Assine já
Destinos

EUA: Furacão “Sandy” põe turismo em estado de alerta

Várias companhias aéreas, como a TAP, cancelaram voos. Associação internacional de turismo de negócios estima que serão canceladas mais de 514 mil viagens, causando perdas de 468 milhões de euros.

Tiago da Cunha Esteves
Destinos

EUA: Furacão “Sandy” põe turismo em estado de alerta

Várias companhias aéreas, como a TAP, cancelaram voos. Associação internacional de turismo de negócios estima que serão canceladas mais de 514 mil viagens, causando perdas de 468 milhões de euros.

Sobre o autor
Tiago da Cunha Esteves
Artigos relacionados
Impacto da COVID-19 em Nova Iorque calculado em mais de 60 mil milhões de dólares
Destinos
Israel relança turismo com campanha a partir de maio
Destinos
Buildings Stock photos by Vecteezy
Air Europa recupera frequência de voos para Miami e Nova
Destinos
Uma “oportunidade-chave” para reforçar posicionamento do Algarve
Destinos

Milhares de pessoas foram retiradas de cidades como Nova Iorque e Nova Jersey, num dia em que não houve transportes públicos. Estima-se que um total de 50 milhões de pessoas possam ser afectadas pelo furacão.

De acordo com um relatório divulgado pela ‘Global Business Travel Association’ (GBTA), o turismo de negócios poderá ser um dos segmentos mais afectados. A associação estimou que um total de 514 mil viagens deverão ser canceladas, levando à perda de 606 milhões de dólares (468 milhões de euros).

Por cá, a TAP anunciou na manhã de segunda-feira o cancelamento de um voo que estava previsto para Nova Iorque “e que deveria partir do Aeroporto Sá Carneiro, no Porto, às 11:45, com destino a Newark”, segundo disse à Lusa fonte da direcção de comunicação da companhia aérea.

Sobre o autorTiago da Cunha Esteves

Tiago da Cunha Esteves

Mais artigos
Artigos relacionados
Header Stock photos by Vecteezy
Destinos

Vontade de viajar em 2022 existe, com segurança à frente do preço

Os europeus são, segundo uma pesquisa realizada pela IPK International para a ITB Berlim, os que maior vontade sentem para viajar em 2022. Sol e praia estão no topo das preferências, com a segurança a levar a melhor ao preço.

Os resultados de um inquérito recente conduzido pela IPK International para a ITB Berlim, mostram um aumento nas intenções de viagem, concluindo-se que 80% dos entrevistados em todo o mundo planeiam viagens internacionais nos próximos 12 meses.

Férias de sol e praia estão em alta, mas também férias na cidade e perto da natureza, verificando-se que, embora cada vez mais as pessoas queiram viajar, as últimas descobertas continuam a refletir preocupações em relação à pandemia.

O estudo da IPK International, apesar de indicar que o interesse em viajar aumentou significativamente desde o início do ano, também revela que essa intenção varia de continente para continente. As intenções dos europeus de viajar para o exterior são agora quase 90% do nível pré-pandemia, enquanto no caso dos americanos, o valor baixa para 70% e os asiáticos estejam nos 60%, “mas com uma forte tendência de alta nos últimos meses”, refere o estudo.

Destinos populares em 2022
Os europeus preferem, claramente, “destinos no seu próprio continente para a próxima temporada de viagens”, com Espanha a aparecer em primeiro lugar, seguida pela Itália e Alemanha, bem como França e Grécia.

Os destinos preferidos dos americanos são os países vizinhos EUA, Canadá e México, além de destinos na Europa – principalmente Itália e Alemanha.

Na Ásia, as pessoas estão a planear, principalmente, visitar destinos asiáticos (Japão, Coreia do Sul, Vietname, China), enquanto na Europa, França seria o destino preferido.

Segurança supera preço
Globalmente, o grupo-alvo de viajantes no exterior já está vacinado ou recuperou (90%). No entanto, ainda existe uma preocupação considerável com a taxa de infeção, tendo este aspeto ficado evidente quando se trata da pergunta “Destino com baixa taxa de infeção ou preço de viagem favorável?” A grande maioria dos viajantes internacionais optaria por um destino com baixa taxa de infeção.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Administração da PHC Hotels homenageia Manuel Pinto

No momento em que cessa funções para entrar numa situação de reforma, a administração da Portuguese Hospitality Collection, homenageia Manuel Pinto, que esteve 28 anos à frente do Hotel Mundial e posteriormente PHC Hotels.

No momento em que cessa funções para entrar numa situação de reforma, a administração da Portuguese Hospitality Collection, homenageia Manuel Pinto, cuja carreira de 42 anos, conta com 28 dos mesmos à frente do Hotel Mundial e posteriormente PHC Hotels.

Trata-se, de acordo com nota de imprensa, do reconhecimento do exemplo de carreira de Manuel Pinto, atualmente com 72 anos de idade, e a gratidão pela dedicação a este grupo hoteleiro.

É também o reconhecimento “a esta pessoa de caráter extraordinário, que formou uma equipa de sucesso, que ao longo da sua carreira criou pontes entre os agentes do turismo, restauração e até mesmo aviação, contribuindo sempre para o desenvolvimento do sector a nível nacional”.

“É uma vida inteira dedicada à hotelaria e turismo nacional, um verdadeiro embaixador de Portugal no mundo, referência profissional reconhecida internacionalmente e uma inspiração para todos os que hoje dão os primeiros passos na hotelaria, indica ainda o comunicado, para lembrar que Manuel Pinto fecha no final deste mês este ciclo de liderança dos destinos desta marca.

Os administradores da PHC Hotels, consideram que “reconhecido pela sua proatividade, estratégia comercial e de gestão, o diretor Manuel Pinto deixa nas nossas unidades a marca de uma pessoa visionária, que sempre pensou o futuro e o anteviu através dos factos e da sua própria experiência, adaptando-o e alterando-o tantas vezes quantas foram necessárias para responder àquilo que sempre foi o foco do seu trabalho: as necessidades dos clientes”.

Carla Maximino e Mário Maximino, citados na nota de imprensa acrescentam que “foi um privilégio tê-lo como diretor, partilhar o seu dia-a-dia, os altos e baixos deste negócio com que sempre lidou com o mesmo entusiasmo e determinação desde o primeiro dia”.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Transportes

ICAO assinala Dia Internacional da Aviação Civil com foco na inovação

Inovações para uma maior conetividade foi o mote das celebrações dos 75 anos de fundação da Organização Internacional da Aviação Civil – ICAO, assinalado terça-feira.

A Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO) assinalou a data dos 75 anos da sua fundação com o foco em inovações para uma maior conetividade.

Na terça-feira, 07 de dezembro, em que se celebrou também o Dia Internacional da Aviação Civil, este organismo das Nações Unidas promoveu a consciência sobre a importância do setor para o desenvolvimento socioeconómico, ressaltando o transporte de mais de 4 mil milhões de passageiros por ano, número que equivale a mais da metade de toda a população mundial.

A promoção da inovação para o desenvolvimento da aviação comercial mundial será, inclusive, o tema escolhido para celebrar este dia, até 2023, uma aposta da ICAO pós pandemia. Em tempos da pandemia, a agência ressalta que a inovação e prudência têm apoiado os países na resposta e recuperação.

Para o pós-pandemia a aposta é a inovação com “a chegada e avanços em aviões autónomos, energia renovável e fontes de propulsão, voo suborbitais, inteligência artificial, macro dados, tecnologia blockchain e outros”.

Na década final de implementação da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável, a agência realça a importância da aviação como um motor de conetividade global que nunca foi tão relevante.

O transporte aéreo mundial emprega 65,5 milhões de pessoas e gera 2,7 biliões de dólares na atividade económica, recorda o organismo. Em média, estes funcionários ajudam a operar 120 mil voos diários e 12 milhões de passageiros para diferentes destinos.

Uma das principais referências de atuação da ICAO são os objetivos da Convenção de Chicago prevendo olhar para a aviação internacional “como um facilitador fundamental da paz e prosperidade globais”.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Destinos

Viajantes da UE continuarão a beneficiar de “roaming” gratuito até 2032

Em vigor desde 2017, o Parlamento Europeu e Conselho da União Europeia decidiram prolongar o acordo que determina o fim do “roaming” na UE.

O Parlamento Europeu e o Conselho da União Europeia chegaram a acordo para prolongar, até 2032, o atual acordo que determina o fim do “roaming”, segundo o qual os cidadãos não podem ser sujeitos a encargos adicionais por chamadas efetuadas ou dados utilizados quando viajam na UE.

As chamadas, mensagens e dados móveis não terão, assim, quaisquer custos para os cidadãos nas suas viagens pela UE, indicando a nota de imprensa da Comissão que os cidadãos terão “um melhor acesso a comunicações de emergência, independentemente do local da Europa em que se encontrem; terão ainda o direito a serem devidamente informados sobre a possibilidade de os serviços que utilizam em itinerância ocasionarem encargos inadvertidos”. O regulamento entrará em vigor em 1 de julho de 2022.

Margrethe Vestager, vice-presidente executiva de “Uma Europa Preparada para a Era Digital”, afirma que foi garantida a “manutenção dos benefícios [em vigor desde 2017] durante mais dez anos, para que possamos permanecer conectados e telefonar, enviar mensagens e navegar na Internet sem custos adicionais quando viajamos na UE.”

Thierry Breton, comissário responsável pelo Mercado Interno, declarou, por sua vez, que “viajar no estrangeiro sem preocupações com as faturas de telefone é uma parte tangível da experiência do mercado único da UE para todos os europeus. Hoje, estamos não só a garantir a continuidade desta experiência, como também a atualizá-la: com melhor qualidade, melhores serviços e ainda mais transparência”.

Maior qualidade para os consumidores
Os consumidores beneficiarão de acesso a serviços de ‘roaming’, quando viajam, com a mesma qualidade que usufruem no país de origem, lê-se na note da CE. Os consumidores que normalmente dispõem de serviços 5G no seu país poderão também beneficiar de serviços de ‘roaming’ 5G, sempre que estes estejam disponíveis, com os operadores a terem de informar prontamente os seus clientes de eventuais fatores específicos que possam influenciar a qualidade da experiência de itinerância.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Qatar Airways aumenta frequências para 18 destinos na época festival do Natal e Ano Novo

Companhia aérea do Qatar explica que o aumento de frequências para 18 destinos da sua rede pretende”dar resposta à procura de viagens durante o pico da época de férias de inverno”.

A Qatar Airways vai aumentar o número de frequências disponibilizadas para 18 destinos da sua rede durante o Natal e Ano Novo, de forma a “dar resposta à procura de viagens durante o pico da época de férias de inverno”, informou a companhia aérea do Qatar em comunicado.

De acordo com a informação divulgada pela companhia aérea, entre os destinos que vão contar com um aumento de frequências encontram-se as novas rotas para Odesa, na Ucrânia, que a companhia aérea lançou a 9 de dezembro de 2021, com três voos por semana, para Tashkent, no Uzbequistão, que vai abrir a 17 de janeiro de 2022, com dois voos por semana, e a rota de Almaty, no Cazaquistão, que foi inaugurada a 19 de novembro de 2021.

Além destes destinos, a companhia aérea do Qatar vai também aumentar o número de voos para Abu Dhabi, Argel, Banguecoque, Berlim, Cebu e Clark (Filipinas), Colombo, Copenhaga, Helsínquia, Kuala Lumpur, Kuwait, Londres, Medina, Paris, Phuket, Salalah (Omã), Sharjah (Emirados Árabes Unidos) e Zurique.

“A Qatar Airways continua a desenvolver sua programação e a sua rede, aumentando as frequências para muitos destinos populares em todo o mundo, ao mesmo tempo que adota  rígidas medidas de segurança tanto no solo quanto no ar para garantir a segurança e o bem-estar dos passageiros e funcionários. Este aumento proporcionará ainda mais opções para os nossos passageiros de negócios e lazer”, destaca Akbar Al Baker, CEO da Qatar Airways.

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Destinos

“Reestruturações Empresariais” são tema de webinar do Turismo de Portugal

Webinar sobre o tema “Reestruturações Empresariais: como responder a condições de mercado desfavoráveis” decorre na segunda-feira, 13 de dezembro, pelas 15h00, no âmbito do programa BEST.

O Turismo de Portugal vai promover na próxima segunda-feira, 13 de dezembro, um webinar sobre o tema “Reestruturações Empresariais: como responder a condições de mercado desfavoráveis”, a decorrer a partir das 15h00 e destinado a “empresários, empreendedores e gestores do setor”, no âmbito do programa de formação BEST.

“Este webinar, integrado no âmbito do Programa BEST, pretende dotar as empresas de conhecimentos que lhes permitam identificar não só uma situação de pressão financeira, como em que condições devem promover uma reestruturação financeira e/ou uma reestruturação operacional do seu negócio, e também como devem atuar tendo em vista atingir esses objetivos e assegurar um crescimento estável e garantir a sustentabilidade da organização”, explica o Turismo de Portugal, em comunicado.

A abertura do webinar vai ficar a cargo de Carlos Abade, do Turismo de Portugal, seguindo-se, pelas 15h10, o tema Mecanismos disponíveis para a reestruturação financeira, com a participação de Ricardo André Reis, Financial Advisory da Deloitte Portugal.

Pelas 15h30, o debate segue com o tema “Soluções para a renegociação do crédito”, neste caso, com a participação de Rui Maximino, do Millennium BCP, enquanto Margarida Almeida, da Amazing Evolution Management, vai ainda falar sobre a “Reestruturação operacional: uma oportunidade para voltar a crescer”. Pelas 16h15, tem lugar o encerramento do webinar.

O webinar tem participação livre, mas requer inscrição prévia, que pode ser realizada através da Academia Digital do Turismo de Portugal.

 

 

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Candidaturas à Bandeira Azul 2022 abertas até 15 janeiro

Estão abertas até 15 de janeiro as candidaturas à Bandeira Azul 2022 para praias, marinas e portos de recreio, embarcações de ecoturismo e centros azuis.

As candidaturas à Bandeira Azul 2022 para praias, marinas e portos de recreio, embarcações de ecoturismo e centros azuis estão abertas até ao próximo dia15 de janeiro.

A plataforma de candidatura está disponível para promotores, municípios, embarcações ecoturísticas, portos de recreio e marinas que pretendam apresentar as suas candidaturas ao galardão que distingue a excelência ambiental de destinos turísticos náuticos e de sol e mar, no âmbito da sustentabilidade do turismo, indica o Turismo de Portugal no seu site oficial.

O Programa Bandeira Azul promove o desenvolvimento sustentável em áreas costeiras, fluviais e lacustres, a partir do desafio lançado aos gestores de praias, marinas e embarcações para alcançar padrões de excelência num conjunto de critérios relacionados com Informação e Educação Ambiental, Qualidade da Água Balnear, Gestão Ambiental, Segurança e Serviços, Responsabilidade Social e Envolvimento Comunitário.

O objetivo é tornar possível a coexistência entre o desenvolvimento do turismo e o respeito pelo ambiente local, regional e nacional. Os mais de 30 anos do programa comprovam que é considerado e reconhecido como um eco-label por operadores turísticos, decisores e público em geral.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Desde a abertura: Expo 2020 Dubai registou 5,66 milhões de visitantes

A Expo 2020 Dubai, que abriu portas a 01 de outubro, registou no domingo passado, dia 05 de dezembro, a marca dos 5,66 milhões de visitantes, dos quais mais de um quarto estrangeiros.

A Expo 2020, que decorre no Dubai, registou no domingo passado, dia 05 de dezembro, a marca dos 5.663.960 visitantes. Só em novembro, mais de um quarto dos visitantes eram de fora dos Emirados Árabes Unidos, designadamente, da Índia, França, Alemanha, Arábia Saudita, e Reino Unido.

Desde a sua abertura, a 01 de outubro, segundo nota do Turismo do Dubai, a exposição foi visitada por 5.383 líderes governamentais, incluindo ministros, primeiros-ministros e chefes de Estado. No mesmo período decorreram no recinto 10.461 eventos.

Diz a nota deste primeiro balanço que, seis em cada dez visitantes (57%) dispõem agora de um Expo Season Pass, com o número de visitantes repetidos nos primeiros dois meses a atingir 1,2 milhões, enquanto o programa Expo Escola atraiu cerca de 250 mil alunos de escolas públicas e privadas de todo o país, que participaram em 10 mil visitas de estudo. Também a visita virtual da Expo 2020 aumentou para 25 milhões, motivada pela grande procura do [email protected]

Em novembro, a dinâmica programação da Expo 2020 atraiu também “change makers” de todas as partes do mundo, com duas das dez semanas temáticas a acontecerem neste período – a Semana do Desenvolvimento Urbano e Rural e a Semana da Tolerância e Inclusividade – bem como festividades e atividades para assinalar o Dia Mundial da Criança, o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência e o Dia Internacional do Voluntariado.

No passado dia 02 de dezembro, para assinalar os 50 anos da assinatura do tratado que reuniu os sete Emirados Árabes, a Expo 2020 Dubai abriu as portas gratuitamente.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

São Paulo passa a exigir certificado de vacinação a partir de 15 de dezembro

Informação foi avançada por João Doria, governador do estado de São Paulo, que revelou que o certificado vai ser exigido nos aeroportos internacionais do estado, a partir de 15 de dezembro.

O estado de São Paulo, no Brasil, anunciou que vai passar a exigir o certificado de vacinação aos viajantes que cheguem ao país a partir de 15 de dezembro, independentemente de qual venha a ser a decisão do Governo Federal sobre a exigência do documento.

De acordo com a Lusa, que cita João Doria, governador de São Paulo, estado que é o mais populoso do Brasil, o certificado de vacinação vai passar a ser exigido nos aeroportos internacionais do estado a partir de 15 de dezembro, mesmo que o Governo brasileiro venha a decidir em sentido oposto.

“Aqui não vai ser um paraíso dos negacionistas. Portanto, se o Governo Federal não adotar o passaporte até 15 de dezembro, São Paulo o fará e o exigirá nos seus aeroportos internacionais”, disse o governador de São Paulo, João Doria, que é contra a firme rejeição dessa medida por parte do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

João Doria lembrou que o certificado de vacinação contra o novo coronavírus já foi adotado por vários países no mundo e destacou que chegou a ser recomendado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa, órgão regulador do Brasil) para evitar a disseminação da doença, como forma a fazer face aos temores pela variante Ómicron.

“A medida foi corretamente recomendada pela Anvisa. Não há razão para que o Governo Federal negue ou não avance no passaporte, exceto por questões políticas ou ideológicas”, acrescentou, numa crítica ao Presidente brasileiro, que ainda na terça-feira, 7 de dezembro, reafirmou que não restringirá o acesso ao país através da apresentação de certificados de vacinação, ainda que seja necessário apresentar um teste negativo à chegada, enquanto os não vacinados devem cumprir um período de quarentena de cinco dias.

Recorde-se que, além de ser o estado mais populoso do Brasil, com 42 milhões de habitantes, São Paulo é também o estado mais rico e a principal porta de entrada no país, uma vez que dispõe do maior aeroporto internacional da América do Sul.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

IATA pede fim imediato de restrições “sem fundamento” contra a variante Ómicron

Willie Walsh, diretor geral da associação, lembra que, depois de dois anos de pandemia, o mundo já sabe “muito sobre o vírus e sobre a inutilidade das restrições de viagens para controlar a sua transmissão”.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) veio esta quarta-feira, 8 de dezembro, pedir aos governos que sigam as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e levantem “imediatamente” as restrições “sem fundamento” que foram adotadas em vários países devido à nova variante Ómicron.

“A IATA pediu aos governos que sigam os conselhos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e rescindam imediatamente as proibições de viagens que foram introduzidas em resposta à variante Ómicron do coronavírus”, refere a associação, num comunicado enviado à imprensa.

De acordo Willie Walsh, diretor geral da IATA, depois de dois anos de pandemia, o mundo já sabe “muito sobre o vírus e sobre a inutilidade das restrições de viagens para controlar a sua transmissão”, ainda que o surgimento da nova variante Ómicron pareça ter provocado “uma amnésia instantânea”.

Para a IATA, é fundamental que se ponha fim ao “caos” causado pela emergência gerada pela deteção da variante Ómicron e que se acabe com “medidas descoordenadas, sem fundamento e sem avaliação de risco que os viajantes enfrentam”.

No futuro, apela ainda a associação, as estratégias para a aviação civil devem ser adaptáveis, proporcionais, não discriminatórias e frequentemente revistas à luz dos dados mais recentes da pandemia, que causou grandes perdas à indústria aérea nos últimos dois anos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.