Assine já
Meeting Industry

ITB 2010 marcada pelo optimismo do sector

Christian Göke, director de operações da Messe Berlin garantiu que “a ITB Berlin 2010 bateu todos os recordes apesar da situação económica difícil global. Mais de 11 mil expositores geraram seis mil milhões de euros. O sector demonstrou resiliência e

Sónia Gomes Costa
Meeting Industry

ITB 2010 marcada pelo optimismo do sector

Christian Göke, director de operações da Messe Berlin garantiu que “a ITB Berlin 2010 bateu todos os recordes apesar da situação económica difícil global. Mais de 11 mil expositores geraram seis mil milhões de euros. O sector demonstrou resiliência e

Sobre o autor
Sónia Gomes Costa
Artigos relacionados
Novo stand do TP dá maior enfoque às empresas do trade
Meeting Industry
ITB Berlim 2011 foi visitada por 170.000 pessoas
Meeting Industry
Portugal apresenta-se na ITB Berlim com 55 empresas
Homepage
ITB Berlim 2013 começa com ‘casa cheia’
Homepage

Os dados provisórios da Messe Berlin relativamente à 44ª edição da ITB Berlin 2010 apontam que a feira alemã terá ultrapassado as expectativas em todos os indicadores, tendo sido mesmo “um sucesso”. Christian Göke, director de operações da Messe Berlin garantiu que “a ITB Berlin 2010 bateu todos os recordes apesar da situação económica difícil global. Mais de 11 mil expositores geraram seis mil milhões de euros. O sector demonstrou resiliência e mostrou a sua confiança numa feira como a ITB , que mais uma vez conseguiu juntar todos os players do mercado”. O responsável frisou também que a ITB Berlin “é a feira de turismo onde os players fazem efectivamente negócio, e a percentagem de decision-makers que este ano participaram na feira aumentou em 50%”.

Assim, a organização avançou que este ano entre os dias 9 e 13 de Março, a Messe Berlin registou 1,127 empresas de 187 países (em 2009 foram 11.098).

No que toca a visitantes, a ITB Berlin recebeu no total 179,351 mil visitantes (em 2009 foram 178.971) sendo que 110.953 foram do trade (entre 9 e 11 de Março). Tal como no ano passado, 45% dos visitantes profissionais vieram de outros países, e os restantes da Alemanha. A Messe Berlin observou que nesta edição a feira registou um aumento de visitantes profissionais do continente asiático. Nos dias abertos ao público (12 e 13 de Março), a ITB recebeu a visita de 68,398 pessoas (no ano passado tinham sido 68.114). A organização fez ainda questão de salientar que nesta edição, a ITB recebeu ainda mais representantes políticos dos vários países assim como membros de serviços diplomáticos – presidentes, primeiros-ministros, secretários de estado, embaixadores, entre outros.

Recorde-se que este ano a Turquia foi o destino convidado da ITB Berlin. Hüseyin Cosan, representante da Turquia em Berlin lembrou que “a Alemanha é o principal emissor de turistas para o país (com mais de 4,4 milhões anualmente). Além disso, a ITB Berlin é mesmo a melhor e a maior feira de turismo internacional, por isso para nós é muito importante participarmos como destino convidado. Nesta edição realizamos um programa de eventos culturais com inúmeras actividades, não só no nosso espaço da feira mas também fora. Com estas acções quisemos mostrar a diversidade turística do nosso destino , e penso que conseguimos. Os nossos co-expositores mostraram-se satisfeitos o que nos faz acreditar que conseguimos concretizar o nosso objectivo”.

Por sua vez, Taleb Rifai, secretário geral da Organização Mundial do Turismo (OMT) salientou que “uma vez que o mundo está a atravessar um período de profunda mudança – desde a Economia ao Ambiente – o Turismo enquanto actividade global pode exercer uma contribuição bastante relevante nos tempos de transformação que vivemos”. Mais observou que a ITB Berlin 2010 “provou mais uma vez ser o palco ideal para demonstrar a resiliência e a capacidade de inovação e flexibilidade desta indústria que é o Turismo. A OMT congratula-se por ser parceira da ITB e de, em conjunto, contribuir para um sector cada vez mais forte, responsável e sustentável”, completou o responsável.

A próxima edição da ITB Berlin já está marcada. Será entre os dias 9 e 13 de Março de 2011 na Messe Berlin e terá a Polónia como destino convidado.

Sobre o autorSónia Gomes Costa

Sónia Gomes Costa

Mais artigos
Artigos relacionados
Publituris Hotelaria

Publituris Hotelaria janeiro | Novas aberturas e remodelações

A Publituris Hotelaria de janeiro apresenta o já habitual dossier sobre as aberturas e remodelações da praça hoteleira para os próximos anos. Contas feitas, a Publituris Hotelaria somou mais de 200 unidades hoteleiras em pipeline até 2026 que estão, muitas, em fase de desenvolvimento e outras ainda em projeto.

Publituris

A Publituris Hotelaria de janeiro apresenta o já habitual dossier sobre as aberturas e remodelações da praça hoteleira para os próximos anos. De Norte a Sul, incluindo ilhas, tiramos o pulso ao pipeline em desenvolvimento no país e damos-lhe conta das mais recentes novidades.

Contas feitas, a Publituris Hotelaria somou mais de 200 unidades hoteleiras em pipeline até 2026 que estão, muitas,  em fase de desenvolvimento e outras ainda em projeto. No capítulo das remodelações deslindamos os principais hotéis que estão em fase de atualização sendo que o Algarve lidera neste ponto.

E como o início do ano é altura de projeções e análises, contamos, nesta edição, com um vasto leque de especialistas que nos ajudam a antever os próximos 12 meses. O investimento e o crescimento da praça hoteleira, a sustentabilidade, o wellness, a economia, a retoma do turismo e os recursos humanos são alguns dos motes esmiuçados na Publituris Hotelaria de janeiro.

* Para ler a versão completa desta edição da Hotelaria – em papel ou digital – subscreva ou encomende aqui.
Contacto: Carmo David | [email protected] 215 825 430 **

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Distribuição

Ricardo Teles é o novo diretor Comercial da Bestravel

A Bestravel acaba de nomear Ricardo Teles para o cargo de diretor Comercial da rede, funções que acumulará com a área de expansão da marca.

Publituris

Ricardo Teles acaba de ser nomeado diretor Comercial da rede de agências de viagens Bestravel, acumulando a área de expansão da marca.

O novo responsável comercial da marca conta com uma carreira na área turística de mais de 25 anos, tendo, no passado, exercido o mesmo cargo na marca Bestravel, bem como no operador turístico EgoTravel.

Ricardo Teles, Diretor Comercial, afirma que “assumo este novo desafio com o objetivo de reforçar o crescimento recente da rede e a sua melhoria operacional na procura da criação constante de valor para as nossas franquias e clientes, em estreita articulação com os nossos parceiros.”

Por sua vez, Carlos Baptista, administrador da Bestravel, acredita que a nomeação do Ricardo Teles como diretor Comercial “nos trará proximidade com os parceiros e determinação naquilo que é a estratégia comercial da Bestravel. Será, certamente, uma aposta ganha”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Istambul, regresso à capital dos sultões

Dividida entre a Europa e a Ásia, Istambul é uma cidade histórica e um destino turístico imperdível, que já está a recuperar a azáfama e o rebuliço que os turistas lhe conferem. Venha com o Publituris descobrir a maior cidade da Turquia, que mantém todo o seu encanto, mesmo em tempos de pandemia.

Inês de Matos

Dividida entre a Europa e a Ásia, Istambul é uma cidade histórica e um destino turístico imperdível, que já está a recuperar a azáfama e o rebuliço que os turistas lhe conferem. Venha com o Publituris descobrir a maior cidade da Turquia, que mantém todo o seu encanto, mesmo em tempos de pandemia.

Mesquita Azul

São muitos os monumentos que funcionam como cartão-postal de Istambul, mas nenhum permite sentir o pulsar da cidade como o Grand Bazar. Localizado junto a muitos dos monumentos históricos, o Grand Bazar de Istambul é uma das principais artérias comerciais da cidade, um local onde tudo se vende e tudo se compra e onde locais e turistas se misturam numa turba que, nos tempos áureos, parece não terminar. São milhares e milhares de pessoas que, diariamente, circulam pelas mais de 60 ruas do Grand Bazar de Istambul e ali fazem compras nas 3.600 lojas que vendem desde artesanato, aos famosos turkish delight, sem esquecer as especiarias, chás e outros produtos que dão ao espaço uma multiplicidade de cores e aromas únicos no mundo.
Istambul foi a última cidade que visitei antes do início da pandemia, em fevereiro de 2020, ainda as notícias da chegada da COVID-19 à Europa eram escassas e intermitentes. Por isso, estava curiosa para saber qual seria o cenário que encontraria desta vez no Grand Bazar de Istambul, que já tinha visitado por três vezes, sempre com um mar de gente à minha volta, ao ponto de, por vezes, quase levitar em vez de andar. Estaria vazio ou a funcionar com restrições, as lojas estariam todas abertas? Estas eram algumas das dúvidas que andavam à volta na minha cabeça e me faziam duvidar que, desta vez, fosse encontrar uma cidade tão vibrante como tipicamente Istambul se apresenta. Mas não poderia estar mais enganada.
Se é verdade que a multidão não chegava ao ponto de nos fazer levitar, também é verdade que, dentro do Grand Bazar, assim como nas ruas imediatamente ao lado, para onde as lojas e bancas de produtos típicos se prolongam, o cenário não estava assim tão diferente da última vez. É que, tal como em Portugal, a Turquia conta já com uma elevada taxa de vacinação e adotou uma série de medidas para conter a COVID-19, que permitiram ao país respirar de alívio e voltar a abrir as portas aos turistas, que já percorrem novamente as ruas da cidade aos milhares, dando a Istambul uma animação que é tão característica da cidade.
E foi justamente com o objetivo de mostrar como está, atualmente, a situação na Turquia e para provar que Istambul é “um destino seguro”, que a Turkish Airlines e o operador turístico Viagens Tempo se juntaram para promover uma viagem de familiarização à maior cidade da Turquia, entre 15 e 19 de novembro, na qual o Publituris marcou presença, assim como um grupo de sete agentes de viagens.

Istambul em tempos de pandemia

Esta foi a quarta vez que visitei Istambul, uma cidade histórica que, ao longo dos séculos, conheceu diversas denominações – foi Bizâncio na época do império bizantino e, mais tarde, Constantinopla quando se converteu na capital do império romano no Oriente, passando a Istambul já depois da conquista pelos otomanos, em 1453 – e que guarda monumentos de quase todas as culturas e civilizações que por ali passaram.

Palácio Topkapi

Hoje, Istambul é uma metrópole que conta com mais de 15 milhões de habitantes e onde as práticas e cultura muçulmanas – a religião de 98% dos seus habitantes – se misturam com o que de mais moderno o século XXI trouxe e onde não faltam hotéis das mais conhecidas cadeias internacionais e lojas de marcas que tipicamente se encontram em qualquer capital europeia. Depois, há ainda uma rica gastronomia que, apesar da diferença para a portuguesa, muito por culpa dos aromas das especiarias, promete fazer adeptos, até porque muitos dos ingredientes a que estamos habituados na dieta mediterrânica também lá estão, como as azeitonas e o azeite, os legumes, a fruta, os frutos secos, o queijo ou o iogurte.
E foi justamente pela comida que começámos esta aventura pela capital dos sultões, nome por que eram conhecidos os antigos governantes muçulmanos e que deixaram na cidade palácios, mesquitas e outros monumentos que nos transportam para o conto das ‘Mil e Uma Noites’.
Chegámos a Istambul ao final da tarde e, depois de nos encontrarmos com Ayse Sezer, a guia que nos acompanhou durante a viagem, seguimos para o primeiro contacto com a gastronomia turca. O jantar, na zona de Kumkapi, contou com os típicos mezzes – as entradas turcas que também podem servir de refeição – assim como com outros dos mais tradicionais petiscos nacionais. Só depois da barriga estar mais composta fomos conhecer o Yigitalp Hotel, unidade de quatro estrelas na zona histórica de Istambul, que foi o nosso quartel-general.
Logo às primeiras horas que passámos na cidade, percebemos que, por lá, também a COVID-19 é encarada com cautela. Além das máscaras faciais que são obrigatórias em locais fechados, assim como em transportes públicos, todos os estabelecimentos, como hotéis, lojas, cafés ou restaurantes, têm em local bem visível as 14 regras que devem ser cumpridas para prevenir contágios e onde não faltam apelos à lavagem e desinfeção de mãos, ao distanciamento físico e à vigilância de sintomas associados à doença.
E, tal como Portugal lançou o selo Clean & Safe, também a Turquia criou um selo que garante o cumprimento das regras para estabelecimentos ligados ao turismo, denominado Safe Tourism, que está afixado à porta dos estabelecimentos aderentes.
Mas não se pense que esta viagem ficou marcada pela COVID-19. Apesar da doença ainda ser uma ameaça, mesmo que também na Turquia a taxa de vacinação seja elevada e atinja mais de 60% da população, e de frequentemente sermos lembrados das regras em vigor, o certo é que Istambul se mantém como uma cidade capaz de oferecer experiências inesquecíveis e onde todos os monumentos estão em pleno funcionamento e abertos aos visitantes.

Do Bósforo à Torre Galata

A cidade, em todo o seu esplendor, só se revelaria no dia seguinte, quando nos aventurámos num passeio de barco pelo Bósforo. Apesar do frio e do vento que, em novembro, já se fazem sentir em Istambul, os passeios de barco no Bósforo são um ‘must-do’, pois permitem apreciar toda a parte europeia da cidade, desde a zona histórica até à parte mais moderna e onde se encontra o estádio do Besiktas, sem esquecer a parte asiática, passando pela ponte do Bósforo, que liga a Europa à Ásia, assim como pela fortaleza de Rumelihisarı, construída pelo sultão Maomé II, no século XV, como apoio para a conquista de Constantinopla, em 1453.
O passeio no Bósforo durou praticamente toda a manhã e terminou já perto da hora do almoço. Mas, antes de nos voltarmos a deliciar com a gastronomia turca, houve ainda tempo para visitar a mesquita Rüstem Paxá, um edifício com quase meio século, que se encontra mesmo em frente à ponte de Galata e que é conhecida pelos seus azulejos de İznik, considerados os mais belos do género, ultrapassando mesmo os da Mesquita Azul.
O almoço chegaria logo depois da visita à mesquita e, desta vez, o restaurante selecionado foi o Ali Ocakbasi, no bairro de Beyoglu e bem perto da Praça Taksim, que visitámos após o almoço e onde existe agora uma nova mesquita batizada com o mesmo nome da praça e que foi inaugurada pelo Presidente Erdogan já este ano. A visita à Mesquita Taksim é interessante, pois é um edifício moderno e com uma decoração sóbria, bem diferente de grande parte das mais de 3.500 mesquitas que existem na cidade, muitas das quais históricas.
A tarde do primeiro dia completo em Istambul seria passada neste bairro de Beyoglu, que é mais associado às artes e à população mais jovem, funcionando mesmo como uma espécie de Bairro Alto lá da zona. É também neste bairro que se localiza a conhecida Avenida Istiklal, uma das mais conhecidas de Istambul, onde se concentram muitas das lojas de marcas internacionais e que é atravessada por um elétrico semelhante aos de Lisboa. Tal como o Grand Bazar, também esta avenida serve para medir o pulso à cidade e, nos dias em que por lá passámos, o movimento era constante, quase como nos tempos anteriores à pandemia.
Durante o passeio por Beyoglu, onde viríamos também a jantar nessa noite, visitámos ainda a Catedral do Espírito Santo, uma das poucas igrejas católicas que se encontram na cidade, assim como a Torre Galata, uma torre medieval com quase 67 metros de altura que se impõe na paisagem de Istambul e que, nos dias de hoje, funciona como um miradouro privilegiado. Sinal de que o turismo já está a recuperar em Istambul, era igualmente a fila que já se formava para subir à Torre Galata e que praticamente dava a volta ao edifício, mas que, ainda assim, era mais curta do que nas outras vezes em que visitei o monumento.

Palácio Topkapi e Santa Sofia

O segundo dia em Istambul começou com outro clássico, a visita ao Palácio Topkapi, antiga residência dos sultões e onde passámos praticamente toda a manhã, uma vez que este palácio se estende por uma generosa área de 700 mil metros quadrados. Além da dimensão do monumento, a visita ao Palácio Topkapi deve ser realizada às primeiras horas da manhã, uma vez que também as filas para entrar no edifício costumam ser longas e demoradas.
Ao longo da visita, é possível ver as diversas salas que eram usadas pelos sultões, fosse para receber enviados de outros países ou para acomodar o seu harém, sem esquecer o trono que era usado pelos governantes otomanos, assim como algumas exposições especiais, como a de relógios ou das armas dos sultões, passando ainda pelas relíquias sagradas do Islão.
Localizado em Sultanahmet, zona histórica de Istambul, o palácio fica ao lado de Santa Sofia e da Mesquita Azul, sendo necessários apenas alguns minutos de caminhada para visitar os três monumentos. E, após o palácio, foi para a Mesquita Azul que seguimos, numa visita que acabou por ser mais curta que o esperado, já que grande parte do edifício se encontra em reabilitação, incluindo o seu interior, e os deslumbrantes azulejos desta mesquita estavam tapados por andaimes, impedindo a sua contemplação.
O almoço seria a etapa seguinte e, desta vez, o restaurante Omar, em frente à Mesquita Azul, foi o escolhido. Mezzes e os típicos kebabs fizeram, mais uma vez, as delícias dos comensais.
Já a parte da tarde foi dedicada a visitar o antigo hipódromo – datado da época dos bizantinos mas do qual, infelizmente, já pouco resta -, assim como Santa Sofia, a apenas alguns passos de distância e que é um dos edifícios mais emblemáticos de Istambul. Construída como catedral na época dos bizantinos, Santa Sofia funcionou como mesquita durante o período dos otomanos e passou a museu pela mão de Kemal Ataturk, o pai da Turquia moderna, em 1931.

Santa Sofia

Santa Sofia é um edifício imponente, que nenhum turista deixa de visitar. A história, a grandiosidade, a sua cúpula com diâmetro superior a 30 metros e que se eleva a mais de 55 metros do chão, bem como os ricos mosaicos e vitrais, tornam Santa Sofia num local especial. Não posso, no entanto, deixar de realçar que, desde julho do ano passado, Santa Sofia voltou a funcionar como mesquita, por decisão do Presidente Erdogan, o que veio alterar muito daquilo que era a visita enquanto teve o estatuto de museu. Com a mudança, a visita ao primeiro andar do edifício passou a estar vedada, enquanto os mosaicos e vitrais com imagens católicas foram tapados com painéis amovíveis, o que retira muito do interesse histórico à visita.
O regresso de Santa Sofia a mesquita não foi, no entanto, um processo pacifico, uma vez que, segundo Ayse Sezer, “todos os guias turísticos estão contra” e fizeram até uma manifestação em protesto contra a mudança, mas sem grande efeito. Certo é que, nem tudo é mau nesta alteração, pois a entrada tornou-se gratuita e passou a ser possível visitar o edifício até à meia-noite. E visitar este imponente edifício à noite também tem um encanto especial.

Mercado das especiarias e Grand Bazar

Mas quem visita Istambul não pode deixar de passar pelos mercados da cidade, com destaque para o Bazar das Especiarias, também conhecido como Bazar Egípcio, e para o Grand Bazar de Istambul, locais de comércio mas que, pelo seu caráter histórico e arquitetura singulares, são também atrações turísticas, por onde passa a maioria dos turistas que visita a cidade.
Visitámos o primeiro logo no início desta viagem a Istambul e, mais uma vez, não consegui evitar voltar a ficar fascinada com os aromas e as cores que por ali se encontram. O açafrão, as pimentas de quase todas as variedades, a canela, o cravinho, a paprica ou o anis estrelado são algumas das especiarias que se encontram por todo o mercado, que também está localizado na zona histórica, em frente à Ponte Galata, que liga as duas partes europeias da cidade.
Mas o mercado que ninguém quer perder é mesmo o Grand Bazar, um dos maiores e mais antigos mercados do mundo. Construído depois da conquista de Constantinopla pelos otomanos, em 1455, o Grand Bazar de Istambul é um espaço coberto, com 45 mil metros quadrados e 22 portas de entrada, onde trabalham mais de 20 mil pessoas e por onde passam diariamente muitas mais. É uma autêntica cidade dentro da enorme cidade que é Istambul. Aqui, tudo se vende, mas há produtos emblemáticos, como as famosas ‘pashminas’ ou echarpes confecionadas com caxemira, os turkish delights – doces turcos que parecem gomas com frutos secos – ou o típico artesanato local. E, se for às compras, lembre-se que, por aqui, o regateio ainda é tradição, o que leva a que nada se compre sem que sejam necessários alguns minutos para regatear o preço com o vendedor. É assim que se fazem os melhores negócios.
O Grand Bazar de Istambul foi o último ponto desta viagem de familiarização a Istambul, de onde voltei com a certeza que, apesar da pandemia, a maior cidade da Turquia mantém todo o seu encanto e continua pronta a receber os turistas, ainda que, agora, seja necessário levar na bagagem também as máscaras faciais e, claro, o certificado de vacinação.

“Viagem superou todas as expetativas. Não podia ter corrido melhor”

Promovida pela Turkish Airlines e pelo operador turístico Viagens Tempo, esta viagem de familiarização decorreu entre 15 e 19 de novembro, com a participação de sete agentes de viagens da Graçatur, Bestravel Paços de Ferreira, FR Travel, Bonsai Viagens, Bestravel Benfica, Q Viagens Viseu e Inatel Viagens, além de Ana Aguiar, comercial das Viagens Tempo.
No final da viagem, Ricardo Davim, responsável das Viagens Tempo que, tal como Nuno Figueiredo, da Turkish Airlines, acompanhou o grupo, fazia um balanço positivo, considerando que a ação “superou todas as expetativas. Não podia ter corrido melhor”.
Além de dar a conhecer aos agentes de viagens os monumentos e atrações turísticas de Istambul, esta viagem de familiarização pretendeu também mostrar “que o destino está seguro” e que, apesar da COVID-19, o turismo já está de regresso à maior cidade da Turquia.
Para Istambul, as Viagens Tempo contam com vários programas, assim como viagens à medida, e, em 2021, disponibilizaram também um pacote de réveillon com lugares garantidos na Turkish Airlines, à partida de Lisboa e Porto.

Como ir e onde ficar?
Esta viagem teve partida e chegada ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, a partir de onde a Turkish Airlines realiza cinco voos por semana para Istambul, às segundas, terças, quintas, sextas e sábados. Além do Porto, a companhia aérea turca também voa para Istambul à partida de Lisboa, em ambos os casos com destino ao novo aeroporto de Istambul Arnavutköy, que foi inaugurado em 2018 e que é atualmente um dos maiores do mundo.
Para alojamento, Istambul oferece uma vasta gama de unidades de todas as classificações, incluindo de conhecidas cadeias internacionais de hotelaria. No nosso caso, o Yigitalp Hotel, de quatro estrelas superior e localizado na zona histórica, foi a unidade que nos acolheu.
Além de um confortável hotel de quatro estrelas superior, o Yigitalp Hotel oferece uma localização perfeita para quem quiser ficar alojado a uma custa distância das principais atrações da cidade, como a Mesquita Azul, Santa Sofia ou o Grand Bazar de Istambul.

O que levar?
Nesta altura do ano, é imperativo levar na bagagem agasalhos quentes, uma vez que o inverno costuma ser bastante frio em Istambul e são mesmo comuns os dias em que neva. Além disso, o calçado confortável é outro requisito, uma vez que é necessário andar bastante a pé, pois o trânsito caótico de Istambul não permite que as deslocações sejam sempre realizadas em veículos motorizados. Andar a pé ou de transportes públicos costumam ser as melhores opções. Depois, é ainda aconselhado que as senhoras levem um lenço ou echarpe, uma vez que, para entrar nas mesquitas, é necessário cobrir o cabelo.
Devido à COVID-19, é também necessário ter o certificado de vacinação ou apresentar um teste negativo à chegada, bem como fazer o registo na plataforma https://register.health.gov.tr.
Já o visto de entrada na Turquia deixou de ser necessário para os cidadãos portugueses desde março de 2020, bastando apenas ter o Cartão do Cidadão para entrar no país.

*A jornalista viajou a convite da Turkish Airlines e Viagens Tempo.

 

Sobre o autorInês de Matos

Inês de Matos

Mais artigos
Destinos

Candidaturas ao estatuto PME Líder abertas atá 15 de fevereiro

O prazo para a apresentação de candidaturas ao estatuto PME Líder 2021 é até dia 15 fevereiro de 2022.

Publituris

Para concorrer a este selo de reputação de empresas criado pelo IAPMEI é necessário, entre outros requisitos, ter estatuto de PME, comprovado pela obtenção da certificação PME, e desenvolver uma atividade económica enquadrada na Lista de Setores de Atividade (CAE) constantes no Regulamento.

A empresa candidata tem que ter assegurado o cumprimento das seguintes condições relativas à sua atividade:  Possuir situação regularizada perante a Autoridade Tributária, a Segurança Social, o IAPMEI e o Turismo de Portugal, bem como junto de outras entidades públicas com responsabilidade na gestão de fundos públicos; Não se encontrar em situação de reestruturação financeira e/ou de insolvência, nem ter em curso processos de PER, RERE, PEVE ou de insolvência; Ter a situação regularizada perante a Central de Responsabilidade de Crédito do Banco de Portugal; Não ter salários em atraso; Não ter sido alvo de condenação através de processo-crime ou contraordenacional por violação da legislação do trabalho, designadamente através de atos que envolvam discriminação no trabalho e no acesso ao emprego, nos últimos 3 anos; Não ter sido alvo de punição, nos últimos três anos, pela prática de quaisquer contraordenações ambientais e do ordenamento do território.

O estatuto PME Líder, que visa distinguir o mérito das PME nacionais com desempenhos superiores, é atribuído em parceria com o Turismo de Portugal e um conjunto de Bancos parceiros e as Sociedades de Garantia Mútua, tendo por base as melhores notações de rating e indicadores económico-financeiros. Para as empresas do setor do turismo, a gestão é assegurada pelo Turismo de Portugal.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

“The Emerald House Lisbon” já abriu

Localizada num edifício restaurado, na rua das Janelas Verdes, “The Emerald House”, a primeira unidade hoteleira em Lisboa da marca Curio Collection by Hilton, acaba de abrir portas.

Publituris

“The Emerald House”, a primeira unidade hoteleira em Lisboa da marca Curio Collection by Hilton, acaba de abrir portas.

Localizado num edifício restaurado, na rua das Janelas Verdes, o novo hotel oferece 67 quartos, com vistas sobre o rio Tejo e da própria cidade, bem como um restaurante, “A Mesa”, que oferece uma seleção de pratos portugueses contemporâneos e uma vasta carta de bebidas, o Five O’Clock Bar, e ainda um moderno ginásio, aberto 24 horas por dia. O piso inferior, que outrora foi uma padaria, serve uma variedade de pães e pastelaria.

Vários artigos que pertenciam aos anteriores residentes do edifício, tais como uma banheira antiga, azulejos e um lavatório, foram guardados e utilizados como peças únicas de decoração no hotel. A arte e as antiguidades da zona local sustentam uma decoração moderna e elegante.

O The Emerald House Lisbon, Curio Collection by Hilton, faz parte da Hilton Honors, programa de fidelização de hóspedes das 18 distintas marcas hoteleiras da Hilton.

Simon Vincent, vice-presidente executivo e presidente da Hilton na região EMEA afirma que o grupo hoteleiro “continua a expandir-se para destinos-chave na nossa região, com quase 30 aberturas na Europa no ano passado, incluindo o Hilton Porto Gaia e novas propriedades da Curio Collection nas principais cidades como Paris, Londres, Cambridge e Sardenha”.

O executivo refere ainda que “estamos entusiasmados por trazer pela primeira vez a marca Curio Collection by Hilton para Lisboa – uma das cidades mais históricas da Europa, que se tornou um destino de lazer cada vez mais popular ao longo dos últimos anos”.

Após a abertura do Boeira Garden Hotel Porto Gaia, no ano passado, o The Emerald House Lisbon, acrescenta, “representa a segunda propriedade da Curio Collection em Portugal e a nossa sexta no país. Tendo já mais seis propriedades em fase de preparação, continuamos empenhados em proporcionar alojamento de excelência nos melhores destinos mundiais”.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Destinos

Cabo Verde quer dar cartas como destino turístico verde

O primeiro-ministro de Cabo Verde anunciou que o país quer posicionar-se internacionalmente como destino turístico verde.

Cabo Verde quer posicionar-se internacionalmente como destino turístico verde, assegurou o primeiro-ministro, que traçou os objetivos para este desiderato.

“Nós estamos a fazer com que esta retoma seja não uma reprodução, igual ao que existia antes, mas que seja ainda melhor, relativamente a tudo aquilo que Cabo Verde pode oferecer para o desenvolvimento de um turismo sustentável e que seja de facto um acelerador do desenvolvimento”, afirmou, Ulisses Correia e Silva, no lançamento do Programa Operacional do Turismo (POT), citado pela Lusa.  Este é um instrumento de planeamento com vários projetos para materializar a visão do governo para o setor, até 2030.

Cabo Verde depende das receitas do turismo, que garantem 25% do Produto Interno Bruto e do emprego, após o recorde de 819 mil turistas em 2019, procura que caiu mais de 60% no ano seguinte, devido à pandemia de covid-19, mas que apresenta desde o último trimestre de 2021 alguns sinais de recuperação.

“Queremos ter um turismo verde. Não é só uma questão de cor, é do conceito. Levar lá onde tivermos de levar o máximo de energias renováveis, bom saneamento, boas qualificações e fazer com que Cabo Verde seja reconhecido – isto aumenta a nossa notoriedade – como um destino turístico verde, que acolhe bem, mas acolhe em bom ambiente”, acrescentou, como exemplo dos conceitos defendidos no POT, para implementação a médio prazo e que conta com o apoio do Banco Mundial.

Ulisses Correia e Silva garantiu tratar-se de um programa cuja “centralidade” é promover o empreendedorismo no setor do turismo, a formação e a qualificação, bem como a requalificação da oferta, congregando vários planos estatais, parceiros públicos, privados e organizações internacionais, mas também potenciando novas ofertas turísticas, além do habitual sol e praia, nas ilhas do Sal e da Boa Vista, reforçando a promoção turística internacional de Cabo Verde e promovendo o potencial das restantes ilhas.

Outra das apostas do programa, na componente da diversificação da oferta e do alargamento da promoção a todos as ilhas, disse ainda o primeiro-ministro, é o turismo rural, de natureza e cultural: “Nós temos nestas ilhas potenciais adormecidos, que podem ser de facto acordados, no bom sentido, transformando aquilo que são recursos em valor”, acrescentou o chefe do governo cabo-verdiano.

Neste plano, a promoção de Cabo Verde com um “destino seguro”, do ponto de vista sanitário e físico, continua a ser prioritário, assegurou.

Sobre o autorCarolina Morgado

Carolina Morgado

Mais artigos
Meeting Industry

Turismo do Porto e Norte intensifica ações de promoção

O Turismo do Porto e Norte de Portugal vai marcar presença, durante este mês, num conjunto de ações promocionais, a começar na Fitur, em Madrid.

Publituris

Com a retoma do setor turístico no horizonte, o Turismo do Porto e Norte vai estar presente não só na Fitur, em Madrid, de 19 a 22 deste mês, mas também em várias outras ações promocionais já agendadas.

Ainda este mês, o Turismo do Porto e Norte participará no Visit Portugal Marketplace, dias

Nos dias 25 e 26 de janeiro, o Turismo do Porto e Norte participará no Visit Portugal Marketplace, ação dirigida aos mercados dos Estados Unidos da América e do Canadá. Este workshop contará com a presença de agentes turísticos destes mercados, que farão reuniões, pré-agendadas, com os agentes em Portugal.

De 30 de janeiro a 4 de fevereiro, está ainda agendada a participação num roadshow com eventos de networking em cinco cidades alemãs (Munique, Estugarda, Hanover, Colónia e Wiesbaden), onde será possível reunir com perto de 50 agentes turísticos.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Alojamento

Hélder Martins assume direção do futuro Hyatt Regency Lisboa

O Hyatt Regency Lisboa, projeto detido pela United Investments Portugal (UIP), e com abertura prevista para abril próximo, já tem diretor-geral. Trata-se de Hélder Martins.

Publituris

O profissional junta-se ao Grupo UIP para conduzir a abertura do Hyatt Regency Lisboa e liderar de raiz uma nova equipa multidisciplinar num projeto que pretende ser uma referência para a hotelaria da capital portuguesa.

Com mais de 20 anos de experiência internacional na área da gestão hoteleira de marcas de luxo, Hélder Martins colaborou com diferentes insígnias, tais como a Sheraton, Westin, Marriott e W Hotels. É mestre em Hospitality Management and Tourism, com diploma atribuído pela Escola de Negócios de Barcelona.

O Hyatt Regency Lisboa, que vai nascer à beira-rio, em Belém, é um empreendimento que combina a componente hoteleira com o investimento imobiliário, num total de 70 milhões de euros.

A nova unidade engloba suites e apartamentos de topo, bar no terraço com vista panorâmica para o Tejo, restaurante, ginásio, parque de estacionamento, salas de reunião e um Spa de classe mundial, o Serenity – The Art of Well Being.

Há mais de 30 anos em Portugal, a UIP chega pela primeira vez à capital. Este empreendimento espelha a aposta do grupo no mercado nacional, onde conta já com projetos no Algarve (Pine Cliffs Resort), em Cascais (Sheraton Cascais Resort) e no Porto (YOTEL Porto e Quinta Marques Gomes).

 

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Frederic Leger é o novo vice-presidente sénior de Produtos Comerciais e Serviços da IATA

Responsável já ocupa o cargo de forma interina desde julho de 2021, quando a divisão de Produtos Comerciais e Serviços da IATA foi criada.

Publituris

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) nomeou Frederic Leger como novo vice-presidente sénior de Produtos Comerciais e Serviços, cargo que o profissional já ocupa de forma interina desde julho de 2021, quando a divisão de Produtos Comerciais e Serviços da associação foi criada.

Num comunicado enviado à imprensa, a IATA explica que Frederic Leger reporta diretamente a Willie Walsh, diretor geral da associação, e vai manter também o cargo de presidente da IATA Cargo Network Services nos EUA, que desempenha desde maio de 2021.

Frederic Leger ingressou na IATA em 2005 como chefe de serviços de faturação eletrónica e, desde então, ocupou diversos cargos na associação, nomeadamente em áreas relacionadas com produtos e serviços comerciais, bem como de carga da IATA.

“Mais recentemente, supervisionou o desempenho comercial de produtos e serviços relacionados com o trabalho da IATA nas atividades aeroportuárias, de passageiros, carga e segurança”, acrescenta a associação.

Antes de chegar à IATA, Frederic Leger trabalhou na Cap Gemini e na bioMerieux, tendo feito também parte da equipa de startups da CPGmarket.com na indústria de bens de consumo embalados.

A nível académico, o novo vice-presidente sénior de Produtos Comerciais e Serviços da IATA conta com um Mestrado em Estratégia pela Grenoble School of Management e estudou Supply Chain e Finanças na Lyon School of Management.

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos
Transportes

Programa Cruzeiro com Confiança do Grupo Royal Caribbean passa a incluir partidas do verão 2022

Programa Cruzeiro com Confiança foi alargado às reservas até 31 de março de 2022, passando a abranger também as partidas do verão, até 30 de setembro,

Publituris

O Grupo Royal Caribbean prolongou o programa Cruzeiro com Confiança às reservas até 31 de março de 2022, passando a abranger também as partidas do verão, até 30 de setembro, segundo comunicado enviado à imprensa pela Melair Cruzeiros, que representa o grupo de companhias de cruzeiros em Portugal.

“Este programa foi criado para dar ao consumidor mais Tranquilidade e Flexibilidade no planeamento das suas férias e aos Agentes de Viagens confiança para sugerirem os cruzeiros Royal Caribbean e Celebrity Cruises aos seus clientes”, explica o grupo na informação divulgada.

Com este prolongamento, o Certificado para Futuro Cruzeiro pode ser aplicado em cruzeiros com data de partida até 31 dezembro 2022 ou até 12 meses a contar da data de partida do cruzeiro original cancelado, uma vez que se “aplica o prazo que for maior”.

Desta forma, as reservas realizadas até 31 de março para cruzeiros com partida até 30 de setembro, têm ao dispor a possibilidade de cancelar a viagem até 48 horas antes da partida em substituição por um Certificado de Cruzeiro Futuro no valor de 100%, sendo também possível optar pelo cancelamento da reserva sem gastos, desde que a reserva “tenha sido efetuada com uma tarifa regular, e se encontrar fora do calendário de penalidades (90 dias antes da data de partida)”.

Já se a reserva tiver sido efetuada ao abrigo de uma Tarifa de Depósito Não Reembolsável, ao optar pelo cancelamento da reserva antes da data de pagamento final, o cliente recebe um Certificado de Cruzeiro Futuro no valor do depósito, sem qualquer penalidade.

Por outro lado, no caso do cliente pretender receber o Certificado ao abrigo do programa ‘Cruzeiro com Confiança’, no momento em que a sua reserva estiver sujeita a gastos de cancelamento inferiores a 100% da tarifa total do cruzeiro, ao optar por receber um Certificado, concorda em ficar imediatamente sujeito a taxas de cancelamento equivalentes a 100% da tarifa do cruzeiro.

Os Certificados para um Cruzeiro Futuro são válidos até 31 de dezembro de 2022 e aplicam-se em cruzeiros com data de partida até 31 dezembro 2022 ou até 12 meses a contar da data de partida do cruzeiro original cancelado (aplica-se o prazo que for maior), sendo que, se não utilizado dentro deste prazo, o Certificado perde automaticamente a sua validade.

Já nos cruzeiros com data de partida depois de 1 outubro de 2022 aplicam-se os Termos & Condições regulares, sendo que as condições excecionais de cancelamento ao abrigo do programa ‘Cruzeiro com Confiança’ não são válidas neste caso.

“Ao solicitar um Certificado ao abrigo do programa ‘Cruzeiro com Confiança’, significa que optou por cancelar voluntariamente a sua reserva e renuncia a qualquer direito de receber qualquer reembolso da tarifa do cruzeiro paga, mesmo que a viagem seja posteriormente cancelada”, explica o comunicado divulgado.

Este programa garante ainda “a melhor tarifa e promoção aplicada à reserva até 48 horas antes da data de partida”, num aplicação que deve ser solicitada via email e que permite o “ajuste direto no preço, se solicitado fora do período de pagamento final” ou a “atribuição de Crédito a Bordo não reembolsável, quando solicitado dentro do período de pagamento”

Sobre o autorPublituris

Publituris

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector do turismo, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias do Turismo. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 PUBLITURIS. Todos os direitos reservados.