Assine já
IMEX 2017
Homepage

42 empresas portuguesas na IMEX Frankfurt

O stand de Portugal vai ter uma “localização privilegiada em frente à principal entrada da feira”, com uma área de animação temática dedicada à gastronomia e vinhos.

Tiago da Cunha Esteves
IMEX 2017
Homepage

42 empresas portuguesas na IMEX Frankfurt

O stand de Portugal vai ter uma “localização privilegiada em frente à principal entrada da feira”, com uma área de animação temática dedicada à gastronomia e vinhos.

Sobre o autor
Tiago da Cunha Esteves
Artigos relacionados

Num ano em que se assinala o 10º aniversário desta feira, que vai decorrer de 22 a 24 de Maio, na Messe Frankfurt, o stand de Portugal vai ter “uma localização privilegiada em frente à principal entrada desta feira”, com “uma área de animação temática dedicada à gastronomia e vinhos”.

Leia o artigo completo na edição impressa do Publituris desta semana.

Sobre o autorTiago da Cunha Esteves

Tiago da Cunha Esteves

Mais artigos
Artigos relacionados
Transportes

Emirates retoma serviço diário sem paragens entre o Dubai e Hong Kong

A Emirates vai servir um dos principais destinos da Ásia com 14 voos semanais operados pelo A380.

A Emirates vai aumentar as frequências para Hong Kong com um serviço diário sem escalas a partir do seu hub no Dubai, passando, a partir de 29 de março, a operar 14 voos semanais para Hong Kong, complementando o seu atual voo diário via Bangkok.

A retoma do serviço oferecerá mais capacidade, escolha e flexibilidade aos passageiros, uma vez que a companhia aérea continua a expandir as suas operações globais de acordo com a procura sustentada de viagens internacionais.

Operado por um Airbus A380, o voo EK380 da Emirates partirá do Dubai às 10h45 e chegará a Hong Kong às 22h00. O voo de regresso EK381 partirá de Hong Kong às 00h35 e chegará ao Dubai às 05h00.

Ao retomar o voo Dubai-Hong Kong EK380/EK381, a Emirates refere, em comunicado, estar a “responder à crescente procura da rota e a oferecer aos passageiros a opção de voar sem paragens ou interromper as suas viagens em Bangkok”.

A Emirates salienta ainda que a experiência do A380 “continua a ser muito procurada pelos passageiros, pelas suas cabines espaçosas e confortáveis e pelos produtos da marca que oferecem aos passageiros as melhores experiências no céu como o caso do Lounge, das suites de Primeira Classe e do Shower Spa”.

Atualmente a Emirates utiliza o A380 para 40 destinos do mundo, incluindo Londres Heathrow, Sydney e Houston, passando a servir 50 destinos até ao final deste verão.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Cabo Verde: Santo Antão quer chegar aos principais mercados de turismo de natureza

A ilha cabo-verdiana de Santo Antão pretende tornar-se melhor conhecida junto dos principais mercados internacionais de turismo de natureza com o mapeamento e sinalização dos caminhos vicinais, cujo processo já está a avançar.

As autarquias em Santo Antão, através de uma nota, reagiram com satisfação ao arranque do projeto de mapeamento e sinalização dos caminhos vicinais na ilha, que será implementado até maio deste ano, numa iniciativa do governo de Cabo Verde.

O projeto, que está a ser promovido pelo Ministério do Turismo, “em estreita colaboração” com os municípios locais, vai permitir “organizar, melhorar e estruturar o turismo que se pratica em Santo Antão” e colocará esta ilha “nos melhores mercados de turismo de natureza”, avança a mesma nota, citada pela Inforpress.

“O mapeamento e sinalização dos caminhos vicinais é um projeto com impacto em todas as comunidades, pois, visa organizar, melhorar e estruturar o turismo que se pratica em Santo Antão. Estamos certos de que este será um enorme contributo para a promoção desta ilha nos melhores mercados de turismo de natureza”, realçou.

Os trabalhos, a cargo de um consórcio do qual fazem parte a Associação para a Defesa do Património de Mértola, Portugal, e as empresas PATH – Portugal Active Tourism in Holidays e Letras Encantadas Estudos e Projecto, já arrancaram, refere a mesma fonte, incidindo, nesta primeira fase, no levantamento do património, bem como dos serviços e equipamentos turísticos ao longo das rotas.

Ainda nesta fase, conforme notícia veiculada pela Inforpress, está-se a avaliar o estado dos caminhos vicinais e das zonas com potencial para a construção de miradouros, procedendo ainda à identificação de pontos de interesse turístico e ao levantamento cartográfico.

Mais de 80 percursos distribuídos pelos três municípios de Santo Antão deverão ser mapeados e sinalizados até maio, altura em que passarão a ser divulgados através de um conjunto de comunidades virtuais especializadas sobre ‘trekking’ e ‘trail running’.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Rio de Janeiro tem novo guia para orientar visitantes

A cidade do Rio de Janeiro acaba de lançar um novo guia para auxiliar os visitantes tanto nacionais como internacionais, com dicas sobre os meios de transporte, alojamento, bares, restaurantes, entre outras.

Sabendo que a capital carioca atrai milhares de visitantes durante todo o ano, o Procon-RJ desenvolveu um guia com dicas e informações importantes, baseado no código de defesa do consumidor, para que os visitantes tenham uma experiência agradável e com todos os direitos garantidos, indica a imprensa local.

O manual, disponível em três idiomas, português, inglês e espanhol, podendo ser acedido nas redes sociais e site da instituição de proteção e defesa do consumidor, foi criado a pensar nas necessidades de um turista, desde as formas de pagamentos dos transportes públicos, privados, aéreos e rodoviário, orientações nos casos de cancelamentos ou atrasos de voos ou autocarros, informações de alojamento, restaurantes, além dos pontos turísticos mais famosos e que valem a pena visitar na capital.

 

Cássio Coelho, presidente do Procon/RJ, afirma que “criamos um guia objetivo, mas que aborda os principais temas que podem gerar dúvidas e evitar aborrecimentos, com a intenção de proteger, orientar e acolher os nossos visitantes consumidores, que tanto contribuem para a economia do estado”.

O responsável lembra que “é importante que o fornecedor entenda que, o consumidor bem atendido, respeitado nos seus direitos, com soluções rápidas nos imprevistos, tem maior chance de regressar ao nosso Estado e ainda pode recomendar o Rio como um bom destino de viagem”.

Além disso, a organização possui um grupo de trabalho direcionado ao atendimento do consumidor turista, nacional ou estrangeiro e de grandes eventos – ProconTur, criado no início da atual gestão do Procon-RJ. Nos dias de Carnaval, um plantão especial estará de prontidão, bem como, nos principais eventos no decorrer do ano.

Ainda segundo Cássio Coelho, “o objetivo do ProconTur é dar maior rapidez na solução dos problemas dos consumidores que possam surgir durante a visita em nosso estado, já que estes estão de passagem e precisam ter os seus direitos garantidos e problemas solucionados dentro de um prazo diferenciado, tornando assim, a experiência de conhecer o Rio muito mais agradável, garantindo que esses turistas regressem mais vezes”.

O guia para os turistas pode ser acedido através do link  https://bit.ly/Guia_para_o_consumidor_turista_ProconRJ ou pelo QRcode e também será distribuído na sua forma impressa nas principais entradas de turistas no estado.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Turismo

Ministro da Economia antecipa receitas de 22 MM€ no turismo em 2022

O ministro da Economia, António Costa Silva, revelou que as receitas do turismo atingiram os 22 mil milhões de euros em 2022, superando em 20% o valor registado em 2019, naquele que foi considerado o melhor ano turístico.

“Portugal terminou o ano de 2022 com 22.000 milhões de euros, o que é absolutamente extraordinário porque, num ano, não só recuperámos aquilo que fizemos em 2019, como superámos os resultados em mais 20%”, disse o ministro da Economia e do Mar, António Costa e Silva.

Ao intervir na sessão de encerramento da inauguração da nova Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão (EHTP), o governante lembrou que o turismo, “um dos motores do desenvolvimento da economia do país, foi altamente flagelado pela pandemia, quase paralisado durante dois anos, conduzindo a uma grande desmotivação” dos agentes económicos.

“Havia muita gente que dizia que para recuperarmos os números de 2019 iríamos demorar três, quatro ou cinco anos, mas conseguimos recuperar durante o ano passado”, sublinhou.

António Costa Silva afirmou que para Portugal “atingir um dos objetivos de ser o destino mais sustentável do mundo, um dos de maior qualidade, “é necessário trabalhar em conjunto, desenvolvendo redes colaborativas”.

“Se construirmos estas plataformas, se tivermos desígnios claros, nós podemos transformar a vida das nossas comunidades, criar riqueza e alinhar o país, sintonizar o país com o futuro”, apontou.

Na opinião do titular da pasta da Economia, “ainda existe preconceito no país em relação ao turismo”, um setor que, lembrou, “é sem dúvida um dos pilares fundamentais do nosso desenvolvimento económico”.

“Nós, no Ministério da Economia, temos uma visão muito clara sobre o turismo: o turismo é uma ferramenta para desenvolver o país do norte ao sul, incluindo as regiões autónomas [da Madeira e dos Açores], porque ele é capilar”, notou.

No mesmo sentido, acrescentou, que o turismo “está nesta altura em todo o espaço nacional e ele é transversal, mobiliza múltiplos setores da economia, desde a construção aos transportes, a todo um conjunto de indústrias”.

“Se nós usarmos esta ferramenta [turismo] no sentido próprio, ela é absolutamente transformadora”, reforçou.

António Costa Silva apontou também a qualidade das novas instalações da EHTP como um “investimento para treinar e formar pessoas, dado que o investimento na educação é o mais produtivo que o país pode ter”.

“A educação […] muda as pessoas e são as pessoas que transformam o mundo. Nós queremos ser o destino mais sustentável do mundo e isso não se faz sem escolas de qualidade”, disse.

O novo edifício da Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão representa um investimento de 2,3 milhões de euros do Turismo de Portugal que permitirá reforçar a oferta formativa na região.

As novas instalações resultam da requalificação do antigo estabelecimento prisional de Portimão, dispondo o edifício de oito salas de aula equipadas com a mais recente tecnologia, duas cozinhas individuais, um auditório com capacidade para 140 pessoas, um bar e um restaurante ‘de aplicação’, que estarão abertos ao público.

Segundo o Turismo de Portugal, os equipamentos digitais vão facilitar “um ensino híbrido que conjugue formação presencial e à distância”.

A Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão é o terceiro estabelecimento de formação na área existente no Algarve, a par de Faro e de Vila Real de Santo António.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Recuperação dos aeroportos mais rápida na América do Norte. Europa com ventos desfavoráveis por causa do Reino Unido, prevê DBRS

A recuperação dos aeroportos mundiais não se encaminha para um trajeto linear. Enquanto a situação na América do Norte parece voltar a uma “maior normalidade” em 2023, a Europa sofrerá os impactos de uma conjuntura económica instável no Reino Unido.

À medida que as restrições relativamente às viagens diminuíram em 2022, o volume de passageiros aumentou consideravelmente em comparação com 2021. A agência de notação DBRS Morningstar publicou uma análise em que prevê que a “recuperação do volume de passageiros continue em 2023”. No entanto, refere que “a trajetória de crescimento pode variar entre as regiões, dependendo das perspectivas económicas de cada região” e de outros fatores.

A pressão inflacionária na Europa e no Reino Unido é “especialmente assustadora”, admite a DBRS Morningstar, referindo que “já está a causar interrupções nos setores da educação, transporte e armazenamento”, frisando que, “se as interrupções persistirem e aumentarem de frequência em 2023, poderão afetar negativamente as operações do aeroporto”.

Com o cenário macroeconómico na América do Norte a ser um pouco mais positivo em 2023, a DBRS Morningstar acredita que a procura por viagens aéreas deve “permanecer relativamente resiliente em 2023” e o tráfego de passageiros deve continuar no caminho da “recuperação total”.

Em geral, a agência de notação financeira refere que o grande segmento do mercado doméstico nos EUA proporcionará “mais estabilidade” e “mitigará” quaisquer fatores globais que possam afetar negativamente o tráfego de passageiros em 2023. Além disso, os aeroportos dos EUA tiveram maior apoio financeiro do governo federal, o que ajudou a manter suas finanças capacidade, resiliência e competitividade.

Já relativamente à Europa, a DBRS Morningstar afirma que “existem fatores regionais mais desafiadores” que podem prejudicar as perspectivas dos aeroportos europeus. Dada a recuperação desigual em toda a região, alguns aeroportos podem enfrentar “mais pressão financeira” do que outros, devido a certos fatores regionais em andamento que provavelmente não diminuirão materialmente em 2023.

Cenário norte-americano
Os aeroportos canadianos registaram uma forte recuperação no volume total de tráfego de passageiros em 2022 com o levantamento de restrições de viagem na maioria das regiões, admitindo a DBRS Morningstar que, em caso de recessão, a duração e a magnitude será “curta e ligeira”, seguida de crescimento moderado, regressando no final de 2023 e em 2024. Assim, é esperado que o atual cenário macroeconómico de linha de base no Canadá tenha um “impacto material” no desempenho financeiro dos aeroportos canadianos e que o volume de passageiros deve “continuar o caminho para a recuperação total”.

Já nos EUA, o volume total de passageiros nos aeroportos também aumentou significativamente em 2022, atingindo 88% do nível de 2019 (nos primeiros 10 meses de 2022), de acordo com o Bureau of Transportation Statistics.

O cenário macroeconómico básico para os EUA da agência de notação é semelhante ao do Canadá. No entanto, ao contrário dos aeroportos canadianos, os aeroportos dos EUA receberam ajuda económica significativa durante a pandemia do governo federal. A Lei CARES, firmada a 27 de março de 2020, deu 10 mil milhões de dólares em fundos para apoiar os aeroportos elegíveis nos EUA. A Lei CARES também aumentou a contribuição federal para 100% para o Programa de Melhorias Aeroportuárias, o que permitiu que projetos críticos de segurança e capacidade continuassem conforme planeado, independentemente das condições financeiras dos aeroportos.

A DBRS Morningstar crê, assim que “os significativos esforços de alívio económico colocaram os aeroportos dos EUA numa vantagem financeira maior do que os aeroportos canadianos, enquanto continuam a melhorar a sua infraestrutura para manter e/ou aumentar a competitividade nos últimos dois anos”.

Além disso, os aeroportos dos EUA devem permanecer relativamente resilientes por causa de um grande segmento de mercado doméstico (representou mais de 75% do volume total de passageiros nos EUA em 2019), o que mitiga o risco de quaisquer mudanças futuras nas restrições de viagens internacionais e reduz a exposição a fatores económicos globais.

Reino Unido estagnado
Passando para a Europa, os aeroportos do Reino Unido também exibiram uma forte recuperação no volume de passageiros em 2022. Nos primeiros 11 meses de 2022, o volume total de passageiros foi de 74% dos níveis de 2019. O crescimento do volume de passageiros mês a mês (variação percentual em relação ao mesmo mês em 2019) continuou a apresentar uma tendência positiva e, no final de outubro de 2022, estava em 85% dos níveis de 2019 antes de cair para 83% dos níveis de 2019 em novembro de 2022.

“É improvável vermos a mesma magnitude de crescimento do volume de passageiros em 2023”, frisa a agência de notação na análise publicada. Contudo, a procura reprimida (que levou a um aumento acentuado no volume de passageiros no início de 2022) parece ter diminuído no final do ano. Além disso, a trajetória de crescimento em 2023 também pode ser afetada por diversos fatores em andamento.

Primeiro, o cenário de linha de base projeta que a economia do Reino Unido encolherá em 2023 com um crescimento do PIB de -1%. A taxa de desemprego também deve aumentar para 4,5% em 2023, de 3,8% em 2022. Além disso, de acordo com o Office for National Statistics, a inflação do Reino Unido permanece elevada em 10,5% em dezembro de 2022 (ligeiramente abaixo de 10,7% em novembro de 2022). Portanto, a atual condição macroeconómica pode afetar “negativamente” a procura por viagens aéreas.

Em segundo lugar, uma “disputa prolongada sobre o pagamento do setor público” (como resultado da crise do custo de vida) pode causar graves interrupções nas operações do aeroporto que podem diminuir a procura por viagens aéreas durante os períodos de pico, pois os passageiros podem adiar as suas viagens ou procurar transporte alternativo que não é afetado pela ação de protesto.

Além disso, as atuais perspectivas macroeconómicas noutras partes da Europa podem reduzir a procura por viagens no segmento de mercado da UE, que historicamente contribui significativamente para o volume total de passageiros nos aeroportos do Reino Unido.

Por fim, o impacto total do “Brexit” no tráfego de passageiros no segmento de mercado da UE permanece “incerto”, uma vez que o volume de passageiros permaneceu gravemente reduzido durante 2020–21 devido à pandemia. No entanto, “foi relatado que a saída do Reino Unido da UE causou desafios laborais que afetaram muitas indústrias, incluindo o setor aeroportuário”, frisa a DBRS Morningstar, admitindo que, tal situação, “pode ter contribuído para a escassez de pessoal nos aeroportos do Reino Unido durante o verão de 2022, o que resultou na limitação do número de voos diários para aliviar o congestionamento e os atrasos”.

E a restante Europa?
De acordo com o EUROCONTROL, a Airports Council International (ACI) Europe estima em dois mil milhões os passageiros em 2022, 425 milhões a menos do que em 2019. O EURCONTROL observa que a “recuperação continua desigual em toda a Europa”, conforme indicado pelo número médio de voos diários. Além disso, observa que o mercado alemão foi um dos mais lentos a recuperar em 2022. A média de voos diários dos aeroportos de Frankfurt e Munique foi de 74% e 68% dos níveis de 2019, respetivamente. Em contraste, a média de voos diários dos aeroportos de Amsterdão, Paris Charles de Gaulle e Adolfo Suárez Madrid-Barajas foi superior a 80% do nível de 2019.

A recuperação desigual também pode ser observada em termos de volume de passageiros. Os dados do volume de passageiros sugerem que a recuperação em França e em Espanha (ambos em mais de 80% dos níveis de passageiros de 2019 no final de setembro de 2022) estão à frente da Alemanha (cerca de 73% do nível de 2019 no final de setembro de 2022). “Apesar da recuperação da região em 2022, há uma série de desafios pela frente”, destaca a DRBR Morningstar.

A ACI Europe reviu, recentemente, a sua previsão e agora projeta que a recuperação total do volume de passageiros não será alcançada até 2025 (revista a partir de 2024), projetando uma trajetória de crescimento mais lenta durante o horizonte de previsão (2023–27) do que o esperado anteriormente, como resultado “do risco geopolítico em curso, deterioração das perspectivas macroeconómicas, tarifas aéreas mais altas, capacidade restrita e custos regulatórios mais altos”. A ACI Europe projeta, também, que o volume de passageiros em 2023 será de 91% dos níveis de 2019.

Por isso, a DBRS Morningstar prevê “mais mudanças nas políticas de transporte em relação à transição para emissões líquidas zero até 2050”, referindo que “mudanças políticas como o Fit for 55 da UE – pacote de propostas para tornar o clima, energia, uso da terra, transporte e tributação da UE para políticas adequadas para reduzir as emissões líquidas de gases de efeito estufa em pelo menos 55% até 2030 – provavelmente apresentarão desafios adicionais para o setor de aviação que podem aumentar o custo das viagens aéreas no futuro”.

Recorde-se que, como parte do Fit for 55, o regulador da UE exige que todos os voos (sejam aeronaves da UE ou não), partindo de aeroportos europeus, usem combustível de aviação sustentável (SAF) começando com uma meta de 2% (percentagem de SAF em todos os voos) em 2025 e aumentar gradualmente para níveis mais elevados nas próximas décadas.

Assim, a DBRS Morningstar conclui que a recuperação das viagens aéreas continue nos aeroportos canadianos. No entanto, o limitado apoio financeiro do governo federal nos últimos dois anos “reduzirá a capacidade financeira dos aeroportos canadianos de assumir quaisquer programas significativos de capital financiados por dívida”.

Já nos EUA, os aeroportos devem permanecer “relativamente resilientes”, apesar do menor crescimento económico projetado em 2023. “Fatores regionais desafiadores na Europa, no entanto, podem afetar negativamente os aeroportos, alguns mais do que outros, em 2023”, termina a análise da DBRS Morningstar.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos
Transportes

SNPVAC aprova proposta apresentada pela TAP e desconvoca greve

A dois dias da greve, o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) aprovou a proposta apresentada pela TAP e desconvoca a paralisação marcada para os dias 25 a 31 de janeiro.

Publituris

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) aprovou esta segunda-feira, 23 de janeiro, a proposta melhorada apresentada pela TAP, desconvocando, assim a greve de sete dias prevista para os dias 25 a 31 de janeiro de 2023.

O SNPVAC reuniu-se em assembleia geral na Ordem dos Contabilistas Certificados, em Lisboa, para debater e votar a última versão da proposta laboral da TAP, com melhorias face ao que fora chumbado na semana passada.

Segundo a agência Lusa, a proposta apresentada pela TAP foi aprovada com 654 votos a favor, 301 votos contra e 20 abstenções.

No passado dia 19 de janeiro, a TAP referia, em comunicado, que a greve teria um custo total direto estimado de “48 milhões de euros (29,3 milhões em receitas perdidas e 18,7 milhões em indemnizações aos passageiros)” Além disso, a equipa executiva da companhia aérea nacional previa também “perdas de 20 milhões adicionais devido ao impacto potencial nas vendas para outros dias e à sub-otimização de outros voos, com passageiros reacomodados”.

A greve teria, também, um impacto ao nível do cancelamento de voos, estimando-se que não se realizariam 1.316 voos e 156 mil passageiros seriam afetados.

Em relação à sessão da passada quinta-feira, destaque para a cedência da TAP quanto à anulação do corte de 25% em ajudas de custo complementares.

A TAP, depois de conhecida a decisão do SNPVAC veio, em comunicado, “congratular-se” com o cancelamento da greve, salientando que esta “vai permitir que a companhia cumpra todas as expectativas criadas aos passageiros que confiaram na TAP para realizar as suas viagens”.

No mesmo comunicado ainda é referido que esta decisão “conduz a uma nova etapa na vida da TAP, reabrindo a negociação do novo Acordo de Empresa, juntando agora todos os sindicatos representativos dos trabalhadores da TAP, na busca de um equilíbrio que permita cumprir os termos do Plano de Restruturação. Assegurados ficam também os interesses de todos os envolvidos, na prossecução do caminho que nos conduzirá à necessária estabilidade, sustentabilidade e crescimento da empresa”.

A Comissão Executiva da TAP salienta, igualmente, o “empenho total” nas negociações com o SNPVAC, de forma que este desfecho fosse possível, frisando que “vai manter esta abertura e diálogo com todas as estruturas representantes dos trabalhadores”.

No final, a companhia afirmar que “a operação da TAP mantém-se sem qualquer alteração e todos os compromissos assumidos com os nossos clientes serão respeitados, numa demonstração inequívoca de que todos os seus profissionais estão fortemente empenhados na defesa e desenvolvimento da TAP”.

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Figuras do Turismo

MSC Cruzeiros anuncia nova constituição do Departamento Comercial em Portugal

Com a contratação de Rute Pinto, no início deste mês, a MSC Cruzeiros anuncia a nova constituição do Departamento Comercial em Portugal, liderada por Pedro Vasco e composto também por Silvia Oliveira e Isa Vitória.

Publituris

Com esta nova organização, a companhia de cruzeiros procede também a algumas alterações de funções no Departamento Comercial.

Pedro Vasco continua como diretor Comercial, encarregue de liderar a nova equipa. Silvia Oliveira mantêm-se como gestora Comercial do Continente Zona Norte e Arquipélago da Madeira, Isa Vitória ficará como gestora Comercial da Grande Lisboa, enquanto Rute Pinto será a nova gestora Comercial do Continente Zona Sul e Arquipélago dos Açores.

Com passagem anterior pelo setor da distribuição, como a Vibo Viagens (Orizónia Corporation), I GoTravel e Travelstore, Rute Pinto está no turismo há mais de 15 anos tendo trabalhado essencialmente nos departamentos de vendas e comercial, em parceria com agentes de viagens, operadores e clientes.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Agenda

Be Our Guest” vai falar sobre marcas e diferenciação de produto

A próxima edição do “Be Our Guest”, iniciativa mensal da ADHP, que está agendada para o dia 30 de janeiro, vai receber Paulo Duarte, diretor geral dos Memmo Unforgettable Hotels, e conversar sobre “A importância das marcas e a diferenciação de produtos”.

Publituris

O “Be Our Guest” regressa no dia 30 de janeiro. A primeira conversa do ano está agendada para as 19 horas e terá lugar através da plataforma Zoom. As inscrições, cujo número é limitado, encontram-se abertas.

O projeto da ADHP – Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal, traz conversas informais com diretores de unidades hoteleiras e nomes de referência do turismo sobre as suas experiências profissionais, a hotelaria e o setor turístico.

“A importância das marcas e a diferenciação de produtos” é o tema desta sessão, que recebe Paulo Duarte, diretor geral dos Memmo Unforgettable Hotels. A moderação ficará a cargo de João Serrano, da ADHP.

Para Patrícia Correia, dirigente da ADHP responsável pelo projeto “Be Our Guest”, trata-se de “um tema de particular relevância para um setor cada vez mais dinâmico, competitivo e mutável”, acrescentando que “estamos certos de que a sessão dará azo a uma troca de ideias e de know-how especializado extremamente frutuosa, à semelhança daquilo que este projeto da ADHP tem oferecido ao longo das suas várias edições”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Portugal entre os destinos preferidos dos franceses

Depois de Marrocos, Portugal foi o destino turístico que mais atraiu os franceses em 2020 de acordo com uma investigação conduzida pelo buscador de viagens Liligo.

Após dois anos de crise sanitária, os franceses saíram de férias em 2022 e apreciaram especialmente a cidade marroquina de Marrakech, que conquistou o primeiro lugar entre os principais destinos o ano passado.

O estudo divulgado pelo “Air Journal” revela que Marraquexe, em Marrocos, foi o destino preferido dos franceses, em 2022 e pelo segundo ano consecutivo, principalmente pelo seu preço. O ano passado, o custo de uma viagem de avião de ida e volta caiu 35% face a 2019, revela o “Air Journal”. Assim, bastou pagar em média 207 euros em transporte para uma deslocação à “cidade vermelha”.

Portugal também encantou os turistas franceses em 2022.  A capital, Lisboa, ocupa o segundo lugar, seguida do Porto na terceira posição. Istambul foi a quarta escolha, depois Barcelona que está em quinto lugar entre os principais destinos do ano que agora terminou.

Neste ranking constam também os conhecidos por Territórios Ultramarinos, com Saint-Denis, a principal cidade da Ilha Reunião, na sexta posição com uma média de ida e volta de 861 euros, enquanto Guadalupe representada por Pointe-à-Pitre é a sétima. Os franceses também fizeram férias no próprio país e, neste caso Nice está em oitavo lugar.

Para fechar este ranking, está a América do Norte. Montreal está em 9º lugar. A viagem de ida e volta custa em média 544 euros. “Air Journal” sublinha finalmente a caída de Nova Iorque, que deu o seu décimo lugar a Fort-de-France, na Martinica, cujo preço médio de ida e volta aumentou 15% entre 2020 e 2021.

Entretanto, segundo informação veiculada pelo “Infotravel”, 70% dos franceses já viajaram em 2022 e 71% pretendem fazê-lo este ano. Do lado das intenções, os Territórios Ultramarinos e Europa serão os destinos preferidos por 65% dos inquiridos

Mais uma vez o automóvel será o principal meio de transporte para 71% dos inquiridos, seguido do avião (30%) e do comboio (27%).

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Meeting Industry

FITUR fecha com mais de 220.000 visitantes

A FITUR 2023 fechou o evento com mais de 220.000 visitantes – 136.000 profissionais e 86.000 de público geral. No digital marcaram foram ainda registadas mais de 146.000 visitas. Para a edição de 2024, o país convidado será o Equador.

Victor Jorge

A Feira Internacional de Turismo (FITUR) 2023, evento que fechou portas no passado domingo, 22 de janeiro, encerrou com mais de 222.000 visitantes, dos quais 136.000 profissionais e 86.000 de público geral. Estes números representam um crescimento total de 99,6% face ao evento do ano passado, e de mais 68% no público profissional, relativamente à FITUR 2022, sendo que no público geral, o número foi multiplicado por três.

Na feira deste ano marcaram presença 8.500 empresas, 131 países, 755 expositores, nos oito pavilhões que a IFEMA dedicou à FITUR 2023 em perto de 67 mil metros quadrados líquidos de área de exposição, igualando, desta forma, a ocupação de 2020.

A organização da FITUR já tinha avançado que estimava em aproximadamente 400 milhões de euros o impacto económico da feira na comunidade de Madrid. Na componente digital, a IFEMA destaca outro recorde, informando que foram registadas 146.000 visitas ao site do evento.

Nesse contexto, a plataforma digital FITUR LIVEConnect, que complementa a feira com um formato híbrido, contabilizou mais de 56.000 registos contra os 31.000 de 2022.

Quanto à exposição mediática do evento, a FITUR registou a acreditação de 6.374 jornalistas, mais 58% que em 2022, dos quais 5.861 eram espanhóis e 513 de 46 países internacionais.

Para a edição de 2024, foi já anunciado o país convidado/parceiro – Equador – tendo sido assinado o acordo entre o ministro do Turismo do Equador, Niels Olsen, e o presidente do Comité Executivo da IFEMA Madrid, José Vicente de los Mozos.

De referir que Portugal esteve presente 92 empresas e as sete agências regionais de promoção turística (ARPT), contabilizando-se ainda mais algumas participações isoladas do stand do Turismo de Portugal.

Sobre o autorVictor Jorge

Victor Jorge

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.