Assine já
Destinos

“Não está em causa a ATL desaparecer”

Em entrevista ao Publituris, o director-geral da Associação de Turismo de Lisboa falou da reorganização regional e do impacto que os eventos de 2012 terão no destino.

Tiago da Cunha Esteves
Destinos

“Não está em causa a ATL desaparecer”

Em entrevista ao Publituris, o director-geral da Associação de Turismo de Lisboa falou da reorganização regional e do impacto que os eventos de 2012 terão no destino.

Sobre o autor
Tiago da Cunha Esteves
Artigos relacionados
ATL convoca Assembleia Geral Extraordinária para debater reorganização regional
Destinos
ATL aprova moção contra proposta da reorganização regional
Destinos
“Devem ser sempre os municípios a liderar a intervenção do seu território”
Destinos
Vítor Costa
“Sem um novo aeroporto, o Turismo pode abrandar”
Destinos
novo aeroporto

O director-geral da Associação de Turismo de Lisboa (ATL), Vítor Costa, não teme as mudanças que se avizinham com a reorganização regional do turismo. “O desejo da ATL é estar no sistema, mas não está em causa acabar ou não com a associação. O que está em causa é, eventualmente, a ATL não ter nenhum contrato, no limite, com o Governo sobre estas matérias. Mas a ATL tem meios próprios, associados, públicos e privados, e vai continuar a fazer o seu trabalho. Não está em causa a ATL desaparecer”, afirmou, em entrevista ao Publituris.

Leia o artigo completo na edição impressa do Publituris desta semana.

Sobre o autorTiago da Cunha Esteves

Tiago da Cunha Esteves

Mais artigos
Artigos relacionados
Hotelaria

Hotéis Heritage Lisboa incluídos nos “Historic Hotels Worldwide”

As cinco unidades históricas pertencentes aos Hotéis Heritage Lisboa passam a fazer parte do programa oficial do National Trust for Historic Preservation, “Historic Hotels Worldwide”.

As cinco unidades históricas pertencentes aos Hoteis Heritage Lisboa – As Janelas Verdes, Heritage Avenida Liberdade, Hotel Britania Art Deco, Hotel Lisboa Plaza e Solar do Castelo – foram incluídos no Historic Hotels Worldwide, programa oficial do National Trust for Historic Preservation (Estados Unidos da América) para reconhecer e celebrar os melhores hotéis históricos em todo o mundo.

Historic Hotels Worldwide promove o património e as viagens culturais apresentando uma prestigiosa coleção de tesouros históricos, incluindo hotéis historicamente relevantes e outros hotéis icónicos e lendários que abrangem mais de 10 séculos.

Em comunicado, Lawrence P. Horwitz, vice-presidente executivo da Historic Hotels of America e da Historic Hotels Worldwide, diz estar “muito satisfeito em introduzir os cinco hotéis históricos dos Hoteis Heritage Lisboa nos Historic Hotels Worldwide”.

De referir que a associação Historic Hotels Worldwide é exclusiva para hotéis e resorts historicamente relevantes que estejam em edifícios com pelo menos 75 anos de idade.

Como uma coleção diversificada e de prestígio, cada hotel empossado deve possuir uma ou mais das seguintes qualidades: serviu como antiga casa, ou está localizado no terreno da antiga casa, de pessoas famosas, ou é um importante local para um evento na história; está localizado em ou a uma curta distância de um distrito histórico, marco histórico significativo, local de um evento histórico ou centro histórico da cidade; foi reconhecido por uma organização local de preservação ou por um fundo nacional; e exibe recordações históricas, obras de arte, fotografias ou outros exemplos de seu significado histórico.

Os Hoteis Heritage Lisboa foram criados com a ideia de promover hotéis históricos que reflitam o património, as tradições históricas e a cultura de Portugal e Lisboa.

Instalados em palacetes e pequenos edifícios históricos localizados no centro histórico de Lisboa, estes pequenos hotéis oferecem, segundo refere a cadeia, “um ambiente romântico e acolhedor”, salientando ainda que este equilíbrio especial foi conseguido entre “as tradições locais e o conforto atual, criando assim uma alternativa autêntica aos hotéis de luxo formais. A localização dos hotéis no centro histórico de Lisboa facilita o contacto imediato com os aspetos mais genuínos da cidade, desde os seus monumentos às suas gentes”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

TAP tem nova vogal do Conselho de Administração

Sofia Lufinha substitui Alexandra Reis, que tinha sido nomeada pelos anteriores acionistas da companhia aérea nacional e abandonou a TAP em fevereiro.

A TAP tem, desde esta sexta-feira, 23 de setembro, uma nova vogal do Conselho de Administração, cargo que passou a ser ocupado por Sofia Lufinha, depois da saída, em fevereiro, de Alexandra Reis, avança a Lusa, que cita uma nota enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“A acionista única da TAP, a República Portuguesa, representada pela Direção Geral de Tesouro e Finanças, deliberou eleger a senhora engenheira Sofia Norton dos Reis Lufinha de Mello Franco como membro do Conselho de Administração da TAP, para o período remanescente do mandato em curso (quadriénio 2021/2024), com efeitos a contar de hoje”, lê-se na comunicação ao mercado.

Com a entrada de Sofia Lufinha, o Conselho de Administração (CA) da TAP passa a ser composto por Manuel Beja (presidente), Christine Oumières-Widener (vogal e presidente da Comissão Executiva), Gonçalo Pires (vogal), Ramiro Sequeira (vogal), Sílvia Gonzalez (vogal), Sofia Franco (vogal), Patrício Castro (vogal), Ana Lehmann (vogal) e João Duarte (vogal).

A Lusa recorda que, em fevereiro, Alexandra Reis renunciou ao cargo, com a administração da companhia aérea de bandeira nacional a explicar que a responsável tinha “sido nomeada pelos anteriores acionistas”, pelo que, com a alteração da estrutura societária da TAP, a anterior vogal decidiu “encerrar este capítulo da sua vida profissional” e abraçar “novos desafios”.

Sofia Lufinha transita para a TAP do Pingo Doce, onde era diretora de marketing e de desenvolvimento de negócio, e assume agora o cargo de chief strategy officer da companhia aérea  de bandeira nacional.

A nova vogal do Conselho de Administração da TAP iniciou a sua carreira profissional em 2001, na consultora McKinsey & Company, em Portugal, onde exerceu funções até março de 2013, quando transitou para o Pingo Doce.

Sofia Lufinha é licenciada em Gestão e Engenharia Industrial pelo Instituto Superior Técnico de Lisboa e tem um MBA na ENSEAD.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

MSC Cruzeiros assinala Dia Mundial do Turismo com campanha de preços especiais para cruzeiros de inverno

No âmbito do Dia Mundial do Turismo, a companhia lançou uma campanha de preços baixos para o inverno que abrange itinerários pelo Médio Oriente, Caraíbas e Antilhas, Mediterrâneo, Norte da Europa e as Grand Voyages.

A MSC Cruzeiros lançou uma campanha de preços especiais para os cruzeiros de inverno para assinalar o Dia Mundial do Turismo, que se comemora na próxima terça-feira, 27 de setembro.

Válida para os cruzeiros realizados entre novembro de 2022 e abril de 2023, esta campanha abrange itinerários pelo Médio Oriente, pelas Caraíbas e Antilhas, pelo Mediterrâneo, pelo Norte da Europa e ainda as Grand Voyages da companhia de cruzeiros.

As reservas no âmbito desta campanha já se encontram disponíveis através das agências de viagens ou do website da MSC Cruzeiros.

Recorde-se que, este inverno, a MSC Cruzeiros conta com os navios MSC World Europa, MSC Opera e MSC Splendida a operar no Médio Oriente, enquanto nas Caraíbas estão o MSC Meraviglia, MSC Divina e MSC Seaside. No Mediterrâneo a companhia colocou ainda os navios MSC Grandiosa, MSC Bellissima e MSC Lirica, enquanto no Norte da Europa está o MSC Virtuosa.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Air Europa anuncia codeshare com a Kuwait Airways que também inclui Portugal

Novo acordo de codeshare entre a Air Europa e a Kuwait Airways entra em vigor nos próximos meses e abrange também as rotas de Lisboa e Porto operadas pela companhia aérea espanhola.

A Air Europa e a Kuwait Airways estabeleceram um acordo de codeshare que entra em vigor nos próximos meses e que vai aumentar as opções de voos para os passageiros de ambas as companhias aéreas na Europa, Caraíbas, América do Sul e Norte de África, e que abrange também as rotas da Air Europa para Lisboa e Porto.

De acordo com o jornal espanhol Hosteltur, com este acordo, o código da Air Europa passa a aparecer também nos voos da Kuwait Airways para Madrid, assim como nas rotas da companhia aérea de bandeira do Kuwait para Amesterdão, Roma e Milão.

Já o código da Kuwait Airways passa também a surgir nos voos transatlânticos da Air Europa de Madrid para Cancun, Miami, São Paulo, Cuba e Bogotá, assim como nas rotas que a companhia aérea espanhola realiza para Lisboa e Porto, bem como para Marraquexe, em Marrocos, e ainda nas rotas domésticas.

Além de um maior número de opções de voo, este acordo tem também a vantagem de permitir viagens com um único bilhete, entre outros benefícios para os passageiros.

Este acordo “apoia e reforça o processo de expansão e crescimento em que nos encontramos”, afirmou Imanol Pérez, diretor comercial da Air Europa, enquanto Shorouk Al-Awadhi, diretora de Planificação e Distribuição da Kuwait Airways, considera que este acordo vai ajudar a companhia a superar os efeitos da pandemia, com benefícios também para a América, Europa e Golfo Pérsico.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Regresso dos turistas estrangeiros proporciona melhor performance dos negócios

A faturação dos negócios por cartões estrangeiros aumentou 82,5% entre 1 de julho e 15 de setembro, quando comparado com o mesmo período de 2021.

O regresso dos turistas estrangeiros a Portugal foi responsável por proporcionar uma melhor performance dos negócios portugueses, tendo a faturação dos negócios por cartões estrangeiros aumentado 82,5% no período entre 1 de julho e 15 de setembro, quando comparado com o mesmo intervalo de 2021, revelam os dados mais recentes do REDUNIQ Insights, relatório da REDUNIQ.

Segundo o relatório que analisa a evolução dos pagamentos por cartão efetuados no país, a faturação dos negócios em Portugal aumentou 32,2% este Verão face ao mesmo período do ano passado. Depois de um primeiro semestre em que o turismo impulsionou uma subida de 45% da faturação com cartões nacionais e estrangeiros, em comparação com o período homólogo, a recente época de férias mantém a mesma tendência de recuperação, com a faturação por via de cartões nacionais a aumentar 19,6%.

Franceses lideram nos gastos
De entre o grupo de estrangeiros, destaque para os franceses que, apesar de terem diminuído 7 pontos percentuais (p.p.) de peso no total da faturação estrangeira, continuam a representar a maior fatia do consumo estrangeiro em Portugal (18% do total). Atrás surgem o Reino Unido (com 14% do total da faturação estrangeira), a Irlanda (com 11%), os Estados Unidos da América (com 10%), e Espanha (com 9%).

A REDUNIQ refere que os números apresentados “acompanham as estimativas recentemente divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística e pelo Banco de Portugal, que revelam, só no mês de julho, um aumento de 205,2% no número de hóspedes não residentes em Portugal face ao a julho de 2021”, um cenário que contribuiu para que julho de 2022 se tornasse o melhor mês de sempre, em número de hóspedes e de dormidas em Portugal.

Já quando analisado o valor médio de compra, os dados da REDUNIQ demonstram que são os irlandeses aqueles que gastam mais nas férias em Portugal, numa média de 112€ por transação. Os Estados Unidos são o segundo país com o valor de compra médio mais elevado, cerca de 71€. Reino Unido, França e Espanha apresentam um perfil de compra semelhante nestes meses, com um valor de compra média de 48€, 46€ e 40€, respetivamente.

Hotelaria é a única no negativo
Já quando analisada a performance dos diferentes setores de atividade, e considerando a faturação total dos negócios (via cartões nacionais + internacionais), o REDUNIQ Insights demonstra um aumento generalizado da faturação nos negócios tipicamente associados ao turismo. Enquanto o rent-a-car cresceu 85% face ao período homólogo, a hotelaria e a restauração aumentaram a sua faturação em 71% e 50%, respetivamente. Tal como registado nos resultados globais dos negócios em Portugal, também o elevado aumento da faturação das atividades turísticas está associado ao regresso dos turistas estrangeiros a Portugal, tendo estes contribuído para aumentar em 117% a faturação da hotelaria, em 110% a faturação do rent-a-car, e 98% a faturação da restauração.

Em contrapartida, o consumo nacional em hotelaria registou um decréscimo de 6% face ao período homólogo, um resultado que, segundo Tiago Oom, diretor Comercial da UNICRE e porta-voz oficial do REDUNIQ Insights, “se poderá justificar com uma contenção dos gastos das famílias portuguesas face ao crescimento da inflação”.

Lisboa e Açores faturam mais
Numa análise geográfica, os distritos mais turísticos, nomeadamente Lisboa, Açores, Faro, Madeira e Porto, apresentam todos valores de faturação superiores ao mesmo período do ano passado, com crescimentos de 43%, 36%, 36%, 32% e 28%, respetivamente. Especificamente quanto ao consumo estrangeiro, o destaque vai para Lisboa e Açores, que apresentam uma variação mais significativa, registando um aumento de faturação de 125% e 103%, respetivamente.

Tiago Oom salienta que “os resultados obtidos pelos negócios durante os meses de Verão são o reflexo de um conjunto de fatores impulsionadores do aumento da faturação. Desde logo, o facto de este ter sido o primeiro Verão sem a aplicação de restrições à circulação de cidadãos entre países derivado do controlo da pandemia de Covid-19, o que originou uma maior confiança dos consumidores (nacionais e estrangeiros) a regressar aos principais pontos turísticos do país”.

De resto, o diretor Comercial da UNICRE refere que, em paralelo, Portugal “está neste momento a colher os frutos de uma forte aposta, a nível de investimento e de promoção, no turismo, sobretudo para atrair o turismo externo”.

Por fim, Tiago Oom frisa que o próprio cenário inflacionista tem “promovido o aumento generalizado de produtos e serviços ligados ao setor turístico, o que acaba por também contribuir para o crescimento da faturação destes negócios”.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Transportes

AirHelp: Portugal é o 7º país europeu com mais voos cancelados de maio a agosto

Segundo dados fornecidos pela AirHelp, em Portugal, entre maio e agosto deste ano, foram cancelados 1.366 voos, tornando-se no sétimo país da Europa com mais situações desta natureza, no mesmo período.

A organização mundial especializada na defesa dos direitos dos passageiros aéreos indica ainda que a Alemanha e Reino Unido encabeçam a lista dos dez aeroportos europeus que mais cancelamento de voos sofreram este verão.

Nos aeroportos alemães foram cancelados um total de 6.107 voos. Em segundo lugar, encontra-se o Reino Unido com 4.486 voos cancelados. Itália (2.885)), França (2.671), Países Baixos (2.076)) e Espanha (1.718 voos cancelados) encontram-se nos lugares acima de Portugal. Dinamarca, Suécia e Áustria encontram-se nos lugares abaixo do nosso país, com 1.063, 1.014 e 721 voos cancelados, respetivamente.

A AirHelp lembra, no entanto, que de forma de informar e sensibilizar os passageiros aéreos para os seus direitos quando os seus voos são atrasados, cancelados ou estão em overbooking, lançou o ‘Guia de Direitos dos Passageiros Aéreos’. Assim, os passageiros cujos voos sejam cancelados ou sofram um atraso de três ou mais horas, assim como os passageiros a quem seja recusado o embarque sem motivo justificável, têm um conjunto de direitos que constam do guia.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos

Concessão da Exploração de Restaurante – Museu do Tesouro Real/Palácio Nacional da Ajuda

As propostas deverão ser apresentadas, por correio eletrónico, até ao dia 01 de Novembro de 2022.

Brand SHARE
tagsATL

A Associação Turismo de Lisboa (ATL) pretende concessionar um espaço no Museu do Tesouro Real, no Palácio Nacional da Ajuda, preparado para exploração de um estabelecimento de restauração.

O Caderno de Encargos e restante documentação de interesse encontram-se disponíveis na sede da ATL, sita na Rua do Arsenal, n.º 23, em Lisboa, podendo ser levantados aos dias úteis durante o horário de expediente, entre as 9h30 e as 19h00 e /ou de preferência requeridos via e-mail [email protected]

As propostas deverão ser apresentadas, por correio eletrónico, até ao dia 01 de Novembro de 2022.

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Transportes

AHP diz que é “urgente” e “imprescindível” acordo entre Governo e PSD sobre novo aeroporto

Bernardo Trindade, presidente da AHP, antevê que, “se tudo correr dentro dos tempos normais, só teremos um novo aeroporto em 2033”.

Publituris

Em vésperas do encontro agendado entre o primeiro-ministro, António Costa, e o presidente do Partido Social Democrata (PSD), Luís Montenegro, sobre o novo aeroporto, a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) espera que a reunião corresponda a um “ponto de partida para ser rapidamente aprovada uma solução realista e definitiva que sirva Lisboa e o país”.

Em comunicado, a AHP diz acreditar que “ambos os líderes políticos irão encontrar o consenso para responder a uma situação extremamente preocupante para o crescimento económico do país”, recordando que não só o primeiro-ministro informou que só seria tomada uma decisão sobre a localização do novo aeroporto em 2023, como a mesma teria de sair do consenso entre os dois principais líderes, destacando que, “se tudo correr dentro dos tempos normais, só teremos um novo aeroporto em 2033.

Bernardo Trindade, presidente da AHP, sublinha: “como já nos cansámos de ver, sem consenso entre as principais forças políticas, qualquer que seja a decisão tomada só por um é posta em causa logo no momento seguinte. Ora, é fundamental que haja uma decisão definitiva e a sua execução. Lamentavelmente o tempo político e o tempo da economia não estão alinhados”.

A AHP recorda ainda o estudo da Confederação do Turismo de Portugal (CTP) realizado pela EY, onde se conclui que o atraso na construção do novo aeroporto representa uma perda potencial de 6,8 mil milhões de euros até 2027 e menos 28 mil empregos.

Por isso, Bernardo Trindade reforça que, em 2022, “vivemos situações caóticas no aeroporto de Lisboa, que comprovaram o seu esgotamento a vários níveis” Considerando que esta situação foi agravada por “várias circunstâncias excecionais”, o responsável da AHP reforça que, “não havendo capacidade aeroportuária em Lisboa estamos a perder quota de mercado e oportunidades de crescer sustentadamente, trazendo até nós viajantes que gastam e geram valor no país”.

De resto, Bernardo Trindade frisa que esta será uma realidade que “vai acontecer já nos próximos anos, se não forem encontradas soluções alternativas” e que “só se vai agravar, se não for dado início quanto antes à construção do há 50 anos reclamado novo aeroporto”.

O presidente da AHP salienta ainda que, neste momento, a única alternativa é “avançar já com as obras conferindo mais estacionamentos, mais qualidade para prestadores e clientes do aeroporto”. E conclui que “é urgente, imprescindível, que haja acordo” e que o Governo “permita arrancar já com estes melhoramentos na Portela”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

A CROISIEUROPE amplia a sua oferta de reserva antecipada para todas as suas saídas de 2023

A empresa oferece até 15% de desconto para reservas feitas antes de 31 de janeiro.

A CroisiEurope, a maior empresa de cruzeiros fluviais da Europa, prorroga o prazo do seu “Early Booking” para todas as reservas efetuadas até 31 de janeiro de 2023. A oferta inclui cruzeiros em rios europeus, cruzeiros marítimos, cruzeiros de longa distância e até mesmo suas partidas especiais para a Páscoa no Reno e no Sena.

Todas as reservas feitas antes de 31 de janeiro para partidas em 2023 podem beneficiar dos seguintes descontos:
• 15% em todos os cruzeiros fluviais em rios europeus: Reno, Danúbio, Garona, Loire, Sena, Douro, Guadalquivir, etc.
• 15% em todos os cruzeiros marítimos a bordo do La Belle des Océans e La Belle de L’Adriatique, pelo Mediterrâneo, o Adriático ou o Mar Vermelho.
• 8% em cruzeiros de longa distância: Mekong, Nilo e África Austral.
CroisiEurope propõe uma variedade de itinerários e datas de partida em suas viagens este ano para poder usufruir de uma frota moderna e inovadora, um serviço de alta qualidade, Wi-Fi gratuito, excelente gastronomia e um pacote completo e variado de excursões para conhecer os detalhes cada destino, atendendo assim às expectativas dos clientes mais exigentes.

Sobre o autorMargarida Magalhães

Margarida Magalhães

Mais artigos
Alojamento

“Avaliação Unidades Hoteleiras” é o novo curso da ASAVAL

A ASAVAL – Associação Profissional das Sociedades de Avaliação vai lançar, em outubro, a 6.ª edição da formação “Avaliação Unidades Hoteleiras”, que visa “preparar os formandos para uma avaliação mais atualizada e coerente”.

Publituris

A ASAVAL – Associação Profissional das Sociedades de Avaliação vai lançar, em outubro, um novo curso sobre “Avaliação Unidades Hoteleiras”, formação que visa “preparar os formandos para uma avaliação mais atualizada e coerente com as melhores práticas desenvolvidas na área”.

De acordo com um comunicado da associação, esta formação, a 6.ª promovida pela ASAVAL sobre “Avaliação Unidades Hoteleiras”, vai ser liderada por Gilberto Manuel R. A. Martins, Economista e Mestre em Turismo e vai contar com duas edições , concretamente entre 7 e 8 de outubro, bem como a 14 e 15 de outubro, ambas a decorrer às sextas-feiras, entre as 14h00 e as 18h00, bem como aos sábados, das 09h00 às 13h00.

A formação está disponível em modelo presencial ou através de “Zoom vídeo” e as inscrições decorrem até 30 de setembro, através do e-mail [email protected], sendo atribuídas por ordem de entrada nos serviços da ASAVAL.

A associação indica ainda que a formação abrange sete áreas, concretamente Indústria Hoteleira em Portugal – Evolução recente e expectativas; Princípios e Conceitos das avaliações de hotéis; Avaliação de hotéis; Desenvolvimento e análise de cash flows; Importância da ciência de dados e tecnologia na indústria hoteleira; Impacto das crises no valor das unidades hoteleiras; Caso Prático (avaliação de hotel).

“A ASAVAL emitirá, no final deste curso, um Certificado de Participação, o qual contará para efeitos de “CPD – Continuing Professional Development””, acrescenta a associação na informação divulgada esta quinta-feira, 22 de setembro.

No comunicado enviado à imprensa, a ASAVAL explica que pretende, com estas formações, contribuir para a “formação contínua dos seus Associados”, tendo decidido lançar a formação “Avaliação Unidades Hoteleiras” depois do sucesso e forte adesão das últimas edições.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.