Assine já
Aviação

Aeroporto do Porto tem novas áreas de restauração

Burger King, Caffriccio, Delta Café Central e Super Bock Lounge são os quatro novos espaços.

Publituris
Aviação

Aeroporto do Porto tem novas áreas de restauração

Burger King, Caffriccio, Delta Café Central e Super Bock Lounge são os quatro novos espaços.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados
Aeroportos de Lisboa e Porto aumentam taxas para companhias aéreas
Aviação
TCP quer Porto como solução a esgotamento do Aeroporto de Lisboa
Aviação
Aeroporto de Lisboa
Aeroporto do Porto reforça área de segurança
Homepage
Aeroporto do Porto
Aeroporto do Porto é o segundo melhor da Europa
Homepage
Aeroporto do Porto

O restaurante Burger King, a coffeeshop Caffriccio, o espaço da Delta Café Central e o Super Bock Lounge são os quatro novos espaços daquela infraestrutura.

A cerimónia oficial de inauguração contou com a presença de representantes da ANA – Aeroportos de Portugal, da AREAS Portugal, da Delta, da Super Bock, da Burger King e da Caffriccio.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Hotelaria

LC é nova consultora de gestão hoteleira em Portugal

Liliana Conde acaba de apresentar ao mercado a LC, nova consultora que pretende impulsionar o futuro da gestão hoteleira e da excelência no serviço do turismo em Portugal.

A LC, a nova consultoria da profissional do turismo e hotelaria Liliana Conde, pretende dotar as empresas do sector turístico, hoteleiro e de restauração de ferramentas que promovam um serviço de excelência e elevar o nível de serviço tendo como base a gestão das pessoas. 

Apresentado recentemente ao mercado, a consultora LC – Gestão Hoteleira e Serviço de Excelência inclui serviços de consultoria especializada em gestão hoteleira e serviços de formação para profissionais de turismo, bem como um conjunto de soluções integradas e personalizadas que permitem às empresas operacionalizar os seus serviços consoante as suas necessidades. 

 Como abrir um hotel? Como gerir os profissionais e como garantir uma gestão da felicidade? Como dotar as equipas para um serviço de qualidade? São algumas das perguntas que a LC coloca à disposição no seu website. 

Liliana Conde considera que o projeto, aberto tanto a nível nacional como internacional, pretende ser diferenciador e introduzir serviços distintivos nas organizações de um dos sectores mais preponderantes do nosso país, onde o foco estarão nas pessoas e no capital humano, fórmula para alcançar um serviço de qualidade e a chave do sucesso. 

Com 35 anos de experiência no setor do turismo e hotelaria, de onde se destacam as passagens pelo grupo AP Hotels & Resorts, Internacional Design Hotel ou NH Hotel Group, onde desempenhou funções de gestão como General Manager, Liliana Conde decidiu criar um novo conceito totalmente orientado para estas áreas, de forma a fidelizar talento e garantir equipas motivadas e felizes. 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Vários países europeus suspendem voos provenientes da África Austral

A indicação de uma nova variante no continente africano fez soar todos os alarmes na Europa, com vários países a suspender os voos provenientes da África Austral.

A Comissão Europeia deverá propor esta sexta-feira, 26 de novembro, a suspensão de voos provenientes da África Austral com destino à União Europeia (UE) devido ao aparecimento de uma nova variante do SARS-CoV-2, causador da COVID-19, no continente africano, anunciou Ursula von der Leyen, numa curta publicação na rede social Twitter.

“A Comissão Europeia proporá, em estreita coordenação com os Estados-membros, ativar o travão de emergência para parar as viagens aéreas da região da África Austral devido à variante de preocupação B.1.1.529”, indicou hoje a presidente da instituição.

Este anúncio vem na sequência de uma comunicação realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), reportando a primeira mutação da nova variante da África do Sul a 11 de novembro.

Rapidamente, diversos países – Alemanha, Reino Unido, Singapura, Áustria, França, Itália, Japão, Áustria ou Israel – proibiram a entrada de voos provenientes da África do Sul, Botsuana, Essuatini (antiga Suazilândia), Lesoto, Namíbia, Zimbabué, Moçambique

Sobre estas restrições a OMS já veio considerá-las prematuras, sugerindo que se continue a implementar medidas com base no risco e na evidência científica.

Este travão de emergência, implementado na UE devido à pandemia, visa fazer face a situações preocupantes, como novas variantes, permitindo aos Estados-membros o endurecimento de medidas para travar a progressão do coronavírus SARS-CoV-2.

O anúncio feito pela presidente da Comissão Europeia surge um dia após a instituição ter proposto uma atualização das recomendações sobre viagens de cidadãos de países terceiros para a UE, para dar prioridade aos viajantes vacinados contra a COVID-19.

Também na quinta-feira, 25 de novembro, o executivo comunitário propôs um reforço da coordenação sobre viagens dentro da UE devido ao aumento de casos de covid-19 um pouco por toda a Europa, sugerindo que vacinados não sejam submetidos a restrições adicionais e que não vacinados sejam mais controlados.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal pode contar com o Brasil para aumentar fluxo de turistas, diz ministro do Turismo

O ministro brasileiro do Turismo, Gilson Machado, apontou que Portugal pode contar com o Brasil para restabelecer e aumentar o fluxo bilateral de visitantes.

Portugal pode contar com o Brasil para restabelecer e aumentar o fluxo bilateral de visitantes brasileiros e portugueses, assegurou o ministro do Turismo, Gilson Machado, que participou via videoconferência, na abertura do II Fórum Luso-Brasileiro de Turismo e Negócios.  

O evento online reuniu académicos, profissionais e  gestores do turismo para trocar experiências com vistas à recuperação sustentável do setor. 

O ministro brasileiro do Turismo destacou que “como Portugal é um dos países historicamente mais parceiros do Brasil, as viagens internacionais ao Brasil devem começar devido à retoma dos voos de Portugal” 

Citado pela imprensa brasileira, Gilson Machado lembrou, por outro lado que “Portugal sempre teve a maior conetividade do Brasil com a Europa. Então, o potencial para alavancar esse fluxo é imenso, justificando que “recebíamos cerca de 176 mil portugueses por ano no país e quase 94% tinham interesse em voltar, principalmente para destinos de sol e praia”. 

O ministro do Turismo também apontou a recuperação do turismo no Brasil a partir de ações adotadas pelo governo federal com vista a combater a pandemia, que passam, nomeadamente, pela disponibilidade de crédito através do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) para os setores de hotelaria e eventos que contabilizaram as maiores perdas, a criação do Selo Turismo Responsável – que indica o cumprimento de medidas de prevenção à Covid no setor – e autorização ao regresso dos cruzeiros. 

Em recente entrevista a uma estação de rádio brasileira, o governante anunciou que estão em construção no país 147 novos hotéis de grandes dimensões, totalizando 6 mil milhões de reais em investimentos. “Isto é uma prova de que os investidores nacionais e internacionais estão confiantes na retoma do turismo no Brasil”, apontou. 

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Transportes

Vinci Airports admite ampliação do aeroporto de Beja

Paulo Arsénio, presidente da Câmara Municipal de Beja, revelou que a abertura da Vinci Airports para ampliar o aeroporto foi demonstrada no último Conselho Consultivo do Aeroporto de Beja, na semana passada.

O presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Arsénio, revelou esta semana que, pela primeira vez, a Vinci Airports, que detém a concessão dos aeroportos nacionais, “mostrou-se aberta para poder ampliar” o Aeroporto de Beja e melhorar o taxiway, caso exista o interesse de mais operadores na infraestrutura.

De acordo com o autarca, que prestou declarações à Radio Pax no final do último Conselho Consultivo do Aeroporto de Beja, que decorreu na passada sexta-feira, 19 de novembro, a possibilidade foi admitida “no caso de haver mais operadores interessados” e de os dois lotes que restam do lado ar “serem definitivamente ocupados e afetos à construção de mais hangares”.

“A Vinci, no caso de haver mais operadores interessados e dos dois lotes que restam serem definitivamente ocupados e afetos à construção de mais hangares, pela primeira vez, mostrou-se aberta para poder ampliar o aeroporto e criar, com isso, mais sete lotes do lado ar, proporcionando a mais sete empresas a instalação efetiva no aeroporto de Beja. Isso nunca tinha acontecido nos Conselhos Consultivos anteriores e, agora, a Vinci demonstrou esta disponibilidade”, revelou o responsável.

Segundo o autarca, a Vinci Airports admite ainda a melhoria do taxiway, que é “uma das principais condicionantes que as empresas têm colocado”.

Paulo Arsénio revelou ainda à rádio local que estão também “muito avançadas as possibilidades de instalação de mais uma empresa nova na zona do aeroporto e que possa trabalhar com o aeroporto”, adiantando que se trata de uma empresa “da área da carga e da logística”.

De acordo com o autarca, no ano passado, o aeroporto de Beja terá recebido cerca de 2.500 passageiros, a grande maioria em voos premium com destino à costa alentejana e a unidades de luxo do concelho de Beja, num total de 160 movimentos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Aviação

TAP assinala ‘Cyber Weekend’ com descontos

Para viagens a realizar entre 16 de janeiro e 31 de maio de 2022, a TAP está a promover descontos de 20% nas reservas feitas para os destinos de toda a sua rede.

Para viagens a realizar entre 16 de janeiro e 31 de maio de 2022, a TAP está a promover descontos de 20% nas reservas feitas para os destinos de toda a sua rede, assinalando, assim, a ´Ciber Weekend’. 

Para usufruir destes descontos, a reservas terão de ser efetuadas até a próxima terça.feira, dia 30 de novembro. 

Esta promoção não contempla viagens entre 20 de fevereiro e 12 de março de 2022 e entre 1 e 25 de abril do próximo ano, e não aplicável nas tarifas Discount e Executive

A campanha inclui ofertas exclusivas aos clientes TAP Miles&Go e subscritores da newsletter FlyTAP, que tiveram acesso antecipado aos descontos. Estas reservas beneficiam ainda da flexibilidade de uma alteração gratuita (exceto tarifa Discount). 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Não houve interessados à concessão do Hotel Turismo da Guarda

Terminou esta semana o prazo para a apresentação de propostas para a concessão do Hotel Turismo da Guarda, e o certo é que não houve interessados. 

Terminou esta semana o prazo para a apresentação de propostas para a concessão do Hotel Turismo da Guarda, e o certo é que não houve interessados. 

Em consequência, o Turismo de Portugal prorrogou por mais três meses o prazo para envio de propostas para a recuperação e gestão da antiga unidade hoteleira. 

O Hotel Turismo da Guarda, encerrado há vários anos, e agora nas mãos do Estado, foi um dos primeiros imóveis colocados a concurso no âmbito do Programa REVIVE.  

Em maio de 2018, foi assinado contrato de concessão para a recuperação e exploração deste imóvel pelo consórcio composto pelas sociedades MRG Property, S.A. e MRG – Construction, S.A., mas o projeto não avançou, devido a dificuldades financeiras com que o grupo concessionário, entretanto, se defrontou. O contrato foi revogado, sendo de seguida sido lançado novo concurso que visava dar, finalmente, uma nova vida a este emblemático edifício da cidade da Guarda, projetado em 1936 pelo arquiteto Vasco Regaleira. 

O imóvel será concessionado por 50 anos para exploração com fins turísticos, por uma renda mínima anual de € 35.317,80.  

Os investidores interessados terão agora 90 dias para apresentação de propostas que, além da recuperação do imóvel, promovam a sua valorização através da exploração turística e contribuam para atrair turistas para a região e para gerar novas dinâmicas na economia local. 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Nova edição: Especial Congresso APAVT com entrevistas a Pedro Costa Ferreira e Paulo Portas

A nova edição do Publituris faz capa com entrevistas a Pedro Costa Ferreira, presidente APAVT, e Paulo Portas, ex-governante, jurista e consultor, no âmbito do 46.º Congresso da associação, que vai decorrer entre 1 e 3 de dezembro, em Aveiro, e que pretende assinalar o “reencontro” do setor. Além disso, há novidades da Embratur, Turkish Airlines, ARAC e as dificuldades dos Mercados de Natal.

A nova edição do Publituris, a última do mês de novembro, faz capa com uma entrevista a Pedro Costa Ferreira, presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), no âmbito do 46.º Congresso da associação, que vai decorrer entre 1 e 3 de dezembro, em Aveiro, e que pretende assinalar o “reencontro” do setor.

Em entrevista ao Publituris, o presidente da associação explica o que esperar desta reunião, mas também aborda a questão dos reembolsos, aeroporto, TAP, sustentabilidade, digitalização e prefere antes falar “não de regresso, mas de retoma”.

Nesta edição, publicamos ainda, e também a propósito do Congresso da APAVT, uma entrevista a Paulo Portas, analista, consultor e ex-governante, que vai ser um dos principais oradores do evento, onde se espera que venha a indicar alguns caminhos passados, mas principalmente futuros.

Paulo Portas diz que Portugal tem de “ter a noção” que precisa de ser muito eficaz, apesar da incerteza da pandemia e da crise política, critica os atrasos relativamente ao novo aeroporto para Lisboa e alerta para a subida dos preços que, em algumas áreas, estão a duplicar.

Na última edição de novembro, publicamos ainda uma reportagem sobre a Turkish Airlines, com quem o Publituris falou à margem de uma viagem de familiarização a Istambul, promovida em parceria com as Viagens Tempo, e que se mostra satisfeita com o regresso dos voos do Porto, contando mesmo chegar a 10 ligações por semana no próximo verão.

Saiba também qual é a estratégia da Embratur – Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo para a promoção internacional e, concretamente para Portugal, mercado que, segundo Carlos Brito, presidente da agência, continua a ser fundamental para o Brasil e que o país quer voltar a atrair, tendo já preparado um calendário de ações que vão ser levadas a cabo em território nacional no próximo ano.

Destaque ainda para o rent-a-car, que já está a viver uma fase de recuperação, fruto da subida da procura do último verão. Ao Publituris, Joaquim Robalo de Almeida, secretário-geral da ARAC – Associação dos Industriais de Aluguer de Automóveis sem Condutor, traça ainda expectativas positivas para o fim-de-ano e para 2022, ainda que a crise dos semicondutores, que provocou uma escassez de viaturas disponíveis para compra, seja uma preocupação que se vai manter.

Nesta edição, publicamos ainda um dossier sobre Mercados de Natal, que prometiam estar de regresso à Europa este inverno, mas que, devido à subida do número de casos de COVID-19, estão a conhecer cada vez mais restrições e cancelamentos. Em alternativa, operadores turísticos e agências de viagens estão a propor destinos com menos restrições, a exemplo da Madeira.

Os artigos de opinião nesta edição são assinados por Ana Jacinto (secretária-geral da AHRESP), Renato Leite (managing diretor da Global Blue em Portugal), Luiz S. Marques (investigador Dreams e da Universidade Lusófona) e António Paquete (economista e consultor de empresas).

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do Publituris. Pode comprar apenas esta edição ou efetuar uma assinatura do Publituris aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Carmo David | [email protected] | 215 825 43

Nota: Se já é subscritor do Publituris entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção Premium – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler, abra o epaper com os dados de acesso indicados no final do resumo de cada edição.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Edição Digital

Edição Digital: Pedro Costa Ferreira, Mercados de Natal e Turkish Airlines

A nova edição do Publituris, a última do mês de novembro, faz capa com uma entrevista a Pedro Costa Ferreira, presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), no âmbito do 46.º Congresso da associação, que vai decorrer entre 1 e 3 de dezembro, em Aveiro, e que pretende assinalar o “reencontro” do setor.

Em entrevista ao Publituris, o presidente da associação explica o que esperar desta reunião, mas também fala de reembolsos, aeroporto, TAP, sustentabilidade, digitalização e prefere antes falar “não de regresso, mas de retoma”.

Nesta edição, publicamos ainda, e também no âmbito do Congresso da APAVT, uma entrevista a Paulo Portas, analista, consultor e ex-governante, que vai ser um dos principais oradores do evento, onde se espera que venha a indicar alguns caminhos passados e futuros.

Paulo Portas diz que Portugal tem de “ter a noção” que precisa de ser muito eficaz, apesar da incerteza da pandemia e da crise política, critica os atrasos relativamente ao novo aeroporto para Lisboa e alerta para a subida dos preços que, em algumas áreas, estão a duplicar.

Na última edição de novembro, publicamos ainda uma reportagem sobre a Turkish Airlines, com quem o Publituris falou à margem de uma viagem de familiarização a Istambul, promovida em parceria com as Viagens Tempo, e que se mostra satisfeita com o regresso dos voos do Porto, contando mesmo chegar, pelo menos, a voos diários no próximo verão, ainda que o bom comportamento da procura permita pensar em 10 ligações por semana.

Saiba também qual é a estratégia da Embratur – Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo para a promoção internacional e, concretamente para Portugal, mercado que, segundo Carlos Brito, presidente da agência, continua a ser fundamental para o Brasil e que o país quer voltar a atrair, tendo já preparado um calendário de ações que vão ser levadas a cabo em território nacional no próximo ano.

Destaque ainda para o rent-a-car, que já está a viver uma fase de recuperação, fruto da subida da procura do último verão. Ao Publituris, Joaquim Robalo de Almeida, secretário-geral da ARAC – Associação dos Industriais de Aluguer de Automóveis sem Condutor, traça ainda expetativas positivas para o fim-de-ano e para 2022, ainda que a crise dos semicondutores, que provocou uma escassez de viaturas disponíveis para compra, seja uma preocupação que se vai manter.

Nesta edição, publicamos ainda um dossier sobre Mercados de Natal, que prometiam estar de regresso à Europa este inverno, mas que, devido à subida do número de casos de COVID-19, estão a conhecer cada vez mais restrições e cancelamentos. Em alternativa, operadores turísticos e agências de viagens estão a propor destinos com menos restrições, a exemplo da Madeira.

Os artigos de opinião nesta edição são assinados por Ana Jacinto (secretária-geral da AHRESP), Renato Leite (managing diretor da Global Blue em Portugal), Luiz S. Marques (investigador Dreams e da Universidade Lusófona) e António Paquete (economista e consultor de empresas).

Leia a edição aqui.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

20 mil euros de multa para companhias que transportem passageiros sem teste negativo

Para o setor da aviação, o Governo anunciou medidas que levam a que, quem não possuam teste negativo [à COVID-19], a companhia pague 20 mil euros face aos atuais três mil.

Publituris

As companhias aéreas que transportem passageiros sem teste negativo à COVID-19 incorrem em multas de 20 mil euros por pessoa, segundo as novas medidas anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, após a reunião do Conselho de Ministros.

“Os testes passam a ser obrigatórios para qualquer entrada em território nacional, seja qual for o ponto de origem e seja qual for a nacionalidade do passageiro”, começou por dizer o primeiro-ministro na conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros que aprovou novas medidas para conter a pandemia.

António Costa sublinhou que “é obrigação de todas as companhias de aviação, no momento do ‘check in’ só permitirem o embarque dos voos para Portugal de pessoas que provem estar devidamente testadas e não podem transportar para Portugal ninguém que não esteja devidamente testado”.

“Constatamos que infelizmente as companhias de aviação não têm cumprido a sua obrigação e por isso alterámos o quadro contraordenacional e passaremos a aplicar uma coima de 20 mil euros por cada passageiro que seja desembarcado no território português sem que esteja devidamente testado”, salientou o primeiro-ministro.

Além disso, António Costa, referiu que o Governo vai “agravar as sanções acessórias que podem culminar com a suspensão das licenças de voo dessas companhias para território nacional”.

“Queria deixar uma mensagem muito clara às companhias de aviação: consideramos que é uma profunda irresponsabilidade transportar pessoas que não estão testadas e desembarcar pessoas em território nacional que não estão testadas”, frisou, indicando que o Governo pretende manter as fronteiras abertas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Análise

Portugal em situação de calamidade a partir de 1 de dezembro

Portugal volta a fechar. Não totalmente, mas parcialmente. O país entra em estado de calamidade a 1 de dezembro e terá uma semana de “contenção de contactos” de 2 a 9 de janeiro.

Publituris

Portugal continental vai entrar em situação de calamidade devido à pandemia de covid-19, a partir de a 01 de dezembro, anunciou o primeiro-ministro, António Costa, no final do Conselho de Ministros desta quinta-feira, 25 de novembro, no qual foram decididas novas medidas para conter a pandemia..

“O Conselho de Ministros aprovou elevar o nível de alerta para o nível de calamidade a partir do próximo dia 01 de dezembro de forma a que estejamos habilitados com o quadro legal necessário para podermos adotar as medidas adequadas e proporcionais ao risco”, disse António Costa.

Portugal Continental regressa, assim, à situação de calamidade pela segunda vez este ano, depois de ter estado neste nível entre 01 de maio e 30 de setembro.

A situação de calamidade é o nível de resposta a situações de catástrofe mais alto previsto na Lei de Base da Proteção Civil, depois da situação de alerta e de contingência.

Outra das medidas é o uso de máscara obrigatório em todos os espaços fechados que não sejam em excecionados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o primeiro-ministro, a medida é um dos três principais instrumentos para conter a pandemia da COVID-19, juntamente com o reforço da testagem e da utilização do certificado digital.

Finalmente, a semana de 2 a 9 de janeiro será de “contenção de contactos”, com o teletrabalho a ser obrigatório, recomeço das aulas adiado para 10 de janeiro, e encerramento das discotecas.

O Presidente da República já se pronunciou, considerando as medidas decretadas pelo Governo para mitigar a propagação da pandemia “muito equilibradas” , possibilitando a existência de restrições adicionais em janeiro, se necessário, apesar de serem “indesejáveis”.

“Pareceram-me muito equilibradas as medidas. Muito equilibradas naquela via que tinha apontado, que era equilíbrio entre, de um lado a precaução, e do outro não fechar a sociedade, nem fechar a economia”, sustentou Marcelo Rebelo de Sousa.

Exemplos do equilíbrio descrito pelo Presidente da República são “o teletrabalho” e “aquela ‘semana de nojo’ entre o fim do ano e o recomeço da atividade, quer escolar, quer lúdica, quer de trabalho presencial”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.