Modelo de promoção turística aguarda parecer do Conselho Económico e Social

Por a 10 de Setembro de 2013 as 14:55

O Governo quer definir um novo modelo de promoção turística que seja “segmentado, ágil e eficaz” através de uma lógica descentralizada, referem as Grandes Opções do Plano (GOP) para 2014, a que a Lusa teve acesso.

Para além do novo modelo de promoção, o Governo quer criar “novos instrumentos, em colaboração com as associações de ‘business angels’ e outros investidores privados, para a promoção do empreendedorismo e para recapitalização e consolidação do sector do turismo”, pretendendo também “rever e reestruturar” as participações financeiras do Turismo de Portugal.

“Em 2014 será ainda definido um novo modelo de promoção turística segmentado, ágil e eficaz, que permita articular a promoção da marca Portugal e do destino, com os produtos turísticos regionais, e com a comercialização. Este novo modelo permitirá realizar uma promoção assente numa definição descentralizada e participada do posicionamento do destino turístico e na execução articulada e focada nos resultados”, escrevem os autores do texto.

O objectivo da redefinição da estratégia é “garantir uma maior articulação e concertação do turismo com outros sectores, como o agroalimentar, a cultura, a indústria, os transportes e o mar”.

Segundo a Lusa, o Governo aprovou a 5 de Setembro o anteprojecto das Grandes Opções do Plano com as grandes linhas orientadoras para o próximo ano e enviou-o esta terça-feira ao Conselho Económico e Social (CES) para que este órgão emita o respectivo parecer. No próximo dia 23 de Setembro, a Comissão Especializada Permanente de Política Económica e Social (CEPES) dará início à elaboração do parecer do CES sobre as Grandes Opções do Plano para 2014. O relator deste parecer é o conselheiro Francisco Maria Calheiros, presidente da Confederação Portuguesa de Turismo.

Após o parecer do CES, o Governo aprovará a proposta final de GOP para 2014 e, juntamente com a proposta de Orçamento do Estado, enviá-las-á para a Assembleia da República até 15 de Outubro.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *