Entremares pede insolvência da Marsans por dívida de 250 mil

Por a 16 de Julho de 2010 as 16:46

O administrador executivo do operador Entremares, Paulo Santos, confirmou o pedido de insolvência da Marsans.

No total estão em causa 250 mil euros pelas emissões e reservas efectuadas pelo operador à agência.

“Apesar da empresa existir será difícil chegar a um entendimento porque a administração mostra-se incontactável”, referiu Santos no final da conferência de imprensa promovida pela APAVT, confirmando, assim, o que o presidente da Associação já tinha dito no decorrer do encontro.

O administrador justifica ainda que esta medida foi tomada também por “uma questão moral” e porque se chegou a um momento “em que não há condições para a empresa se manter no mercado”, pelas burlas e situações que foram acontecendo, como por exemplo, o encerramento de portas no primeiro fim-de-semana deste mês, entre outras.

3 comentários

  1. Ex Funcionário

    20 de Julho de 2010 at 15:20

    O que este Senho se esqueceu de dizer foi que, cancelou e pediu reembolsodos bilhetes emitidos e que não estavam pagos pela Marsans e posteriormente, de maneira a recuperar parte da divida, pediu o reembolso de bilhetes de avião, a fim de recuperar as taxas de aeroporto, de bilhetes que estavam pagos não só pela Marsans, como por associadas com Alvará proprio (independentes da Casa Mãe). Isto sim é caso de Policia. Fraude. Crime no seu melhor!!!!

  2. Marsans Gondomar

    19 de Julho de 2010 at 16:00

    Esta noticia vista assim…. até parece que a culpa é só da Marsans! Esta forma de actuar foi indecente por parte da Entremnares, por muitos anos que viva jamais confiarei neste operador turistico, que nao zela pelos clientes, nem estam minimamente preocupados com isso.
    Os bilhetes pre-pagos foram reembolsados sem qualquer aviso. Isto é uma falta de competênccia, uma falta de tudo que é digno, por parte destes Senhores.
    Tinham toda a razao e ficaram sem nenhuma!!!!

  3. Agencia indignada

    19 de Julho de 2010 at 12:47

    Estou indignada com esta noticia.
    O Sr. paulo Santos só se “esqueceu” de referir que a Entremares cancelou e pediu o reembolso de muitas passagens aéreas que emitiu para a Marsans, prejudicando o cliente final.
    De referir que cancelou passagens que estavam pagas e outras que não estavam, cancelou sem critério, indiscriminadamente.
    Algumas agências que eram associadas da Marsans estão deveras prejudicadas.
    Como é que podem falar de Moral e ética, quando tomaram uma atitude ilegal com o objectivo de prejudicar o cliente final. Quem assume os prejuizos.
    Então um Operdaor cancela reservas, pede reembolso à companhia e ainda pede insolvência da Marsans !!! Escapa-me qualquer coisa.

    E o cliente que ficou no aeroporto e foi apanhado de surpresa ?? A Entremares nem teve a decencia de informar o que estava a fazer !!

    ETICA !!!!

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *