assinado pela Lufthansa, ministério e representantes da ITA, avançando que o negócio deve dar-se “por meio de um aumento de capital”.

A Lufthansa visava inicialmente uma participação minoritária, mas quer garantir opções para a aquisição das ações remanescentes ao entrar na empresa, tendo sido dados 60 dias úteis para as negociações exclusivas, para que um acordo final pudesse ser alcançado em abril, seguindo-se a revisão da Lei de Concorrência pela Comissão Europeia.

“As negociações podem estar concluídas até à Páscoa”, referiu fonte familiarizada com o processo à agência de notícias Reuters. De acordo com um decreto do Governo italiano, aprovado em dezembro, a Lufthansa deve concordar em fortalecer o hub Roma-Fiumicino e expandir os negócios de longo curso da ITA.

A Lufthansa anunciou na semana passada que inicialmente queria comprar uma participação minoritária na ITA com a opção de assumir a companhia aérea inteiramente sob certas condições. Segundo informações privilegiadas, trata-se de uma participação de cerca de 40%, pela qual a Lufthansa quer pagar 200 a 300 milhões de euros.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Destinos

Cabo Verde: Número de turistas atinge 90% do recorde de 2019

Em 2022, Cabo Verde terá recebido mais de 700 mil turistas, o que corresponde a cerca de 90% do recorde de 819 mil entrados no país em 2019.

Publituris

Esta previsão foi avançada pelo ministro cabo-verdiano do Turismo e Transportes, mas ainda não confirmada pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

“Pelos nossos números já recebidos – e ainda não confirmados pelo Instituto Nacional de Estatísticas [INE] – poderão estar a atingir os 700 mil turistas que tenham chegado a Cabo Verde, isto significa 90% daquilo que nós recebemos em 2019, são números interessantes”, revelou Carlos Santos, citado pela Lusa.

Em declarações aos jornalistas no âmbito do segundo Conselho do Ministério do Turismo e Transportes, realizado na cidade da Praia, o governante espera que “se não houver essas perturbações internacionais, uma escalada inflacionária no segundo semestre, nós podemos chegar aos números de 2019″, notando que “a recuperação chegou”, após a procura turística cair mais de 60% em 2020, devido às restrições impostas para conter a pandemia de covid-19.

Depois dessa queda, o ministro disse, conforme notícia da Lusa, que país está a tornar-se num “destino muito apreciado pelos turistas”, que têm um perfil diferente, estando à procura de outro tipo de produto, nomeadamente cultural e gastronómico, o que “exige de nós uma preocupação e cuidados maiores, no sentido de disponibilizarmos serviços com qualidade, segurança e higiene alimentar, segurança das pessoas e acessibilidades”, apontou Carlos Santos, fatores que podem também representar oportunidades para investidores e empreendedores, sobretudo os mais jovens.

Para fomentar o turismo, o ministro destacou que o governo está a trabalhar em várias frentes, designadamente no incentivo a operadores aéreos turísticos para o arquipélago, para diversificar a proveniência dos turistas e aumentar ainda mais a contribuição deste setor, que garante 25% do Produto Interno Bruto (PIB) de Cabo Verde.

O Conselho do Ministério do Turismo e Transportes teve como foco o Programa Operacional do Turismo (POT) 2022-2026, que reflete a visão e ambição do Governo nesta que é o principal setor de atividade económica do país, e com os transportes, contribuem para 35% do PIB.

Orçado em cerca de 200 milhões de euros para os próximos quatro anos, o ministro revelou que já foram mobilizados cerca de 50% desse valor, através do Banco Mundial e do Fundo do Turismo, tendo como objetivo “estruturar bem” a oferta turística do arquipélago.

Boa parte do montante destina-se a melhorar as infraestruturas turísticas, mas o país quer apostar muito na apresentação e promoção do destino. “Sem perder de vista a sustentabilidade, que hoje é um princípio norteador do crescimento”, salientou o governante.

Uma das metas do programa é fazer com que 40% dos turistas que venham a chegar ao país em 2026 possam ir para outras ilhas, além das principais de sol e praia, como Sal e Boa Vista.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Fotos de banco de imagens por Vecteezy
Destinos

Residentes em Portugal viajaram mais no 3.º trimestre de 2022, mas números ainda estão aquém de 2019

Os residentes em Portugal realizaram 8,2 milhões de viagens ao longo do 3.º trimestre de 2022 (+5,8% comparado com o mesmo período de 2021). Se em território nacional se registou uma quebra (-0,6% face a período homólogo de 2021), as viagens ao estrangeiro cresceram 109%. Comparado com 2019, as viagens não recuperaram.

Victor Jorge

No 3.º trimestre de 2022, os residentes em Portugal realizaram 8,2 milhões de viagens, o que correspondeu a um acréscimo de 5,9% face ao mesmo período de 2021, mas ficou ainda a 5,8% face ao trimestre homólogo de 2019, indicam os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

As viagens em território nacional corresponderam a 88,4% das deslocações (7,2 milhões), diminuindo 0,6% face ao 3.º trimestre de 2021, quebra menor que a registada face ao mesmo período de 2019, em que caíram 5,2%. Já as viagens ao estrangeiro, segundo avança o INE, cresceram 109%, encontrando-se ainda 10,6% abaixo dos níveis de 2019, totalizando 950,6 mil viagens.

Lazer domina viagens
O “lazer, recreio ou férias” foi a principal motivação para viajar no 3.º trimestre de 2022, contabilizando 5,5 milhões de viagens, +1,5% face ao 3.º trimestre de 2021, mas inferior em 4,9% face ao mesmo período de 2019, apesar da redução de representatividade (66,9% do total, -2,9 p.p.2 face ao 3.º trimestre 2021).

As deslocações nacionais referentes a esta motivação totalizaram 4,7 milhões de viagens (65,5%; -5 p.p.), enquanto as deslocações ao estrangeiro contabilizaram 737,7 mil viagens (77,6%; +18,8 p.p.).

Seguiu-se o motivo “visita a familiares ou amigos”, que cresceu 11,7% (-6,4% em relação ao 3.º trimestre de 2019), tendo atingido 2,2 milhões de viagens (26,4% do total, +1,4 p.p.). Neste capítulo foram realizadas internamente dois milhões de viagens correspondendo a 28,1%, +3,1 p.p.) enquanto ao estrangeiro realizaram mais de 129 mil viagens (13,6%, -12,4 p.p.).

Os “hotéis e similares” concentraram 31% das dormidas resultantes das viagens turísticas dos residentes no 3.º trimestre de 2022, reforçando a sua representatividade (+1,7 p.p.) e superando os níveis pré-pandemia (+3,7 p.p. face ao 3.º trimestre de 2019). O “alojamento particular gratuito” manteve-se como a principal opção de alojamento (54,5% das dormidas, -2,2 p.p.).

Preferência vai para julho
Analisando os três meses que compõem o trimestre, o INE refere que o número de viagens aumentou em todos: +10,6% em julho, +4,7% em agosto e +1,9% em setembro. Face aos mesmos meses de 2019, apenas em julho se registou um ligeiro acréscimo (+0,7%), dado que em agosto e setembro se observaram reduções de 9,2% e 7,4%, respetivamente.

No 3.º trimestre de 2022, 45,2% das viagens foram efetuadas recorrendo à marcação prévia de serviços (+3,3 p.p.), proporção que atingiu 94% (+10,8 p.p.) no caso de deslocações ao estrangeiro e 38,8% nas viagens em território nacional (-0,5 p.p.).

A internet foi utilizada na organização de 29,9% das deslocações (+4,6 p.p.), tendo este meio sido opção em 66% (+0,7 p.p.) das viagens ao estrangeiro e em 25,1% (+2,3 p.p.) das viagens em território nacional.

Os dados do INE mostram ainda que no 3.º trimestre de 2022, cada viagem teve uma duração média de 6,05 noites (6,17 no 3.º trimestre de 2021; 5,76 no 3.º trimestre de 2019). A duração média mais baixa foi registada no mês de setembro (4,04 noites), enquanto a mais elevada ocorreu em agosto (6,68 noites).

No 3.º trimestre de 2022, 40% dos residentes realizaram pelo menos uma deslocação turística, +0,7 p.p. face ao 3.º trimestre de 2021 (-2,3 p.p. comparando com o 3.º trimestre de2019). Numa análise mensal, registaram-se aumentos na proporção de residentes que viajaram em julho e agosto (+2,2 p.p. e +0,7 p.p., respetivamente, face aos mesmos meses de 2021), tendo diminuído ligeiramente em setembro (-0,1 p.p.). Em comparação com os mesmos meses de 2019, as variações observadas foram de -0,6 p.p., -1,6 p.p. e -1,3 p.p., respetivamente.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Transportes

Marca Pullmantur deverá ser vendida ainda no primeiro trimestre

A administradora da falência – Data Concursal – pretende vender a marca Pullmantur, principal ativo da empresa de cruzeiros que faliu há três anos, ainda no decorrer do primeiro trimestre deste ano.

Publituris

As empresas interessadas podem apresentar propostas não vinculativas, a partir de 1 de fevereiro até ao dia 22 do mesmo mês, e vinculativas até ao dia 27.

Segundo notícia divulgada pelo jornal espanhol Hosteltur, que cita o Expansión, este anúncio consta da documentação judicial de falência da empresa, que tramita perante o Tribunal de Comércio nº 1 de Madrid, e entre as quais se encontra o plano de liquidação da empresa, que especifica que as ofertas devem em todo o caso ser superiores a 177 mil euros, em correspondência com o laudo de avaliação apresentado pela EY.

De acordo com as duas publicações espanholas, a marca Pullmantur, propriedade da Royal Caribbean e Springwater, é um dos poucos ativos da empresa que ficaram por liquidar no âmbito do processo de falência aberto há três anos, e acrescentam que, previsivelmente, a insígnia da companhia de cruzeiros acabará nas mãos de um dos seus concorrentes diretos, embora se desconhece qual.

A Pullmantur declarou voluntariamente falência em plena crise sanitária devido à pandemia de COVID-19 (oficialmente em junho de 2020), que obrigou à paragem total da sua atividade sem conseguir fazer face às despesas de manutenção. Por esse motivo, o administrador da falência pediu ao juiz que isentasse de responsabilidade o conselho de administração da companhia, por se tratar de uma falência fortuita.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.