Descentralização e participação em fóruns internacionais marcam candidatura de Miguel Júdice

Por a 19 de Março de 2010 as 19:49

Nas palavras de Miguel Júdice, a lista candidata às eleições da AHP  é “um misto de continuidade e ruptura”. Continuidade, porque alguns dos nomes que constam na lista fazem parte da actual direcção e, ruptura, porque se inicia um novo modelo de gestão da associação, explicou.

Miguel Júdice enumerou os objectivos da sua candidatura, em primeiro lugar, descentralizar a associação, com a designação de delegados da AHP nas 5 NUT II (Norte; Centro; Lisboa e Vale do Tejo; Alentejo e Algarve) e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira; como segundo objectivo Miguel Júdice falou em contribuir para a unidade das associações, em colaboração com a Confederação do Turismo Português (CTP). O terceiro objectivo desta lista prende-se como a revisão dos modelos de promoção turística. Miguel Júdice disse não querer “demitir-se” das responsabilidades que as associações do sector devem assumir no sentido “de espicaçar o poder político”. Em quarto lugar, surge a intenção de reforçar a presença em fóruns internacionais, em resposta ao reconhecimento de que, cada vez mais, traçam-se quadros jurídicos a nível europeu que condicionam a actividade turística. Por último, reforçar o Tourism Think Tank, afirmando-o como a plataforma de formação e partilha de informação entre os profissionais do sector.

Miguel Júdice finalizou a apresentação pedindo aos empresários maior envolvimento no associativismo: “Enquanto os empresários do sector não derem um pouco do seu tempo a estas causas, esta associação e outras não irão a lado nenhum”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *