APAVT visita agências afectadas pelo temporal na Madeira

Por a 2 de Março de 2010 as 2:13

João Passos visitou ontem cinco agências associadas na baixa do Funchal severamente atingidas pelas cheias. Durante a visita, que antecedeu a conferência de imprensa conjunta com a TAP e Secretaria Regional de Turismo e Transportes, o presidente da APAVT aproveitou para divulgar a linha de crédito estabelecida com o Santander-Totta na semana passada, a qual garante condições vantajosas para os associados da Madeira, com três anos e meio sem spread.

Ao que o Publituris apurou junto da APAVT, até agora não houve ainda qualquer pedido à linha, até porque os agentes de viagens atingidos ainda não têm a totalidade dos prejuízos apurados, nem possivelmente a situação apresentada aos seguros. Grande parte deles perdeu documentação, nomeadamente de reservas, mobiliário e equipamento informático, impossibilitando-os de trabalharem nas suas instalações e obrigando-os a buscar alternativas noutras lojas, por exemplo.

Sublinhando que “a Madeira é um paradigma em termos de turismo” e que “é um exemplo a ser seguido em termos de rapidez de recuperação”, João Passos sublinhou que “compete-nos a nós, associações dos agentes económicos deste sector, em situações de adversidade, agir de imediato”. “Os nossos associados sofreram e de que maneira com esta situação. Imediatamente reunimos com o Santander Totta e abrimos uma linha de crédito em condições vantajosas para os associados da Madeira”, disse.

O responsável anunciou ainda Conceição Estudante como uma das convidadas da próxima reunião da Aliança Mundial das Associações de Agentes de Viagens (WTAAA), em Lisboa (8 e 9 de Março), de forma a ter “tempo de antena” perante uma audiência composta pela “nata do turismo munidal”. “É  lá que estão os representantes de 30 associações, de 30 países da Europa, que é o grosso do turismo para a região da Madeira”, sublinhou, recordando que durante a semana passada participou no movimento de divulgação das fotos positivas do destino. “Ao mesmo tempo, e porque quisemos contrariar as imagens negativas, disparámos todas as imagens positivas que nos chegavam, tanto para os associados congéneres como para a Europa e todo o mundo, e funcionou. Obtivemos respostas interessantíssimas de todos os lados, nomeadamente da ECTA, que nos disse ir informar os nossos associados para que continuem a vender Madeira”.

*A jornalista viajou a convite da APAVT

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *