Novo stand do TP dá maior enfoque às empresas do trade

Por a 1 de Março de 2010 as 21:21

O Novo stand do Turismo de Portugal permite uma maior exposição das empresas do sector no intuito de fomentar a comercialização dos produtos turísticos nacionais. “Quem vende são as empresas por isso damos-lhes maior enfoque e visibilidade neste stand”, explicou ontem Frederico Costa, vice-presidente do TP, aquando a apresentação da nova estrutura do TP nas instalações da Multilem, empresa que ganhou por mais três anos (já lá vão seis) o contrato (de 2,5 milhões de euros anuais) desta prestação de serviços que inclui não só a concepção do espaço, mas também a montagem, a manutenção, o transporte, e toda a logística do mesmo. Frederico Costa fez questão de salientar que o TP pensou nas empresas que pagam para estar presentes neste stand: “Queremos dar as melhores condições às empresas para venderem o seu produto, esta é a nossa grande prioridade”.

Pedro Castro, administrador da Multilem mostrou que o Novo stand do Turismo de Portugal é uma estrutura versátil que utiliza várias novidades tecnológicas, entre as quais jogos interactivos “que permitem uma forte comunicação com os visitantes”, e também fornece às empresas maior exposição da sua oferta e ao mesmo tempo uma maior privacidade, já que existe a possibilidade de adequarem os módulos consoante as suas necessidades.

Mas mais do que um espaço expositivo que alia a tecnologia, flexibilidade, modernidade e dinamismo, o novo stand do TP não descura a sustentabilidade. São perto de 5,200 metros quadrados de espaço expositivo contratado à Multilem num stand que apresenta efectivamente maior sofisticação, melhoramento de imagem, materiais mais modernos, cobertura wi-fi, além de uma preocupação com a sustentabilidade nomeadamente com o consumo de energia através de uma iluminação eco-friendly e utilização de materiais diferenciados: “Tentámos corrigir o que não estava tão bem no stand antigo – apesar de muito bom e premiado até – melhorando-o”, observou Frederico Costa defendendo que este stand responde verdadeiramente às actuais necessidades do sector nacional. Além disso o novo stand tem novos equipamentos como um módulo polivalente, um espaço semi-aberto, flexível e versátil, que poderá ser adaptado para auditório, exposições ou animações de empresas, assim como um módulo sala de reuniões para os encontros que exijam mais espaço. O vice-presidente do TP garantiu que estes módulos (que podem variar entre os 50 e os 150 metros) vão ser replicados em várias feiras (e não apenas na FITUR) “o que para nós é fundamental. Temos de ter um stand útil e fácil de montar em qualquer feira”, alertou.

Esta nova estrutura vai representar o destino Portugal em 21 feiras internacionais em 15 países, e vai marcar a sua estreia já na próxima semana na ITB Berlim 2010. O investimento na promoção do TP nestas feiras internacionais rondará os 5,5 milhões de euros anuais, e com o novo stand o instituto público garante que vai poupar meio milhão de euros por ano.

Estreia na ITB 2010

Além das sete Agências Regionais de Promoção Turística (ARPT’s), estarão no novo stand de Portugal que estreia na ITB, 52 empresas nacionais. Nesta feira, que decorrerá entre 10 e 14 de Março em Berlim, estão já confirmadas duas apresentações no novo stand de Portugal: uma do destino Algarve e outra da TUI. Como o TP já esperava, em 2009 o mercado alemão também registou quebras, à semelhança de outros mercados emissores de turistas para Portugal: com menos 8,9% de dormidas face a 2008 e menos 7,8% de hóspedes comparativamente ao ano anterior. Depois de em 2009, o TP ter apostado numa campanha do destino Portugal no centro comercial Alexa, este ano a campanha de promoção internacional “Perfectly Priced” vai ser a grande aposta com o objectivo de haver maior concentração na captação de nova procura no mercado alemão: “Vender ao preço certo porque as pessoas continuam preocupadas com o custo das viagens”. Recorde-se que o Turismo de Portugal investe 7,100 milhões de euros no total para esta campanha (lançada no segundo semestre de 2009) em todos os mercados emissores de turistas para Portugal. “2010 tem mesmo de ser um ano de recuperação. Temos uma série de reuniões marcadas com vários operadores e companhias aéreas da Alemanha durante a ITB”. As acções de apoio à comercialização na captação directa de turistas estão no topo das prioridades do TP, que dá agora menos enfoque às iniciativas baseadas na promoção da imagem do destino.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *