Receitas turísticas internacionais crescem 3% até Fevereiro

Por a 22 de Abril de 2010 as 14:28

Nos primeiros dois meses do ano, as receitas turísticas internacionais atingiram os 740,2 milhões de euros, cresceram 3% face ao período homólogo de 2009 (718,4 M€). De acordo com os dados divulgados esta quinta-feira no boletim estatístico de Abril do Banco de Portugal, em Janeiro entraram 375,1 milhões de euros nos cofres do Estado e em Fevereiro foram 365,1 M€, valores superiores aos registados no ano passado, em Janeiro (363,2 M€) e Fevereiro (355,2 M€).

Em declarações ao Publituris, Frederico Costa comentou que “o crescimento das receitas turísticas internacionais acabou por acompanhar a evolução positiva registada nos hóspedes e dormidas”. O vice-presidente do Turismo de Portugal lembrou que os números (que reportam a Fevereiro) recentemente divulgados pelo INE “dão-nos uma perspectiva de um início do ano encorajador”. Recorde-se que nos dois primeiros meses de 2010, o número de passageiros desembarcados de voos internacionais em Portugal cresceu (6,5%) em relação ao mesmo período do ano passado e o número de hóspedes aumentou 3,8% (para 1,46 milhões) e o de dormidas cresceu 1,4% (para 3,65 milhões de dormidas). Os destinos que registaram maior número de hóspedes foram Lisboa (458,2 mil), o Norte (310,9 mil) e o Centro (244,7 mil), distribuição considerada normal para a época do ano.

Frederico Costa revelou que “temos tido boas referências em relação ao mês de Março, que este ano foi marcado pela Páscoa, e em que algumas regiões, como o Centro, tiveram taxas de ocupação acima da média; a Serra da Estrela esgotou a sua capacidade disponível, e outras, como o Algarve, registaram crescimentos na ocupação. São números que nos deixam confiantes em relação aos próximos meses”, concluiu.

O vice-presidente do Turismo de Portugal observou que “os primeiros dois meses dão-nos resultados encorajadores que nos permitem olhar com maior optimismo para o início de 2010”. A nível europeu, as perspectivas apontam para um aumento da procura de férias para o Verão 2010, “particularmente na Alemanha e no Reino Unido, dois dos nossos principais mercados emissores. Há sinais de maior confiança do consumidor – que compra com maior antecedência em alternativa ao late booking – que consideramos promissores”, disse.

O responsável relembrou também que “a IATA estimou que dentro de dois ou três meses o tráfego de passageiros no sector estará novamente nos níveis a que estava antes dos efeitos da crise mundial de finais de 2008”.

Por outro lado, Frederico Costa fez questão de salientar que o Turismo de Portugal reforçou recentemente a acessibilidade a mercados estratégicos para Portugal, através da criação da base da Ryanair em Faro, que assim aumenta as nossas ligações a 11 países: Reino Unido, Irlanda, Espanha, França, Dinamarca, Holanda, Itália, Alemanha, Noruega, Suécia e Eslováquia. “O programa Iniciativa.pt (marketing do destino à divulgação das ligações, com acções junto do consumidor final e na área de influência dos aeroportos de origem) teve um papel decisivo neste reforço de acessibilidade”, realçou o responsável justificando que esta parceria com a ANA e com as Agências Regionais de Promoção Turística já apoiou 40 rotas e tem 11 novas ligações em análise. “Um leque de ligações mais alargado permite que os empresários locais redefinam a sua oferta em função de um turista que está mais disponível para viajar, mas que procura também mais flexibilidade e inovação na oferta”, concluiu.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *