Assine já
Destinos

Turismo de Cidades em discussão no Porto

A iniciativa realiza-se de 26 a 28 de Setembro, o auditório da Biblioteca Almeida Garrett.

Publituris
Destinos

Turismo de Cidades em discussão no Porto

A iniciativa realiza-se de 26 a 28 de Setembro, o auditório da Biblioteca Almeida Garrett.

Publituris
Sobre o autor
Publituris
Artigos relacionados

De 26 a 28 de Setembro, o Porto vai acolher aquela que será a 1ª Conferência Internacional “Porto como Destino Turístico: Turismo de Cidades”, no auditório da Biblioteca Almeida Garrett.

Juntando mais de uma centena de representantes de organizações internacionais, intergovernamentais e nacionais, reputados investigadores na área do turismo, profissionais de empresas turísticas e de viagens e estudantes, ao longo de dois dias, serão debatidas as mais diversas problemáticas que o Porto, como destino turístico, encara para que tenha um futuro promissor e sustentado.

A Conferência, organizada pelo CEPESE – Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade, da Universidade do Porto, pretende ser um fórum para a discussão e partilha de modelos de desenvolvimento do turismo de cidades, com especial enfoque naqueles que foram implementados nos últimos anos na cidade do Porto, de tal forma que o destino foi eleito pelo European Consumers Choice como “O Melhor Destino Europeu 2012”, entre 20 cidades candidatas, e o Guia de Viagens Lonely Planet colocou o Porto como o melhor dos destinos de férias de eleição na Europa em 2013.

Classificada como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, a cidade do Porto é cada vez mais um destino consistente, com o turismo a registar até Junho, um aumento de quase 15%, face a igual período de 2012, o que comprova o seu potencial turístico, que tem por base a sua riqueza cultural, o património, a gastronomia tradicional e gourmet, as boas acessibilidades, a hospitalidade das suas gentes e os seus dois expoentes máximos – o Vinho do Porto e a Torre dos Clérigos – que, em 2013, comemora 250 anos da sua existência.

O Programa Cultural da Conferência, que conta com uma visita guiada ao monumento, inclui também um percurso pelas obras emblemáticas do arquiteto Nicolau Nasoni na cidade, terminando, inevitavelmente, no magnífico Palácio do Freixo.

A organização da Conferência alia-se assim à comemoração do Dia Mundial do Turismo, que se celebra a 27 de Setembro, que tem como tema o papel do Turismo na conservação dos recursos hídricos, com um evento sobre uma cidade que é também a foz, daquele que é o terceiro rio mais extenso da Península Ibérica – o Rio Douro.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Artigos relacionados
Destinos

Britânicos mantêm planos de viagem em 2023 e contam gastar mais que outros europeus

O novo estudo da MMGY Travel Intelligence, que entrevistou mais de quatro mil viajantes europeus, apurou que os britânicos são os europeus que contam realizar um maior número de viagens e com gastos mais elevados em 2023.

O aumento do custo de vida não parece estar a desmotivar os turistas britânicos, que mantêm os seus planos de viagem para 2023 e contam mesmo gastar mais do que os turistas de outros países europeus, de acordo com o mais recente estudo da empresa de análise de dados MMGY Travel Intelligence.

Segundo os resultados deste estudo, os turistas britânicos contam realizar, no próximo ano, cerca de 2,5 viagens internacionais e gastar perto de 4.600 euros no total das férias ao longo dos próximos 12 meses.

O resultado, segundo o estudo da MMGY Travel Intelligence, que contou com mais de quatro mil entrevistados, mostra que os britânicos são os turistas europeus que maior número de viagens contam realizar no próximo ano, sendo também aqueles que esperam realizar os gastos mais elevados.

Ao contrário dos britânicos, a generalidade dos turistas europeus deverá ficar-se por 2,3 viagens internacionais no próximo ano, não contando gastar mais de 3.870 euros no total das férias, num valor que, ainda assim, subiu 1% face ao último estudo.

Os resultados mostram, por isso, que as viagens parecem ser “o último item que as pessoas dispensam”, com os britânicos a mostrarem-se mesmo “determinados a continuar viajando” no próximo ano.

Por destinos, a preferência vai para os países europeus, seguindo-se os EUA, Caraíbas e Canadá.

“Na sequência da pandemia da Covid-19, o nosso estudo demonstra que há claramente um forte apetite para sair e ver o mundo, e as pessoas estão com fome de gastar o seu dinheiro neste simples prazer e não estão dispostas a prescindir dele”, afirma Cees Bosselaar, diretor administrativo da MMGY Travel Intelligence Europe.

De acordo com o responsável, esta intenção de viajar não quer, contudo, dizer que os turistas não se preocupam com os custos, uma vez que o orçamento continua a ser um dos principais fatores de decisão em relação às férias.

O que parece já não ter grande influência na escolha dos europeus é a COVID-19, uma vez que, de acordo com este estudo, este passou a ser o último motivo de decisão, enquanto os custos, a existência de voos e de alojamento, assim como a segurança pessoal, estão no topo das prioridades.

O estudo procurou ainda saber qual o sentimento dos turistas europeus em relação à sustentabilidade, apurando que cerca de 30% dos viajantes europeus evitariam um destino ou opção de férias cujas práticas não sejam sustentáveis.

Além de turistas britânicos, este estudo abrangeu também turistas provenientes de França, Alemanha, Itália e Espanha, que manifestaram ter intenção de viajar no próximo ano.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Quadrante promove formação sobre as Maldivas

A ação de formação é dirigida a agentes de viagens e vai decorrer na sexta-feira, 25 de novembro, no hotel Sana Malhoa, em Lisboa, a partir das 19h30.

O operador turístico Quadrante vai promover na próxima sexta-feira, 25 de novembro, um evento de formação para agentes de viagens sobre as Maldivas, a ter lugar no hotel Sana Malhoa, em Lisboa, a partir das 19h30.

A iniciativa, que decorre sob o tema “Maldivas o paraíso do sol”, é organizada em parceria a Amadeus, Turkish Airlines e com a ilha de Fushifaru, uma das ilhas do arquipélago das Maldivas.

Além da apresentação do destino, o evento da Quadrante vai contar também com um sorteio de prémios, assim como um habitual momento de convívio entre todos os participantes.

Esta ação de formação está limitada a um máximo de três agentes por agência de viagens e as inscrições devem ser realizadas através do e-mail [email protected].

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP não consegue evitar greve e recomenda alteração de voos

A TAP indica que não foi possível desmarcar a greve dos tripulantes de cabina, que está agendada para 8 e 9 de dezembro, e está a recomendar aos seus passageiros que alterem os voos, sem qualquer penalização.

A TAP está a recomendar aos seus passageiros com voos marcados para 8 e 9 de dezembro que procedam à sua alteração sem qualquer penalização, devido à greve agendada pelos tripulantes de cabina da companhia aérea de bandeira nacional que, segundo a companhia aérea, não foi possível desmarcar.

“Como é do conhecimento público, a TAP enfrenta um anúncio de greve do Pessoal de Cabina para os dias 8 e 9 de dezembro. Apesar de todos os esforços da Companhia para evitar esta greve, não foi possível chegar a um acordo com o sindicato que representa estes profissionais, ainda que se tenha conseguido alcançar entendimentos sobre várias matérias”, lê-se num comunicado divulgado esta segunda-feira, pela companhia aérea de bandeira nacional.

Na informação divulgada, a TAP diz que não sabe qual será o “nível de disrupção que a operação” vai sofrer nos dias de greve, pelo que “recomenda aos seus clientes que tentem remarcar os seus voos”.

“Deverão fazê-lo através do call center ou das suas agências de viagens. A alteração das datas dos voos previstos para este período poderá ser feita sem qualquer penalização e sem alteração de tarifa, para datas entre 28 de novembro e 19 de dezembro, e sem penalização, embora com alteração de tarifa, para qualquer outro período”, recomenda a transportadora nacional.

A TAP mostra-se ainda disponível para continuar as negociações com o sindicato que representa a tripulação de cabina e reitera que “fez todos os possíveis para que isso acontecesse em tempo útil, tendo agora de concentrar os seus esforços na organização da operação e na salvaguarda dos seus clientes”.

A companhia aérea pede desculpa aos passageiros pelos “efeitos nefastos desta greve anunciada”  e pela “perturbação que a mesma lhes poderá causar”, assegurando ainda que “está a fazer todos os esforços para os minimizar”.

Recorde-se que os tripulantes da TAP anunciaram uma greve nos dias 08 e 09 de dezembro, convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), apontando como motivos o “descontentamento, revolta e mal-estar” entre os trabalhadores.

A TAP e os sindicatos estiveram até esta segunda-feira, 21 de novembro, em negociações para a revisão do Acordo de Empresa (AE), no âmbito do plano de reestruturação, mas não foi possível chegar a acordo, uma vez que a companhia aérea propunha cortes nos salários e flexibilização de horários, enquanto os tripulantes queriam que o atual acordo de empresa fosse o ponto de partida e base para qualquer negociação futura.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Moçambique quer que “portugueses continuem a ser o primeiro navio” do investimento turístico no país

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, incentivou este fim-de-semana os empresários lusos a explorarem as oportunidades de negócio no país, nomeadamente no setor do turismo, que é prioritário para Moçambique.

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, incentivou este fim-de-semana os empresários lusos a explorarem as oportunidades de negócio no país, nomeadamente no setor do turismo, de forma a que “os portugueses continuem a ser o primeiro navio” do investimento no setor do turismo no país.

O chefe de Estado de Moçambique, que esteve presente na inauguração do Montebelo Alcobaça Historic Hotel, do Grupo Visabeira, que tem investimentos no turismo moçambicano, convidou os empresários portugueses a visitar “os destinos turísticos de Moçambique” e “explorem as oportunidades de investir”.

Filipe Nyusi garantiu que as autoridades moçambicanas estão empenhadas em tornar Moçambique num “destino seguro”, nomeadamente para o investimento estrangeiro, e incentivou também a Visabeira a continuar o investimento que tem realizado em Moçambique, uma vez que o turismo é um setor prioritário para o país.

O Presidente da República do Moçambique marcou presença na sessão solene de inauguração do Montebelo Alcobaça Historic Hotel, que decorreu este sábado, 19 de novembro.

A nova unidade, que conta com 91 unidades de alojamento instaladas no Claustro do Rachadouro, no Mosteiro de Alcobaça, resulta de um projeto de recuperação com a assinatura de Eduardo Souto Moura, que motivou um investimento de 24,5 milhões de euros.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

TUI Portugal lança campanha Blue Weeks

A TUI Portugal lançou uma nova campanha, denominada Blue Weeks, que conta com “ofertas de produto exclusivo e ainda condições especiais para Agentes de Viagens e cliente final”. As reservas estão disponíveis até 5 de dezembro.

A TUI Portugal lançou uma nova campanha, denominada Blue Weeks, que conta com “ofertas de produto exclusivo e ainda condições especiais para Agentes de Viagens e cliente final”.

Num comunicado enviado à imprensa, o operador turístico explica que esta campanha, que é subordinada ao lema “Há um destino para todos”, vai estar disponível ao longo de duas semanas e inclui “todos os destinos presentes na programação da TUI Portugal”, cujas reservas devem se realizadas até 5 de dezembro.

Destinos como Japão, Argentina, Chile, Nova Zelândia e Indochina (Camboja, Laos e Vietname), que o operador turístico relançou recentemente, estão incluídos nesta campanha, assim como os ‘best-sellers’ Maldivas, Maurícias, Zamzibar e Seychelles.

“Com esta campanha, que terá uma forte dinâmica de comunicação digital, o Operador espera inspirar os clientes a visitarem as Agências de Viagens parceiras em busca das melhores oportunidades para as próximas férias”, indica a TUI Portugal.

A nova campanha promocional da TUI Portugal inclui também um vídeo teaser, que pode ser  visualizado aqui.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Programa SAF Corporativo arrecada prémio de sustentabilidade para a Air France-KLM

A Air France-KLM foi distinguida pelo seu programa SAF Corporativo na categoria ‘Grande Empresa’ durante a gala dos XIII prémios Corresponsables, em Espanha.

A Air France-KLM foi distinguida pelo seu programa SAF Corporativo na categoria ‘Grande Empresa’ durante a gala dos XIII prémios Corresponsables, que foi atribuído na semana passada, numa cerimónia em Barcelona, Espanha.

De acordo com a Air Fran-KLM, os prémios Corresponsáveis “distinguem anualmente as melhores práticas de Responsabilidade Social, Sustentabilidade e ODS, além das melhores ações de comunicação corresponsável”.

Em destaque esteve o programa SAF Corporativo da Air France-KLM, que, segundo o grupo de aviação, “propõe às empresas desempenharem um papel ativo no futuro das viagens mais respeitosas com o ambiente”, uma vez que permite que os clientes corporativos possam estimar as emissões de CO2 das suas viagens e “determinar a contribuição anual que desejam dedicar ao referido programa”.

“Muito obrigado aos prémios Corresponsables e felicidades a todos os galardoados. É uma honra para a Air France-KLM receber este prémio, que nos incentiva a continuar a trabalhar em prol da sustentabilidade. O combustível de aviação sustentável é, hoje, uma das medidas mais eficazes para reduzir as emissões de CO2 das viagens aéreas. O nosso objetivo é aumentar cada vez mais a proporção de SAF que utilizamos”, afirma Laurent Perrier, diretor geral da Air France-KLM para Portugal e Espanha.

O responsável  espera também que este prémio funcione como “um incentivo” para que todos os clientes da Air France-KLM se juntem à iniciativa do programa SAF Corporativo.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Europcar anuncia participação na 10.ª Conferência de Gestão de Frotas

A Europcar participa na 10.ª Conferência de Gestão de Frotas, iniciativa dirigida aos responsáveis de compras e gestão de viaturas nas empresas e que decorre quinta-feira, 24 de novembro, no Centro de Congressos do Estoril.

A Europcar vai participar na 10.ª Conferência de Gestão de Frotas, iniciativa dirigida aos responsáveis de compras e gestão de viaturas nas empresas e que vai decorrer quinta-feira, 24 de novembro, no Centro de Congressos do Estoril.

Nesta iniciativa, organizada pela Fleet Magazine e que é considerada como o principal evento para um setor que representa cerca de 80% das viaturas que são vendidas no país, a Europcar vai promover a mobilidade sustentável e dar a conhecer as soluções disponíveis na sua frota.

“Com o objetivo de promover e acelerar a mobilidade sustentável em Portugal, a Europcar apresenta um stand na área de exposição do Congresso, onde os participantes podem ter contacto com um Tesla em exibição, exemplo da sua frota rumo à mobilidade sustentável”, indica a empresa de rent-a-car, em comunicado.

No mesmo stand, a Europcar vai também disponibilizar uma “Roda da Sorte” digital, onde os visitantes terão a oportunidade de, através de uma aplicação previamente aberta num tablet, rodar a Roda da Sorte e ganhar vários prémios.

“A ativação será transmitida para o público em tempo real através de LCD exposto e conectado ao tablet, de forma a que outros espectadores possam também observar o jogo a decorrer”, acrescenta a empresa.

Segundo Paulo Pinto, Head of Portugal do Europcar Mobility Group em Portugal, a presença neste evento pretende “promover e fortalecer o compromisso da Europcar com uma mobilidade mais sustentável, aumentando a consciencialização de todos os participantes para o tema”.

“Acreditamos que os carros elétricos e híbridos são uma realidade que veio para ficar, com todas as suas vantagens associadas, e estamos muito entusiasmados por poder passar esta mensagem num evento tão relevante para o setor”, acrescenta o responsável.

A 10.ª Conferência de Gestão de Frotas espera receber perto de 500 participantes e conta com uma área de exposição que vai contar com a participação dos mais de 30 patrocinadores do evento, que vão apresentar as suas soluções de mobilidade e frotas para empresas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Campanha em Times Square foi só o arranque da promoção de Portugal nos EUA

Além da campanha ‘Close to Us’, lançada na passada sexta-feira, 18 de novembro, em Times Square, Nova Iorque, o Turismo de Portugal conta com um “plano alargado” para promover Portugal nos EUA.

Além da campanha ‘Close to Us’, lançada na passada sexta-feira, 18 de novembro, em Times Square, Nova Iorque, o Turismo de Portugal conta com um “plano alargado” para promover Portugal nos EUA, no âmbito do qual estão previstas diversas iniciativas.

“A campanha “Close to US” faz parte de um plano alargado e inclui, além da ativação de marca em Times Square, a presença do Destino Portugal em plataformas de negócio, nomeadamente feiras e workshops; a implementação de uma estratégia de relações públicas tendo como alvo os principais opinion makers do país; e ainda uma forte campanha de marketing digital”, indica o Turismo de Portugal, num comunicado enviado à imprensa.

Segundo o Turismo de Portugal, o plano de promoção de Portugal tem um investimento previsto de 4,5 milhões de euros, a ser realizado este e no próximo ano, com o objetivo de “dar visibilidade a Portugal como destino inspirador, cujas pessoas sabem e gostam de receber, evidenciando a posição geográfica privilegiada e a conectividade entre a América do Norte e Portugal”.

No que diz respeito à campanha de marketing digital, o Turismo de Portugal explica ainda que esta será uma iniciativa “estritamente digital”, que inclui uma rede de três mil outdoors digitais presentes nos aeroportos de Nova Iorque e New Jersey, que têm ligações aéreas diretas para Portugal.

O Turismo de Portugal estima que esta campanha seja capaz de gerar “aproximadamente 55 milhões de impressões” e venha a ter um “impacte em cerca de 12 milhões de transeuntes e utilizadores dos aeroportos”.

“No âmbito do plano de atuação delineado pelo Turismo de Portugal há também o objetivo de captar, diversificar e reforçar as rotas áreas dos EUA para Portugal, tendo em conta as cidades de origem, as companhias e as cidades de destino. Aliás, o crescimento do mercado em matéria de conectividade tem sido evidente, tendo o verão de 2022 atingido praticamente o nível de 2019”, acrescenta o Turismo de Portugal.

Na informação divulgada, o organismo de promoção turística explica que os EUA “têm-se afirmado nos anos recentes como um dos mercados turísticos mais relevantes para Portugal, registando até setembro de 2022, e em comparação com 2019, crescimentos de 21,6 e 22,4% respetivamente nos indicadores do número de hóspedes e dormidas”.

“Estes números colocam presentemente o mercado dos EUA como o 4º principal mercado emissor para Portugal e o 5º em termos de dormidas. Em relação às receitas turísticas o mercado registava no acumulado do ano (jan a set) deste ano um aumento de 48% face ao mesmo período de 2019”, acrescenta o comunicado.

Para Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, esta ação tática “muito pertinente” justifica-se porque os EUA são um mercado “cada vez mais importante para Portugal” e que tem apresentado indicadores turísticos “extraordinários”.

“Se, em 2021, os EUA já eram o 6.º mercado turístico da procura externa para o destino Portugal, em 2022 irão assumir uma posição ainda mais importante, contribuindo para a diversificação de mercados emissores. Este plano estratégico de comunicação, especialmente desenhado para este mercado, apresenta Portugal não só como o grande país que é, mas sobretudo como destino turístico fascinante e único no mundo”, acrescenta Luís Araújo.

Recorde-se que o Turismo de Portugal lançou sexta-feira, 18 de novembro, a campanha ‘Close to Us’ em Times Square, em Nova Iorque, nos EUA, convidando os norte-americanos a conhecerem Portugal através de vídeos de projetaram o país ao longo de uma hora nos ecrãs desta conhecida praça novaiorquina.

“O Turismo de Portugal “entregou” cada um dos ecrãs de Times Square a portugueses para que estes pudessem mostrar ao mundo o melhor que o país tem – as pessoas e o seu património natural e histórico, bem como passar a mensagem de que o turismo do futuro se faz de maneira responsável e sustentável, contribuindo para um planeta melhor”, explica o Turismo de Portugal.

Com esta campanha, o Turismo de Portugal pretendeu mostrar a “diversidade da oferta turística de Portugal e das suas regiões, em particular o que tem mais impacto no público americano (sem esquecer, contudo, todas as outras nacionalidades que passam por esta praça emblemática e palco do mundo)”.

Além das imagens do país, a campanha contou também com o lançamento da mais recente figura de cera do museu Madame Tussauds New York, Cristiano Ronaldo, que vai ficar patente no museu num espaço dedicado ao atleta português denominado: The CR7 Experience.

O Turismo de Portugal relembra ainda que, em 2018, na mesma praça, Times Square, já tinha sido realizada uma ação de ativação de marca com foco nas ondas portuguesas, mostrando Portugal como destino de Surf e destacando a onda gigante da Nazaré, a maior onda surfada do mundo, numa ação que impactou globalmente cerca de 300 milhões de pessoas.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

DER Touristk Hotels & Resorts planeia renovação do Sentido Galosol

A unidade localizada no Caniço, na Ilha da Madeira será alvo de uma renovação a partir de janeiro de 2023.

A DERT Touristik Hotels & Resorts continua a investir no Galo Resort localizado no Caniço, na Ilha da Madeira, através da renovação dos 125 quartos do Sentido Galosol. Nos planos está ainda prevista a criação de um novo conceito de beach living na área da piscina do hotel.

O investimento surge na sequência do projeto de renovação das áreas comuns do hotel, da receção, do restaurante buffet com adega e do bar do hotel, que tiveram lugar no início deste ano, como indicado em comunicado.

A renovação dos 125 quartos terá início em janeiro de 2023 e será concluída em meados de abril. O objetivo passa por reabrir a unidade a tempo da Festa da Flor, que decorre no final desse mês.

Para a renovação serão escolhidos “tecidos e esquemas de cores que refletem padrões do design português e madeirense”, bem como materiais naturais que pretendem conferir aos quartos “um ambiente leve e arejado”. Para que a unidade possa continuar o seu “compromisso com o ambiente, o projeto incluirá aspetos fundamentais como a gestão da água e a eficiência da eletricidade”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Hotelaria

Dionísio Pestana: “Se não tivesse seguido o desafio do meu pai, estaria na banca ou na bolsa na África do Sul”

Com as previsões a apontarem para uma faturação recorde de 500 milhões de euros para 2022, o presidente do grupo Pestana está otimista para 2023. Contudo, Dionísio Pestana revelou que “o que está em execução é para acabar, o que for novo, vamos aguardar”. Assim, para o ano serão inaugurados dois hotéis em Lisboa – Alfama e Rua Augusta – e arrancará o de Paris.

Victor Jorge

Foi durante o almoço com a imprensa, no âmbito das comemorações do 50.º aniversário do Grupo Pestana, que Dionísio Pestana, presidente do grupo, admitiu que, se não tivesse aceitado o desafio do pai, em 1976, “estaria na banca na África do Sul. Em boa hora isso não aconteceu”.

Foi a 20 de novembro de 1972 que nasceu o maior grupo hoteleiro português, com a inauguração do que é hoje o Pestana Carlton Madeira. Mas a história do grupo começa em 1966 e com um preço de 18.000 contos (hoje, 90 mil euros) pago por um terreno no Funchal onde seria erguido o que é hoje o Pestana Carlton Madeira, inaugurado há 50 anos.

Mas foi depois de o pai “dar como perdido o negócio hoteleiro”, como referiu Dionísio Pestana, que se dá a viagem da África do Sul para a Madeira, onde, inicialmente, a vontade do agora presidente do grupo era ser “diplomata, já que adorava viajar”.

“A revolução tinha destruído completamente o projeto e quando cheguei percebi que isto não era um problema, era um problemão”, reconhece Dionísio Pestana para revelar que, “com o tempo comecei a acreditar que era possível realizar o sonho do meu pai e fui alimentando também o meu próprio sonho”.

Ora esse sonho é hoje o maior grupo hoteleiro, com 108 hotéis espalhados por 16 países, e uma faturação prevista de 500 milhões de euros para 2022 – 80% em Portugal e 20% em estrangeiro – e cujos principais mercados são o britânico, alemão e na “agradável surpresa” em que se tornou o americano. De resto, Dionísio Pestana acredita que a aposta deve ser feita em mercados que distam duas a três horas de viagem ou então, nos Estados Unidos, já que se trata de um mercado que “paga mais e que tem maior poder de compra”.

Voltando, contudo, um pouco atrás no tempo, é com o “time-sharing” na década de 1980, que se dá o “turning-point” do grupo Pestana. Importado dos EUA, as pessoas tinham a possibilidade de comprar uma semana de férias por 30 anos – hoje já só por 10 anos -, tendo a primeira venda sido feito para o mercado britânico. “Hoje ainda temos famílias que compraram nessa altura e que ficaram connosco os 30 anos e renovaram por mais dez e por mais dez”. E foi, precisamente, essa tesouraria que possibilitou a concretização da parte financeira e na construção do grupo.

Acabar o que está em execução e abrandar em novos projetos
Quanto ao futuro, Dionísio Pestana considera que “as maiores preocupações são a inflação e os juros”. No que diz respeito à primeira, “já passámos por isso e o segredo está no aumento da produtividade, tendo imaginação na área das equipas, manter a receita e defender as margens”, disse o presidente do Pestana.

Já quanto aos juros, “é preciso estar sempre de olho na tesouraria e nos novos projetos que ficam congelados”, salientando Dionísio Pestana que, “o que está em execução é para acabar, o que for novo, vamos aguardar”. E o que está em execução são dois hotéis em Lisboa – Alfama e Rua Augusta –, a inaugurar durante o 1.º semestre de 2023, altura em que arrancará o outro projeto, em Paris, junto à Gare d’Austerlitz, um investimento de 60 milhões de euros, em que o grupo ficou com a parte hoteleira, com 210 quartos, num projeto de 100.000 m2 de construção.

De fora fica a possibilidade de vender qualquer ativo, situação que aconteceu com o Pestana Blue Alvor, adquirido pela Azora através do fundo Azora European Hotel & Lodging.

“Os fundos vieram revolucionar muito o negócio da imobiliária hoteleira, negócio esse que era dos bancos”, considera Dionísio Pestana, admitindo, também, que todos os meses o grupo tem abordagens por parte de fundos para a compra de ativos Pestana. Com José Theotónio ao lado do presidente, foi o CEO do grupo Pestana quem melhor caracterizou a venda desse ativo: “foi um negócio em que foi batida a cláusula de rescisão”, referiu, com Dionísio Pestana a frisar que “o negócio estava a correr bem”. Contudo, fica a revelação de que, “se não for estratégico”, a venda será “sempre equacionada”.

Com um dos problemas a residir no aumento dos custos – +10%, em geral, e 25% na energia – o presidente do grupo Pestana revelou que, também os custos com o pessoal aumentaram. Nesse aspeto, e com as outras preocupações – inflação e juros “resolvida” – no caso do capital humano, Dionísio Pestana salienta que “a estrutura está profissionalizada e preparada para o futuro. Não podemos ter medo, temos de estar preparados e temos gente capaz para o fazer”.

Contudo, admite que “não há mão-de-obra em Portugal e, por isso, temos de ir buscar fora”, dando como exemplo a Suíça: “se formos à Suíça, não são os suíços que trabalham na hotelaria”. E deu o exemplo da flexibilidade e adaptabilidade que se tem de ter, sem prejudicar negócio e operação: “nós temos colaboradores que a exigência que fazem é de entrar às 15 horas. Porquê? Porque querem ter a parte da manhã para ir praticar surf. Mas depois não se importam de trabalhar o resto do dia todo e ao fim-de-semana”.

“O que não podemos ter, são pessoas que não querem trabalhar aos fins-de-semana, já que a hotelaria se trata de um negócio que funciona 365 dias por ano, 24 horas por dia. Teremos sempre de ter turnos rotativos, sempre pessoal disponível, mas claro que podemos sempre ter alguma adaptabilidade”, referiu Dionísio Pestana, não se alargando muito em comentários sobre a proposta de quatro dias de trabalho, “realidade impossível de considerar para a hotelaria”.

Reconhecendo que existe alguma dificuldade em “importar” pessoal, a solução indicada está na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), “países que sabem a nossa língua”, advertindo, no entanto, que “são precisos vistos” e que, nesta matéria é preciso rapidez para não se continuar a debater sempre a falta de pessoal.

Certo é que para o próximo ano de 2023, o grupo Pestana já se encontra preparado para dar início ao processo de contratação e formação, tudo porque “o próximo verão vai ser bom”, admitiu Dionísio Pestana.

 

*O Publituris/Publituris Hotelaria viajaram para o Funchal a convite do grupo Pestana no âmbito das comemorações do 50.º aniversário.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.